A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

UNIVERSIDADEFEDERAL DA BAHIA FACULDADE DE EDUCAÇÃO EDC 287- EDUCAÇÃO E TECNOLOGIAS CONTEMPORÂNEAS ALUNAS: ANGÉLICA, LEILA, LUCIANE E SIMONE PROFESSOR:

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "UNIVERSIDADEFEDERAL DA BAHIA FACULDADE DE EDUCAÇÃO EDC 287- EDUCAÇÃO E TECNOLOGIAS CONTEMPORÂNEAS ALUNAS: ANGÉLICA, LEILA, LUCIANE E SIMONE PROFESSOR:"— Transcrição da apresentação:

1 UNIVERSIDADEFEDERAL DA BAHIA FACULDADE DE EDUCAÇÃO EDC 287- EDUCAÇÃO E TECNOLOGIAS CONTEMPORÂNEAS ALUNAS: ANGÉLICA, LEILA, LUCIANE E SIMONE PROFESSOR: MENANDRO RAMOS Software Livre

2 MAS O QUE É MESMO SOFTWARE LIVRE???

3 SOFTWARE LIVRE Software livre é qualquer programa de computador cujo código fonte deve ser disponibilizado para permitir o uso, a cópia, o estudo e a redistribuição.

4 Existe desde 1983, quando Richard Stallman, iniciou o projeto GNU; O projeto é administrado por Free Software Fundation; Geralmente desenvolvido por programadores que utilizam linguagem de programas para construí-los; É uma estrutura lógica,um programa que realiza funções dentro do sistema computacional. SOFTWARE LIVRE

5 BREVE HISTÓRICO Richard StelmannLinus Torvalds

6 SOFTWARE COMO PROGRAMA DE COMPUTADOR Software x Hardware

7 AS QUATRO LIBERDADES: 1- De executar o programa, para qualquer propósito. 2- de estudar como o programa funciona, e adaptá-lo às suas necessidades. 3- de redistribuir cópias do programa. 4- de modificar o programa e distribuir estas modificações.

8 ALGUMAS VANTAGENS DO SOFTWARE LIVRE…  Simplificar o desenvolvimento de novas aplicações  Redução de custos  Melhoria da qualidade maior número de desenvolvedores e usuários

9 LICENÇAS A realização de tais ações é reservada, pela condição de direito do autor, aos detentores dos direitos, que necessitam permitir, de forma explícita, estas liberdades, recorrendo a uma licença de software livre.

10 A popularização das licenças de software livre se deve ao fato da garantia jurídica que essas fornecem aos utilizadores de que não estão cometendo atos de infração de direito de autoria, ao copiar ou modificar o software.

11 PRINCIPAIS LICENÇAS  Gnu gpl  Gnu agpl  Gnu lgpl  Gnu fdl  Mpl  Licença apache  Licença mit  Licença bsd

12 PRINCIPAIS ENTIDADES LIGADAS AO SOFTWARE LIVRE Free software foundation (FSF)Open source initiative (OSI)

13 PRINCIPAIS PROJETOS  Gnu/linux  Gnome  Servidor apache  Eclipse

14 Para o movimento do software livre, que é um movimento social, não é ético aprisionar conhecimento científico, que deve estar sempre disponível, para assim permitir a evolução da humanidade.

15 DefensoresOpositores Os apaixonados por programação e sistemas de informática. Os acadêmicos, os cientistas, os mais diferentes combatentes pela causa da liberdade E, mais recentemente, as forças político-culturais que apóiam a distribuição mais eqüitativa dos benefícios da era da informação. As megaempresas que vivem exclusivamente de um modelo econômico baseado na exploração de licenças de uso de software e do controle monopolístico dos códigos essenciais dos programas de computadores. Governantes, frações burocráticas e políticos que querem bloquear a disseminação dos conhecimentos básicos sobre o principal produto da sociedade em rede, o software. Agentes pragmáticos interessados no financiamento que podem receber dos megagrupos.

16 A grande consequência sociocultural e econômica do software livre é a sua aposta no compartilhamento da inteligência e do conhecimento. (Sérgio Amadeu da Silveira)

17 Os softwares serão elementos de crescente utilidade social e econômica e de alto valor agregado. Para capacitar a inteligência coletiva de cada país, para que estes possam dominar os códigos fonte principalmente dos sistemas operacionais. Promover o desenvolvimento de diversas soluções na área das tecnologias da informação e da comunicação. POR QUE PRECISAMOS DOMINAR OS SOFTWARES E SEUS CÓDIGOS-FONTES?

18 “ Ao atingir uma fase em que a informação ocupa posição cada vez mais central como força produtiva, o capitalismo atinge o estágio em que o compartilhamento e a distribuição do conhecimento tecnológico podem gerar mais riqueza do que o seu tradicional modelo baseado na propriedade privada dos meios de produção.” Sérgio Amadeu da Silveira A privatização do conhecimento.

19 ALÉM DO GOVERNO FEDERAL, VEJAMOS ALGUNS ESTADOS OU MUNICÍPIOS BRASILEIROS QUE FIRMARAM, NOS ÚLTIMOS ANOS, PARCERIAS COM A MICROSOFT: Governo Federal- MTE (ministério do trabalho e emprego) Governo de Rio Grande do sul Governo de Goiás Governo da Bahia Prefeitura de Feira de Santana- BA- 2010

20 INCLUSÃO DIGITAL É inegável que é dever do governo buscar garantir a inclusão digital de toda sociedade, possibilitando maior acesso ao conhecimento e participação política por todos os cidadãos.

21 É possível distinguir a inclusão digital como o acesso: A rede mundial de computadores; Aos conteúdos da rede; A caixa postal eletrônica e a modos de armazenamentos de informações; As linguagens básicas e instrumentos para usar a rede; As técnicas de produção de conteúdo; A construção de ferramentas e sistemas voltados às comunidades. INCLUSÃO DIGITAL E SOFTWARE LIVRE

22 1 – O custo para o estado; 2 – O uso do software livre incentiva o surgimento de inúmeras empresas locais; 3 – Código aberto e Inexistência do pagamento de royalties pelo seu uso; 4 – Uso do dinheiro público de forma inadequada. ARGUMENTOS PARA O USO DE SOFTWARE LIVRE NAS POLÍTICAS DE INCLUSÃO DIGITAL

23 Ao se observar a sociedade brasileira no que tange as questões de renda, de educação e de acesso a tecnologias da informação e comunicação, tem-se ideia do grande esforço que deverá ser empreendido pelo governo e pela sociedade na busca da eliminação do analfabetismo funcional e digital no país. A informatização das escolas, das bibliotecas públicas e a adoção de TI como instrumento didático – pedagógico à estratégia de desenvolvimento tecnológico mundial deveria ser prioridade nas políticas de inclusão digital. Várias escolas deixam os computadores sem uso, em geral, pela falta total de formação de professores e pela ausência de uma política educacional de uso da internet como instrumento pedagógico e de reforço a pesquisa escolar. Salas de informática ficam trancadas e acabam sendo alvo de sucateamento e furto de equipamentos.

24 CONSIDERAÇÕES FINAIS

25

26 LIVRO e ARTIGOS: SILVEIRA, Sérgio Amadeu da. Software Livre: a luta pela liberdade do conhecimento. São Paulo: Editora Fundação Perseu Abramo, 2004 INCLUSÃO DIGITAL, SOFTWARE LIVRE E GLOBALIZAÇÃO CONTRA- HEGEMÔNICA. Disponível em SILVA, Antonio Braz de O., PARREIRAS, Fernando S., BASTOS, Jaime S. Y., BRANDÃO, Wladmir C. Inclusão digital, política de software e outras políticas de inclusão. In: CINFORM, 5, 2004, Salvador. Anais. Salvador: UFBA, Disponível em REFERÊNCIAS

27 SITES: tivo tivo oferece-curso-gratuito-de-tecnologia-da-informacao-para-jovens oferece-curso-gratuito-de-tecnologia-da-informacao-para-jovens parceria-com-microsoft-para-apoiar-capacitacao-de-trabalhadores-do- pais parceria-com-microsoft-para-apoiar-capacitacao-de-trabalhadores-do- pais

28 REFERÊNCIAS PB.pdf.http://www.egov.ufsc.br/portal/sites/default/files/anexos/ PB.pdf

29


Carregar ppt "UNIVERSIDADEFEDERAL DA BAHIA FACULDADE DE EDUCAÇÃO EDC 287- EDUCAÇÃO E TECNOLOGIAS CONTEMPORÂNEAS ALUNAS: ANGÉLICA, LEILA, LUCIANE E SIMONE PROFESSOR:"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google