A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

DECRETO Nº 7.642, DE 13 DE DEZEMBRO DE 2011. Maio de 2013.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "DECRETO Nº 7.642, DE 13 DE DEZEMBRO DE 2011. Maio de 2013."— Transcrição da apresentação:

1 DECRETO Nº 7.642, DE 13 DE DEZEMBRO DE Maio de 2013

2 Governança Governança CAPESCNPq Comitê de Acompanhamento e Assessoramento (governo + empresas) Comitê Executivo CCivil+ MCTI + MEC + MRE Operação

3 O Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico

4 CNPq GCSF Coordenação Geral do Programa Ciência sem Fronteiras COICF Coordenação de Ações Internacionais do Programa Ciência sem Fronteiras 1 Coordenador 6 analistas 2 assistentes CONCF Coordenação de Ações Nacionais do Programa Ciência sem Fronteiras 1 coordenador 4 analistas 1 Assistente

5 Cenário da formação de pesquisadores no Brasil

6 11,4 mil doutores titulados em ,8 mil mestres * titulados em 2009 Mestres e Doutores Titulados Anualmente * Mestrado acadêmico e profissionalizante

7

8 Pesquisadores por milhão de habitantes Baseado em dados do UNESCO Report,

9 Ranking dos países da produção científica no ano de 2010 com o seu % no Mundo. Fonte: ISI - Institute for Scientific Information. National Science Indicators, USA. Base Deluxe - SCI (2010).

10 BRIC: Produção Científica de acordo com a área Dados Scimago. Período 1996 a 2010 QuímicaArtes e Humanidades

11 EFEITOS DA DIFERENÇA DE P&D (2011) Para importar uma tonelada de circuitos integrados (US$ ,43), o Brasil precisa exportar toneladas de minério de ferro (US$39,58/ton) ou toneladas de soja (US$ 487,36/ton) Fonte: Alice Web, MDIC, Brasil, Consulta em 10/02/2011. Ton/US$ FOB. Circuitos importados. Minério de Ferro e Grãos de Soja exportados.

12 O Programa Ciência sem Fronteiras

13 Objetivos do Programa Incrementar o avanço da Ciência, Tecnologia, Inovação e Competitividade Industrial através da da Mobilidade Internacional Aumentar a presença de estudantes e pesquisadores brasileiros em instituições de excelência no exterior

14 Fortalecer a internacionalização das universidades brasileiras Aumentar o conhecimento inovador das indústrias brasileiras Atrair jovens talentos e pesquisadores altamente qualificados para trabalhar no Brasil

15 Áreas Contempladas Engenharias e demais áreas tecnológicas Engenharias e demais áreas tecnológicas Ciências Exatas e da Terra Ciências Exatas e da Terra Biologia, Ciências Biomédicas e da Saúde Biologia, Ciências Biomédicas e da Saúde Computação e tecnologias da informação Computação e tecnologias da informação Tecnologia Aeroespacial Tecnologia Aeroespacial Fármacos Fármacos Produção Agrícola Sustentável Produção Agrícola Sustentável Petróleo, Gás e Carvão Mineral Petróleo, Gás e Carvão Mineral Energias Renováveis Energias Renováveis Tecnologia Mineral Tecnologia Mineral

16 Biotecnologia Biotecnologia Nanotecnologia e Novos materiais Nanotecnologia e Novos materiais Tecnologias de Prevenção e Mitigação de Desastres Naturais Tecnologias de Prevenção e Mitigação de Desastres Naturais Biodiversidade e Bioprospecção Biodiversidade e Bioprospecção Ciências do Mar Ciências do Mar Indústria criativa - voltada para tecnologia e inovação Indústria criativa - voltada para tecnologia e inovação Novas Tecnologias de Engenharia Construtiva Novas Tecnologias de Engenharia Construtiva Formação de Tecnólogos Formação de Tecnólogos

17 Orçamento Anual do Programa (R$) (valores aproximados)

18 Modalidades de bolsa Graduação-sanduíche no exterior (1 ano) Doutorado-sanduíche no exterior (1 ano) Doutorado Integral no exterior (4 anos) Pós-doutorado no exterior (6 meses a 1 ano) Atração de Jovens Talentos ao Brasil (3 anos) Pesquisadores Visitantes Especiais no Brasil (3 anos) Desenvolvimento Tecnológico e Inovação no Exterior (até 1 ano) – em elaboração

19 Empresas financiadoras EMPRESA Número de bolsas Febraban (acordo firmado)6.500 CNI (acordo em negociação)6.000 ABDIB (acordo em negociação)5.000 Petrobras (acordo firmado)5.000 Eletrobras (acordo firmado)2.500 VALE (acordo firmado) TOTAL26.000

20 Acordos Estabelecidos PaísVagas disponibilizadas Alemanha Austrália2.800 Bélgica800 Canadá4.200 Coreia do Sul640 Espanha6.000 Estados Unidos França Holanda800 Irlanda2.000 Itália6.000 Portugal6.000 Reino Unido Total de vagas77.440

21 Bolsistas na Europa -CNPq Pais de DestinoGDEPDESWESWGTotal Global% Portugal ,0 Espanha ,0 Reino Unido ,0 Holanda ,0 Alemanha ,0 França ,0 Itália ,0 Bélgica ,0 Suécia ,0 Finlândia ,0 Suiça ,0 Dinamarca ,5 Austria ,3 Irlanda597210,3 Noruega21580,1 Polônia330,0 República Tcheca330,0 Grécia110,0 Hungria110,0 Turquia110,0 Total Global ,0

22 Valores dos auxílios por categoria na Europa

23 Custo Anual por bolsista por modalidade (US$)

24 Requisitos-Bolsa Doutorado Sanduíche estar formalmente matriculado em curso de doutorado no Brasil reconhecido pela CAPES; não ser aposentado; (em alteração) ter conhecimento do idioma utilizado na instituição de destino; ter anuência do coordenador do curso de pós-graduação e dos orientadores no País e no exterior; ser brasileiro ou estrangeiro com visto permanente no Brasil; não acumular a presente bolsa com outras bolsas concedidas com recursos do Tesouro Nacional. Duração de 3 a 12 meses

25 Requisitos-Bolsa Doutorado Pleno ser brasileiro ou estrangeiro com visto permanente no Brasil; ter proficiência em idioma requerido para o curso; não ser aposentado; e não acumular a presente bolsa com outras bolsas concedidas com recursos do Tesouro Nacional.

26 Requisitos da Bolsa Pós-Doutorado possuir o título de doutor quando da implementação da bolsa; dedicar-se integralmente às atividades programadas na instituição de destino; não ser aposentado; não acumular a presente bolsa com outras bolsas concedidas com recursos do Tesouro Nacional; para ex-bolsista de doutorado no exterior de agência nacional, observar o tempo mínimo de permanência no Brasil exigido pela agência. Se Servidor Público Federal deverá ser observado o disposto na Lei nº 8.112/90; cumprir interstício mínimo de 3 (três) anos entre dois Pós-Doutorados no Exterior com bolsa do CNPq; e ser brasileiro ou estrangeiro com visto permanente no Brasil. Duração: 6 a 12 meses, prorrogáveis por mais 12 meses

27 Desafios para aumentar a concessão de bolsas 1. Idioma 2. Carta de aceite 3. Currículo 4. Inscrição 5. Programar-se

28 Parceiros PaísParceiro(s) AlemanhaDAAD - Fraunhofer AustráliaLatin Australia Education BélgicaVLUHR - CIUF CanadáCALDO - CBIE Coreia do SulKFPP Estados UnidosLASPAU - AAI EspanhaUniversid.es FrançaAgreenium, CNRS, IRD, Inserm, Campus-France, Inria, CIFRE HolandaNuffic ÍndiaEdCIL IrlandaHEA, Education in Ireland ItáliaUB JapãoJASSO/MEXT PortugalCRUP Reino UnidoUUK

29 Conhecendo os parceiros

30

31 Sistema de Informação sobre os Bolsistas

32 32

33 Sistema de Informação sobre os Bolsistas

34

35

36 Marina Ladeiro Obrigada!


Carregar ppt "DECRETO Nº 7.642, DE 13 DE DEZEMBRO DE 2011. Maio de 2013."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google