A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

C onsolidação: Uma Responsabilidade da I greja L ocal Pr. Geraldo Batista.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "C onsolidação: Uma Responsabilidade da I greja L ocal Pr. Geraldo Batista."— Transcrição da apresentação:

1 C onsolidação: Uma Responsabilidade da I greja L ocal Pr. Geraldo Batista

2 Mateus 4:18 a Caminhando junto ao mar da Galiléia, viu dois irmãos, Simão, chamado Pedro, e André, que lançavam as redes ao mar, porque eram pescadores. 19 E disse-lhes: Vinde após mim, e eu vos farei pescadores de homens. 20 Então, eles deixaram imediatamente as redes e o seguiram.

3 21 Passando adiante, viu outros dois irmãos, Tiago, filho de Zebedeu, e João, seu irmão, que estavam no barco em companhia de seu pai, consertando as redes; e chamou-os. 22 Então, eles, no mesmo instante, deixando o barco e seu pai, o seguiram.

4 INTRODUÇÃO O tema consolidação, além de ser restaurador, traz consigo muita motivação, pois quem não está precisando ser consolidado, amparado, ajudado, socorrido, orientado em uma área específica? Todos nós estamos envolvidos com vidas, uns com mais intensidade e procurando fazer o melhor, outros subestimam a capacidade que o Senhor lhes deu de serem frutíferos, ou até mesmo por serem indolentes.

5 VEJAMOS AQUI ALGUNS FATORES PARA NÃO FALHARMOS NO PROCESSO CONSOLIDADOR

6 2 - Deus colocou uma grande responsabilidade sobre nós pela Consolidação.  Temos que orar, zelar, amar, cuidar da consolidação; ter carga de responsabilidade pessoal por ela.

7 II – A CONSOLIDAÇÃO TEM QUE SER UMA AÇÃO CONTÍNUA 1 – O líder precisa assumir a consolidação dentro de si.  Fazer isso é um ato de pagar um preço pelas vidas e pelo próprio crescimento ministerial.

8 2 - A consolidação está relacionada à intimidade e ao amor pelas vidas.  A consolidação tem que viver dentro do líder. Não podemos achar que uma mensagem sem experiência vivenciada vai mudar uma situação.

9 3. O DESAFIO DO CONSOLIDADOR  Quando começamos a cuidar de vidas, além de enfrentarmos a guerra do nosso dia a dia, somos desafiados a tirar a ovelha da boca do lobo diariamente.  Então além da nossa guerra pessoal, temos que tomar as guerras dos outros.  Tem alguns que dizem: "Eu não tenho condições de cuidar da minha própria vida, como cuidarei da vida dos outros?”

10 4 – O CRITÉRIO É QUE TODOS DEVEM ENTRAR NO PROCESSO DO DISCIPULADO  Pois quem não está sendo discipulado não está apto para consolidar.  E quem não está sendo constantemente consolidado, não saberá consolidar os mais carentes.

11 5 - A CONSOLIDAÇÃO É COMO UMA SEMENTE:  Quanto mais plantamos mais colhemos, porém se não plantamos, o que podemos colher?  Aquele que trabalha a terra, seja o primeiro a comer do seu fruto, afirma a palavra. (II Timóteo 2:6).

12 Mateus 2: 13 a Tendo eles partido, eis que apareceu um anjo do Senhor a José, em sonho, e disse: Dispõe-te, toma o menino e sua mãe, foge para o Egito e permanece lá até que eu te avise; porque Herodes há de procurar o menino para o matar. 14 Dispondo-se ele, tomou de noite o menino e sua mãe e partiu para o Egito; 15 e lá ficou até à morte de Herodes, para que se cumprisse o que fora dito pelo Senhor, por intermédio do profeta: Do Egito chamei o meu Filho.

13 19 Tendo Herodes morrido, eis que um anjo do Senhor apareceu em sonho a José, no Egito, e disse-lhe: 20 Dispõe-te, toma o menino e sua mãe e vai para a terra de Israel; porque já morreram os que atentavam contra a vida do menino. 21 Dispôs-se ele, tomou o menino e sua mãe e regressou para a terra de Israel. Mateus 2: 19 a 23

14 22 Tendo, porém, ouvido que Arquelau reinava na Judéia em lugar de seu pai Herodes, temeu ir para lá; e, por divina advertência prevenido em sonho, retirou-se para as regiões da Galiléia. 23 E foi habitar numa cidade chamada Nazaré, para que se cumprisse o que fora dito por intermédio dos profetas: Ele será chamado Nazareno.

15 Exôdo 2: 4 a 10 ( Exemplo de Mirian consolidando ) 4 A irmã do menino ficou de longe, para observar o que lhe haveria de suceder. 5 Desceu a filha de Faraó para se banhar no rio, e as suas donzelas passeavam pela beira do rio; vendo ela o cesto no carriçal, enviou a sua criada e o tomou. 6 Abrindo-o, viu a criança; e eis que o menino chorava. Teve compaixão dele e disse: Este é menino dos hebreus.

16 7 Então, disse sua irmã à filha de Faraó: Queres que eu vá chamar uma das hebréias que sirva de ama e te crie a criança? 8 Respondeu-lhe a filha de Faraó: Vai. Saiu, pois, a moça e chamou a mãe do menino. 9 Então, lhe disse a filha de Faraó: Leva este menino e cria-mo; pagar-te-ei o teu salário. A mulher tomou o menino e o criou. 10 Sendo o menino já grande, ela o trouxe à filha de Faraó, da qual passou ele a ser filho. Esta lhe chamou Moisés e disse: Porque das águas o tirei.

17 Continua...


Carregar ppt "C onsolidação: Uma Responsabilidade da I greja L ocal Pr. Geraldo Batista."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google