A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Exposição para a Comissão de Infra-Estrutura do Senado "A Infraestrutura e a Integração na América do Sul” 14 de Dezembro de 2009 Centro de Planejamento.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Exposição para a Comissão de Infra-Estrutura do Senado "A Infraestrutura e a Integração na América do Sul” 14 de Dezembro de 2009 Centro de Planejamento."— Transcrição da apresentação:

1 Exposição para a Comissão de Infra-Estrutura do Senado "A Infraestrutura e a Integração na América do Sul” 14 de Dezembro de 2009 Centro de Planejamento Estratégico dedicado à Integração Sulamericana. 24/11/2014p a vivacqua1

2 Projetos Projeto Carajás Ferrovia Norte–Sul Ferronorte Ferroeste Corredor Centronordeste Corredor Centroleste Corredor Bi-Oceânico Norte Peruano Corredor Marítimo Vitoria- Zarate Fundação da VALEC 10 mil km Ferrovias 24/11/2014p a vivacqua2

3 Tempo e Custo das Viagens Mundo Anos Efeito das políticas globais de transportes Comercio global Uma nova ordem mundial qualitativamente diferente 24/11/2014p a vivacqua3

4 Tempo e Custo das Viagens Mundo Anos Brasil Política de transporte vinculada a interesses especiais: MATRIZ RODOVIÁRIA Altos valores estáveis há décadas Efeito das políticas globais de transportes 24/11/2014p a vivacqua4

5 Conseqüências da Nossa Matriz de Transportes Custo médio do transporte interno DOBRO do Canadá, China, Rússia, USA Perda de crescimento ~1% do PIB (US$21 bi aa) BRASILCANADA World Economic Forum Ranking de Competitividade Global 2007 USA1 China34 Índia48 Rússia58 Brasil72 24/11/2014p a vivacqua5

6 Perda US$ 37 bi aa Ilha Continental Recursos Naturais Atlântico Sul 561bi (15%) Brasil N NE 551bi (15%) Chile 231bi (6%) Pacifico Norte 637bi (18%) O Arquipélago Sul Americano Principal centro econômico do hemisfério sul Centro 250bi (7%) Brasil S SE 1102bi (30%) Caribe 342bi (9%) 70% do PIB CONSEQUENCIAS  Custos: altos  População: costeira  Comercio: baixo p/dentro, alto p/fora  Recursos naturais: sub aproveitados  Economia: pouco competitiva.  Energia: alto consumo  Emissão de CO2: alta TRANSPORTES  Predomínio Rodoviário  Capacidade & qualidade: baixa  Cobertura geográfica: baixa PIB total US$3,7 tri 24/11/2014p a vivacqua6

7 Atlântico Sul 24% Centro 26% Caribe 4% Chile 8% Pacifico Norte 4% Pouco comercio. Total US$ 16 bi aa 24/11/2014p a vivacqua7

8 Caribe 4% PIB 342bi PIB 637bi PIB N NE 551bi Aumento possível: +US$ 12 bi Vitoria Rio Santos Paranaguá Antofagasta Bayovar Chile 8% Pacifico Norte 4% Porto Centro Amazônico Transandina + Ferronote Pouco comercio. Total US$ 16 bi aa 24/11/2014p a vivacqua8

9 Caribe 342bi A. Sul 561bi Br. N NE 551bi S SE 1102bi Miami Tarifas protetoras Caminhões até 300 km Ferrovias alem Barcaças, pequenos navios no litoral 28 cidades 82 milhões de habitantes Alto custo: transporte, manutenção, acidentes, expansão Baixa qualidade: perdas, velocidade congestionamentos Alta vulnerabilidade ambiental: enchentes, deslizamentos 70% do PIB continental Rodovia (mais de 5000 km). Prejudicando cidades e empresas PIB 1.9 trilhões de dólares Perda 15 bilhões de dólares anuais 24/11/2014p a vivacqua9

10 multi modal multi modal mi 9000mi 4800mi 3400 mi 6500mi Quingdao (China)8 Ningbo (China)7 Guangzhou (China)7 Port Klang (Malasia)61 Tianjin (China)6 Tanjung (Malasia)5 Rotterdam (Holanda)104 Hamburgo (Alemanha)92 Antwerp (Belgica)72 Bremen (Alemanha)41 Los Angeles (USA)93 Long Beach (USA)72 New York (USA)52 multi modal Dubai (UAE)91 Santos2 Singapura252 Hong Kong (China)245 Shangai (China)221 Shenzen (China)19 Busan (Coreia)122 Kaoshung (Taiwan)104 rodo viário Movimento dos 20 maiores portos do mundo (2006 / 1990) (milhões deTEUS) 24/11/2014p a vivacqua10

11 Rio Santos Talcahuano Bahia Blanca Chacabuco Valparaizo B Aires Vitória Recife Antofagasta Porto de Bayovar S Luís Carajás Ferrovia Transandina Norte Sul Belém Centro Nordeste Rio Amazonas Ferronorte Porto Centro Amazônico Paranaguá Navegação hidrovias portos e ferrovias Eixos Norte-Sul Leste-Oeste Carajás 1980 VALEC 1988 CAMS 1992 Comodoro Brasil peça chave da integração PIB populaçã o área ~50% do continen te 24/11/2014p a vivacqua11

12 24/11/2014p a vivacqua12

13 24/11/2014p a vivacqua13 Investimento em infra estrutura: R$20 a 25 bilhões Redução de emissão CO2: 800 milhões t Mortes evitadas: 360 mil Geração de 10 Itaipus Empregos novos: 38 milhões Novas cidades: 2 mil (mod. 100 mil) Rodovias: 27% do total de energia do pais

14 Litorais mal integrados Litorais bem integrados Em 2020: 56 de cada 100 habitantes estarão na Ásia China Japão Índia Indonésia: ~ 30% PIB mundial Cuiabá Yokohama km Yokohama C Grande km km km Bayovar Antofagasta

15 Ferronorte – Trans Andina Bayovar Lima P Velho Ferronorte Porto Profundo Abra de Porculla 1800m 4000 m R. Branco Cuiabá Porto Centro Amazônico Santarém 1000 Km

16 Sarameriza Pucallpa Cruzeiro do Sul Tarapoto Yurimaguas Iquitos Bayovar Paita Piura Lima 2150 m Abra de Porculla Cordillera Ocidental Cordillera Central Cordillera Oriental 6746 m 4220m 3764 m 3730 m Rio Marañon Rio Huallaga Rio Ucayalli Rio Amazonas Peru Ferronorte Equador Brasil 300 km 5717 m Ferrocarril Transandino Norte Peruano Ferrovia cruza os Andes a 1830 m Km 960 Km 0 Km ~1460 Porto Velho Km ~2460 Cuiabá Km ~3660 Ref CAMS Consorcio BRISA Sondotecnica Venezuela

17 1830m. Altitude máxima da ferrovia Túnel 4000m Abra de Porculla Rampas máximas: Importação 1.5 % Exportação 1.0% Raio mínimo 500 m Bayovar Tarapoto 2150m Cordillera Ocidental Km 336 Ferrocarril Transandino Norte- Peruano. Altitude máxima do traçado.

18 5 km -10m -20m +30m -50m Ferrovia Transandina Norte Peruana Águas abrigadas Oceano Pacífico N O Baia de Sechura Ásia América do Norte América do Sul Ref CAMS J Mason Porto de Bayovar

19 Bayovar P Velho Deep port Cuiabá 1000 Km Porto Velho Port Complex Central Amazon Port Madeira River Hydropower plants over 7GW Business opportunities: Navigation, port services, logistics, electro metallurgy, food processing etc 24/11/201419CAMS PAVivacqua

20 24/11/2014p a vivacqua20 Volumes Fretes Impostos Tempo Recursos naturais: terras, minerais, energia Ásia, Peru, Brasil Σ

21 Noroeste PIB US$ 653 bi O Eixo Bi-Oceânico da Amazônia Mamore Beni Ucayali Huallaga Marañon Napo Putumayo Pt Fco Orellana Quito Pt Carmen de Putumayo Guaiaquil S Lorenzo Paita Bayovar Callao Lima Yurimaguas Pucallpa Sarameriza P Velho Manaus Belem Macapá Santarem Caracas Bogota Porto Centro Amazônico Itacoatiara Barcaças DWT Oceano Atlântico Oceano Pacífico 1000 Km Iquitos S Luís Fortaleza Recife Salvador Norte Nordeste PIB US$335

22 Investimento Empregos Cidades Pobreza Favelização Grandes mercados 80% da população. Região altamente desenvolvida Migrações FERROVIAS HIDROVIAS Integração Norte Sul CABOTAGEM Integração costeira FERROVIAS e HIDROVIAS Integração para o oeste FERROVIAS e HIDROVIAS Integração para o Continente e Pacifico Vasta fronteira interior rica em recursos naturais 170 milhões de ha adicionais (> área cultivada nos USA) 150 GW (15 Itaipus) 24/11/2014p a vivacqua22

23 Mundo: A dependencia do sistema de transporte em combustivel fossil é insustentavel. Suas emissões de CO2 atingiram cerca de 4 bilhões de toneladas em % do total mundial. Technology Review (MIT). November/ December 2009 Transportes 30% do consumo total de energia. Rodovias 90% do total dos transportes Nova Matriz: Redução total de emissões de CO2 em 25 anos: 800 milhões de toneladas O custo do combustível é um dos grandes itens do custo operacional do transporte. Adicionalmente: eletrificação de ferrovias : EFVM Carajás, Rio-BH-SP 24/11/2014p a vivacqua23

24 Matriz rodoviária: benéfica para a industria rodoviária. Mantida pelo seu poder sobre os orçamentos e órgãos relevantes do Governo Contrapartida: Preço que o pais e planeta pagara nos próximos 25 anos para sustentar este beneficio Empresas: R$800 bilhões Acidentes: R$30 bilhões Governo: R$790 bilhões PIB: R$ 3800 bilhões Energia: R$ 600 bilhões Mortes: 360 mil Empregos: 38 milhões CO2: 800 milhões de ton 24/11/2014p a vivacqua24

25 Investimento em ferrovias, hidrovias portos e navegação. Aumentar a qualidade e reduzir custos a níveis internacionais Poder para as cidades portuárias sobre portos e cabotagem. FORTES centros de navegação, logística, comercio Associações Comerciais Industriais Prefeitos das cidades Portuárias Agricultura e Agroindustria Bancada Agrícola Estados Centrais 24/11/2014p a vivacqua25

26 Campo Grande Paranaguá SF do Sul Cascavel Sta Cruz Eixo Bi Oceânico Central 1m Salta 400 km Corumbá 520 km construir reformar 600 km 760 km Bauru Ponta Grossa Antofagasta Santos Assuncion Resistência Paraguai Bolívia Argentina Rio. Itaguaí

27 Paranaguá SF do Sul Eixo Bi Oceânico Central 1m Antofagasta Santos Rio. Itaguaí US$ 534 bi US$ 221 bi US$ 1238 bi Recursos naturais, agro florestais, energéticos, hídricos, minerais Grandes mercados, alto desenvolvimento industrial Iquique Arica Pisagua

28 24/11/2014p a vivacqua28

29  Utilidade publica pela Província de Buenos Aires, Governo do ES, Cidade de Vitoria.  Membro do Comitê PROCORREDOR da OEA  Objeto de Tese pela Universidade do Texas Centro de Planejamento Estratégico, dedicado à Integração Sulamericana. 24/11/2014p a vivacqua29

30 Manipulação de informações interessados visando aprovação de projetos pela sociedade Falência: empresas comunidades Governos Desperdício de recursos Inviabilização Projetos necessários Sub estimação ou omissão:  Investimentos  Custos, Prazos  Impactos econômicos, sociais ambientais etc Super estimação :  Receitas  Benefícios econômicos, sociais, ambientais etc 24/11/2014p a vivacqua30

31 24/11/2014p a vivacqua31 Transport costs still exert a very important influence on farm returns and land values. Governments and other authorities, when making decisions in the name of rationalisation, or microeconomic reform, should examine very carefully the spatial consequences of their actions /abstract?CRETRY=1&SRETRY=0

32 BSB VT BH Anápolis 1.0m Goiânia 1800 KM Grãos Carvão energético Pólo Termoelétrico 2700 MW. SEI CEMIG Corredor Porto de Zarate (Argentina) EFVM RFFSA Pólo de EADIs Energia e transportes. Corredor Centroleste. Um novo Corredor de Grãos para os Cerrados. Velha e aparentemente irrealizável aspiração. Problema Complexo Organização de um sistema de ferrovias e Portos servindo vasta hinterlândia, MG DF GO TO MT MS RO AC. Ubu Rio Ferrovia Litorânea Veículos Distribuição gás. BR Distribuidora Pesquisa. Petrobras 24/11/2014p a vivacqua32

33 Matriz rodoviária: benéfica para a industria rodoviária. Mantida pelo seu poder sobre os orçamentos e órgãos relevantes do Governo Contrapartida: Preço que o pais e planeta pagara nos próximos 25 anos para sustentar este beneficio Empresas: R$800 bilhões Acidentes: R$30 bilhões Governo: R$790 bilhões PIB: R$ 3800 bilhões Energia: R$ 600 bilhões Mortes: 360 mil Empregos: 38 milhões CO2: 800 milhões de ton Frente Cidades Costeiras, Portos & Navegação Frente Agricultura, Estados Centrais & Logística Ganhar Equilibrar 24/11/2014p a vivacqua33

34 Carajás : Fe Mn Cu Ni Bx Au Trens ton 80 km/h Porto Ferrovia 900 km 20 horas, US$5/ton Navegação km 30 dias, US$ 30/ton Ásia Europa Navios DWT Reservas minerais: Valor passou de zero (US$ 50 milhões) para dezenas de bilhões de dólares Sistema Carajás e Ferrovia Norte-Sul: Conversão da distancia em tempos e custos Pólo de Grãos de Balsas 25% do mercado interoceanico de minério de ferro A maior e mais moderna ferrovia de carga construída em mais de meio século no Brasil. (US$ 4 bilhões em 4 anos) Valorização de recursos naturais: minerais e terras. Desenvolvimento de cidades e interiorização da população Produção > de 1 milhão de toneladas de soja 24/11/2014p a vivacqua34

35 Objetivo estratégico frustrado : privatização da empresa por preço INFIMO. Função Estratégica de Carajás Cia Vale do Rio Doce : 24/11/2014p a vivacqua35

36 Violenta devastação ambiental Produção de gusa às custas de floresta nativa Perda de riqueza natural. Tentativa de Planejamento regional (faixa de 900 x 100 km) BLOQUEADA Salva apenas a reserva florestal dos Carajás (30 x 40 km aprox.) A eletrificação da ferrovia, prevista a partir de um nível de 30/50 milhões de toneladas/ano, não foi realizada (uso de energia hidroelétrica de Tucurui) 24/11/2014p a vivacqua36

37  Cabotagem  Abertura ao investimento privado.  Concessões : metas de custos e volumes  Incentivos. Redução de custos. Desburocratização  Estaleiros. Navios avançados.  Portos pequenos e barcaças  Combustível baixo enxofre. Gás.  Portos  Redução de custos e de burocracia. Incentivos fiscais.  Aumento de capacidade.  Acessos terrestres e marítimos  Distritos industriais & Portos secos  Plano urbanistico integral.  Planejamento e controle ambiental GANHO de US$ 15 bi anuais no PIB da região costeira. Empregos e redução da pobreza 24/11/2014p a vivacqua37

38 Ferrovias Baixo investimento publico e privado. Acesso restrito para pequenos usuários. Excesso de taxas, falta de incentivos para os operadores. Subsídios a rodovias. Pequena malha. Localização inadequada. Duas bitolas. Fretes elevados, referenciados ao rodoviário. Concessões: Regulamentação insuficiente. Agricultura Gasto adicional em transporte US$2.8 BILHÕES (relativo aos USA para igual volume de transporte) Perda de capacidade de investimento 24/11/2014p a vivacqua38

39 United States Steel descobre Carajás (70’s) CVRD >80% das ações do governo CVRD ~50% das ações do governo Livro: CVRD: Uma Investigação Truncada. Severo Gomes. Editora Paz e Terra USS + CVRD USS recusa participar ferrovia 900km (70’s) USS sai “Privatização” fase 1 : 30% das ações vendidas por US$200 milhões (valor US$ 7 bi) (80’s) “Privatização” fase 2: completada (90’s) Mc Namara lamenta Mesmos interesses intervêm Severo Gomes intervém CPI Interesses ocultos intervêm Miriam Leitão: O Globo Vargas funda CVRD (40’s) Ataque: Antunes Bethelen, Hanna, MBR, Jangada (50, 60, 70’s) Livro: Thy Will Be Done.Colby & Dennet 24/11/2014p a vivacqua39 Governo Intervém

40 Mundo: A dependencia do sistema de transporte em combustivel fossil é insustentavel. Suas emissões de CO2 atingiram cerca de 4 bilhões de toneladas em % do total mundial. Technology Review (MIT). November/ December 2009 Transportes 30% do consumo total de energia. Rodovias 90% do total dos transportes Nova Matriz: Redução total de emissões de CO2 em 25 anos: 800 milhões de toneladas O custo do combustível é um dos grandes itens do custo operacional do transporte. Adicionalmente: eletrificação de ferrovias : EFVM Carajás, Rio-BH-SP 24/11/2014p a vivacqua40

41 Ocupação do centro do pais Transportes Exploração de recursos naturais ecossistemas Recursos humanos infra estrutura Objetivos da Política de Transportes Preservar Evitar exploração predatória Maximizar conversão Recursos naturais Recursos Humanos Recursos Físicos Riqueza do país 24/11/2014p a vivacqua41


Carregar ppt "Exposição para a Comissão de Infra-Estrutura do Senado "A Infraestrutura e a Integração na América do Sul” 14 de Dezembro de 2009 Centro de Planejamento."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google