A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

3.000.000 Hectares FAZENDA NO ESTADO DO PARÁ. AREA TOTAL 3.000.000 MILHÕES DE HECTARES INFORME TECNICO DE AVALIACÃO DAS AREAS DENOMINADAS: LOCALIZADAS.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "3.000.000 Hectares FAZENDA NO ESTADO DO PARÁ. AREA TOTAL 3.000.000 MILHÕES DE HECTARES INFORME TECNICO DE AVALIACÃO DAS AREAS DENOMINADAS: LOCALIZADAS."— Transcrição da apresentação:

1 Hectares FAZENDA NO ESTADO DO PARÁ

2 AREA TOTAL MILHÕES DE HECTARES INFORME TECNICO DE AVALIACÃO DAS AREAS DENOMINADAS: LOCALIZADAS NO MUNICÍPIO DE SÃO FÉLIX DO XINGÚ ESTADO DO PARÁ. DATA: 15-SETIEMBRE-2009

3 Considerações Gerais O imóvel em questão foi adquirido através de compra, em 2001, com a finalidade precípua de preservação através de Manejos Florestais Sustentáveis (MFS) permitidos pelo IBAMA, Evitando o Desmatamento, isto é, sua exploração obedecerá rigorosamente os parâmetros ecologicamente corretos, com a finalidade de manter seu Patrimônio Natural sempre produtivo, sob a garantia de que não será depredado, nem tampouco poluído. O projeto a ser implantado visa a integração Agro-Florestal, REFLORESTAMENTOS, de espécies florestais tais como, eucaliptos, pinos, guanandis, turístico e científico, voltado com toda ênfase a Proteção Ambiental, a Pesquisa Científica, ao Turismo Ecológico e especialmente, usando todo o potencial das plantas medicinais existentes na área, ( Bioprospecção ) integrando sempre seus resultados também em benefício da Preservação e do Desenvolvimento Social e Econômico da região. Um dos principais objetivos do Projeto é o Social, aquele que prevê o assentamento do extrativista local e sua família, tornando-o apto a explorar os recursos vegetais renováveis, sem devastar ou poluir, usando sempre de racionalidade para que o equilíbrio do ecossistema possa permanecer e assim fixá-lo ao local evitando futuras migrações daquela população para os centros urbanos da região. Por outro lado, a exploração do Turismo Ecológico, vai também significar um imenso gerador de recursos e divisas comerciais, levando-se em conta o grande potencial de produtos de origem vegetal que ora se perdem, mas que a todo momento é reposto pela mãe natureza. Com a implantação do reflorestamento da espécie arvoristica do guanandis, dara maior equilibrio para a natureza, inclusive atraindo grandes quantidades de animais silvestre tais como macacos e tambem aves, pela degustação de seus frutos produzidos. Estas atividades terão o respaldo de Universidades, ONG's, voluntários e outros, todos sempre integrados no mesmo ideal de criar um modelo exploratório que servirá como norteador de outras áreas da Amazônia com as características típicas naturais do imóvel em questão

4 LOCALIZADA NO CORAÇÃO DA AMAZÔNIA Região do Médio Juruá Margem esquerda do rio Juruá - navegação pernamente

5 MAPA DE LOCALIZAÇÃO

6 IDENTIFICACÃO DO IMOVEL: DENOMINAÇÃO: FAZENDA CARAPANÃ DA DIREITA ( I ) FAZENDA CARAPANÃ DA ESQUERDA ( II ) LOCALIZACÃO: Às margens direita e esquerda do alto Rio XINGÚ, e RIO FRESCO margens esquerda e direita. Município de SÃO FÉLIX DO XINGÚ - Pará, com as seguintes coordenadas geográficas, a confirmar em breve pela Expedição do géu referencimento da area - NORTE - SUL - - LESTE - - OESTE -

7 Vista de Localização da Fazenda

8 Vista Panorâmica de Localização da Fazenda

9 Vista de uma exploração de Minério vizinho a Fazenda

10 SUBSOLO Segundo levantamento do Projeto RADAMBRASIL/MME (Minist é rio das Minas e Energia – Franklin/Tentro – 1974/1981 e Oto 1980 Vol MI) a á rea avaliada, situada na Amazônia Ocidental é notadamente predominante em seu subsolo de minerais met á licos e não met á licos incluindo minerais energ é ticos e tamb é m pedras preciosas. Segundo os estudos realizados pelos Projetos acima mencionados, relat ó rios confidenciais e trabalhos realizados encontramos os seguintes bens minerais e seus potenciais estimados: OURO Encontramos na á rea avaliada, ap ó s estudos realizados, ocorrências de ouro com potencial para jazidas futuras, que dependem de autoriza ç ão pr é via do Minist é rio de Minas e Energia, atrav é s do Departamento Nacional de Produ ç ão Mineral (DNPM) para sua pesquisa e explora ç ão. O mineral em questão ocorre disperso em toda a á rea avaliada atrav é s de pequenas ocorrências observadas em solo e igarap é s, que segundo dados levantados por relat ó rios de pesquisas tem um potencial m í nimo estimado em aproximadamente kg de ouro, que poder á ser explorado por 18 anos com produ ç ão anual estimada em kg (Fonte LME – London Metal Exchange). FERRO Ap ó s estudos realizados sobre a á rea em questão, e dados bibliogr á ficos oficiais, ocorrências de Ferro, que tem estimativa de toneladas, que se explorado ap ó s as devidas autoriza ç ões do Minist é rio de Minas e Energias, levar á aproximadamente 20 anos para sua extra ç ão. MANGANÊS Ocorrência de Manganês é observada na á rea avaliada, que ap ó s estudos, realizados pelo Projeto RADAMBRASIL, que as devidas concessões de Pesquisa e Lavra concedidas pelos ó rgãos governamentais, e utilizando-se de tecnologia de ponta, tem um potencial estimado de aproximadamente ,00 toneladas, com estimativa de produ ç ão anual de toneladas durante 18 anos. COBRE Observou-se a ocorrência de Cobre, que como os demais bens minerais requer autoriza ç ão de Pesquisa e Lavra atrav é s do Minist é rio de Minas e Energia. Tal ocorrência é de aproximadamente toneladas, que se explorada atrav é s de tecnologia de ponta, levar á 15 anos com produ ç ão anual estimada em toneladas. ALUM Í NIO Ocorrências de Alum í nio foi descrita pelos ge ó logos do Projeto RADAMBRASIL (Franklin/1981) na á rea avaliada, cujo produto ap ó s o beneficiamento é o ALUM Í NIO, que tamb é m ap ó s devidas concessões de Pesquisas e Lavra concedidas pelos ó rgãos competentes, tem uma reserva estimada em aproximadamente toneladas anuais, e poder á ser explorada durante 24 anos. ESTANHO Observou-se tamb é m na á rea avaliada em questão a ocorrência de ESTANHO, disseminado na cassiterita, que segundo dados do RADAMBRASIL (Franklin/Oto/Trento/ ) tem potencial estimado em toneladas anuais, a serem exploradas por aproximadamente 16 anos. URÂNIO Ap ó s estudos realizados, paulados e realizados pelo Projeto RADAMBRASIL/ABEM (Associa ç ão Brasileira de Energia Nuclear), encontramos na á rea avaliada a ocorrência de URÂNIO, mineral radioativo comum na região Amazônica, com potencial bastante significativo, que para sua viabiliza ç ão depende de pesquisas aprimoradas e concessão do governo Federal. Este bem mineral é segundo as fontes de informa ç ões (ABEM) de m á xima seguran ç a nacional, que para sua explora ç ão dever á al é m de autoriza ç ões normais a inspe ç ão do IPEN/MARINHA BRASILEIRA/ONU e demais organismos mundiais de fiscaliza ç ão para tal bem mineral. Na á rea avaliada estima-se um potencial de aproximadamente 200 toneladas anuais, que poderão ser exploradas por um per í odo de 29 anos.( a maior jazida mundial localiza-se na bacia amazônica) DIAMANTES A existência de pedras preciosas é comum em toda região, principalmente diamante, conforme mapa metalogen é tico do Brasil edi ç ão elaborado pelo Departamento Nacional de Produ ç ão Mineral, do Minist é rio das Minas e Energia, por é m não foram aqui avaliadas por falta de pesquisa espec í fica no im ó vel objeto desta avalia ç ão.

11 SUPOSI Ç ÕES PROV Á VEIS PRODUTOS FLORESTAIS FARMACOS - BIOPROSPEC Ç ÃO Caracterizada pela imensa floresta local, é muito grande a quantidade e variedade de vegeta ç ão medicinal t í pica existente na á rea, com algumas j á pesquisadas, cujos princ í pios ativos são eficazes na cura do “ Herpes ” e outras mol é stias consideradas incur á veis, podendo gerar imensa e definitiva fonte de renda e divisas. FAUNA A Fauna t í pica local dispensa coment á rios, sendo imensa em quantidade, qualidade e diversidade de esp é cies, principalmente a pesca, podendo comprovadamente transformar-se em um fant á stico centro de lazer com o aproveitamento da pesca esportiva, gerando inesgot á vel fonte de renda e at é divisas. POTENCIAL ECOTUR Í STICO Face aos privil é gios naturais concedidos gratuitamente pela natureza, o local é excelente para o desenvolvimento do Ecoturismo, podendo transformar-se em um grande p ó lo tur í stico, gerando tamb é m at é divisas. SEQUESTRO DE G Á S CARBÔNICO Tamb é m poder á gerar inesgot á vel fonte de rendas e divisas, conforme j á vem sendo praticado em outras regiões. LOCA Ç ÃO DA FLORESTA PARA OBTEN Ç ÃO DO “ SELO VERDE ” Conforme crit é rio j á adotado internacionalmente, atrav é s do Protocolo de Kyoto, hoje muitas empresas necessitam do “ Selo Verde ” para comercializarem seus produtos. LOCA Ç ÃO DO T Í TULO DE PROPRIEDADE PARA ATIVO FINANCEIRO DE BANCOS (NÃO AVALIADO) Atividade comum no mercado financeiro internacional, captando divisas para o pa í s, gerando tamb é m recursos destinados a fins sociais na região. OUTRAS FINALIDADES Dispens á vel considerar-se ainda in ú meras formas rent á veis de aproveitamento da á rea, como: bases avan ç adas para pesquisas; torres para monitoramento ambiental; torres retransmissoras; base a é rea de emergência; etc., bem como a infraestrutura e pista de pouso existentes. Dispens á vel tamb é m dizer que, face a todas as razões analisadas e aqui expostas, esta á rea que nunca fora Desmatada, significa uma grande ind ú stria sem chamin é s, capaz de produzir infinitamente sem poluir, gerando uma riqueza incalcul á vel.

12

13

14 MANAGEMENT PLAN Denominação UsualNome CientíficoOcorrência em m³/ há Cedro Cedrorana Jatobá Mogno Maçaranduba Angelim da Mata Angelim Pedra Angelim Rajado Sucupira Abiurana Copaíba Freijó Cupiuba Itauba Piquiá Macacauba Pará-pará Pau d’arco Marupá Jarana Ipê Cedrela adorata Cedrelinga catenaeformis Himenaes courbaril Swietenis macrophyla Manikara huberi Hymenolobium excelsum Dinizia excelsa Pithecolobium racemosum Bowdichia nítida Pouteria spp Coipaifera spp Cordia goeldiana Goupia glabra Mezilauros itauba Caryocar villosum Plastimiscium trinitari Jacarandá copaia Tabebuia spp Simaruba amara Eschweilera jarana Qualea megalocarpa 0,89 3,52 1,11 1,19 1,93 1,06 0,38 0,08 0,14 1,83 0,03 0,08 0,36 0,17 0,01 0,09 0,18 0,06 0,08 0,82

15

16

17 PRINCIPAIS ESPECIES DE MADEIRA *MOGNO - Switenis macrophila *CEDRO - Cedrela odorata *MOGNO - Switenis macrophila *CEDRO - Cedrela odorata *CEDRORANA – Cedrelinga catenaeformis *YPÊ - Tabebuia serratifolia *JATOBÁ - Himenaes courbaril *COPAIBA - Corpaifera sp *ITAUBA - Mezilauras itauba *CASTANHA-DO-PARÁ - Bertholletia excelsa *PAU D'ARCO - Tabebuia serratifolia *MUIRACATIARA - Astronium lecointei *TATUARI - Cabatari pulchra *MAPARAJUBA - Manilkara huberi

18

19

20 AVALIAÇÃO DA AREA Outubro / 2005 VALOR TOTAL DA TERRA NUA R$511,00 POR HÁ, POTENCIAL TOTAL SOMENTE DA TERRA R$ ,00 AVALIAÇÃO APROXIMADA DA TERRA COM A FLORESTA NATIVA TOTAL R$ ,00 ( VINTE E NOVE BILHÕES DE REAIS ) DADOS APROXIMADOS, TEREMOS DADOS APROXIMADOS DO PROJETO DO REFLORESTAMENTO DE EUCALIPTOS NA MÉDIA DE ARVORES A PLANTAR POR HÁ, EM HÁ TEREMOS 720 MILHOES DE PÉS DE ARVORES ESPÉCIES DE EUCALPTOS PARA CELULOSE E OUTRA UTILISAÇÕES; ATUALMENTE APROXIMA – SE DE UM PREÇO MEDIO DE R$ 90,00 A 250,00 POR METROS ESTÉRIES COM IDADE MEDIA DE 8 A 12 ANOS. E TEMOS HÁ A PLANTAR A MADEIRA DE GUANANDI, MADEIRA TIPICA PARA INDUSTRIAS MOVELEIRAS, CONSTRUÇÕES, E NAVAL; TEREMOS EM MÉDIA DE ARVORES A PLANTAR POR HÁ, CHEGANDO A ATINGIR A MEDIA DE 1 M3 POR CADA ARVORE NA IDADE DE 18 ANOS, QUE CUSTA O PREÇO MÉDIO ATUALMENTE DE R$ R$2.000,00 A R$4.000,00 M3 CHEGANDO A UM TOTOTAL 1500 M3 POR HÁ, APROXIMADO- SE DE R$ ,00 DE VENDA DA MADEIRA POR HA

21 FAZENDA NO ESTADO DO PARÁ BRASIL AREA TOTAL DE HECTARES VALOR APROXIMADOS R$ ,00 (VINTE NOVE BILHÕES DE REAIS)

22 CONTATO PARA NEGOCIAÇÕES ARNALDO BARBOSA DE ANDRADE FONES OU ,


Carregar ppt "3.000.000 Hectares FAZENDA NO ESTADO DO PARÁ. AREA TOTAL 3.000.000 MILHÕES DE HECTARES INFORME TECNICO DE AVALIACÃO DAS AREAS DENOMINADAS: LOCALIZADAS."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google