A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

PNLT PLANO NACIONAL DE LOGÍSTICA DE TRANSPORTES REUNIÃO REGIONAL Região 1 (AC, AM, RO, RR) PNLT PLANO NACIONAL DE LOGÍSTICA DE TRANSPORTES REUNIÃO REGIONAL.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "PNLT PLANO NACIONAL DE LOGÍSTICA DE TRANSPORTES REUNIÃO REGIONAL Região 1 (AC, AM, RO, RR) PNLT PLANO NACIONAL DE LOGÍSTICA DE TRANSPORTES REUNIÃO REGIONAL."— Transcrição da apresentação:

1 PNLT PLANO NACIONAL DE LOGÍSTICA DE TRANSPORTES REUNIÃO REGIONAL Região 1 (AC, AM, RO, RR) PNLT PLANO NACIONAL DE LOGÍSTICA DE TRANSPORTES REUNIÃO REGIONAL Região 1 (AC, AM, RO, RR) Engº Marcelo Perrupato (61) Engº Marcelo Perrupato (61) SENAI - AM 03Jul06 MT - DEC

2 OBJETIVO DO EVENTO Apresentar e debater o PNLT e seus diversos aspectos de relacionamento inter-institucional com entidades, instituições e órgãos públicos e privados da Região, afins ou correlatos com o setor dos transportes Conhecer suas perspectivas e propostas de desenvolvimento sócio-econômico-ambiental e seus projetos de infra-estrutura relacionados com o setor

3 OBJETIVO DO PNLT Desenvolver, formalizar e perenizar uma base de dados e instrumentos de análise, sob a ótica logística, para dar suporte ao planejamento de intervenções públicas e privadas na infra-estrutura e na organização dos transportes, de modo a que o setor possa contribuir para a consecução das metas econômicas, sociais e ecológicas do País, em horizontes de médio a longo prazo, rumo ao desenvolvimento sustentado.

4 JUSTIFICATIVA DO PNLT   O Plano Nacional de Logística de Transportes-PNLT resultou da necessidade de retomada do processo de planejamento com base científica no País, visando dotar o Ministério dos Transportes de uma metodologia formalmente definida de avaliação de políticas públicas em transportes.

5 ARTICULAÇÕES INTER-INSTITUCIONAIS CENTRAN Ministério dos Transportes Ministério da Defesa O PNLT tem sua execução a cargo do CENTRAN, colocando em articulação o Ministério dos Transportes, através da sua Secretaria Executiva e SPNT - Secretaria de Política Nacional de Transportes, e o Ministério da Defesa, através do DEC-Departamento de Engenharia e Construção do Exército. Além das âncoras do CENTRAN (IME, IPR e INPH) estarão também em articulação todos os demais órgãos e entidades públicos e privados correlatos e afins com a temática dos transportes, incluindo a Academia.

6 IDÉIAS-FORÇA DO PNLT O PNLT é um plano de caráter indicativo, de médio e longo prazos, associado ao processo de desenvolvimento sócio-econômico do País, e não simplesmente um mero elenco de projetos e ações É um plano nacional / federativo, não apenas federal É um plano de Estado, não apenas de Governo É um plano multimodal, envolvendo toda a cadeia logística associada aos transportes, com todos os seus custos e não apenas os custos diretos do setor Propõe um processo de planejamento permanente, participativo, integrado e inter-institucional

7 IDÉIAS-FORÇA DO PNLT O PNLT está fortemente fundamentado nos conceitos de territorialidade, de segurança e ocupação do território nacional, e de desenvolvimento sustentável do País, com eqüidade e justiça social Tem forte compromisso com a preservação do meio ambiente (Zoneamento Ecológico-Econômico), com a evolução tecnológica e com a racionalização energética Requer um processo de institucionalização, organização e gestão eficiente e eficaz, capaz de envolver todas as esferas de governo, bem como os vários órgãos e instituições públicos e privados afins e correlatos com o setor dos transportes

8 COMPLEXIDADE/DIFICULDADES   Implantação complexa das relações inter-institucionais, na medida em que o PNLT envolve um conjunto bastante amplo e diversificado de órgãos e entidades na sua formulação, no seu desenvolvimento e na perenização de seu Banco de Dados.   Metodologia de abordagem não tradicional, envolvendo o interrelacionamento de variáveis exógenas ao setor, tais como custos logísticos de produção, estocagem e transbordo, além de preços atrelados a mercados globalizados.   Longo período de interrupção das atividades de planejamento de longo prazo no setor dos transportes, gerando considerável lacuna nos seus sistemas de informação e bancos de dados.

9 ORGANIZAÇÃO DO PNLT GOVERNO FEDERAL MINISTÉRIO DOS TRANSPORTES MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO SECRETARIA EXECUTIVA DEC – ASSE 7CENTRAN / IME S P N TD N I T P L A N O N A C I O N A L D E L O G Í S T I C A DE T R A N S P O R T E S UNIDADE OPERACIONAL RIO UNIDADE OPERACIONAL BSB

10 EQUIPE TÉCNICA DO PNLT P L A N O N A C I O N A L D E L O G Í S T I C A DE T R A N S P O R TES UNIDADE OPERACIONAL RIO UNIDADE OPERACIONAL BSB EQUIPE TÉCNICA CONSULTORES EQUIPE TÉCNICA Aurélio Valença Equipe FEA/USP Luiz de Gonzaga Wando Borges Luiz Eugenio Fernando Limeira Newton Castro Rafael Perez Albuino Margarida Saul Bidone Coary Wagner Francisco Luiz Luiz Ribeiro Marcio Paiva Duwal Bueno Rosane Lourenço Victor Ferraz

11 FLUXOGRAMA DE TAREFAS

12 CRONOGRAMA DE TAREFAS

13 MARCOS E METAS DO PNLT O desenvolvimento do PNLT teve início em jan/2006. Suas atividades e tarefas de execução começaram, efetivamente, em fevereiro, com a incorporação das equipes técnicas e dos Consultores que estão a cargo de sua elaboração. O prazo final para conclusão dos estudos é dia 15Dez06. As metas a atingir consistem em quatro blocos básicos de atividades, cada um com seu conjunto de tarefas:   Banco de Dados - Situação Atual: até 15Mai06;   Banco de Dados - Situação Futura: até 30Set06;   Portifólio e Avaliação de Projetos e Ações: até 15Out06;   Revisão, Conclusões e Relatório Final até 15Dez06.

14 SITUAÇÃO ATUAL   METAS ATINGIDAS E ESTÁGIO ATUAL DO PROJETO: De acordo com o cronograma do Projeto as metas do primeiro bloco de atividades, ou seja, o Banco de Dados- Situação Atual, estão concluídas. Quanto ao 2º Bloco, até a presente data estão em fase de conclusão as seguintes tarefas:   Adequação e calibração da Modelagem Econômica e de Transportes   Perenização do Banco de Dados As demais tarefas estão em andamento, com destaque para a Tarefa 11 – Projetos e Ações Existentes

15 PRÓXIMOS PASSOS Entre 03Jul06 e 31Ago06 estarão sendo executadas as seguintes tarefas:   Projetos e Ações Existentes (em conjunto com as UF’s, Setor Público e Setor Privado)   Reuniões regionais (em número de 9): entre 03Jul e 08Ago   Reunião Nacional (DF): 31Ago06 com Ministérios, Confederações, Órgãos, Instituições e entidades operadoras afins e correlatas   Oferta e Demanda por Cenários (cargas e passageiros)   Carregamento das Redes (cargas e passageiros)   Projetos de Nexo Político Puro (parcial)

16 ASPECTOS METODOLÓGICOS RELEVANTES Projetos de Nexo Político Puro  Ampliação metodológica para inserção de novos atores sociais  Indução ao desenvolvimento  Redução das desigualdades regionais  Ocupação / ordenamento do território  Segurança nacional  Novas oportunidades de integração no âmbito da IIRSA

17 PRINCIPAIS EVENTOS   Workshops (21Mar; 16Mai; 15Ago; 17Out)   Reuniões Regionais (de 03Jul até 08Ago) 03Jul: em Manaus (AC, AM, RO, RR) 17Jul: em São Paulo (SP, MS) 18Jul: em Florianópolis (PR, RS, SC) 24Jul: no Rio de Janeiro (ES, RJ) 25Jul: em Belo Horizonte (DF, GO, MG, MT) 31Jul: em Recife (AL, PB, PE, RN) 01Ago: em Salvador (BA, SE) 07Ago: em Fortaleza (CE, PI) 08Ago: em São Luís (AP, MA, PA, TO)   Reunião Nacional em Brasília: 31Ago06   Apresentação do PNLT em Fórum Nacional: 19Dez06

18 1 Manaus Região 1: AC, AM, RO, RR 2 São Paulo Região 2: SP, MS 3 Florianópolis Região 3: PR, RS, SC 4 Rio de Janeiro Região 4: ES, RJ 5 Belo Horizonte Região 5: DF, GO, MG, MT 6 Recife Região 6: AL, PB, PE, RN 7 Salvador Região 7: BA, SE Região 8: CE, PI 8 Fortaleza 9 São Luís Região 9: AP, MA, PA, TO

19 O B R I G A D O

20 ASPECTOS METODOLÓGICOS RELEVANTES l Tarefa 6: Definição do Zoneamento  Definido de acordo com o nível estratégico de planejamento assumido pelo PNLT, tendo por base as representações estatísticas dos levantamentos censitários do IBGE, de outras fontes e de estudos disponíveis.  Centróides representando áreas e pólos geradores de oferta e demanda dos fluxos em análise

21 ASPECTOS METODOLÓGICOS RELEVANTES l Tarefa 7: Adequação e Calibração dos Modelos  Calibração e testes de consistência com base em dados existentes e aplicados a redes e cenários de estudos anteriores, p.ex. o Programa Nacional de Pesagem

22 ASPECTOS METODOLÓGICOS RELEVANTES l Tarefas 8 e 9: Oferta e Demanda por Cenários (Mod.EFES)  Zonas de produção e atração internas e externas, dentro da lógica dos Eixos de Integração  Dinâmicas espacial e tecnológica associadas  Principais fluxos de cargas e passageiros  Caracterização física, operacional, tecnológica, de pesquisas, de gestão pública e privada do sistema de transporte e de logística ofertado  Modelos de repartição modal e alocação, visando PPA’s e

23 ASPECTOS METODOLÓGICOS RELEVANTES l Tarefas 8 e 9: Oferta e Demanda por Cenários (Mod.EFES) A determinação das atividades econômicas dominantes potenciais deve considerar:  Tendências de agregação de valor à produção  Novas formas de articulação produtiva  Novas áreas de produção e atividade turística  Novas atividades em regiões consolidadas  Novas oportunidades de complementaridade ou integração econômica no âmbito da IIRSA

24 ASPECTOS METODOLÓGICOS RELEVANTES l Tarefas 8 e 9: Oferta e Demanda por Cenários (Mod.EFES) A caracterização dos cenários prospectivos e da situação atual deve considerar estudos realizados por:  Presidência da República e Ministérios  BNDES  Petrobrás e INAE  BID, BIRD, BEI  Academia  Empresas e Instituições privadas

25 ASPECTOS METODOLÓGICOS RELEVANTES l Tarefa 10: Perenização do Banco de Dados Sistemática de progressivo aperfeiçoamento e permanente atualização, na estrutura da base de dados geo-referenciados e na alimentação de informações de atributos (SIP Tran ou SIG-T).  Normas para discutir com órgãos estaduais visando padronização  Inter-institucionalização de processos permanentes de compilação de dados e informações  Mecanismos de parceria de trabalho entre MT e outras fontes de dados estatísticos nos âmbitos público e privado  Permitir a consulta e atualização de dados pelos usuários  Compartimentação dos dados para permitir tratamento das informações

26 ASPECTOS METODOLÓGICOS RELEVANTES l Tarefa 11: Projetos e Ações Existentes Levantamento e avaliação de todos os projetos e ações existentes ou em implantação, remanescentes de estudos e planos de logística e transportes anteriores, visando superar eventuais falhas na cadeia logística  Eixos Nacionais de Integração e Desenvolvimento (Versões 1998 e 2003)  Inventários de projetos nos três níveis de governo  Projetos da iniciativa privada  Projetos de armazéns, sistemas de telecomunicações, agro- indústria e indústria  Projetos de comercialização interna e externa que dependam ou sejam complementares aos de transportes

27 ASPECTOS METODOLÓGICOS RELEVANTES l Tarefas 12 e 13: Carregamento das Redes O carregamento das redes de cargas e passageiros permitirá identificar sua adequação aos fluxos prospectivos  Rebatimento da demanda sobre a oferta nos modelos de divisão modal no ano-base  Horizontes “Brasil em Três Tempos” (2007, 2015 e 2022)  Fluxos e custos de transporte permitirão identificação dos nós e elos faltantes ou congestionados  Explicitar limites impostos pelos algorítmos e pressupostos dos modelos  Realizar análise de sensibilidade das simulações

28 ASPECTOS METODOLÓGICOS RELEVANTES l Tarefa 15: Indicadores de Expectativas Estabelecer critérios transparentes e racionais de seleção e priorização de projetos de investimento na infra-estrutura de transportes, tais como:  Grau de exeqüibilidade política (de convergência de interesses de stakeholders  Grau de exeqüibilidade ambiental  Custos relativos de construção, manutenção e operação  Possibilidades de funding  Perfil de maturação no tempo  Sinergia com outros projetos de investimento  Sinergia com outros setores (telecom, agricultura, armazenagem, indústria, mercado interno, mercado externo)  Sinergia com níveis de governo e da iniciativa privada

29 ASPECTOS METODOLÓGICOS RELEVANTES l Tarefa 16: Identificação de Elos e Nós Faltantes Identificar eventuais lacunas e gargalos na infra- estrutura de transportes em face dos níveis futuros de demanda que podem ser de várias naturezas  física, operacional ou logística Custos respectivos em obras e serviços Ações de caráter eminentemente administrativo- operacional

30 FIM


Carregar ppt "PNLT PLANO NACIONAL DE LOGÍSTICA DE TRANSPORTES REUNIÃO REGIONAL Região 1 (AC, AM, RO, RR) PNLT PLANO NACIONAL DE LOGÍSTICA DE TRANSPORTES REUNIÃO REGIONAL."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google