A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

MSc. Eng.Agr. Mario A. A. Coelho Presidente ABBM =

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "MSc. Eng.Agr. Mario A. A. Coelho Presidente ABBM ="— Transcrição da apresentação:

1 MSc. Eng.Agr. Mario A. A. Coelho Presidente ABBM =

2 parágrafo 2º do Art. 25 da Constituição Federal que em 15 de agosto de 1995 passou a vigorar com a seguinte redação: "Cabe aos Estados explorar diretamente, ou mediante concessão, os serviços locais de gás canalizado, na forma da lei, vedada a edição de medida provisória para a sua regulamentação." DEFINIÇÃO

3 Ricardo Borges Gomide Ministério de Minas e Energia

4 LEI 9.478/97 Defini Biogás como Biocombustível XXIV - Biocombustível: substância derivada de biomassa renovável, tal como biodiesel, etanol e outras substâncias estabelecidas em regulamento da ANP, que pode ser empregada diretamente ou mediante alterações em motores a combustão interna ou para outro tipo de geração de energia, podendo substituir parcial ou totalmente combustíveis de origem fóssil; (Redação dada pela Lei nº , de 2011) DEFINIÇÃO

5 MERCADO sem MONOPÓLIO

6 Tipos de usina de biogás SistemaContínuoDescontínuo / Batelada Categoria Continuous stirred-tank reactor (CSTR) Plug flow digestorBatch/Percolation Símbolo Exemplo Característica do Substrato Liquido, 12% sólidos totaisViscoso, até 40% de sólidos totais Sólido, estruturado, empilhável, umidificado através de aspersores

7 Figura: Esterco sólido e Líquido Resíduos Orgânicos Membrana dupla flutuante Cogeração Alimentação da rede de eletricidade pública e autoconsumo Adubo de Alta Qualidade Residências, estábulos, indústria Biogás Calor Sala de Bombas Duto Substrato Alimentador Injeção do Gás na rede Planta de Purificação MT-Biomethan Fermentador Pós-Fermentador Reservatório ou TECNOLOGIA: 1.Confiável 2.Mensurável 3.Permite ao produtor assinar contratos de venda 4.Garantia de Qualidade 5.Decentralizado 6.Sem necessidade de adaptação 7.ADUBO ao invés de “EFLUENTE” 8.ROI acima de 15%

8

9

10 Energia Elétrica ou Biogás ou CH 4 + CO 2 (ou combinação destes) Adubo Orgânico ao final do processo. +

11 69,6 Material Reciclável Resíduos Orgânicos 30,4 Aço Alumínio Papel e Papelão Plástico Vidro Outros materiais 2,1 0,3 14,1 10,7 2,3 0,8 Materiais Gravimetria da disposição (%)

12 Gás Natural (Ind.)GNVEnergia Elétrica Preço Mercado R$ 1,59/m³ + ICMSR$1,75 -R$ 2,19/m³R$ 320,00/MWh 100% Renovável BIOGÁS (Ind.)MetanoEnergia Elétrica Custo de Produção R$ 0,20 a R$ 0,50/m³R$0,49 a R$ 1,00/m³R$55,00 a R$166,00/MWh

13 Decomposição do preço do Gás Natural para o Consumidor Fonte: FIRJAN Câmbio USD m³MMBTU R$ 2,44R$/m³ R$ ,101,53 $ 16,84

14 Potencial de plantas energéticas Km/Litro/m³Culturat / haLitros / haKw / a.a. / haKm rodados 7Cana Silag. Milho Silag. Milho CulturaKm rodados Gasto Renovável = R$1,90/L/m³ Gasolina = R$2,90/L (10Km/L) Cana-de-Açúcar37.975R$10.307,50 Silagem de Milho37.975R$5.550,19 (10 Km/L) Gasolina37.975R$11.012,75

15 CulturaKm rodados Gasto Renovável = R$1,90/L/m³ Gasolina = R$2,90/L (10Km/L) Cana-de-Açúcar10.000R$2.714,29 Silagem de Milho10.000R$1.461,54 Gasolina10.000R$2.900,00 R$ ,02 POLÍTICA PÚBLICA Carros Adaptados direto de Fábrica

16 Potencial de plantas energéticas ou O Brasil precisa de MW/h/a.a. Belo Monte MW Eficiência 41% R$ 30 Bilhões ?

17 17 CO2: Utilizado como solvente para compostos orgânicos, sendo um dos usos mais comuns a retirada da cafeína do café. Refrigerante para frigoríficos, criogenia, congelamento de produtos e embalsamento comercial com neve de CO2 Sistemas pneumáticos, soldagem, laser industrial Armazenamento de Sementes Abate de animais Utilizado para prevenir o crescimento de bactérias nas uvas durante a fase de “banho frio” (cold soak). Armazenamento de frutas ETEs para neutralizar os efluentes Potencial de plantas energéticas

18 Cálculo estequiométrico para neutralização de solução não tamponada de NaOH, com diferentes ácidos, para o pH 8,5 (HCl 30%;H2SO4 96%; HNO3 65%) 18 CO2: Faixa permitida Ácido inorgânico Potencial de plantas energéticas

19 CO2: Potencial de plantas energéticas

20 Laser: corte de materiais como papel, plástico, vidro, quartzo, madeira (“cirurgia” em árvores, para prolongar a vida útil das mesmas, remover trechos contaminados), carne, pele (cirurgias sem sangue), como descrito por (Wright – 1982)[20], metal e pedra. Soldagem: o CO2 é muito utilizado como gás de mistura para o tipo de solda MIG e MAG. CO2: Potencial de plantas energéticas

21 CO2: Na industria química, ele é muito utilizado para a produção de uréia, carbonatos e bicarbonatos. O CO2 supercrítico também pode ser utilizado na área produção e processamento de polímeros e na área de processamento de semicondutores, principalmente na parte da limpeza, Potencial de plantas energéticas

22 CO2: Variação do crescimento das plantas de acordo com a quantidade de CO2 PPM CO2 Percentual da taxa normal de crescimento Potencial de plantas energéticas

23 CO2: ALGAS Potencial de plantas energéticas

24 A ABBM tem origem no convênio firmado entre várias Instituições de Pesquisa, Universidades, Empresas brasileiras e alemãs e Prefeituras

25 DESAFIO INOVAÇÃO TECNOLÓGICA

26 Mario Augusto Alexandre Coelho São Paulo – SP. Brasil. 01 de outubro de 2014


Carregar ppt "MSc. Eng.Agr. Mario A. A. Coelho Presidente ABBM ="

Apresentações semelhantes


Anúncios Google