A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Movimentos migratórios Profº Everaldo (Neno) CAMPO GRANDE - MS 2013.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Movimentos migratórios Profº Everaldo (Neno) CAMPO GRANDE - MS 2013."— Transcrição da apresentação:

1 Movimentos migratórios Profº Everaldo (Neno) CAMPO GRANDE - MS 2013

2 Migração ou mobilidade espacial – é o deslocamento da população de um lugar para o outro; Podem ser definitivos ou temporários; Diversos motivos levam as pessoas a imigrar: Econômicos, naturais, climáticos, conflitos, religiosos...

3 Migrações Migrações espontâneas – livres de acordo com a vontade da pessoa; Migrações forçadas – constituem uma forma de violação aos direitos humanos, como deportações, escravidão...

4 Movimentos migratórios Migrações externas – também denominada internacional, ocorre quando a população se desloca entre países; Existe dois tipos de migração externa: Emigração – saída das pessoas do seu país de origem; Imigração – entrada de pessoas estrangeiras em um país.

5 Fatores de atração e repulsão Fatores favoráveis a imigração: Grande extensão do território brasileiro; Escassez de população; Lei Euzébio de Queiroz; Doação de terras. Fatores desfavoráveis a imigração: Tropicalidade do Brasil; Falta de uma política de imigração; Falta de garantias para os que aqui chegavam.

6 IMIGRAÇÃO Período 1850 – 1930: –Mão-de-obra assalariada na cafeicultura; – Ocupação da região Sul do país – alemães, italianos e eslavos. A partir de 1908: – migração japonesa – SP, PR, MS e PA. Década de 1930: redução da imigração.

7 Imigração para o Brasil Nos últimos cem anos foi possível distinguir quatro períodos sucessivos: Período alemão ( ); Período ítalo-eslavos( ); Período italiano ( ); Período japonês ( ).

8 Os imigrantes e a substituição da mão de obra escrava Em 1850, a Lei Eusébio de Queiroz decretou o fim do tráfico negreiro. Início de novo fluxo imigratório Substituir a mão de obra escrava. As fazendas de café foram o primeiro destino de mais de 70% dos milhões de imigrantes.

9 A imigração no século XX 1920: a Itália, sob o comando de Benito Mussolini, pôs em prática uma política demográfica natalista, restringindo a emigração. O Brasil continuou a receber enormes fluxos de imigrantes. 1934: entrou em vigor a Lei de Cotas de Imigração, que estabeleceu para cada nacionalidade uma cota anual de até 2% do total que houvesse entrado no país nos últimos 50 anos.

10 As migrações e os desafios do século XXI Até a década de 1970, muitos países estimularam a migração por precisarem de mão de obra não qualificada. Na década de 1990 o desemprego aumentou nos países europeus. Países europeus tentam conter a imigração ilegal e sugere a repatriação dos chamados sem papel. Alguns países desenvolvidos estabeleceram leis rígidas para restringir a imigração ou mantêm forte vigilância sobre as fronteiras.

11 Desafios para o migrante Redes legais e ilegais de comércio de mão de obra Tráfico de mulheres, escravização, contrabando de pessoas, falsificação de documentos etc. Ao chegarem ao país de destino, os imigrantes ilegais veem-se privados do direito à saúde, à educação e ao trabalho regular. Xenofobia Povos bárbaros

12 As migrações e os desafios do século XXI Muro que separa as cidades de Tijuana, no México, e San Diego, nos EUA (2007). LUIS ACOSTA/AFP/GETTY IMAGES

13 EMIGRAÇÃO Década de emigração de brasileiros; Destino: principalmente para os Estados Unidos, Japão e países da Europa. Conseqüências: desemprego, xenofobia, política contra imigração, etc.

14 A imigração no século XX

15 Principais grupos de imigrantes – Mód 9

16 Principais grupos de imigrantes Portugueses – imigração mais antiga; maior contingente de imigrantes; concentraram-se principalmente em SP e RJ; Não sofreram com as quotas de imigracao de 1934.

17 Italianos Italianos – segundo grupo mais numeroso de imigrantes, suplantado apenas pelos portugueses; Concentraram-se em São Paulo, Rio de Janeiro e principalmente no Sul do país, sobretudo no RS; Introduziram o trabalho assalariado; Policultura.

18 Espanhóis Terceiro grupo mais numeroso de imigrantes no Brasil; Maior concentração no estado de SP; Dedicam-se principalmente ao comércio e a industria.

19 alemães Começaram a chegar a partir de 1824; Quarto grupo mais numeroso; Radicaram-se principalmente no RS e SC; Fundaram cidades com: São Leopoldo, Novo Hamburgo, Gramado e Canela no (RS) e Blumenau, Brusque, Itajaí e Joinville em (SC); Difícil adaptação no território brasileiro; Colônias de povoamento; Introduziram a policultura.

20 O povoamento europeu Núcleos de colonização na região Sul

21 Japoneses Imigração recente no Brasil, primeiro grupo chegou em 1908; Período de maior entrada 1924 a 1934; Localizaram-se em São Paulo, norte do Paraná, Mato Grosso do Sul e na região Norte; Principais atividades- juta, cinturao verde e sericultura em SP, comércio e culinaria em SP e MS.

22 Eslavos Começaram a chegar a partir de 1875; Oriundos da Polônia, Rússia e Ucrânia principalmente. Fixaram-se notadamente no Paraná.

23

24

25 Movimentos migratórios internos – Mód 10

26 Movimentos migratórios Migrações internas – ocorre quando a população se desloca no interior do seu país; O êxodo rural - corresponde á migração campo-cidade, esse é o movimento interno mais importante do Brasil.

27 Migrações temporárias Migração pendular – o ir e vir do subúrbio para o centro Deslocamento de bóias frias – cidade- campo, de acordo com a vontade do patrão; Transumância – movimento temporário (sazonal), cortadores de cana que saem do nordeste para cortar cana do interior paulista.

28 Década de

29 Década de

30 Correntes migratórias no Brasil Atualmente os movimentos migratórios concentram dentro do próprio estado ou regiao de origem; A região com mais migrantes é a Centro-Oeste com 35,8% da população proveniente de outros estados; A região nordeste é a que apresenta o menor número de migrantes 7,6% da população. Fonte censo 2010

31 Marcha para o oeste Diversas políticas de interiorização do crescimento, desde a década de 1940, atraíram populações para a região central do Brasil, num movimento conhecido como marcha para o oeste. Construção e a transferência da capital do país para Brasília (1960) e a política de integração nacional, implementada na década de A infraestrutura rodoviária construída para viabilizar a transferência do poder para a nova capital integrou amplas regiões. Novas vias de circulação possibilitaram maior mobilidade da população, como as rodovias que interligaram Rio de Janeiro e São Paulo a Brasília e a rodovia Belém-Brasília, concluída em 1974.

32 Interiorização do crescimento Trabalhadores abrem caminho pela floresta para a construção da rodovia Belém-Brasília, ARQUIVO/AGÊNCIA ESTADO

33 Novas fronteiras agrícolas A modernização da agricultura no Sul a partir da década de 1970 gerou excedente de mão de obra que migrou para o Centro-Oeste e Norte. Plano de Integração Nacional (PIN) na década de 1970 Assentamento de colonos ao longo de rodovias federais Serra Pelada, Pará JUCA MARTINS/OLHAR IMAGEM


Carregar ppt "Movimentos migratórios Profº Everaldo (Neno) CAMPO GRANDE - MS 2013."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google