A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

CICLOS DE VIDA Auxiliar em Saúde Bucal – EAD Prof.: Catarine Grisa.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "CICLOS DE VIDA Auxiliar em Saúde Bucal – EAD Prof.: Catarine Grisa."— Transcrição da apresentação:

1 CICLOS DE VIDA Auxiliar em Saúde Bucal – EAD Prof.: Catarine Grisa

2 “A compreensão das demandas de cada faixa etária e das capacidades de se lidar com ela enriquece extraordinariamente o trabalho clínico. Além da correta identificação de sintomas, o clínico deve estudar a pessoa como um todo. Em que contexto social ela está? Como se constitui sua família? Quais projetos de vida sofrem a interferência de uma enfermidade? Quais mudanças ocorreram em sua vida que poderiam ter contribuído para o desencadeamento de alguma doença? Que suporte tem para lidar com suas limitações? Quais as fantasias poderá desenvolver a partir de um sintoma? Essa e outras perguntas poderão ser formuladas para melhor entender nosso paciente e seus familiares. Parece complicado estar atento a tudo isso? Em alguns casos, talvez seja, mas, em muitos deles, certamente é mais complicado não perguntar, não reservar um pouco de tempo para conversar e observar a pessoa que temos a nossa frente. Quanto atalho poderia ser descoberto a partir de uma boa conversa!” (BASSOLS, 2001)

3 CICLOS DE VIDA O ciclo de vida não é uma linha reta, senão chamaríamos de linha da vida. O ciclo da vida é cheio de curvas e voltas que são consequências do tempo, que vai do nascimento à morte. Fases da vida: infância, adolescência, vida adulta e terceira idade. Ninguém vive uma vida inteiro sozinho, inevitavelmente participa de uma família, seja esta família de laços sanguíneos ou afetivos. Por isso, não temos como falar em ciclos de vida sem observarmos isto no contexto familiar. O ciclo de vida das famílias é uma série de eventos previsíveis que ocorrem dentro da família como resultado das mudanças em sua organização. Toda mudança requer de cada membro uma adaptação a nova realidade.

4 PARA REFLETIR!!! Na família, os ciclos da vida se sucedem: as pessoas nascem, crescem e morrem. Um bebê nasce, começa a engatinhar, a andar, vai para a escola. Isso representa mudanças. Como os pais reagem a isso? Como a criança reage a isso? Depois a criança cresce mais, se torna adolescente. Que mudança! Como os pais reagem? Como os irmãos mais novos reagem? É um novo ciclo de vida para a família que vai ter que se adaptar a essa mudança. Se, por exemplo, há uma separação do casal. Como isso é sentido e elaborado? Uma filha namora e se casa. Como isso é sentido pelos pais? Pais que estão envelhecendo, pais que estão tendo que se reformular o tempo todo. E quando os sintomas da 3ª idade começam a chegar? E quando alguém próximo completa o ciclo e morre?

5 Cada fase tem características comportamentais próprias, maneiras de pensar, valores e conceitos compatíveis com cada uma delas. Em cada estágio do ciclo de vida existe papéis distintos a serem desempenhados pelos membros da família, uns em relação aos outros. Os membros de uma família são afetados pelas experiências que aparecem no ciclo de vida familiar : nascimento, enfermidade, escola, novo emprego, falta de emprego, ausência temporária de um dos membros, aposentadoria e morte. Instrumento para visualizar a organização familiar e seu ciclo de vida: GENOGRAMA

6 Para estudar uma família e os ciclos de vida é preciso conhecer... O habitat: como as pessoas organizam o espaço. Habitação ou moradia: distribuição de papeis dentro de casa, a residência propriamente dita. Existe banheiros, sala de refeições, espaço para as crianças brincarem? As atividades econômicas da família: local de trabalho, cargo, condições de trabalho, poder aquisitivo... Elementos demográficos: evolução da natalidade e mortalidade, taxa de divórcios, faixas etárias... Genealogia e parentesco: heranças, riscos genéticos, ou seja, histórico familiar.

7 GENOGRAMA FAMILIAR O genograma é formado por aspectos genéticos, médicos, sociais, comportamentais, relacionais e culturais, que demonstram a configuração e organização da família. 1º passo: definir sexos, tipo de relação e algumas situações vividas (aborto, por exemplo).

8 2º passo: idade, escolaridade, ocupação ou desemprego, enfermidades, hábitos e vícios. 3º passo: outras informações que forem importantes em cada caso, como religião, data de saída do lar, problemas com a lei, entre outros. IMPORTANTE: É permitido a criação de novos símbolos, por exemplo o desenho de cigarro para fumantes, de uma bala para diabéticos. Os símbolos que não devem mudar são sexo, morte e tipo de relação, as demais informações podem ser representadas simbolizadas de diferentes formas, desde que esteja na legenda. LER OS ARTIGOS: 1 - A utilização do genograma como instrumento de coleta de dados na pesquisa qualitativa. 2 - O genograma como recurso no espaço conversacional terapêutico.

9 ESTÁGIOS DA VIDA O ciclo da vida é nascer, desenvolver e morrer, e durante este ciclo passamos por fases: infância, adolescência, adulta e terceira idade. Além disso, durante o ciclo e as fases da vida acontecem diversos eventos que são naturais e comuns dentro de uma família e se caracterizam pela experiência de vida dos indivíduos, chamamos estes momentos de estágios da vida. Os estágios apresentam momentos que levam a expansão de uma nova família jovem que se constitui, seguida pela contração de uma família madura, que envelhece. Para cada estágio existem tarefas a serem cumpridas pelos membros familiares, bem como tópicos de promoção de saúde que podem ser realizados. LER O ARTIGO: As Ferramentas de Trabalho com Famílias Utilizadas pelas Equipes de Saúde da Família de Curitiba, PR. Observar Quadro 1: Estágios do ciclo de vida da família, pág 520.

10 1 – Sair de casa: autonomia, independência, “uma nova identidade”. 2 – Compromisso com seu parceiro: relação com outro, respeito, cumplicidade, lealdade. 3 – Aprender a viver junto: maior independência da família, novos amigos do casal, divisão de funções, planejamento familiar. 4 – Chegando o primeiro filho: inclusão de um novo membro, pai envolvido na gestação, busca por informações sobre o desenvolvimento infantil, realização das vacinas. 5 – Vivendo com pré escolares e escolares: custo financeiro, espaço adequado, diálogo na educação do filho, desempenho escolar, novos amigos e hábitos, realização das vacinas. 6 – Vivendo com um adolescente: informações sobre o desenvolvimento do adolescente, mudanças comportamentais, respeitar a privacidade, mas impor limites. 7 – Saída dos filhos (ninho vazio): aceitar a busca da autonomia dos filhos, podendo ser ainda com dependência financeira, reavaliar a vida do casal, aposentadoria, possibilidade de tornar-se avô ou avó. 8 – Velhice: saúde na 3ª idade, busca por informações sobre a velhice, perda de habilidades e possibilidade de tornar-se dependente de alguém, morte de pessoas próximas.

11 CONCLUSÕES ASSISTA ENCERRANDO CICLOS, postado no link. Há diferença entre ciclos de vida, fases da vida e estágios da vida. Em cada ciclo da vida há características, momentos e necessidade de cuidados específicos. Não é possível estudar ciclos de vida sem observar e analisar o contexto familiar de um indivíduo. O genograma familiar é um importante instrumentos para organizar um trabalho efetivo a ser realizado com uma pessoa, uma família ou até mesmo em uma comunidade. Os estágios da vida são específicos para cada ciclo de vida, e por isso são mais complexos e de maior importância, pois em cada ciclo vivemos diferentes estágios e são esses momentos, essas vivências que determinam a qualidade do ciclo de vida.

12 REFERÊNCIAS CASTOLDI, L.; LOPES, R.C.S., PRATI, L.E. O Genograma como instrumento de pesquisa do impacto de eventos estressores na transição família-escola. Em Acesso em 02 janeiro DITTERICH, R.G., GABARDO, M.C.L., MOYSÉS, S.J. As ferramentas de trabalho com famílias utilizadas pelas equipes de saúde da família de Curitiba, PR. Rev Saúde Soc. São Paulo, v.18, n.3, p , KRÜGER, L.L., WERLANG, B.S.G. O genograma como recurso no espaço conversacional terapêutico. Avaliação Psicológica, 2008, 7(3), pp WENDT, N.C., CREPALDI, M.A. A utilização do genograma como instrumento de coleta de dados na pesquisa qualitativa. Em Acesso em 02 janeiro 2011.www.scielo.br/prc Ciclo da Vida. Em Acesso em 28 dezembro 2011.http://www.casthalia.com.br/a_mansao/preste_atencao/ciclo_vida.htm


Carregar ppt "CICLOS DE VIDA Auxiliar em Saúde Bucal – EAD Prof.: Catarine Grisa."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google