A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Importância da Química na Medicina Profª: Carol Aluno: Nycolas Sesztak Gonçalves 1°AEM.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Importância da Química na Medicina Profª: Carol Aluno: Nycolas Sesztak Gonçalves 1°AEM."— Transcrição da apresentação:

1 Importância da Química na Medicina Profª: Carol Aluno: Nycolas Sesztak Gonçalves 1°AEM

2 Saúde Na saúde, a química é aplicada desde as análises clínicas até à Imageologia. Como é sabido, a química está profundamente relacionada com a área da saúde e Medicina, pois a química permite estudar os tecidos (órgãos e pele), estruturas (ossos) e líquidos internos (Sangue, bílis, suco pancreático, morfinas…) e do ponto de vista da sua composição e funcionamento, interligando- se assim com a Biologia (formando assim a bioquímica), para achar curas para doenças atualmente incuráveis, como por exemplo, a mortífera doença sexualmente transmissível da AIDS (Síndrome da imunodeficiência adquirida – SIDA), tendo em conta os conhecimentos em termos da química do nosso corpo assim como a biologia humana. A química é também utilizada na concepção de medicamentos e vacinas, que nos permite combater as doenças e epidemias, como é o caso da lepra, da malária. Pode-se afirmar que se química não existisse, a saúde de todos nós teria os seus dias contados. Na saúde, a química é aplicada desde as análises clínicas até à Imageologia. Como é sabido, a química está profundamente relacionada com a área da saúde e Medicina, pois a química permite estudar os tecidos (órgãos e pele), estruturas (ossos) e líquidos internos (Sangue, bílis, suco pancreático, morfinas…) e do ponto de vista da sua composição e funcionamento, interligando- se assim com a Biologia (formando assim a bioquímica), para achar curas para doenças atualmente incuráveis, como por exemplo, a mortífera doença sexualmente transmissível da AIDS (Síndrome da imunodeficiência adquirida – SIDA), tendo em conta os conhecimentos em termos da química do nosso corpo assim como a biologia humana. A química é também utilizada na concepção de medicamentos e vacinas, que nos permite combater as doenças e epidemias, como é o caso da lepra, da malária. Pode-se afirmar que se química não existisse, a saúde de todos nós teria os seus dias contados.

3 Industria Farmacêutica Na indústria farmacêutica, a química foi, é e será essencial, pois ela permite estudar as propriedades dos produtos utilizados na manufatura de medicamentos e sua aplicação específica para combater determinada doença ou infecção. Na indústria farmacêutica, a química foi, é e será essencial, pois ela permite estudar as propriedades dos produtos utilizados na manufatura de medicamentos e sua aplicação específica para combater determinada doença ou infecção.

4 Aplicação na Medicina Nos vários processos utilizados, nas diversas substâncias do organismo, encontramos o uso da química no desenvolvimento das diversas técnicas medicinais. Nos vários processos utilizados, nas diversas substâncias do organismo, encontramos o uso da química no desenvolvimento das diversas técnicas medicinais. A aplicação química na descoberta de remédios, tratamentos ou no próprio aprimoramento dos conhecimentos estruturais do nosso organismo, confirma a importante ligação presente entre o estudo químico e as diversas atividades necessárias ao nosso metabolismo, contribuindo para o profundo desenvolvimento profissional de cada atuante na medicina A aplicação química na descoberta de remédios, tratamentos ou no próprio aprimoramento dos conhecimentos estruturais do nosso organismo, confirma a importante ligação presente entre o estudo químico e as diversas atividades necessárias ao nosso metabolismo, contribuindo para o profundo desenvolvimento profissional de cada atuante na medicina

5 Química Medicinal É uma área de pesquisa que envolve a química, em especial a química orgânica, e a farmacologia. O seu objetivo, é o planejamento, avaliação e síntese de novos fármacos com o uso ou não de modelagem molecular, o estudo de sua biotransformação ou metabolização, a interpretação do seu modo de ação em nível molecular e a construção de uma relação entre estrutura molecular e atividade farmacológica, tal relação pode ser quantitativa (QSAR) ou não (SAR). É uma área de pesquisa que envolve a química, em especial a química orgânica, e a farmacologia. O seu objetivo, é o planejamento, avaliação e síntese de novos fármacos com o uso ou não de modelagem molecular, o estudo de sua biotransformação ou metabolização, a interpretação do seu modo de ação em nível molecular e a construção de uma relação entre estrutura molecular e atividade farmacológica, tal relação pode ser quantitativa (QSAR) ou não (SAR).

6 Fotoimunoterapia A medicina está em constante mudança e parte da culpa pertence à química. A cada dia que passa, a medicina depende cada vez mais da compreensão detalhada da lógica molecular que governa a nossa vida. A química apoia a medicina em diversos campos, como por exemplo, o diagnóstico, cirurgias, medicamentos e tratamentos. A medicina está em constante mudança e parte da culpa pertence à química. A cada dia que passa, a medicina depende cada vez mais da compreensão detalhada da lógica molecular que governa a nossa vida. A química apoia a medicina em diversos campos, como por exemplo, o diagnóstico, cirurgias, medicamentos e tratamentos. Exemplo disso é um tratamento para o cancro que não provoca efeitos secundários: a fotoimunoterapia, que usa raios infravermelhos para destruir tumores. Inicialmente o doente recebe uma injeção de versões modificadas de anticorpos (HER2, EGFR ou PSMA) que se aglutinam a células cancerosas. Depois, esses anticorpos são turbinados com uma molécula denominada IR700- que funcionará como uma bomba que irá destruir o tumor. Logo de seguida, o paciente recebe raios infravermelhos, emitidos por uma máquina, que ao chegar à molécula a ativa e esta última liberta uma substância que ataca a célula cancerosa. Assim sendo, este novo tratamento funciona como uma micro terapia que apenas mata o tumor. Exemplo disso é um tratamento para o cancro que não provoca efeitos secundários: a fotoimunoterapia, que usa raios infravermelhos para destruir tumores. Inicialmente o doente recebe uma injeção de versões modificadas de anticorpos (HER2, EGFR ou PSMA) que se aglutinam a células cancerosas. Depois, esses anticorpos são turbinados com uma molécula denominada IR700- que funcionará como uma bomba que irá destruir o tumor. Logo de seguida, o paciente recebe raios infravermelhos, emitidos por uma máquina, que ao chegar à molécula a ativa e esta última liberta uma substância que ataca a célula cancerosa. Assim sendo, este novo tratamento funciona como uma micro terapia que apenas mata o tumor.


Carregar ppt "Importância da Química na Medicina Profª: Carol Aluno: Nycolas Sesztak Gonçalves 1°AEM."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google