A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

AS CIVILIZAÇÕES MESOPOTÂMICAS SUMÉRIOS (ca. 3000-2550 aC) Cidades-estado independentes (Ur, Uruk, Nippur, Lagash) patesi: centralização do poder político,

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "AS CIVILIZAÇÕES MESOPOTÂMICAS SUMÉRIOS (ca. 3000-2550 aC) Cidades-estado independentes (Ur, Uruk, Nippur, Lagash) patesi: centralização do poder político,"— Transcrição da apresentação:

1 AS CIVILIZAÇÕES MESOPOTÂMICAS SUMÉRIOS (ca aC) Cidades-estado independentes (Ur, Uruk, Nippur, Lagash) patesi: centralização do poder político, militar e religioso; classes dominantes: sacerdotes e burocracia administrativa; desenvolvimento da escrita cuneiforme e invenção da roda. AMORITAS (ca aC) Hamurabi, rei da Babilônia: conquista da Mesopotâmia e formação do Primeiro Império Babilônico; criação do mais antigo sistema de leis escritas: Código de Hamurabi; declínio: morte de Hamurabi, fragmentação e invasões estrangeiras. ACÁDIOS (ca aC) conquista e unificação das cidades sumerianas; Sargão I: Império Acádio- sumeriano; absorção e síntese da cultura suméria; curta duração: revoltas e invasões estrangeiras. ASSÍRIOS (ca aC) conflitos e invasões: espírito guerreiro; Império Assírio: conquista da Mesopotâmia e expansão territorial; Estado militarista: violência, tributos e escravização dos povos conquistados; fim do Império: aliança entre medos e caldeus. CALDEUS (ca aC) Segundo Império Babilônico; Babilônia: centro político, comercial e cultural; Nabucodonosor: expansão territorial e grandes construções; conquista de Jerusalém e escravização dos hebreus (cativeiro da Babilônia); fim do império: invasão e domínio dos persas.

2 A CULTURA NA MESOPOTÂMIA: ARTE, RELIGIÃO & CIÊNCIA A RELIGIÃO AS CIÊNCIAS AS ARTES PLÁSTICAS A LITERATURA desenvolvimento da escrita cuneiforme, considerada por muitos como a mais antiga do mundo; sistema ideográfico (pictográfico): sinais feitos em forma de cunha sobre tabuletas de argila, representando idéias, ações e objetos. O DIREITO A ESCRITA narrativas variadas de mitos: cosmogonia, heróis, deuses e lendas. Epopéia de Gilgamesh: versão mitológica da criação e do dilúvio, e provável fonte de inspiração da narrativa bíblica deste evento protagonizado por Noé no Antigo Testamento. arquitetura: introdução do uso do arco na construção de palácios, templos e cidades; zigurates: grandes templos que serviam também como observatório astronômico, biblioteca e hospital; pintura (paredes) e escultura (estátuas e relevos): decoração dos templos, palácios e túmulos, com sentido predominantemente político e religioso. invenção da ciência jurídica: desenvolvimento de sistemas de leis escritas; Código de Hamurabi: marco pioneiro da história do Direito, era baseado no princípio de Talião (olho por olho, dente por dente) e abrangia todas as esferas da vida social. Astronomia: estudo de fenômenos celestes, noções sobre o movimento de estrelas e planetas, previsão de eclipses e criação de um calendário lunar que dividia o ano em doze meses e a semana em sete dias. Matemática: desenvolvimento da álgebra, domínio das quatro operações, criação das raízes quadrada e cúbica e divisão do círculo em 360 graus. Medicina: ainda que impregnada pela magia, já empregava medicamentos à base de plantas e tratamentos cirúrgicos. influência sobre todas as esferas da vida social: o soberano era o sumo-sacerdote e os templos recolhiam os impostos; politeísmo: os deuses podiam ter forma humana (antropomorfismo) ou serem associados a fenômenos naturais e astronômicos (ar, água, céu, estrelas); crença na influência das forças cósmicas sobre a existência humana: desenvolvimento da astronomia e da astrologia; amplo uso da magia e da adivinhação, criação do horóscopo e dos signos do zodíaco; caráter prático: cultos, ritos e sacrifícios visando vantagens e recompensas terrenas.

3 ASFASES NOVO IMPÉRIO (ca aC) MÉDIO IMPÉRIO (ca aC) ANTIGO IMPÉRIO (ca aC) OESTADO OAUGE ACRISE capitais: Tínis e Mênfis; Faraó: poder absoluto; Estado Teocrático. isolamento geográfico: estabilidade e paz interna; construção de grandes obras de irrigação e das pirâmides de Gizé (Queóps, Quéfren e Miquerinos). disputas pelo poder entre faraó e classes dirigentes locais (nomarcas); revoltas camponesas: excesso de tributos e trabalho compulsório; fragmentação política. capital: Tebas; restabelecimento da unidade política. estabilidade e desenvolvimento econômico; expansão terri- torial: ocupação da Palestina e da Núbia. revoltas: escravos e camponeses; invasão dos hicsos (cavalo, armas de ferro); domínio hicso ( aC): entrada dos hebreus. capital: Tebas; expulsão dos hicsos: reorganização do Estado. escravização dos hebreus; militarismo e expansão (Tutmés III e Ramsés II); crescimento econômico e aumento da exploração de camponeses e escravos. reforma religiosa de Amenófis IV (monoteísmo); revoltas, perda de terras, crise econômica e invasões (assírios, persas, macedônios e romanos); fim da autonomia política. ANTIGO EGITO: EVOLUÇÃO POLÍTICA

4 A CULTURA EGÍPCIA ARTE, CIÊNCIA & RELIGIÃO A MEDICINA A MATEMÁTICA AS ARTES PLÁSTICAS A LITERATURA hieroglífica: de caráter sagrado, dominada por uma minoria de sacerdotes e escribas; decifrada no séc.XIX por Champollion, a partir de inscrições contidas na Pedra de Roseta; hierática e demótica: formas simplificadas e mais práticas para o uso cotidiano. A ASTRONOMIA A ESCRITA textos sagrados e funerários, em papiros e nas paredes de templos, palácios e túmulos; Livro dos Mortos: encontrado nos sarcófagos e pirâmides, continha instruções para o morto proceder diante do Tribunal de Osíris, onde teria sua alma julgada. arquitetura: construção de grandes obras (palácios, templos, túmulos e pirâmides); pintura: executada segundo rígidos padrões estabelecidos pelos sacerdotes; conteúdo predominantemente religioso, apresentando informações políticas e cenas cotidianas; escultura: estátuas colossais, cujo gigantismo representava a grandeza dos deuses e o poder absoluto do Estado, reforçando o significado político-religioso da arte egípcia. caráter prático: previsão das cheias e controle do tempo; desenvolvimento de um calendário solar e lunar, dividindo o ano em 365 dias. caráter prático: construção de obras e controle da produção; sistema decimal, cálculos geométricos e operações aritméticas (soma e subtração). crença na vida após a morte: desenvolvimento de técnicas de embalsamento (mumificação), grande conhecimento sobre anatomia e domínio de princípios da química; uso de medicamentos, realização de pequenas cirurgias e predomínio da magia.

5 OS FENÍCIOS atual Líbano e parte da Síria; pequena faixa de terra entre o mar e as montanhas. GEOGRAFIA cidades-estado independentes: Sidon, Biblos e Tiro; oligarquia (proprietários) e plutocracia (mais ricos). POLÍTICA grade desenvolvimento comercial e marítimo; colonização do Mediterrâneo (Cartago); artesanato & manufatura: metalurgia, vidro e tecidos. ECONOMIA religião politeísta e antropomórfica, sacrifícios humanos; invenção do alfabeto (escrita fonética). CULTURA

6 REIS (ca aC) reconquista da Palestina: fortalecimento do poder central; Saul (primeiro rei): derrotas militares e suicídio; Davi: vitória sobre os filis- teus (Golias), organização do Estado Hebreu e estabele- cimento da capital em Jerusalém; Salomão: apogeu político- econômico e construção do Templo de Jerusalém; crise: morte de Salomão, ex- cesso de tributos, revoltas sociais, disputas entre tribos; Cisma: divisão dos hebreus em dois reinos (Israel e Judá). PATRIARCAS (ca aC) transição do nomadismo para o sedentarismo; Abraão: busca da Terra Prometida e migração para a Palestina (Canaã); conflitos com filisteus e cananeus; formação das Doze Tribos de Israel; seca (ca aC): migração para o Egito durante domínio hicso; escravidão no Egito: quatro séculos; Êxodo: saída do Egito e volta à Palestina (Moisés). JUÍZES (ca aC) reinício das disputas pela Palestina: luta contra filisteus, amoritas, cananeus; juízes: unificação do poder político, religioso e militar; consolidação da autonomia política e da unidade cultural (língua e religião); principais juízes: Josué, Sansão, Gedeão e Samuel; unificação das Doze Tribos e instituição da monarquia. HEBREUS: EVOLUÇÃO POLÍTICA

7 CRONOLOGIA séculos: IV V VIII XII XX aC JCperíodos: Pré-Homérico formação do povo grego: invasões indo-européias Homérico formação das cidades-estado: desagregação das comunidades gentílicas Arcaico consolidação da PÓLIS: autonomia política e inexistência de Estado centralizado Clássico auge da civilização grega: Atenas, século V aC Helenístico domínio macedônico: fusão e difusão da cultura grega

8 ATENAS monarquia tirania democracia Drácon: leis escritas e aristocracia Sólon: plutocracia (riqueza) e fim da escravidão por dívida arcontado (E) areópago (J) bulé e eclésia (L) políticaeducação economia sociedade governo legisladores modo de produção escravista cidadãos estrangeiros escravos metecos eupátridas geomores demiurgos tetas comércio e navegação oligarquiaESPARTA Licurgo diarquia (E) Éforos (E,J) gerúsia e ápela (L) hilotas periecos espartanos agrária militarista formação física e intelectual

9 PERÍODO CLÁSSICO séc. V aC auge de Atenas: consolidação da democracia e expansão econômica democracia escravista: participação direta dos cidadãos e exclusão de mulheres, estrangeiros e escravos Clístenes: pai da democracia Péricles: apogeu de Atenas Guerras Médicas ( aC): vitória grega sobre os persas e formação da Liga de Delos Guerra do Peloponeso ( aC): formação da Liga do Peloponeso, conflitos entre Atenas, Esparta e Tebas, enfraquecimento das cidades gregas

10 ROMA ANTIGA CRONOLOGIA séculos: IIIdC I VI VIIIaC JC fases: MONARQUIA fundação de Roma (latinos) divisão social: patrícios, plebeus e escravos REPÚBLICA Senado e magistraturas: patrícios lutas sociais: concessões à plebe expansão territorial e crise políticaIMPÉRIO BAIXO IMPÉRIO: declínio & queda ALTO IMPÉRIO: auge da civilização romana

11 Alto Império Baixo Império Otávio Augusto 27aC Edito de Milão (Constantino) 313dC Queda de Roma 476dC Diáspora dos judeus 70dC Edito de Caracala (cidadania) 212dC Otávio: Pax Romana centralização do poder sistema censitário (renda) máxima extensão territorial nascimento de Cristo principais imperadores: Tibério, Calígula, Nero, Tito e Marco Aurélio perseguição aos cristãos crise do escravismo (séc IIIdC) colapso econômico e político principais imperadores: Dioclesiano, Constantino e Teodósio divisão do império: Ocidente (Roma) e Oriente (Constantinopla) difusão e oficialização do cristianismo (Teodósio: Edito de Tessalônica) invasões bárbaras: pacíficas e violentas

12 LEGADO CULTURAL CRISTIANISMO de ameaça à ordem a religião oficial; monoteísmo e formação da Igreja Católica; resistência à crise do Império. DIREITO base da ciência jurídica no Ocidente; Jus Naturale (Direito Natural), Jus Gentium (Direito das Gentes), Jus Civile (Direito Civil). ARTES pintura e escultura: influência grega; arquitetura: luxo e grandiosidade; circos, termas, aquedutos (Fórum, Coliseu); latim: raiz do italiano, português, espanhol; letras: Virgílio (Eneida), Tito Lívio (História).

13


Carregar ppt "AS CIVILIZAÇÕES MESOPOTÂMICAS SUMÉRIOS (ca. 3000-2550 aC) Cidades-estado independentes (Ur, Uruk, Nippur, Lagash) patesi: centralização do poder político,"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google