A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

2ª PARTE. "Ninguém acende uma lâmpada e a coloca num lugar onde ficará escondida, ou sob uma tigela. Ao invés disso, coloca-se ela de pé, assim aquele.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "2ª PARTE. "Ninguém acende uma lâmpada e a coloca num lugar onde ficará escondida, ou sob uma tigela. Ao invés disso, coloca-se ela de pé, assim aquele."— Transcrição da apresentação:

1 2ª PARTE

2

3 "Ninguém acende uma lâmpada e a coloca num lugar onde ficará escondida, ou sob uma tigela. Ao invés disso, coloca-se ela de pé, assim aquele que entrar pode enxergar a luz.“ "O reino de Deus está dentro de vós.“ "Eu sou o caminho, a verdade e a vida.“ Mestre Jesus Cristo

4 ORIXÁS FEMININOS ODUDUA YEMANJÁ OBÁ OSSÂIM ou OSSANHE OYÁ ou YANSÃ OXUM NANÃ

5 O D U D U Á

6 Orixá quase desconhecido no Brasil e pouco cultuado no terreiros. Representação coletiva do poder ancestral feminino. É senhora de grande inteligência, de autoritarismo e poder de dominação sobre tudo e sobre todos. Não enxerga pelos olhos, mas por outros sentidos. Oduduá é dotada de temperamento forte, de difícil convivência. Nunca se sabe como agradá-la. Diz a lenda que Olorum concedeu a Oduduá total poder sobre o universo e os demais orixás, entregando-lhe simbolicamente uma cabaça e um pássaro de metal.

7 Diz o mito que Oxalá arrancou os seus olhos acometido por um estranho ataque de fúria, em virtude da sua tagarelice de mulher, que tinha voz muito estridente e desagradável. Segundo as lendas foi este Orixá quem criou o mundo no lugar de Oxalá, havendo a primazia da condição feminina com relação a maternidade. O nome Oduduá pode ser traduzido como "a cabaça de onde jorrou a vida". No culto de Nação original usava como cor o roxo bem escuro.

8

9 Elemento e força da natureza: Energia positiva da criação Dia da semana: sexta feira Data comemorativa: Chacra atuante: Planeta regente: Terra Nota musical: Cor vibratória: branca Cor representativa: branco e amarelo ouro (roupas, etc.) Cor da guia : miçangas brancas transparentes e leitosas Saudação: Exê ê Babá Amalá: Ebó de milho branco Otí: Local de entrega:

10

11

12 Orixá mais popular do Brasil, a rainha do mar é a mãe todos os Orixás. Protetora dos marinheiros, pescadores, das viagens pelo mar, e também sobre toda a flora e fauna marinhas. E, além disso, atua no amparo à maternidade, rege de forma absoluta o lar e a família. Dona dos mares e oceanos, águas que, através de sua força, tem o papel de devolver vibrações e trabalhos, pois crêem que o mar devolve tudo que nele for jogado e vibrado. Seu nome deriva da expressão “Yèyè omo ejá”, que significa a “mãe dos filhos peixes” É água que não se prende, que se estende na amplidão, que une os povos”.

13 Sua premissa principal é o poder e o titulo que lhe foram concedidos por Olorum, o de “Mãe de todas as cabeças”(YA ORI). É ela quem dá o sentido de família às pessoas que vivem debaixo de um mesmo teto. YEMANJÁ é geradora, é VIDA, pois é ela que nos traz oportunidades de crescimento em todos os sentidos da nossa vida. Nos cultos de Nação dedicam-lhe as cores branca, rosa e o azul claro. Na Umbanda geralmente o azul e o branco.

14

15 De acordo com os estudiosos a única imagem genuinamente umbandista é do Orixá Iemanjá. Essa imagem foi vista pela primeira vez na década de 1950, pela médium Dala Paes Leme, que a visualizou acima do mar, sendo então reproduzida tal como a conhecemos. Localizado na Praia Mirim, em Praia Grande (SP), está o famoso monumento à Mãe Iemanjá, com 8 metros de altura e de frente para o mar. Marco histórico do município, o local recebe visitantes de várias religiões, que vêem no mesmo sincretismo religioso o elo entre nosso orixá e Maria, a mãe de Jesus.

16 Elemento e força da natureza: são as águas (mares e oceanos) Dia da semana: atua todos os dias da semana de 6:00hs às 12:00hs, porém o seu dia de maior vibração é o sábado. Data comemorativa: 8 de dezembro (São Paulo) Chacra atuante: frontal Planeta regente: Lua (quarto minguante) Nota musical: lá Cor vibratória: azul translúcido Cor representativa: branco azulado e prata (roupas, etc.) Cor da guia : cristal branco Saudação: Odôciabá/ Odôyaba/Odôia Amalá: vatapá ou manjar de milho branco Otí: água mineral ou champanhe Local de entrega: na beira das praias

17 No sincretismo religioso, Iemanjá é associada Nossa Senhora das Candeias Nossa Senhora dos Navegantes Nossa Senhora da Conceição Nossa Senhora da Piedade Virgem Maria Em cada região do Brasil, Iemanjá é festejada em diferentes datas. No Rio de Janeiro é festejada no dia 31 de Dezembro. Na Bahia no dia 02 de fevereiro. Santos, SP, no dia 08 de dezembro na Praia Grande.

18

19

20

21 Orixá ligado as águas revoltas, guerreira e pouco feminina. Suas roupas são vermelhas e brancas, leva um escudo, uma espada, uma coroa de cobre. Usa um pano na cabeça para esconder a orelha cortada. OBA é um ORIXÁ que raramente se manifesta e há pouco estudo sobre ela. Quase desconhecida na Umbanda, tem no Candomblé as cores amarela e vermelha.

22 Orixá da verdade e da sabedoria. Não aceita mentiras, mostra a verdade e nos ajuda a manter firmes os nossos objetivos, nosso raciocínio, nossa concentração e determinação. Quando clamamos pelo auxílio de Obá, nossa percepção da verdade se torna mais límpida e nosso desejo de pureza de coração mais acentuado. O conhecimento da verdade depende mais da simplicidade, da pureza de propósito de uma FÉ sincera e confiante, do que da capacidade intelectual.

23

24

25 A identificação maior de Obá é com Joana D’Arc, padroeira da França.(1412 – 30 de maio de 1431) Cognominada "A Donzela de Orléans”, é uma heroína francesa e santa da Igreja Católa. Foi uma chefe militar da Guerra dos Cem Anos, entre a França e a Inglaterra. Camponesa, modesta e analfabeta, foi uma mártir francesa e também heroína de seu povo, canonizada em 1920, quase cinco séculos depois de ter sido queimada viva.

26 Assinava seu nome utilizando uma simples, mas significativa, cruz. Significativa porque já aos treze anos começou a viver experiências místicas. Ouvia as "vozes" do arcanjo Miguel, das santas Catarina de Alexandria e Margarida de Antioquia, avisando que ela teria uma importante missão pela frente e deveria preparar-se para ela. Joana chefiou o exército frances vestindo armadura de aço, empunhando, como única arma, uma bandeira com a cruz e os nomes de Jesus e Maria nela bordados, chamando os comandantes à luta pela pátria e por Deus.

27 Foi ferida e também traída, sendo vendida para os ingleses, que decidiram julgá-la por heresia. Num processo religioso grotesco, completamente ilegal, foi condenada à fogueira como "feiticeira, blasfema e herética". Tinha dezenove anos e morreu murmurando os nomes de Jesus e Maria, em 30 de maio de 1431.

28

29 Elemento e força da natureza: águas revoltas dos rios Dia da semana: quarta feira Data comemorativa: 30 de maio Chacra atuante: frontal Planeta regente: Urano Nota musical: Cor vibratória: magenta terroso e rosa Cor representativa: vermelha e branca (roupas, etc.) Cor da guia : contas cor de rosa Saudação: Akiroobá! Amalá: coco verde (aberto no meio) com mel e hortelã Otí: vinho licoroso / água mineral com hortelã macerada Local de entrega: terra a beira da mata

30

31 Orixá dos ventos e das tempestades. Oyá ou Iansã (Ya Mesan Orum) é orixá do rio Níger, principal rio da Nigéria, cujo nome original é Oyá. Rainha dos raios, é responsável pelas transformações e pelo combate à feitiçarias feitas aos seus seguidores Guerreira, é conhecida também como guardiã dos mortos, pois exerce domínio sobre os eguns.

32 A força de sua magia afasta todas as influências do mal e negativas, pois tem o poder de anular os feitiços. Iansã pode ser traduzido como "a mãe do céu rosado" ou "a mãe do entardecer". Xangô a chamava de Iansã pois dizia que Oyá era radiante como o entardecer ou como o céu rosado.

33

34 Iansã aplica a Lei no campo da Justiça Divina transformando os seres desequilibrados, com suas irradiações espiraladas, que os fazem girar até que tenham descarregado seus emocionais desvirtuados e consciências desordenadas! Sua cor no Candomblé é o marrom avermelhado e na Umbanda o amarelo

35

36 SANTA BARBARA Santa Bárbara nasceu na cidade de Nicomédia, Turquia, no fim do século III. Era a filha única de um rico e nobre comerciante desta cidade do Império Romano. Por ser filha única e com receio de deixar a filha no meio da sociedade corrupta daquele tempo, Dióscoro, seu pai, decidiu coloca-la numa torre, que tinha 2 janelas.

37 O seu pai viajou e quando voltou, reparou que a torre, onde tinha trancado a filha, tinha agora três janelas em vez das duas que ele mandara abrir. Ao perguntar à filha o porquê das três janelas, ela explicou-lhe que isso era o símbolo da sua nova Fé. Este fato deixou o pai furioso, pois ela se recusava a seguir as tradições dos deuses do Olimpo. Bárbara teve os seios cortados, foi levada para fora da cidade onde o seu próprio pai a executou, degolando-a. Quando a cabeça de Bárbara rolou pelo chão, um imenso trovão ecoou pelos ares fazendo tremer os céus. Um relâmpago flamejou e atravessando o céu, fez cair por terra o corpo sem vida de Dióscoro".

38

39 Elemento e força da natureza: tempestades, raios e ventos Dia da semana: quarta feira Data comemorativa: 4 de dezembro Chacra atuante: frontal e cardíaco Planeta regente: Lua (nova) e Júpiter Nota musical: si Cor vibratória: amarelo ouro Cor representativa: amarelo e branco (roupas, etc.) Cor da guia : amarelo ouro ou amarelo Saudação: Eparrei Iansã! Eparrei Oyá! Amalá: acarajé Otí: champanhe Local de entrega: beira mar com pedras ou bambuzais

40 O S S A I N

41 Ossaim, Ossãe, Ossain é o Orixá da medicina e sua principal ligação é com as ervas sagradas dos cultos de Nação e plantas medicinais. No candomblé Jeje é chamado de Agué, é o Vodun da caça e das florestas e conhece os segredos das folhas. Cada Orixá tem sua folha, mas somente Ossain detém seus segredos. Portanto, sem as folhas (ervas) e seus segredos não há AXÉ. (força,poder,vitalidade) No Candomblé dedicam-lhe o vermelho e o azul ou o verde e branco, sendo na Umbanda praticamente desconhecido

42

43

44 Elemento e força da natureza: folhas, ervas e plantas medicinais Dia da semana: quinta feira Data comemorativa: 5 de outubro Chacra atuante: Planeta regente: Nota musical: Cor vibratória: verde Cor representativa: verde e branco (roupas, etc.) Cor da guia : contas branca rajadas de verde Saudação: Ewê ô! Amalá: abacate co amendoim e mel, folhas de louro e fumo de rolo Otí: água natural Local de entrega: local ermo da floresta

45

46 Muito cultuado no Brasil, este Orixá esta ligado à maternidade, à riqueza e a força das águas doces. Oxum é o nome de um rio em Oxogbo, Nigéria. Deusa da beleza e do ouro e a tudo que se relaciona com riqueza, sendo que na África seu metal era o cobre. Oxum é a Orixá que domina as mulheres. Protetora das gestantes e da juventude, é a senhora das águas doces. Representa a beleza e a pureza, a moral e o modelo de mãe. Muitas vezes é evocada em prol da limpeza fluídica dos seguidores e do ambiente dos templos. Segundo a Umbanda, ela é o exemplo de mãe que nunca desampara seus filhos e ajuda a qualquer pessoa.

47 A figura de Oxum carrega um espelho na mão. Algumas pessoas confundem Oxum e Oxumarê, mas segundo a Umbanda e o Candomblé são divindades distintas. É Oxum quem gera o nascimento de novas vidas que estarão no período de gestação numa bolsa de água – como ela, Oxum, rainha das águas. É, sem dúvida alguma, das regências mais fascinantes, pois é o início, a formação da vida. É Oxum que "tomará conta" até o nascimento, quando, então, entrega à Yemanjá, que será responsável pelo destino daquela criança.

48 Ela é o elo que une os Seres sob uma mesma crença, trazendo a união espiritual. É o elo que une dois Seres sob o mesmo amor, agregando-os onde se dá inicio à concepção de uma nova vida. Ela é quem agrega os bens materiais que torna um ser rico, portanto, é conhecida como Orixá da Riqueza, Senhora do Ouro e das Pedras Preciosas. Como as águas dos rios, a força de Oxum vai a todos os cantos da Terra. Ela dá de beber às folhas de Ossain, aos animais e plantas de Oxossi, esfria o aço forjado por Ogum, lava as feridas de Obaluaê, compõe a luz do arco-íris de Oxumarê.

49

50

51 Elemento e força da natureza: cachoeiras, rios lagos, aguas doces Dia da semana: sábado Data comemorativa: 12 de outubro Chacra atuante: frontal Planeta regente: Lua (cheia) Nota musical: lá Cor vibratória: azul (céu) e amarelo ouro Cor representativa: azul (céu) e amarelo ouro (roupas, etc.) Cor da guia : cristal azul claro e branco Saudação: Ai iê iê Mamãe Oxum!// Ai iê eu! Amalá: moqueca de peixe e pirão feito com cabeça de peixe Otí: agua mineral Local de entrega: cachoeiras

52

53 Orixá mais velho do panteão africano. Dona da alma do fundo dos rios, lama que serviu para modelar os homens. É misteriosa e também possui forte relação com a morte, pois é o nascimento, a vida e a morte. Nanã é uma expressão que significa “Mãe” em diversos dialetos na África, portanto, Nanã é a mãe do destino.

54 Nanã é o principio o meio e o fim; o nascimento, a vida e a morte. Ela é a origem e poder. Entender Nanã é entender o destino, a vida e a trajetória do homem sobre a terra, pois Nanã é a História. Nanã é água parada, água da vida e da morte. Nanã é o começo porque Nanã é o barro, e o barro é vida. Nanã é a senhora dos ibás (que deveriam ser de barro) que permite o nascimento dos deuses e dos homens.

55 Orixá relativamente conhecido no Brasil, e apesar de não ter um culto muito arraigado na Umbanda, no Candomblé é vista com muito respeito e temor. Nanã está encarregada de cobrar a divida de nossas vidas e ela é implacável, seus castigos são como chuvas de verão: tardam, mas não falham. Todos sabem que a ganância não leva a nada; pois desse mundo só se leva o que se trouxe: a vida é dada e tirada por Nanã. Todos nascem predestinados a voltar. No Candomblé lhe dedicam o branco e o azul e na Umbanda o roxo.

56

57 Elemento e força da natureza: as águas barrentas e lodosas Dia da semana: sábados e domingos Data comemorativa: 26 de julho Chacra atuante: frontal e cervical Planeta regente: Lua (quarto crescente) e Mercúrio Nota musical: Cor vibratória: violeta ou roxo Cor representativa: roxa (roupas, etc.) Cor da guia : roxas e brancas Saudação: Saluba Nanã! Amalá: caruru sem azeite e bem temperado Otí: água mineral ou natural e champanhe Local de entrega: onde for determinado pela entidade

58 QUE OS ORIXÁS TRAGAM

59 O B R I G A D O

60


Carregar ppt "2ª PARTE. "Ninguém acende uma lâmpada e a coloca num lugar onde ficará escondida, ou sob uma tigela. Ao invés disso, coloca-se ela de pé, assim aquele."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google