A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Forças Armadas. Monarquia: Período de Organização da Instituições Militares  Consolidação da Independência do Brasil  Combater o Inimigo estrangeiro.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Forças Armadas. Monarquia: Período de Organização da Instituições Militares  Consolidação da Independência do Brasil  Combater o Inimigo estrangeiro."— Transcrição da apresentação:

1 Forças Armadas

2 Monarquia: Período de Organização da Instituições Militares  Consolidação da Independência do Brasil  Combater o Inimigo estrangeiro

3 Objetivos principais mudam, Exercito e Marinha COMEÇAM a buscar participação mais efetiva na Política do país. República

4 Golpe militar

5 Muita Violência...

6 Movimento de resistência ao golpe militar vai as ruas Manifestos...

7 Quando será o Próximo Golpe Militar???

8  Intervenções Políticas da Forças Armadas

9 Fim da Monarquia: 1º Intervenção política dos militares

10 Tropas republicanas festejam o fim da monarquia, no final da madrugada, em Campo de Santana, no Rio de Janeiro

11 Instauração da República

12 “...É portanto que deve se considerar como único poder existente de fato e de qual depende de o êxito ou insucesso da Revolução.” “ Mesmo por não andar envolvida em nossas intrigas civis, mesmo pelas suas ilesas virtudes cívicas, é que a classe militar poderá evitar-nos os inconvenientes de uma surpresa que não tem ainda sanção do voto nacional.” Diário do Comércio, 16 de Novembro de 1889

13 Tenentismo  Nome dado ao movimento político militar e à uma série de rebeliões de jovens oficiais (em sua maioria tenentes) do Exercito Brasileiro.  Propunham reformas na estrutura do poder do país.  Ex: fim do voto cabresto, implantação do voto secreto e reforma na Educação Pública

14 Movimentos Tenentistas  Revolta dos 18 do forte de Copacabana  A revolta Paulista  Coluna Prestes  Combatia a Oligarquia  Organizou militarmente a revolução de 30

15  Revolta dos 18 do forte de Copacabana

16 3/10/1930 – Explode a Revolução de 30. Vitoriosa a 24/10, o levante armado depõe Washington Luís. Getúlio Vargas toma posse como chefe do governo provisório a 3/11.

17 Golpe do Estado Novo Em 1937, aguardavam as eleições presidenciais para janeiro de 1938 a serem disputadas por: José Américo de Almeida Plínio Salgado Armando de Sales Oliveira

18 Denunciado pelo governo a existência de um plano comunista Denunciado pelo governo a existência de um plano comunista Plano Cohen Plano Cohen Elaborado pelo capitão Olympio Mourão Filho Elaborado pelo capitão Olympio Mourão Filho Como um exercício interno da Ação Integralista Brasileira Como um exercício interno da Ação Integralista Brasileira O Golpe de Estado

19 Golpe do estado novo Se encontrou uma desculpa para a tomada preventiva do poder de Getulio Vargas Se encontrou uma desculpa para a tomada preventiva do poder de Getulio Vargas Anos mais tarde comprovou a falsidade do documento Anos mais tarde comprovou a falsidade do documento E com isso Getulio deu um golpe e instaurou uma ditadura em 1937 E com isso Getulio deu um golpe e instaurou uma ditadura em 1937 Pronunciamento através do rádio Pronunciamento através do rádio

20 A implantação do Estado Novo Recebeu o nome de Estado novo por causa de Antonio de Oliveira Salazar Recebeu o nome de Estado novo por causa de Antonio de Oliveira Salazar Durou 29/10/1945 Durou 29/10/1945 Getulio determina o fechamento do Congresso Nacional Getulio determina o fechamento do Congresso Nacional Extinção de partidos políticos Extinção de partidos políticos Mas total controle do poder executivo Mas total controle do poder executivo

21 Forças Armadas Os militares estiveram à frente, ainda, de todas as tentativas de golpe durante a curta e limitada experiência democrática do período de

22 Getulio Dornelles Vargas Presidente Presidente do BrasilBrasil Acontece o crime da rua toneleiro, então se abre um inquérito, que Getulio se torna o principal suspeito, pois a partir daí se pede a renuncia de Getulio.

23 Juscelino Kubitschek Presidente do BrasilBrasil Golpe do Lott Pressão do Ministro do exercito

24 Jânio Quadros Presidente do BrasilBrasil Renunciou alegando que “forças terríveis” o obrigavam a este ato.

25 João Goulart Presidente do BrasilBrasil 3 ministros militares acharam que ele era comunista. Então mudou o regime de presidente para parlamentarista.

26 O pensamento político e autoritário dos militares Os militares tinham a idéia de que a sociedade brasileira era incapaz de se auto-organizar para enfrentar seus problemas e conflitos. Porque as classes dominantes estavam muitas vezes dividida internamente, e as massas populares estavam despreparadas para, através de mecanismos como os partidos políticos e o voto direto, escolher representantes e governantes capazes de conduzir o Estado para a realização dos “interesses nacionais”.

27 Para eles somente uma instituição da sociedade brasileira poderia interpretar corretamente os interesses nacionais que era as forças armadas por ter organização nacional, rígida disciplina interna e o patriotismo. Por isto deveriam ocupar um lugar de destaque no Estado brasileiro.

28 Achavam que a sociedade brasileira estava abandonada a sua própria sorte e caminhava para uma situação de anarquia e o motivo disto era que a sociedade estava sendo guiada por civis impatrióticos e corruptos.

29  Este pensamento vinha desde a época de Benjamin Constant quando ele estava à frente do clube militar

30 Esta idéia sobre a sociedade volta no movimento tenentista na década de 1920 Esta idéia sobre a sociedade volta no movimento tenentista na década de 1920 Militares assumiram o poder em 1964,tinham desprezo pela auto organização da sociedade,principalmente das classes populares. Militares assumiram o poder em 1964,tinham desprezo pela auto organização da sociedade,principalmente das classes populares.

31 O Nacionalismo(1950 até o início de 1960) se mostrou incapaz de dar uma chance de participação política às classes populares O Nacionalismo(1950 até o início de 1960) se mostrou incapaz de dar uma chance de participação política às classes populares Surge o pensamento político da doutrina de segurança nacional vindo da Escola Superior de Guerra Surge o pensamento político da doutrina de segurança nacional vindo da Escola Superior de Guerra

32 A ESG E A DOUTRINA DE SEGURANÇA NACIONAL  A ESG foi criada no governo Dutra.  Dutra:  Não teve um passado revolucionário  Aliança de Brasil com EUA (relação com Guerra Fria)  O Brasil passa importar tudo, inclusive o que não precisava, prejudicando a economia interna. Adapta a economia brasileira às necessidades dos americanos.  A relação entre Durtra e os trabalhadores sempre foi tumultuada – a atividade sindical foi atrelada ao estado.

33

34 A ESG foi criada para defender entre as “elites civis e militares” uma particular noção de segurança nacional, suas atividades são marcadas desde o inicio, pela existência da Guerra Fria, e defendia o alinhamento do Brasil com EUA. A ESG foi criada para defender entre as “elites civis e militares” uma particular noção de segurança nacional, suas atividades são marcadas desde o inicio, pela existência da Guerra Fria, e defendia o alinhamento do Brasil com EUA.

35 Guerra Fria Política Global: EUA defendiam o capitalismo e URSS o socialismo. Política Global: EUA defendiam o capitalismo e URSS o socialismo. Divisão do mundo: A Alemanha perde a segunda guerra e é dividida em 4 áreas administrativas chefiadas pelos vencedores: EUA França, Reino Unido e URSS e 2 áreas de influencia: capitalista e socialista. A Alemanha perde a segunda guerra e é dividida em 4 áreas administrativas chefiadas pelos vencedores: EUA França, Reino Unido e URSS e 2 áreas de influencia: capitalista e socialista. A capital de Berlim também foi dividida. A capital de Berlim também foi dividida. EUA, França, Reino Unido se unificaram na Alemanha Ocidental e a zona soviética fundou a Alemanha Oriental. EUA, França, Reino Unido se unificaram na Alemanha Ocidental e a zona soviética fundou a Alemanha Oriental.

36 Plano Marshall e Comecon Plano Marshall e Comecon Corrida armamentista: Na década de 60, os EUA, França e URSS tinham armas para destruir todos os paises do mundo Corrida armamentista: Na década de 60, os EUA, França e URSS tinham armas para destruir todos os paises do mundo Corrida espacial Corrida espacial Coexistência pacifica Coexistência pacifica Distensão: acordos entre EUA e URSS para evitar catástrofe mundial. Distensão: acordos entre EUA e URSS para evitar catástrofe mundial. Governo Gorbatchov: Perestroika e Glasnost Governo Gorbatchov: Perestroika e Glasnost

37

38  A segurança Nacional não se limitava à defesa do país a uma” agressão comunista”. A “Agressão Comunista” se manifestaria dentro do território nacional.  Um exemplo da Agressão interna eu ocorreu no Brasil foi o anticomunismo nos cinemas: produções americanas com propagandas anticomunistas – as produções de Hollywood eram dominantes nas telas do mundo.  Em 1947 o cinema se tornaria um campo de batalha entre EUA e URSS. Os comunistas estavam sempre prontos a sabotar os filmes que tivessem mensagens anticomunistas.

39   Entre 1947 e 1954 podemos identificar 3 grupos na filmografia americana anticomunista: drama, ficção científica e guerra.   Os comunistas eram apresentados nos filmes americanos como demagogos, hipócritas, dispostos a manipular os incautos, perversa tolos, incompetentes. O comunismo era descrito como uma doença, um germe ou lavagem cerebral.

40 Havia um poderoso loby que controlava grande parte do circuito de exibição nacional formado por grandes companhias cinematográficas estadunidenses que compunham a associação brasileira cinematográfica Havia um poderoso loby que controlava grande parte do circuito de exibição nacional formado por grandes companhias cinematográficas estadunidenses que compunham a associação brasileira cinematográfica Entre 1948 e 1953, eram comercializados poucos filmes nacionais e muitos eram importados, sendo a maioria dos EUA. Em 1951, o Brasil era o 3º mercado de Hollywood, ficando atrás de EUA e Inglaterra Entre 1948 e 1953, eram comercializados poucos filmes nacionais e muitos eram importados, sendo a maioria dos EUA. Em 1951, o Brasil era o 3º mercado de Hollywood, ficando atrás de EUA e Inglaterra

41  O alvo da ESG eram organizações e partidos políticos de esquerda

42 ALN:Aliança Libertadora Nacional ALN:Aliança Libertadora Nacional MR-8: Movimento Revolucionário 8 de outubro MR-8: Movimento Revolucionário 8 de outubro

43 1964 – Ato Institucional Número 1 (AI-1) Extinção das eleições diretas para presidente da República Extinção das eleições diretas para presidente da República Ampliação dos poderes do presidente militar Ampliação dos poderes do presidente militar

44 1965 – Ato Institucional Número 2 (AI-2) Extinção dos partidos políticos Extinção dos partidos políticos Ações praticadas pelo Alto Comando Militar com isenção de investigações judiciais Ações praticadas pelo Alto Comando Militar com isenção de investigações judiciais

45 Manchete destaca o AI-2, no governo de Castelo Branco

46 Ações arbitrárias: ocupação e fechamento da Universidade de Brasília (22/10/1965)

47 1966 – Ato Institucional Número 3 Tornou as eleições indiretas para governador e prefeito Tornou as eleições indiretas para governador e prefeito

48 1968 – Ato Institucional Número 5 Formalização da ditadura Formalização da ditadura

49 Participação das Forças Armadas : Período mais repressivo do regime militar, no qual foi eleito o presidente Emílio Médici : Período mais repressivo do regime militar, no qual foi eleito o presidente Emílio Médici

50 Manifestação pelas Diretas Já, Praça da Sé em SP (26/01/1984)

51 Forças Armadas e a democracia na “Nova Republica” O futuro do regime democrático no Brasil. O futuro do regime democrático no Brasil. Redefinição do papel das Forças Armadas no Estado e na Sociedade Redefinição do papel das Forças Armadas no Estado e na Sociedade

52 O que defendem os críticos da Doutrina de Segurança Nacional:  Função estritamente profissional para as forças armadas  Obediência à constituição do País  Submissão as autoridades civis eleitas através do voto direto (tanto do executivo – presidente - como do Judiciário – Congresso nacional)

53 Entretanto a atribuição d funções estritamente profissional para as forças armadas parece algo ainda bastante remoto, em plena “transição democrática” da Nova República

54 A luta pela Redemocratização  Em maio de 1978, o movimento sindical iniciado no ABC ganhou impulso  Reivindicações sindicais alastram-se por todo país  Criação da CONCLAT e CUT

55  21 a 23 de agosto em 1981, primeira conferencia nacional da classe trabalhadora (CONCLAT)  27/11/1983 – Acontece a primeira manifestação pelas Diretas Já  Abril de 1984, vereadores e prefeitos realizam marcha a Brasília (Diretas Já)

56 Após 21 anos de governo militar o governo Sarney (1985 a 1990, caracterizou-se como um governo de transição democrática, estabeleceu alguns avanços políticos importantes, como a convocação de uma assembléia constituinte, a promulgação de uma nova constituição, as diretas já, e a legalização de pedidos políticos de qualquer tendências, inclusive comunistas e socialistas. Após 21 anos de governo militar o governo Sarney (1985 a 1990, caracterizou-se como um governo de transição democrática, estabeleceu alguns avanços políticos importantes, como a convocação de uma assembléia constituinte, a promulgação de uma nova constituição, as diretas já, e a legalização de pedidos políticos de qualquer tendências, inclusive comunistas e socialistas.

57

58 Marinha do BrasilExercito do Brasil Aeronáutica do Brasil Estes são algo como que logotipos das três armas militares brasileiras. Os brasões heráldicos e oficiais de cada arma são outros.


Carregar ppt "Forças Armadas. Monarquia: Período de Organização da Instituições Militares  Consolidação da Independência do Brasil  Combater o Inimigo estrangeiro."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google