A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Propriedades Coligativas Professor Claudio Reinke.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Propriedades Coligativas Professor Claudio Reinke."— Transcrição da apresentação:

1 Propriedades Coligativas Professor Claudio Reinke

2 PROPRIEDADES COLIGATIVAS Prof. Claudio Reinke QUÍMICA 2º ANO Aspectos Qualitativos

3

4

5 Propriedades Coligativas: Aspectos Qualitativos  Estão relacionadas às soluções (misturas homogêneas).  São mudanças que ocorrem no comportamento de um líquido.  A presença de soluto em um líquido provoca mudanças.

6 Propriedades Coligativas  As propriedades coligativas dependem unicamente do número de entidades dispersas de soluto e não da natureza do mesmo.

7 Propriedades Coligativas  TONOSCOPIA  EBULIOSCOPIA  CRIOSCOPIA  OSMOSCOPIA

8 Comentário preliminar: Entre propriedades coligativas destacam- se quatro: Tonoscopia: Ocorre uma diminuição na pressão de vapor do líquido. Essa propriedade estuda o abaixamento da pressão máxima de vapor de um solvente quando lhe é adicionado um soluto não volátil.

9 Comentário preliminar: Entre propriedades coligativas destacam- se quatro: Ebulioscopia: O ponto de ebulição do líquido aumenta, é o estudo da elevação da temperatura de ebulição do solvente numa solução.

10 Comentário preliminar: Entre propriedades coligativas destacam- se quatro: Crioscopia: Estuda a diminuição do ponto de congelamento de um líquido causado pelo soluto não-volátil.

11 Comentário preliminar: Entre propriedades coligativas destacam- se quatro: Osmoscopia: Estuda o surgimento da pressão osmótica de soluções. O aumento da pressão osmótica ocorre quando duas soluções do mesmo solvente são divididas por meio de uma membrana semipermeável que resulta em soluções de mesma concentração.

12 Pressão atmosférica O físico italiano Evangelista Torricelli ( ) realizou uma experiência para determinar a pressão atmosférica ao nível do mar. Ele usou um tubo de aproximadamente 1,0 m de comprimento, cheio de mercúrio (Hg) e com a extremidade tampada. Depois, colocou o tubo, em pé e com a boca tampada para baixo, dentro de um recipiente que também continha mercúrio. Torricelli observou que, após destampar o tubo, o nível do mercúrio desceu e estabilizou-se na posição correspondente a 76 cm, restando o vácuo na parte vazia do tubo.

13 Pressão atmosférica Na figura, as pressões nos pontos A e B são iguais (pontos na mesma horizontal e no mesmo líquido). A pressão no ponto A corresponde à pressão da coluna de mercúrio dentro do tubo, e a pressão no ponto B corresponde à pressão atmosférica ao nível do mar: p B = p A,logo: p ATM = p coluna(Hg) Como a coluna de mercúrio que equilibra a pressão atmosférica é de 76 cm, dizemos que a pressão atmosférica ao nível do mar equivale à pressão de uma coluna de mercúrio de 76 cm. Lembrando que a pressão de uma coluna de líquido é dada por dgh (g = 9,8 m/s 2 ), temos no SI : (Densidade).(Gravidade).(Altura)=Pressão em Pascal (13597 g/l).(9,8 m/s 2 ).(0,76 m) = ,392 Pascal p ATM ≈ 76cmHg = 760mmHg = 1,01x10 5 Pa A maior pressão atmosférica é obtida ao nível do mar (altitude nula). Para qualquer outro ponto acima do nível do mar, a pressão atmosférica é menor.

14 Pressão atmosférica

15 PRESSÃO  Pressão de vapor de um líquido puro: cresce com o aumento da temperatura.  Onde a pressão é menor 1atm, a evaporação é mais rápida.  Se sobre a superfície do líquido não existe nenhuma pressão (vácuo), a evaporação ocorre de forma violenta e rápida.  Onde a pressão é maior que 1atm, e evaporação é mais lenta.  Quanto menor a pressão do vapor do liquido, maior o ponto de ebulição do mesmo.  Quanto maior a pressão do vapor do liquido, menor o ponto de ebulição do mesmo.

16 PRESSÃO DE VAPOR E TEMPERATURA DE EBULIÇÃO * Um líquido entra em ebulição quando a sua pressão de vapor se iguala a pressão externa (atmosférica). Prof. Roberto Gois

17 DIAGRAMA DE FASES

18

19 TONOSCOPIA É o abaixamento da pressão de vapor de um líquido quando adicionado um soluto não volátil. Prof. Roberto Gois

20 Um modelo para explicar este fenômeno:  Como o açúcar não evapora, somente moléculas de água passarão para o estado gasoso.  As moléculas de açúcar tornam-se obstáculo para evaporação.  O abaixamento da pressão de vapor, provocado pela presença de um soluto não-volátil, depende somente do número de partículas do soluto e não da natureza do soluto.

21  Isso ocorre, porque essas soluções apresentam o mesmo número de partículas de soluto dissolvidas (não importa sua massa molecular).

22 Todos sabem que um franco aberto, a evaporação ocorre continuamente até o líquido desapareça. Nesse processo, as ligações intermoleculares se rompem e o líquido passa para o estado vapor.

23 Pressão de Vapor

24  Num sistema fechado: o líquido tende a evaporar e o vapor tende a se condensar até que atinjam um equilíbrio.

25 Frasco fechado a (vácuo): A evaporação do líquido é rápida. Em seguida a evaporação torna se mais lenta até aparentemente cessar.

26 PRESSÃO MÁXIMA DE VAPOR  Ocorre quando a velocidade de evaporação é igual a velocidade condensação.  V evaporação = V condensação  A pressão exercida pelos vapores do líquido atingem a Pressão Máxima de Vapor.

27 Equilíbrio dinâmico: a velocidade de evaporação é igual a velocidade de condensação. Podemos dizer também que na temperatura do experimento foi alcançada a pressão máxima de vapor.

28  Onde a pressão for maior que 1 atm, a temperatura de ebulição será maior. Ex: [panela de pressão: 120ºC]

29 Fatores que influenciam a Pressão Máxima de Vapor  Temperatura: A pressão de vapor aumenta como aumento da temperatura.  Natureza do Soluto: Cada líquido apresenta uma pressão de vapor característica numa mesma temperatura.

30 A pressão máxima de vapor de um líquido: a uma determinada temperatura não depende das quantidades de: Líquido. Vapor presente. Do formato do frasco que contém o líquido.

31 Do formato do frasco que contém o líquido.

32 O Abaixamento da temperatura de congelamento depende do número de partículas

33 Pressão máxima de vapor de um líquido é a maior pressão exercida pelos vapores desse líquido em equilíbrio dinâmico com a fase líquida, a uma determinada temperatura.

34

35


Carregar ppt "Propriedades Coligativas Professor Claudio Reinke."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google