A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Gestão da Responsabilidade Socioambiental Paula Chies Schommer Set 2011 SUSTENTABILIDADE Fonte figura: Projeto Sigma.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Gestão da Responsabilidade Socioambiental Paula Chies Schommer Set 2011 SUSTENTABILIDADE Fonte figura: Projeto Sigma."— Transcrição da apresentação:

1

2 Gestão da Responsabilidade Socioambiental Paula Chies Schommer Set 2011 SUSTENTABILIDADE Fonte figura: Projeto Sigma

3 Elementos do contexto atual e gestão contemporânea Avanços científicos, tecnológicos, políticos, sociais X Desafios básicos na garantia de direitos mínimos às populações: alimentação, moradia, segurança, qualidade do ar e da água etc. Preocupações com ameaças dos fenômenos ambientais e sociais X Oportunidades para novos negócios 2 Valorização da diversidade, visão ampliada de riqueza e progresso Inovação x regulação Liberdade x civilização? Integração internacional: pressões e padrões Maior permeabilidade das fronteiras entre o público o privado Redefinição de papéis das organizações e novas formas de articulação entre elas; Percepção da interdependência dos fenômenos; Necessidade de ação articulada; corresponsabilidade de múltiplos atores Responsabilidade Socioambiental Paula Chies Schommer

4 3 Estado como principal agente do desenvolvimento Anos 1940/50: empresas estatais: desenvolvimento e serviços públicos Homens de bem: ação social principalmente por meio da Igreja Desigualdade histórica, sempre se atualizando Anos 1970 – Início do processo de reforma do Estado e de redemocratização 1985 a 2010 – consolidação de instituições democráticas – década perdida e retomada do crescimento Década 2010 – perspectivas de crescimento econômico, avanços políticos, redução da pobreza? Desigualdade e injustiça persistem? Novos desafios Brasil: elementos históricos e contextuais Responsabilidade Socioambiental

5 4 E O DESENVOLVIMENTO FOI GANHANDO ADJETIVOS... –Desenvolvimento como crescimento econômico –Desenvolvimento Humano (PNUD) Sustentável Solidário ou alternativo –Desenvolvimento como liberdade humana –Desenvolvimento local, territorial, comunitário –Ecodesenvolvimento –Anti-desenvolvimento Fonte foto: Paula Chies Schommer

6 5 Definição ampliada de riqueza: bens materiais tangíveis + valores intangíveis ou éticos: preservação do meio ambiente, desenvolvimento sustentável, dignidade no trabalho, direitos do consumidor, liberdade, democracia... Paula Chies Schommer

7 6 O tripé como base e a interdependência como pressuposto A famosa definição do Relatório Brundtland (1987): Desenvolvimento sustentável é aquele que busca atender as necessidades da geração presente sem comprometer a capacidade das futuras gerações de atender suas próprias necessidades. Social Econômico Ambiental A definição de desenvolvimento sustentável Envolve solidariedade: –inter-gerações –intra-geração: minorias e desigualdades –inter-espacial: entre regiões e países Responsabilidade Socioambiental Paula Chies Schommer

8 a Desilusão com liberalismo -Profissionalização da gestão -Influência socialismo e movimentos antitrust - Debate sobre condições de trabalho, ética dos executivos e filantropia 1960 a Mobilização cívica e revolucionária -Avanços científicos e movimentos ambientalistas -Crise do capitalismo -Surgimento da Business ethics (filosofia e gestão) -Distinção entre filantropia e responsabilidade: base para corrente Business & Society 1980 aos dias atuais -Avanço de políticas neoliberais -Globalização e Financeirização da economia -Flexibilização da produção -Debates sobre desenvolvimento sustentável -Consolidação Business & society e surgimento Social issues management Fonte: Kreitlon, 2004

9 8 Gestão Ambiental – alguns eventos (Nascimento, 2007) Acidente de Minamata (Japão) derramemento Mercúrio – 700 mortos e 9000 doentes crônicos 1957 – Tcheliabinski (URSS) – primeiro acidente nuclear – Livro: A Primavera Silenciosa, de Rachel Carson – alerta para perigos de pesticidas e poluentes – Relatório Os limites do crescimento – por um grupo de cientistas para a Clube de Roma 1972 – Conferência de Estocolmo – 1ª da ONU para meio ambiente – 113 países, 250 ONGs. Criação de órgãos de controle ambiental em vários países, criação do PNUMA 1976 – Acidente Seveso – Itália – incêndio indústria pesticidas, emissão de dioxinas 1978 – Selo Ecológico (Alemanha) – primeiro selo ecológico – Anjo Azul

10 Acidente de Bohpal (Índia) – gases tóxicos na atmosfera – Union Carbide mortos e mais de doentes crônicos Acidente Nuclear de Chernobil (Ucrânia) – 31 mortos, 134 pessoas com síndrome aguda de radiação e 237 suspeitas. Desde o acidente, casos de câncer na região Acidente de Basiléa (Suiça) – litros de pesticida no Rio Reno – 500 mil peixes mortos Relatório Nosso Futuro Comum (Relatório Bruntland Protocolo de Montreal – proíbe CFCs Constituição Brasileira – Cap. VI: todos têm direito ao meio ambiente ecologicamente equilibrado... Acidente Exxon Valdez (Alasca) 37 milhões de litros de óleo no mar Convenção da Basiléia (Suiça) – regulamenta a movimentação transfronteiriça de resíduos perigosos Gestão Ambiental – alguns eventos (Nascimento, 2007)

11 Rio 92 – 2ª Conferência ONU para o Meio Ambiente – 172 países, participantes. Resultados: Agenda 21; Declaração do Rio sobre Meio Ambiente e Sustentabilidade; Princípios para a administração sustentável de florestas Criação do CEBDS – Conselho Empresarial Brasileiro para o Desenvolvimento Sustentável Protocolo de Quioto – Convenção sobre Mudanças Climáticas Lançamento da Norma ISO Convenção de Estocolmo sobre Poluentes Orgânicos Persistentes Rio + 10 – Convenção ONU – Joannesburgo (África do Sul) 2º Painel Intergovernamental das Mudanças Climáticas ONU – cientistas, 130 países Crise econômica Conferência de Copenhagen (dados manipulados?) Acidente BP Golfo do México Lançamento Norma ISO Preparação para a Rio + 20 Gestão Ambiental – alguns eventos (Nascimento, 2007)

12 11 Ética e Responsabilidade Social (Kreitlon, 2004) Moral e Valores (Abordagem normativa) Direitos e Deveres Cidadania (Abordagem contratual) Problemas sociais como variáveis a serem consideradas na gestão RSE como vantagem competitiva (Abordagem gerencial ou estratégica)

13 12 Ética empresarial (Business Ethics) Abordagem ética ou normativa -Ramo da ética aplicada -Tratamento filosófico, normativo, moral, baseado em valores Mercado e Sociedade (Business & Society) Ab. social ou contratual -Perspectiva sociopolítica -Abordagem contratual e inter-relacionada entre empresas e sociedade Gestão questões sociais (Social issues management) Ab. gerencial ou estratégica -Natureza utilitária -Problemas sociais como variáveis a serem consideradas na gestão estratégica -RSE como vantagem competitiva e como oportunidade de negócio Abordagens – Etica e RSE (Kreitlon, 2004) Responsabilidade Socioambiental

14 13 Visão liberal Responsabilidade das empresas: empregos, lucros, impostos. O social não é de sua competência específica Visão crítica Empresas como vilãs Visão política Empresas são muito poderosas para ficar fora do debate público Diferentes visões sobre o papel das empresas Responsabilidade Socioambiental Paula Chies Schommer

15 14 Ética Filantropia (Amor ao Homem) Cidadania corporativa (direitos e deveres) Responsabilidade social – stakeholders (partes interessadas) Sustentabilidade Governança (Corporativa) Investimento social privado Comércio Justo Consumo consciente Marketing –Marketing social –Marketing relacionado a uma causa Fonte fotos: HELP - PER UNA VITA SENZA TABACCO - CAMPAGNA ITALIANA ANTI-TABAGISMO e Instituto Ronald McDonald Antigas e novas palavras em nosso repertório Responsabilidade Socioambiental Paula Chies Schommer

16 15 Pirâmide da Responsabilidade Social de A. Carroll

17 16

18 17 Tipologias mais comuns: estágios da responsabilidade socioambiental Paula Chies Schommer

19 18 Categoria / Motivação para engajamento em RSE 1 Nascem para RSE 2 Crise como motivador principal 3 Movem-se em estágios (elementar, engajada, inovadora, integrada, transformadora) 4 Querem mudar as regras do jogo Ex: foco na base da pirâmide Novas Tecnologias Fonte: Philip Mirvis Responsabilidade Socioambiental Paula Chies Schommer

20 19 Estágios da Responsabilidade Social Fonte: Boston College Centre for Corporate Citizenship, 2010 Responsabilidade Socioambiental

21 20 Perfis de empresas - RSE Franklin (2008) – The Economist Há lugar para todos? Quais padrões mínimos devem ser comuns? O que pode ser diferenciado? Responsabilidade Socioambiental Paula Chies Schommer

22 21 Empresas ganhadoras e líderes do Século 21 são as que incorporam as oportunidades que emergem do conhecimento e da análise dos desafios, tendências e expectativas da sociedade, integrando-os em suas estratégias e fazendo o que sabem fazer de melhor – negócios, de maneira que seu engajamento seja sustentável. Julio Moura – Grupo Nueva (BID/Ethos, 2006) Responsabilidade Socioambiental Paula Chies Schommer

23 22 Há muitas razões para o mercado envolver-se com questões sociais... As razões dificilmente são as mesmas de uma empresa para outra, mas os benefícios, para os negócios e para a sociedade, mostrarão que se deve incentivar a maior participação do mercado, sem suspeitas prévias sobre seus motivadores. Para sensibilizar e formar uma massa de atuação social no setor empresarial é preferível utilizar argumentos de negócios do que esperar pelo senso cívico ou filantrópico. Fonte: Logan e outros, 1997 Responsabilidade Socioambiental

24 23 Fatores que mais influenciam movimento da RSE atualmente Fundos de investimento socialmente responsáveis Opinião pública Oportunidades de mercado Identidade (empresas não querem ser identificadas como poluidoras, exploradoras etc) Oportunidade de redução de custos Fonte: Philip Mirvis Responsabilidade Socioambiental Paula Chies Schommer

25 24 Novas exigências para legitimação social das organizações Novas estratégias de pressão sobre empresas e governos Espaço público compartilhado, permeabilidade das fronteiras entre público e privado e corresponsabilidade por questões públicas Responsabilidade social empresarial como diferencial competitivo Problemas sociais e ambientais como oportunidades de negócios Gestão da responsabilidade social na cadeia de valor – novos canais de comunicação e de controle Profissionalização da gestão Articulação e consolidação de ferramentas de gestão Tendências Responsabilidade Socioambiental Paula Chies Schommer

26 25 Do individual ao coletivo, do coletivo ao individual Macro Sociedades/Sistemas sociais Meso Grupos/Comunidades/ Organizações Micro Indivíduos PolíticaGestão Valores Cultura Poder Tecnologias Instrumentos Fonte: Schommer, 2009, p. 71 Responsabilidade Socioambiental

27 26 Ética nos negócios: níveis de análise e tipos de abordagem DescritivaNormativaAnal í tica É tica do sistema É tica do indiv í duo É tica da organiza ç ão Fonte: Goodpaster (1992). Responsabilidade Socioambiental Paula Chies Schommer

28 27 Interdependência das dimensões de ação Como a questão da responsabilidade socioambiental afeta cada um de nós? Responsabilidade Socioambiental Paula Chies Schommer

29 28 Vídeo – TED X – Fábio Barbosa Reforma de Valores Responsabilidade Socioambiental Paula Chies Schommer

30 29 Do individual ao coletivo, do coletivo ao individual Macro Sociedades/Sistemas sociais Meso Grupos/Comunidades/ Organizações Micro Indivíduos PolíticaGestão Valores Cultura Poder Tecnologias Instrumentos Fonte: Schommer, 2009, p. 71

31 Instrumentos de diagnóstico, planejamento e avaliação Comunicação com as partes interessadas por diferentes canais (relatórios, eventos, visitas, selos, ouvidoria,...) Gestão da Cadeia de Valor Métodos de produção (Ex: produção + limpa), ecoeficiência Gerenciamento de resíduos Finanças sustentáveis (pactos, fundos, crédito, índices Gestão estratégica do Investimento Social Privado Prêmios, incentivos, selos Instrumentos Gestão (setoriais, países) Indicadores RSE – Ethos e outros SA 8000 Série Normas ISO , 14001, OHSAS 18001, NBR AA 1000 Relatórios de Sustentabilidade ( GRI, IBASE) 30 A gestão da responsabilidade socioambiental Pactos, Declarações, Princípios –Declaração dos Direitos Humanos –Declaração do Rio ou Agenda 21 –Carta da Terra –Metas do Milênio –Pacto Global –Princípios de Governança Corporativa (OCDE) –Erradicação Trabalho Escravo Paula Chies Schommer

32 31 Fonte: Responsabilidade Socioambiental Paula Chies Schommer

33 32 Princípios de Direitos Humanos 1. Respeitar e proteger os direitos humanos; 2. Impedir violações de direitos humanos; Princípios de Direitos do Trabalho 3. Apoiar a liberdade de associação no trabalho; 4. Abolir o trabalho forçado; 5. Abolir o trabalho infantil; 6. Eliminar a discriminação no ambiente de trabalho; Princípios de Proteção Ambiental 7. Apoiar uma abordagem preventiva aos desafios ambientais; 8. Promover a responsabilidade ambiental; 9. Encorajar tecnologias que não agridem o meio ambiente. Princípio contra a Corrupção 10. Combater a corrupção em todas as suas formas, inclusive extorsão e propina. Fonte: Responsabilidade Socioambiental Paula Chies Schommer

34 33 Responsabilidade Socioambiental Paula Chies Schommer

35 34 Mercado financeiro Responsabilidade Socioambiental Paula Chies Schommer

36 35 PRINCÍPIOS DE GOVERNANÇA CORPORATIVA (Andrade e Rossetti, 2007): -Fairness – senso de justiça e equidade de direitos -Disclosure – transparências quanto aos resultados, oportunidades e riscos -Accountability – prestação responsável de contas -Compliance – conformidade com instituições legais e marcos regulatórios No Brasil -reforma Lei SA: -mudanças nas demonstrações contábeis; -critérios CVM; -Linhas créditos BNDES para empresas com melhores práticas de governança; -Critérios mais exigentes para fundos de pensão -Novo Mercado BOVESPA Responsabilidade Socioambiental Paula Chies Schommer

37 36 Finanças Sustentáveis 1.Ampliação do acesso a serviços bancários e a crédito 2.Microcrédito 3.Crédito responsável 4.Análise de crédito – Princípios do Equador 5.Financiamentos socioambientais 6.Seguros ambientais 7.Mercado de créditos de carbono 8.Fundos de investimento socialmente responsáveis (Fundos SRI – Socially Responsible Investment) 9.Transparência 10.Combate à lavagem de dinheiro 11.Segurança da informação Responsabilidade Socioambiental

38 37 Atuação ética e socialmente responsável em todas as etapas da atividade produtiva, em relação a cada parte interessada (stakeholders) Instituto Ethos – Localizador de Ferramentas de Gestão em RSE Fonte: Sem deixar de ser rentável e competitivo Responsabilidade Socioambiental

39 Justificar Indicadores Ethos de RSE

40 39 Indicadores Ethos de RSE

41 40 Modelos de relatórios (AA 1000) Responsabilidade Socioambiental Paula Chies Schommer

42 41 Global Reporting Initiative – GRI (www.globlalreporting.org) Ong internacional de origem ambiental – CERES – Boston Motivação: canal de diálogo e exposição pública de informações sobre as empresas Objetivo principal: transparência Foco: multistakeholders Versões: 1999, 2002 e 2006 Diretrizes GRI – diretrizes para elaboração de relatórios que abordam aspectos relacionados à sustentabilidade econômica, social e ambiental das organizações Divididas em: –Princípios –Indicadores de performance (econômico, ambiental, trabalho, direitos humanos etc.) –Protocolos técnicos (buscam padronizar formas de coleta de dados)

43 42 Amplo processo de discussão pública das diretrizes, com participação de distintos setores Em construção: sistema eletrônico para envio de dados (comparabilidade) Novo foco: valorização pelo mercado financeiro para a tomada de decisões Por ser de âmbito global, padrões são avançados para alguns países, elementares para outros

44 Gerenciando impactos na cadeia de valor Responsabilidade Socioambiental Paula Chies Schommer

45 Etapa 1: extração e transporte de matérias primas e embalagens Etapa 2: processo industrial e processos internos Etapa 3: venda de produtos (transporte e distribuição) Etapa 4: uso de produtos e descarte de embalagens Natura Cosméticos – Relatório Anual 2008 – Página 8 Exemplo: Cadeia de Valor Natura

46 45 Gerenciando impactos na cadeia de valor Dole Dole - Produtos orgânicos com número de registro que permite ao consumidor o rastreamento da cadeia produtiva desde o plantio. Responsabilidade Socioambiental Paula Chies Schommer

47 46 Novas fontes de energia e eficiência no uso de recursos energéticos Energia de biomassa, eólica, solar, geotérmica, do mar, biodiesel, etanol Padrões produtivos e de consumo que reduzem consumo de energia Redução e reciclagem de resíduos e logística reversa Responsabilidade de consumidores e produtores no sentido de reutilizar, reduzir e reciclar resíduos Novos produtos, serviços e tecnologias Que atendam a novas necessidades sociais e ambientais, a novos padrões de consumo e a necessidades não atendidas de populações de baixa renda EcodesignProdutos projetados considerando critérios de consumo de energia na produção e no consumo de bens, como qualidade, durabilidade, modularidade, reciclabilidade, embalagem, vida útil Dos produtos aos serviçosExemplo da Interface (empresa de carpetes), que migrou da tradicional venda para o aluguel (leasing) de carpetes; AMD; GE Ecoimagination Selos verdes ou rótulos ambientais Selos ou rótulos em produtos comerciais, que asseguram que tais produtos foram produzidos sem explorar bens naturais de maneira degradante ou que seu uso, embalagem ou resíduo não causam malefícios ambientais Produção orgânica, permacultura, agricultura familiar Sistemas de produção orgânica e agricultura menos poluentes e mais adaptados às necessidades e recursos de cada região Comércio Justo (Fair Trade) Iniciativas que visam a garantir melhores condições socioeconômicas aos trabalhadores, por meio de lógica de comercialização mais justa, com preço mínimo garantido em toda a cadeia de valor Desafios sociais e ambientais como oportunidades para novas concepções de negócios Paula Chies Schommer

48 47 Negócios na base da pirâmide Stuart L. Hall Capitalism at the Crossroads: The Unlimited Business Opportunities in Solving the World´s Most Difficult Problems (2005) Brasil: Capitalismo na Encruzilhada (2006) C.K. Prahalad A Riqueza na Base da Pirâmide - Brasil (2005) Redução da pobreza e da desigualdade via mercado Responsabilidade Socioambiental Paula Chies Schommer

49 48 Arquitetura sustentável Sede do Serasa em São Paulo ecoeficiência – sistema de ar- condicionado inteligente, sensores nas torneiras, aproveitamento de luz natural, reuso de água, sistema de reciclagem. Ecohouse Urca – laje verde, ventilação cruzada, janelas redimensionadas para aproveitamento de energia natural, água reciclada e aproveitamento da água da chuva, aquecimento da água da casa é feito por energia solar, uso de madeira certificada na construção. Responsabilidade Socioambiental

50 Vidro espelhado Área de preservação (170 novas árvores nativas de Mata Atlântica). Muro de contenção com gabião Piso de concregrama Parede verdeRedução da altura do tetoIluminação Natural Loja Ecoeficiente – Wal-Mart Supercenter Granja Viana - SP

51 Loja Ecoeficiente – Wal-Mart Conservação de Água 6.1 Reuso de água da chuva nos banheiros e nos jardins 6.2 Faucets com sensores de movimento 6.3 Fluxo de água com ar pressurizado para minimizar o volume de água 6.4 Menor utilização de água nos Mictórios 6.5 Mictórios secos 7 Gerenciamento de Resíduos e Reciclagem 7.1 Gerenciamento de resíduos durante a construção 7.2 Estações de Coleta e Central de Resíduos 7.3 Uso de madeira certificada 7.4 Gerenciamento de resíduos - clientes 7.5 Gerenciamento de resíduos - operacional 8 Paisagismo 8.1 Paisagem com árvores adultas 8.2 Vagas especiais para "carpooling" 8.3 Vagas especiais para bicicletas 8.4 Plantar árvores para ajudar a neutralizar as emissões de CO2 8.5 Pavimento de concreto/grama 8.6 Manutenção das árvores existentes 9 Treinamento e Educação 9.1 Treinamento para os responsáveis e para a equipe operacional 9.2 Workshops para os clientes 9.3 Comunicação visual das iniciativas Seleção de materiais orgânicos e reciclados 4.1 Madeira certificada 4.2 Tinta á base de água 4.3 Chão de concreto exposto 4.4 Portas flexíveis feitas de material reciclado 4.5 Uso de gabião 4.6 Vidros reciclados 4.7 Drywall reciclado 1 Sistema de Energia Renovável 1.1 Turbina eólica 1.2 Fonte de energia fotovoltaica 2 Eficiência em Energia 2.1 Sensores de movimento nos escritórios administrativos 2.2 Sistema completo de gerenciamento de energia 2.3 Aquecedores solares (painéis) 2.4 Cabos de baixa emissão de gases 2.5 Iluminação T5 no estacionamento e subsolo. 2.6 Iuminação T5 Lighting at administratives Areas (offices) 2.7 7% de redução do nivel de iluminação 2.8 Iluminação LED nos backlights 2.9 Iluminação LED nas portas de refrigeradores 2.10 Ceras especiais no piso de vendas para refletir iluminação 10 Prédio Eficiente 10.1 Construção de elevações progressivas 10.2 Redução da altura das lojas 10.3 Uso de vidros reflexivos 10.4 redução do uso de vidros 10.5 Iluminação zenital mais eficiente 10.6 Teto verde Sistema de Refrigeração 3.1 Painéis de espuma 3.2 Piso isolante 3.3 Portas dos refirgeradores e freezers com fechamento automático 3.4 Reaproveimento da água quente do Rack House 3.5 RTU's mais eficientes 3.6 Sistema paralelo com Glicolpropileno 3.7 Sistema de protocolo 3.8 redução de espaço nos refrigeradores, freezers e salas de preparação 3.9 Sistema de refrigeração CO Armazenamento de Água da Chuva 5.1 Concreto poroso nas áreas de circulação e calçadas 5.2 Área de retenção 5.2 Tanque de retenção 6

52 51 Paula Chies Schommer - Nov 2009 Novos produtos e comportamentos ElectroluxLT60 Electrolux - modelo LT60. A máquina de lavar suporta até 6kg de roupas, tem 3 níveis de água e conta com um sistema de reaproveitamento da água do último enxágüe, que se pode usar para regar as plantas, dar a descarga ou lavar o quintal. Responsabilidade Socioambiental

53 Celular Verde – Motorola (MOTOTM W233 Eco) -25% da estrutura externa feita com plástico reciclado de garrafas - kit do aparelho é 100% reciclável; embalagem e manual com papel reciclado -Bateria com maior vida útil e com até nove horas de conversação - 1º do mundo com certificado CarbonFree (parceria com a Carbonfund.org, o carbono emitido na fabricação e na distribuição e uso do celular será compensado com investimentos em projetos de preservação, reflorestamento e energia renovável -No Brasil, os recursos serão destinados para um programa de tratamento de água, em Vargem Bonita (SC). Fonte: Acesso 25 Março Responsabilidade Socioambiental

54 A brasileira Itautec desenvolveu computadores compatíveis com a diretriz européia RoHS, que prevê a não utilização de metais como chumbo e cádmio na fabricação. A USP decidiu adotar critérios de sustentabilidade na substituição de seus equipamentos e comprou da Itautec, concedendo um selo verde aos produtos. Fonte: Acesso em 22 Abr Responsabilidade Socioambiental

55 Caixa Ecológico - Supermercado Festval Barigüi, Curitiba A idéia do projeto de mestrado da designer Dulce Albach, funciona como um caixa comum, com a diferença de que possui um contêiner para a pessoa já deixar ali mesmo as embalagens que jogaria no lixo ao chegar em casa. Depois, o material é encaminhado para reciclagem e a receita doada para uma organização. Caixa Ecológico - Supermercado Festval Barigüi, Curitiba A idéia do projeto de mestrado da designer Dulce Albach, funciona como um caixa comum, com a diferença de que possui um contêiner para a pessoa já deixar ali mesmo as embalagens que jogaria no lixo ao chegar em casa. Depois, o material é encaminhado para reciclagem e a receita doada para uma organização. Fontes: Revista Vida Simples – Embalado para o futuro Responsabilidade Socioambiental

56 Sacola Oxi-Biodegradável- plástico que se decompõe em 18 meses Sacola Oxi-Biodegradável- plástico que se decompõe em 18 meses Fonte: Responsabilidade Socioambiental

57 Água de 5L - reduziu 8g de plástico por garrafa. - Economia de 39,94 kg de pet por caminhão; - Economia de garrafas de pet por ano. Embalagens – Wal Mart Embalagem impressa em sistema (reduz o consumo de energia e elimina o uso de solventes – evitando o efeito estufa) Embalagens com certificado FSC (Forest Stewardship Council). Impressão feita em gráfica certificada. 4t a menos de C0 2 equivalente Responsabilidade Socioambiental

58 Embalagens sustentáveis Plástico feito cana-de-açúcar – Brasken Isopor feito de fécula de mandioca e de milho, e casca de laranja com CO2 Revista Dinheiro Rural de julho de 2007 Responsabilidade Socioambiental

59 Resina Ecobrás Resina Ecobrás feita de milho - Basf garrafas feitas de milho, substituindo o plástico – Belu Embalagens sustentáveis Responsabilidade Socioambiental

60 59 É possível combinar a visão de longo prazo da perspectiva sustentável com a visão de curto prazo da lógica do mercado? Como alinhar sustentabilidade e competitividade? É possível um capitalismo sustentável, que preserva recursos disponíveis e, ao mesmo tempo, incentiva o consumismo? Seriam suficientes reformas graduais, ou precisamos de revoluções? Ou ambas? Algumas perguntas... Responsabilidade Socioambiental Paula Chies Schommer

61 60 Natureza das empresas e do sistema na qual estão inseridas: foco no lucro e eficiência Responsabilidade socioambiental ainda é secundário para muitas empresas Crença de que o papel central na área social não é das empresas Ninguém quer ser o responsável pela definição de novos padrões (colocar a cabeça à frente do grupo) Pouco poder de pressão da sociedade sobre as empresas A maioria das empresas ainda prioriza a filantropia Alguns dilemas da ação empresarial Responsabilidade Socioambiental Paula Chies Schommer

62 61 Vídeo – TED – Chimamanda Adichie O perigo da história única adichie_the_danger_of_a_single_story.html Responsabilidade Socioambiental Paula Chies Schommer

63 62 Guarda-chuva da RSE Fonte: GIFE Paula Chies Schommer

64 63 Investimento social privado: doações filantrópicas compartilhando capacidade gerencial e técnica programas de voluntariado empresarial iniciativas de marketing social apoiando iniciativas de desenvolvimento comunitário Atuando em parceria com governos, ONGs, outras empresas, em torno de desafios compartilhados Responsabilidade Socioambiental Paula Chies Schommer

65 64 Tipos de Investimento Social Privado Investimento social corporativo Investimento social comunitário Investimento social familiar Venture philanthropy Diaspora philanthropy Social investment funds Responsabilidade Socioambiental Paula Chies Schommer

66 65 IPEA – Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada – RegiãoMontante Investido*Montante / PIB Sudeste5,7 bilhões3,3 bilhões0,660,34 Nordeste406,6 milhões537 milhões0,200,22 Sul500 milhões562,7 milhões0,19 Centro-Oeste184 milhões240,8 milhões0,160,18 Norte75 milhões93,8 milhões0,100,11 Brasil6,9 bilhões4,7 bilhões0,430,27 Gasto Social em Ações para a Comunidade - INPC Em valores constantes de Deflacionado pelo INPC médio anual. Fonte: IPEA/Pesquisa Ação Social das Empresas, 2006

67 66 GIFE – GRUPO DE INSTITUTOS, FUNDAÇÕES E EMPRESAS Estágios da Gestão do Investimento Social Privado Ao longo de seu envolvimento com a área social, as empresas costumam passar por diferentes fases. Atualmente, apesar do discurso na área privada já estar bastante profissional, a prática ainda se aproxima mais das fases 1 e 2 Este modelo deve ser entendido como a descrição de tipos ideais – não se espera que sejam encontrados perfeitamente na observação de situações reais A seguir vem uma breve descrição de cada fase. Por último, mostra-se um detalhamento das principais dimensões e indicadores que devem ser observados ao se entender quais os estágios que melhor descrevem o momento da organização estudada

68 nesta fase, as organizações geralmente se envolvem por decisão pessoal do fundador ou dos diretores, atuando de forma pouco estruturada (campanhas esporádicas, doações eventuais, reagindo a demandas da comunidade) à medida que o envolvimento aumenta, é comum a empresa começar a financiar e/ou desenvolver diversos projetos, nas mais diversas áreas, sem se preocupar se fazem sentido entre si ou se estão alinhados com a empresa essa fase é caracterizada pela busca de foco, em geral como resultado de algumas perguntas fundamentais: qual o sentido do que estamos fazendo? que resultados os projetos estão alcançando? como podemos melhorar nossa ação nessa área? se os meses de busca derem resultado, inicia-se uma ação social mais estruturada, com clareza dos objetivos e das estratégias para atingi-los. É muitas vezes nesse momento em que se criam ou se reestruturam institutos / fundações algumas poucas organizações chegam a este último estágio, passando a se preocupar com a questão de escala: como ampliar o impacto da ação desenvolvida? como beneficiar, além da comunidade local, o sistema público como um todo? GESTÃO DO ISP

69 Estrutura Decisóriapersonalista / não-estruturadaorganizada, governança estruturada Planejamento e Plano de Açãoreativo, modelos mentais não-sociaisplanej. estratégico, ações organiz. Recursos (humanos, financeiros)voluntarismo, não regularquadros técnicos, sustentabilidade Alinhamento com a empresanenhumalinhamento estratégico Relacionamentos Externos reativo, desconhecimentoplanejado, integrado e coerente (comunicação, parcerias, comunidade)com a ação social Definição do programacriatividade ingênuabusca por modelos de referência Execução / Acompanhamento ou faz tudo ou acompanha de longeatenção ao o processo Avaliaçãose faz, é primitivafoco em processo e resultado Para os beneficiáriosminoração dos problemas/ sintomascausas / emancipação Para a empresa / organizaçãosatisfação pessoal do líderretorno positivo e educação social, boa influência na cultura da empresa Impacto desejadomelhoria local, pontualescala, mudança de sistema DIMENSÃO DOS PROCESSOS DIMENSÃO DOS RESULTADOS

70 69 Temos muitos problemas, mas possuímos todos os recursos para resolvê-los. É preciso vontade política de fazer esta escolha. Pelo poder que concentram, empresas não podem ficar fora da discussão e das ações Estratégia das duas cenouras Paula Chies Schommer

71 70 A questão principal não é a tecnologia, mas a política. O grande desafio do século XXI é o da mudança do sistema de valores que está por trás da economia global, de modo a torná-lo compatível com as exigências da dignidade humana e da sustentabilidade ecológica. Fonte: (Capra, 2002, pg. 268) Paula Chies Schommer

72 ... a realidade não se reduz ao que existe. A realidade é um campo de possibilidades em que têm cabimento alternativas que foram marginalizadas ou que nem sequer foram tentadas (Santos e Rodríguez, 2002:25) Ampliação do espectro do possível Práticas suficientemente utópicas para desafiar o status quo e suficientemente viáveis para não serem descartadas 71 Paula Chies Schommer Responsabilidade Socioambiental

73 Paula Chies Schommer 72


Carregar ppt "Gestão da Responsabilidade Socioambiental Paula Chies Schommer Set 2011 SUSTENTABILIDADE Fonte figura: Projeto Sigma."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google