A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Apresentar conceitos básicos dos fatores de riscos físicos de maior prevalência nos ambientes de trabalho Analisar alguns aspectos da legislação brasileira.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Apresentar conceitos básicos dos fatores de riscos físicos de maior prevalência nos ambientes de trabalho Analisar alguns aspectos da legislação brasileira."— Transcrição da apresentação:

1

2

3 Apresentar conceitos básicos dos fatores de riscos físicos de maior prevalência nos ambientes de trabalho Analisar alguns aspectos da legislação brasileira atual Apresentar as principais conseqüências para a saúde das exposições a esses fatores de risco Discutir aspectos gerais do diagnóstico dos agravos à saúde Apresentar as bases da prevenção

4 FENÔMENO FÍSICO VIBRATÓRIO AUDÍVEL: freqüência (ciclos/seg ou Hertz) intensidade (Newton/m 2 ou Bell ou decibel) comprimento de onda quantidade de energia agudo/grave CONJUNTO DE SONS QUE : possui freqüências desarmônicas apresenta geralmente intensidade elevada produz sensação desagradável perturba: trabalho, descanso, sono, comunicação...

5 CONTÍNUO: pressão sonora elevada, podendo ou não oscilar ininterrupto, como em fiações e tecelagens intermitente, quando há momentos de diminuição acentuada, quando as máquinas ruidosas estão desligadas. DE IMPACTO: picos de energia acústica com duração menor do que um segundo intervalos entre os picos maiores do que um segundo.

6 30 dB - voz sussurrada 40 dB - residência em zona urbana pouco ruidosa 80 dB – zona urbana com elevada circulação de veículos 85 dB – limite de tolerância p/ jornada de 8h (Anexo 1 da NR-15) 110 a 120 dB: prensas, perfuratrizes, martelos pneumáticos, serras circulares limiar da dor arremesso de mísseis Extração de granito

7 85 Nível de ruído em dB(A) Tempo máximo de exposição 8 horas 90 4 horas 95 2 horas hora 105 meia hora minutos

8 16 20 mil muito graves muito agudos FREQÜÊNCIA em ciclos/seg. ou Hertz em ciclos/seg. ou HertzINTENSIDADE em Bell, Newton/m 2 ou Pascal em Bell, Newton/m 2 ou Pascal 140 dB 0 dB N/m 2 ESCALAESCALA LOGARÍTMICALOGARÍTMICA E mínima E

9 APARELHO CARDIOCIRCULATÓRIO: hipertensão, isquemia miocárdica, ateroma APARELHO DIGESTIVO: hipercloridria, aumento da motilidade gástrica, espasmo da musculatura lisa APARELHO ENDÓCRINO : da secreção de corticosteróides APARELHO NEUROPSÍQUICO: somatizações, alterações neuro- vegetativas, irritabilidade, insônia... ALTERAÇÕES VISUAIS DISTÚRBIOS PSICO-AFETIVOS

10 VIII par martelo bigorna Estri- bo membrana timpânica janela redonda janela oval meato acústico externo cóclea órgão de Corti tuba auditiva endolinfa canais semicirculares

11 TEMPORÁRIOS: Elevação temporária do limiar auditivo (hipoacusia transitória) Prejuízo na discriminação da fala Tonturas, vertigens Zumbidos

12 Após 2 horas de exposição a ruído contínuo de 103 dB(A)

13 Diminuição gradual da acuidade auditiva decorrente da exposição continuada a níveis elevados de pressão sonora Brasil, 2002

14

15 Período assintomático (anos ou sempre) SINTOMAS: dificuldade na discriminação da fala, dificuldade para localizar fontes sonoras zumbidos diminuição da acuidade auditiva para sons agudos evolução progressiva para surdez Norma Rae

16 História de exposição ocupacional ao ruído Neurossensorial (lesão do órgão de Corti) Bilateralidade Simetria Irreversibilidade Perdas iniciais entre 3000 e 6000 Hz (4000 Hz) Progressão com o tempo de exposição ao ruído Progressão é interrompida quando cessa a exposição

17 EXPOSIÇÃO OCUPACIONAIS A solventes fumos metálicos asfixiantes vibrações calor PREDISPONENTES INDIVÍDUAIS Alterações metabólicas Infecções Idade Medicamentos ototóxicos História familiar de surdez

18

19 Anamnese clínica Anamnese ocupacional Exame físico, incluindo otoscopia Avaliação audiológica: audiometria limiar tonal Testes complementares, se necessário Avaliação do otorrinolaringologista, se necessário

20 Informar o trabalhador e familiares Afastar da exposição Examinar os expostos Notificar Emitir a comunicação de acidente do trabalho (CAT) Orientar o empregador eliminar ou controlar o ruído SUSPEITA OU CONFIRMAÇÃO DA RELAÇÃO COM O TRABALHO

21 Repouso acústico prévio de, pelo menos, 14 horas Cabine isolada acusticamente (calibração) Estimulação com tons puros nas freqüências de: 1.000, 2.000, 3.000, 4.000, 6.000, 8.000, 500 e 250 Hz Intensidades decrescentes (para cada uma das freqüências) Transmissão aérea Transmissão aérea alterada pesquisar via óssea.

22

23 VIGILÂNCIA DE AMBIENTES VIGILÂNCIA DAS CONDIÇÕES DE TRABALHO VIGILÂNCIA DA SAÚDE DO TRABALHADOR

24

25 Substituição de processos Modificação de máquinas e equipamentos diminuição da vibração, alterações de engrenagens, diminuição de choques... Manutenção adequada de máquinas e equipamentos lubrificação, balanceamento, regulagem...

26 Segregar / enclausurar Instalar barreiras Forrar com materiais absorventes Ancorar Instalar suportes anti-vibratórios. Limitar tempo de exposição Utilizar protetor auricular Efetuar controle médico – audiometria limiar tonal

27 NÃO EXISTE! PREVENÇÃO

28 172 trabalhadores 122 examinados Audiogramas normais: 63 Audiogramas alterados: 59 PAIR = 39 CASOS 32% Witzler e Binder,

29 população sabidamente exposta ao ruído sem acompanhamento médico; número elevado de trabalhadores com perdas auditivas, desconhecendo essas perdas; trabalhadores com perdas auditivas suspeitas ou sugestivas de PAIR sem afastamento da exposição. EM BOTUCATU, MICRO E PEQUENAS PROCESSADORAS DE MADEIRA ESTÃO À MARGEM DAS AÇÕES DE SAÚDE DO TRABALHADOR.


Carregar ppt "Apresentar conceitos básicos dos fatores de riscos físicos de maior prevalência nos ambientes de trabalho Analisar alguns aspectos da legislação brasileira."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google