A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

A grande epidemia deste milênio Prof. Dr. Natalino Salgado Filho Serviço de Nefrologia do Hospital Universitário - UFMA 04/2006 Prof. Dr. Natalino Salgado.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "A grande epidemia deste milênio Prof. Dr. Natalino Salgado Filho Serviço de Nefrologia do Hospital Universitário - UFMA 04/2006 Prof. Dr. Natalino Salgado."— Transcrição da apresentação:

1 A grande epidemia deste milênio Prof. Dr. Natalino Salgado Filho Serviço de Nefrologia do Hospital Universitário - UFMA 04/2006 Prof. Dr. Natalino Salgado Filho Serviço de Nefrologia do Hospital Universitário - UFMA 04/2006

2 Chronic kidney diseases and vascular diseases will kill 36 million people by the year 2015 Support World Kidney Day and help save them www.worldkidneyday.org/index.html International Society of Nephrology (ISN) and the International Federation of Kidney Foundations (IFKF)

3

4 Relevância Insuficiência Renal Crônica 1,4 a 1,8 milhões de brasileiros com DRC. 60.000 pacientes mantidos em diálise 25.000 pacientes transplantados renais Reduzida qualidade de vida Gastos de 1,4 bilhões de reais a cada ano.

5 Patients per million population Prevalence rates per million population for treated ESRD by year. Friedrich K. Port Kidney Int. 1994. Prevalence rates per million population for treated ESRD by year. Friedrich K. Port Kidney Int. 1994.

6

7

8 ROBERT C ATKINS, KI. Vol. 67 S94(2005) Incidence of Diabetes in E.S.R.F Australia 1980 - 2000 Incidence of Diabetes in E.S.R.F Australia 1980 - 2000 Year of Entry Number of Diabetics Number of New Patients

9

10

11

12

13

14 INSUFICIÊNCIA RENAL CRÔNICA Diagnóstico da Doença Renal Diagnóstico 1987 1997 2005 Glomerulonefrite Crônica36,5% 27,5% 13,0% N.T.I.C. / P.N.C.16,5% 11,0% 9,0% Nefroesclerose10,8% 16,8% 27,1% Diabetes Mellitus 8,1% 13,0% 22,3% D. Renal Policística 6,7% 3,0% 5,4% Nefropatia Lúpica 4,7% 1,3% 2,1% Outros 1,7% 4,6% 12,1% Indeterminado 15,0% 22,8% 9,0% Sabbaga E. 1987 Sec. Saúde SP, 1997 Romão Jr JE, 2004

15 0 10000 20000 30000 40000 50000 60000 2000 200120022003 24092540 2812 2785 46557 48806 54523 58464 DRC DIALÍTICA NO BRASIL Pts em TRS Nefrologistas Romão Jr. SBN, 2004

16

17 Fonte: Ministério da Saúde Secretaria de Assistência à Saúde Departamento de Controle e Avaliação de Sistemas 2006 Fonte: Ministério da Saúde Secretaria de Assistência à Saúde Departamento de Controle e Avaliação de Sistemas 2006

18 Fonte: Ministério da Saúde Secretaria de Assistência à Saúde Departamento de Controle e Avaliação de Sistemas 2006 Fonte: Ministério da Saúde Secretaria de Assistência à Saúde Departamento de Controle e Avaliação de Sistemas 2006

19

20 DOENÇA RENAL CRÔNICA ATÉ O MOMENTO, NÃO EXISTEM DADOS SOBRE A PREVALÊNCIA DA DRC EM SEUS DIFERENTES ESTÁGIOS NO BRASIL

21 DRC: PROBLEMA DRC NO BRASIL ( 7% / ano) 0 10.000 20.000 30.000 40.000 50.000 60.000 70.000 19942004 No. de pacientes em TSR Romão Jr JE. SBN, 2004

22 % <1515-2930-60>60 EUA (n= 1.120.295 Pts) Juiz de Fora (n= 7549 Pts) 0,1 0,4 0,6 1,1 16,7 20 82,5 78,5 0 10 20 30 40 50 60 70 80 90 Filtração Glomerular (mL/min/1,73 m 2 ) * Pinto P e cols. JBN (aceito para publicação) ** Go AS e cols. NEJM 2004;351:1296-305 PREVALÊNCIA DA DRC EM JUIZ DE FORA E NOS EUA

23 DOENÇA RENAL CRÔNICA NHANES III: 1 Pt em TRS 28 Pts com FG entre 15-59 mL/min/1,73 m 2 BRASIL: 58.464 Pts em Diálise 1.636.992 Pts (estágios 3 e 4 da DRC)

24

25

26 Diálise no Brasil Mortalidade em Hemodiálise Japão 9,7% Chile13,4% Europa14,8% Uruguai15,9% Brasil16,1% Venezuela21,1% Am. Latina21,1% Argentina21,3% Estados Unidos22,3% África do Sul25,9%

27 LESÃO RENAL COM FG NORMAL LESÃO RENAL COM FG LIGEIRAMENTE DIMINUÍDA LESÃO RENAL COM FG MODERADAMENTE DIMINUÍDA LESÃO RENAL COM FG SEVERAMENTE DIMINUÍDO FALÊNCIA RENAL ESTÁGIOS V IV III II I FG (mL/mi/1,73 m 2 ) <15 15-29 30-59 60-90 >90 DOENÇA RENAL CRÔNICA AJKD, 39 (2), Suppl 1, 2002

28 1 2 - leve 3 – moderada 4 – severa 5 - IRCT

29 Índice de Envelhecimento da População Brasileira - IBGE 198019912000 10,4913,9019,77

30 População Brasileira 174.261.553 hab. 14.536.034 idosos www.ibge.org.br - censo demográfico 2000. 177.852.731 – 08/12/03 população estimada

31 Hoy, WE et al – Kidney Int 2003;63:S31-S37

32 Riscos de Doença Renal Crônica Diabéticos Hipertensos Indivíduos acima de 60 anos Indivíduos com história familiar de DRC Indivíduos com Doença Autoimune Indivíduos com Infecção Sistêmica Indivíduos expostos a substâncias tóxicas Indivíduos com redução de massa renal Alguns casos de Insuficiência Renal Aguda K/DOQI 2002

33 Distribuição Etária dos Pacientes em TRS %

34 Custo Anual do Tratamento da Insuficiência Renal Crônica Terminal (Homens Brancos - 1998) IdadeCusto 20 anosU$ 26.753,00 45 anosU$ 36.178,00 65 anosU$ 49.582,00 > 75 anosU$ 53.962,00 Kiberd, BA e Clase, CM – JASN 2002;13:1635-1644.

35 Sociedade Brasileira de Nefrologia Depto de Nefrologia da Associação Médica Brasileira Médicos no Brasil 240.859 Nefrologistas 2.785 Serviços Cadastrados 575 Especialistas em Nefrologia1.021 ~1%

36 Serviços de Nefrologia no Brasil 1999-2004

37 Perda da Função Renal progressiva insidiosa inexorável Insuficiência Renal Crônica

38 ESTIMA-SE QUE CERCA DE 50% DOS Pts. COM DRC NÃO TEM ACESSO À TRS DOENÇA RENAL CRÔNICA

39 A Magnitude do Problema Prevalência elevada das patologias que levam à doença renal Possibilidade de intervenção na história natural da doença renal mediante a melhoria da atenção à saúde em todos os níveis de atendimento Gastos cada vez mais elevados com tratamento das doenças renais Escassez de estudos mais aprofundados sobre a situação epidemiológica nacional da doença renal Múltiplos interesses econômicos de prestadores, fabricantes de equipamentos de máquinas e insumos. Prevalência elevada das patologias que levam à doença renal Possibilidade de intervenção na história natural da doença renal mediante a melhoria da atenção à saúde em todos os níveis de atendimento Gastos cada vez mais elevados com tratamento das doenças renais Escassez de estudos mais aprofundados sobre a situação epidemiológica nacional da doença renal Múltiplos interesses econômicos de prestadores, fabricantes de equipamentos de máquinas e insumos. Fonte: Política Nacional de Atenção ao Portador de Doença Renal Ministério da Saúde/ Sociedade Brasileira de Nefrologia Fonte: Política Nacional de Atenção ao Portador de Doença Renal Ministério da Saúde/ Sociedade Brasileira de Nefrologia

40

41

42

43 Obrigado!


Carregar ppt "A grande epidemia deste milênio Prof. Dr. Natalino Salgado Filho Serviço de Nefrologia do Hospital Universitário - UFMA 04/2006 Prof. Dr. Natalino Salgado."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google