A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Integração econômica internacional.. Numa análise econômica, estes processos, em seu paralelismo, não têm as semelhanças concorrentes que os juristas.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Integração econômica internacional.. Numa análise econômica, estes processos, em seu paralelismo, não têm as semelhanças concorrentes que os juristas."— Transcrição da apresentação:

1 Integração econômica internacional.

2 Numa análise econômica, estes processos, em seu paralelismo, não têm as semelhanças concorrentes que os juristas procuram lhes imprimir. São distintos quanto à forma e aos objetivos, portanto diferem nos resultados econômicos. São fenômenos econômicos, não jurídicos, que comportam uma infinidade de variáveis, imponderáveis senão quando delimitados os elementos de análise.

3 Nesta perspectiva, o papel do Direito na teoria da integração econômica está inserido na regulação dos fatores de produção, dos quais lança-se mão para as análises de cada um dos processos. Assim, as leis e regulamentos são apenas as molduras de um processo que se explica economicamente, não em linhas jurídicas, pois seu resultado é um "produto", não "regras de institucionalização" que exteriorizam a forma econômica eleita para o processo.

4 Nossa proposta, portanto, é apresentar, em linhas gerais, um significado jurídico para estes processos essencialmente econômicos de integração, afastando-nos da equivocada análise comparativa institucional, que procura dar vestes jurídicas a um fenômeno, como se disse, essencialmente econômico.

5 Deste modo, dividir-se-á este estudo em cinco capítulos, comportando cada qual subdivisões para melhor tratamento do tema "integração econômica internacional". O capítulo primeiro tratará da localização do tema no âmbito da teoria das organizações internacionais, matéria de direito internacional público.

6 Integração política no Brasil

7 O renovado interesse latino-americano pela integração econômica regional, a partir da segunda metade dos anos 80, surge diante de um contexto marcado pelo esgotamento do modelo de desenvolvimento baseado na substituição de importações e pela ocorrência de grandes transformações no cenário internacional, com destaque para o avanço do processo de globalização; a lentidão nas negociações no âmbito do GATT/OMC; e a formação dos grandes blocos regionais.

8 É interessante observar que apesar da integração econômica surgir como sendo um instrumento comum aos países latino-americanos no enfrentamento dos novos desafios, as iniciativas de integração adotadas pelos países da região não seguiram as mesmas estratégias.

9 Esta diferença de estratégias de integração econômica nos remete a três questões básicas: 1. Quais foram os motivos que levaram os países a buscarem a integração econômica? 2. Por que os países adotaram estratégias diferentes de integração? 3. Quais foram os principais resultados obtidos em cada estratégia?

10 As estratégias de integração do Brasil

11 A estratégia de integração econômica adotada pelo Brasil (vide tabela 1) teve como principal objetivo a formação e consolidação do Mercosul e o estabelecimento de três principais frentes de negociação, que envolvem as negociações com os Estados Unidos para a formação da ALCA (Área de Livre Comércio das Américas); as negociações com a União Européia para a criação de uma associação inter-regional de cooperação entre os dois blocos; e as negociações com os países da região para o estabelecimento de Acordos de Complementação Econômica (ACE).

12 Samara, 27 8° A

13 Letícia, 13 8°A

14 Bárbara, 34 8° A

15 Fim


Carregar ppt "Integração econômica internacional.. Numa análise econômica, estes processos, em seu paralelismo, não têm as semelhanças concorrentes que os juristas."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google