A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Fatores determinantes do clima. Objetivos Determinar a diferença existente entre clima e tempo. Determinar a diferença existente entre clima e tempo.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Fatores determinantes do clima. Objetivos Determinar a diferença existente entre clima e tempo. Determinar a diferença existente entre clima e tempo."— Transcrição da apresentação:

1 Fatores determinantes do clima

2 Objetivos Determinar a diferença existente entre clima e tempo. Determinar a diferença existente entre clima e tempo. Salientar os fatores mais importantes que determinam o clima. Salientar os fatores mais importantes que determinam o clima. Diferentes tipos de chuva. Diferentes tipos de chuva.

3

4

5 Diferença entre clima e tempo Tempo representa o momento, ou seja, reflete as condições atmosféricas de um determinado instante. Ex: Hoje o tempo esta chuvoso. Tempo representa o momento, ou seja, reflete as condições atmosféricas de um determinado instante. Ex: Hoje o tempo esta chuvoso. Clima representa algo dinâmico, mas duradouro.É considerado um conjunto de tempos, avaliados durante longo período.Ex: No Brasil, predomina o clima tropical. Clima representa algo dinâmico, mas duradouro.É considerado um conjunto de tempos, avaliados durante longo período.Ex: No Brasil, predomina o clima tropical. Em algumas áreas, o tempo é observado por 50 anos para se conseguir um perfil correto do clima.

6 Fatores determinantes do clima Entre os principais fatores e elementos determinantes das condições climáticas destacamos: Entre os principais fatores e elementos determinantes das condições climáticas destacamos: 1- Latitude. 2- Altitude. 3- Maritimidade/Continentalidade. 4-Correntes marítimas. 5-Massas de ar. A análise dos elementos climáticos é importante, destacando-se a temperatura, umidade, ventos e pressão atmosférica.

7 Latitude Devido a curvatura da superfície terrestre, os raios solares incidem de maneira diferente pelo planeta. Devido a curvatura da superfície terrestre, os raios solares incidem de maneira diferente pelo planeta. Áreas próximas a o Equador apresentam uma maior concentração de calor se comparadas aos pólos. Áreas próximas a o Equador apresentam uma maior concentração de calor se comparadas aos pólos. Quanto mais próximo da linha do Equador, menor a amplitude térmica e maior a média térmica.

8

9 LocalidadeAltitudeLatitude Média térmica anual Belo Horizonte 900M19º5521,8ºC São Lourenço 874M22º0718,2ºC São Paulo 800M23º3217,6ºC Palmas (PR) 1079M26º2915,2ºC

10 LocalidadeLatitude Amplitude térmica anual Belém (PA) 1º271,3ºC Manaus (AM) 3º061,9ºC Olinda (PE) 8º012,7ºC Sena Madureira (AC) 9º042,1ºC Vitória (ES) 20º195,0ºC Aquidauana (MS) 20º197,0ºC

11 Altitude Quanto maior a altitude, menor a temperatura. Quanto maior a altitude, menor a temperatura. A atmosfera é aquecida por radiação. A atmosfera é aquecida por radiação. Ao incidirem na superfície, os raios solares a aquecem e ela passa a irradiar calor à atmosfera. Portanto, um raio solar que seja refletido ou que atravesse a atmosfera, sem incidir na superfície ou em alguma partícula em suspensão, não altera em nada a temperatura. Ao incidirem na superfície, os raios solares a aquecem e ela passa a irradiar calor à atmosfera. Portanto, um raio solar que seja refletido ou que atravesse a atmosfera, sem incidir na superfície ou em alguma partícula em suspensão, não altera em nada a temperatura. Influência da Altitude nas médias de temperatura Influência da Altitude nas médias de temperatura Quanto maior a altitude, menos intensa é a radiação. Quanto maior a altitude, menos intensa é a radiação. A temperatura cai em média de 5ºC a 7ºC a cada Km.

12

13

14 Maritimidade/Continentalidade Fator referente ao posicionamento de uma localidade em relação ao sistema continente/oceano. Fator referente ao posicionamento de uma localidade em relação ao sistema continente/oceano. Quanto mais continental, menor seu gradiente de umidade e maior a amplitude térmica. Quanto mais continental, menor seu gradiente de umidade e maior a amplitude térmica. Grandes massas de água apresentam um fator regulador da temperatura, não deixando-a subir muito nem cair muito.

15 Correntes marítimas Destacamos duas subcorrentes derivadas da corrente Sul- Equatorial: Guianas e Brasil. Destacamos duas subcorrentes derivadas da corrente Sul- Equatorial: Guianas e Brasil. São correntes quentes. São correntes quentes. Pouca influência no clima do Brasil. Pouca influência no clima do Brasil. Grande influência em outras áreas do planeta. Grande influência em outras áreas do planeta. Água fria apresenta mais oxigênio e mais nutrientes e consequentemente mais peixes. Já a água quente apresenta poucos peixes, mas uma grande biodiversidade.

16 Curiosidade A corrente do Golfo é responsável pelas condições climáticas menos rigorosas em parte da Europa. A corrente do Golfo é responsável pelas condições climáticas menos rigorosas em parte da Europa. Trata-se de uma corrente quente. Trata-se de uma corrente quente. O aquecimento global pode diminuir a capacidade essa capacidade de regulação. O aquecimento global pode diminuir a capacidade essa capacidade de regulação. A corrente do Golfo é responsável pelo não congelamento do Canal da Mancha.

17

18 Corrente de Humboldt É uma corrente que percorre o oceano Pacífico. Foi assim denominada em homenagem ao naturalista alemão Alexander Von Humboldt, que a descobriu e estudou. É uma corrente que percorre o oceano Pacífico. Foi assim denominada em homenagem ao naturalista alemão Alexander Von Humboldt, que a descobriu e estudou. Nascendo perto da Antártica, ela é fria, com uma temperatura em torno de 8ºC, inferior à temperatura média do oceano na mesma latitude. A corrente de Humboldt acompanha as costas do Chile, Peru e do Equador, na América do Sul. Ricas em plâncton, suas águas atraem muitos peixes. Nascendo perto da Antártica, ela é fria, com uma temperatura em torno de 8ºC, inferior à temperatura média do oceano na mesma latitude. A corrente de Humboldt acompanha as costas do Chile, Peru e do Equador, na América do Sul. Ricas em plâncton, suas águas atraem muitos peixes.Antártica plâncton peixesAntártica plâncton peixes

19 Massas de ar Para entender algumas das características dos tipos de clima no Brasil, são importantes cinco massas principais: Para entender algumas das características dos tipos de clima no Brasil, são importantes cinco massas principais: Massa equatorial atlântica (MEA) - quente é úmida, domina a parte litorânea da Amazônia e do Nordeste. O centro de origem está próximo ao arquipélago dos Açores. Massa equatorial atlântica (MEA) - quente é úmida, domina a parte litorânea da Amazônia e do Nordeste. O centro de origem está próximo ao arquipélago dos Açores. Massa equatorial continental (MEC) - também quente e úmida. Com centro de origem na parte ocidental da Amazônia, domina sua porção noroeste durante o ano inteiro. Massa equatorial continental (MEC) - também quente e úmida. Com centro de origem na parte ocidental da Amazônia, domina sua porção noroeste durante o ano inteiro. Massa tropical continental (MTC) - quente e seca, origina-se na depressão do Chaco Paraguaio. Massa tropical continental (MTC) - quente e seca, origina-se na depressão do Chaco Paraguaio. Massa tropical atlântica (MTA) - quente e úmida atinge grande parte do litoral brasileiro. Massa tropical atlântica (MTA) - quente e úmida atinge grande parte do litoral brasileiro. Massa polar atlântica (MPA) - fria e úmida, forma-se nas porções do oceano atlântico próximo a Patagônia. Atua de forma mais intensa no inverno, provocando chuvas e declínio da temperatura. Pode chegar até a Amazônia fazendo surgir o fenômeno da friagem. Massa polar atlântica (MPA) - fria e úmida, forma-se nas porções do oceano atlântico próximo a Patagônia. Atua de forma mais intensa no inverno, provocando chuvas e declínio da temperatura. Pode chegar até a Amazônia fazendo surgir o fenômeno da friagem.

20 Curiosidades O fenômeno da friagem, é caracterizado pela queda brusca de temperatura no Norte da região Centro-Oeste e Amazônia Ocidental em função da entrada da MPA (massa polar atlântica) pela planícies interiores da América do Sul, no período do inverno. O fenômeno da friagem, é caracterizado pela queda brusca de temperatura no Norte da região Centro-Oeste e Amazônia Ocidental em função da entrada da MPA (massa polar atlântica) pela planícies interiores da América do Sul, no período do inverno. Essa mesma massa de ar é responsável pela maior concentração de chuvas no meio do ano no litoral nordestino. Essa mesma massa de ar é responsável pela maior concentração de chuvas no meio do ano no litoral nordestino.

21

22 Exemplo prático OSEC A "friagem" consiste na queda brusca da temperatura, na região amazônica. Sobre ela pode-se afirmar que: I - O relevo baixo, de planície, facilita a incursão de massas de ar frio que atingem a Amazônia. II - A massa de ar responsável pela ocorrência de friagem é a Tropical Atlântica. III - A friagem ocorre no inverno. De acordo com as afirmativas acima, assinale: a)se todas as afirmativas estiverem corretas b)II e III c)I e II d)I e III e)I A "friagem" consiste na queda brusca da temperatura, na região amazônica. Sobre ela pode-se afirmar que: I - O relevo baixo, de planície, facilita a incursão de massas de ar frio que atingem a Amazônia. II - A massa de ar responsável pela ocorrência de friagem é a Tropical Atlântica. III - A friagem ocorre no inverno. De acordo com as afirmativas acima, assinale: a)se todas as afirmativas estiverem corretas b)II e III c)I e II d)I e III e)I Alternativa D

23

24

25 Exemplo prático-Fuvest O deslocamento das massas de ar, que dão origem aos ventos, se fazem sempre: a)das áreas de temperaturas mais altas para as de temperatura mais baixa b)de oeste para leste c)das áreas mais úmidas para as mais secas d)das áreas mais elevadas para as mais baixas e)das áreas de alta pressão para as de baixa pressão O deslocamento das massas de ar, que dão origem aos ventos, se fazem sempre: a)das áreas de temperaturas mais altas para as de temperatura mais baixa b)de oeste para leste c)das áreas mais úmidas para as mais secas d)das áreas mais elevadas para as mais baixas e)das áreas de alta pressão para as de baixa pressão Alternativa E

26

27

28 Curiosidades Os equinócios representam igual distribuição de luminosidade nos dois hemisférios (23/set e 21/março). Os equinócios representam igual distribuição de luminosidade nos dois hemisférios (23/set e 21/março). Os solstícios são os momentos que ocorrem as maiores desigualdades na distribuição da luminosidade (21/junho e entre 21 e 22 de dezembro). Os solstícios são os momentos que ocorrem as maiores desigualdades na distribuição da luminosidade (21/junho e entre 21 e 22 de dezembro).

29 Precipitações A umidade que se condensa ou se solidifica forma as precipitações, que podem ser na forma de neve, granizo ou chuva. A umidade que se condensa ou se solidifica forma as precipitações, que podem ser na forma de neve, granizo ou chuva. O Brasil apresenta de maneira geral um território com bons índices pluviométricos. O Brasil apresenta de maneira geral um território com bons índices pluviométricos. Os maiores índices pluviométricos no Brasil, são encontrados na Serra do Mar (Itapanhaú-SP).

30 Chuva Frontal Trata-se do contato entre duas massas de ar: uma quente e outra fria. Trata-se do contato entre duas massas de ar: uma quente e outra fria. A área atingida e o volume da precipitação são relacionados a intensidade das massas. A área atingida e o volume da precipitação são relacionados a intensidade das massas.

31 Chuva de convecção Conhecidas como chuvas de verão. Conhecidas como chuvas de verão. Ligada a ascensão para camadas superiores da atmosfera de ar quente (leve) e umidade. Ligada a ascensão para camadas superiores da atmosfera de ar quente (leve) e umidade. Ao atingir camadas superiores, a temperatura diminui e o vapor se condensa em gotículas. Ao atingir camadas superiores, a temperatura diminui e o vapor se condensa em gotículas.

32 Chuvas orográficas Conhecida como chuva de relevo. Conhecida como chuva de relevo. Barreiras de relevo obrigam as massas de ar a galgar altitudes maiores, o que provoca queda de temperatura e a condensação do vapor. Barreiras de relevo obrigam as massas de ar a galgar altitudes maiores, o que provoca queda de temperatura e a condensação do vapor. Entre as áreas de ocorrência destacamos a Serra do Mar e o Planalto da Borborema.

33 Curiosidades A chuva de animais é um fenômeno meteorológico relativamente raro. A chuva de animais é um fenômeno meteorológico relativamente raro. Atingiu algumas cidades ao longo da história. Atingiu algumas cidades ao longo da história. Os animais que costumam cair do céu são peixes e rãs. Os animais que costumam cair do céu são peixes e rãs. Na maior parte das vezes, os animais estão encerrados em blocos de gelo.

34

35 Explicação para o fenômeno Mais recentemente, surgiu uma explicação científica do fenômeno, que envolve trombas de água. Os ventos que se acumulam são capazes de capturar objetos e animais, graças a uma combinação de depressão na tromba, e da força exercida pelos ventos dirigidos no seu sentido. Mais recentemente, surgiu uma explicação científica do fenômeno, que envolve trombas de água. Os ventos que se acumulam são capazes de capturar objetos e animais, graças a uma combinação de depressão na tromba, e da força exercida pelos ventos dirigidos no seu sentido. Em conseqüência, estas trombas, ou mesmo tornados, poderão transportar animais a alturas relativamente grandes, percorrendo grandes distâncias. Os ventos são capazes de recolher animais presentes numa área relativamente extensa, e deixam-nos cair, em massa e de maneira concentrada, sobre pontos localizados. Em conseqüência, estas trombas, ou mesmo tornados, poderão transportar animais a alturas relativamente grandes, percorrendo grandes distâncias. Os ventos são capazes de recolher animais presentes numa área relativamente extensa, e deixam-nos cair, em massa e de maneira concentrada, sobre pontos localizados.

36 Exemplo prático UFPI A dinâmica atmosférica sobre o espaço brasileiro está representada no esboço gráfico a seguir, tendo as letras A, B e C como símbolos indicativos das posições e trajetórias das principais massas de ar que atuam no Brasil. Essas massas são denominadas, respectivamente: A dinâmica atmosférica sobre o espaço brasileiro está representada no esboço gráfico a seguir, tendo as letras A, B e C como símbolos indicativos das posições e trajetórias das principais massas de ar que atuam no Brasil. Essas massas são denominadas, respectivamente:

37 Resolução A) polar atlântica, polar pacífica e equatorial continental. B) tropical atlântica, equatorial continental e tropical continental. C) equatorial continental, polar atlântica e polar ártica. D) equatorial continental, tropical atlântica e polar atlântica E) polar atlântica, tropical atlântica e polar continental A) polar atlântica, polar pacífica e equatorial continental. B) tropical atlântica, equatorial continental e tropical continental. C) equatorial continental, polar atlântica e polar ártica. D) equatorial continental, tropical atlântica e polar atlântica E) polar atlântica, tropical atlântica e polar continental Alternativa D

38

39

40

41

42

43

44

45

46

47

48


Carregar ppt "Fatores determinantes do clima. Objetivos Determinar a diferença existente entre clima e tempo. Determinar a diferença existente entre clima e tempo."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google