A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

A civilização grega Como a história da Europa começou? Quem era cidadão em Atenas? Avaliação Bimestral: capítulos 11, 12 e 13.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "A civilização grega Como a história da Europa começou? Quem era cidadão em Atenas? Avaliação Bimestral: capítulos 11, 12 e 13."— Transcrição da apresentação:

1 A civilização grega Como a história da Europa começou? Quem era cidadão em Atenas? Avaliação Bimestral: capítulos 11, 12 e 13.

2 Civilização cretense A civilização grega teve como núcleo de origem principal a Ilha de Creta. Carentes de terras para agricultura e sem recursos minerais, os cretenses tornaram-se um povo de navegadores e o comércio marítimo foi a sua grande atividade econômica. O palácio mais importante de Creta foi Cnossos, governada pelo rei Minos. ( + de 1500 salas ). Descoberto em 1894, porum arqueólogo inglês. Politeístas – cultuavam a Deusa-mãe, deusa da fecundidade. Os cultos eram ao ar livre. Adoravam as serpentes e os touros. Destaque para a intensa participação feminina na cultura cretense.

3 Fim da civilização cretense - minoica A unidade política básica da civilização cretense também foi a cidade-Estado. Por volta de 1400 a.C., Creta foi invadida pelos aqueus, submetendo a civilização minoica aos seus mandos. Uma erupção em Tera, perto da Ilha, leva a civilização ao fim.

4 Civilização Micênica Povos indo-europeus (aqueus, eólios e jônios) que assimilaram a cultura cretense e deram origem aos gregos. Micenas, principal cidade fundada pelos aqueus – exerceu liderança sobre as demais cidades.

5

6 Micênicos e minoicos disputavam o poder e o luxo da região. Após o desaparecimento da civilização minoica, os micênicos impuseram seu poder aos povos dominados pelos minoicos. Aumentaram o comércio marítimo. Guerrearam muito para conquistar territórios e riquezas. Os aqueus eram controlados pelo rei – que controlava a terra, o comércio. Existiam sacerdotes, juízes, nobres – estes viviam dentro do palácio.

7 Já, os agricultores e comerciantes viviam fora do palácio. Os aqueus deixaram muitos documentos para História. Registros: papiro / pergaminhos.

8 A invasão dórica e as genos A presença dórica, povo de alto desenvolvimento militar mas culturalmente primário, gerou um período conhecido como a Idade das Trevas. A arte e a escrita desapareceram, o artesanato decaiu. A produção agrícola passou a ser de subsistência. Movimento migratório gerou os genos. GENOS - Comunidades rurais, formadas por uma grande família que acreditava descender de um ancestral comum.

9 Pólis Após um longo período, as genos cresceram e se transformaram em pólis ou cidades estado. Com o crescimento da população as terras para agricultura tornam-se insuficiente, por isso as cidades gregas iniciam um processo de expansão e conquistam várias colônias, onde cultivam trigo e realizam comércio. Dentre as mais de 160 cidades-Estados gregas, destacaram-se duas Polis: Esparta e Atenas.

10 Esparta Após conquistarem a cidade de Micenas, os dórios fundaram Esparta. O sistema de governo espartano era um regime oligárquico (significa governo de poucos), isto é, as decisões eram tomadas pelo grupo minoritário dos esparciatas. A preocupação máxima das instituições espartanas era fazer de cada membro da classe dominante um militar permanente.

11 Classes sociais Esparta A sociedade de Esparta era formada por três segmentos sociais: Espartanos ou esparcíatas- camada social dominante, eram os descendentes dos dórios e que gozavam de todos os privilégios. Periecos- indivíduos livres mas cidadãos de segunda categoria, que eram submetidos à dominação política dos esparcíatas, dedicando- se ao artesanato e à exploração de pequenas propriedades agrícolas. Hilotas- escravos apropriados pelo Estado

12 Atenas Atenas foi fundada pelos jônios. A região, rodeada por montanhas, foi poupada da invasão dórica, um dos fatores do desenvolvimento da cidade. Seu solo era relativamente pouco fértil, o que fez com que Atenas desenvolvesse o comércio no Mediterrâneo, tornando-se importante pólo econômico.

13 Democracia Inicialmente os eupátridas, classe privilegiada, controlava o poder político. Aos poucos, foi se estabelecendo a democracia, um sistema político onde todos os cidadãos podem decidir sobre os assuntos que interessam à comunidade e eleger seus governantes. Em Atenas, originariamente eram considerados como cidadãos somente os filhos de pai e mãe atenienses. Os metecos (estrangeiros), os escravos e as mulheres não dispunham de quaisquer direitos de cidadania.

14 Histórico da democracia em Atenas Inicialmente era governada por um rei. Aos poucos, a aristocracia torna-se mais poderosa do que o rei. Aumento do comércio fez com que a riqueza fosse distribuída para indivíduos de fora das elites, que passaram a exigir maior participação na vida política das cidade. Assembléias: Ekklésia assembléia popular que escolhia os magistrados. Boulé- conselho de 500 membros escolhidos pela Ekklésia, elabora as leis votadas na assembléia popular. Democracia ateniense é direta. Democracia atual é indireta ou representativa.

15 Guerras Médicas. No século V a.C. o Império Persa promoveu ataques contra as cidades gregas O rei persa, Dario I, descontente com a revolta das cidades gregas decidiu enviar seu exército como ação punitiva. Os persas foram derrotados duas vezes, mas os gregos sabiam que a qualquer momento uma nova tentativa de invasão poderia acontecer. Precavidos, os gregos resolvem se organizar para impedir um novo ataque persa. A cidade de Atenas se coloca então na liderança e cria a Liga de Delos.

16 Liga de Delos Como integrantes da Liga, as cidades se comprometiam a realizar contribuições anuais e fornecer homens e barcos em casos de batalhas. O principal objetivo da Confederação de Delos era a defesa das cidades gregas de uma nova invasão persa, mas esta demorou acontecer. Atenas, administrava todas as contribuições e as riquezas da Confederação de Delos. Com o tempo, Atenas passou a utilizar a Confederação de Delos em benefício próprio. Péricles, governante de Atenas, usou o dinheiro da Liga para promover obras de embelezamento de sua cidade e transformá-la em um grande império marítimo e comercial. Atenas modernizou-se e prosperou de tal forma que estabeleceu sua hegemonia no mundo grego.

17

18 Guerra do Peloponeso Atenas se tornou a cidade hegemônica na Grécia e em determinado momento passou a não permitir que as cidades saíssem da Liga de Delos. Já no século IV a.C os atenienses transformaram a contribuição das cidades gregas em impostos. Tal atitude gerou indignação de outras cidades, especialmente Esparta. Esta organizou outra liga, a Liga do Peloponeso, reunindo as cidades que contestavam o poderio de Atenas. O confronto entre as duas Ligas foi inevitável, como Esparta era uma cidade mais ligada à militarização, a hegemonia de Atenas chegou ao fim.

19 Novos conflitos O domínio espartano não durou muito. Trinta anos depois, Esparta foi derrotada pela cidade de Tebas. As guerras constantes enfraqueceram as cidades estado gregas, que acabaram sendo conquistadas pelo Macedônicos.

20 A Macedônia A Macedônia, pequena faixa de terra, situava-se no Norte da Grécia e era habitada por povos descendentes dos primitivos gregos. Viviam da agricultura do pastoreio. A modernização da Macedônia começou com o rei Filipe II. Após uma série de reformas internas, conhecendo as rivalidades existentes entre os Estados Gregos, iniciou a conquista da Grécia. Em 338 a.C., Filipe venceu os gregos na Batalha da Queronéia. Morreu dois anos mais tarde, em 336 a.C.

21 Alexandre, o grande Alexandre Magno dominou a revolta grega iniciada após a morte de seu pai, Filipe II e colocou em prática o plano de conquistar o Oriente, aliado aos gregos. Este era um antigo projeto grego, a fim de tomar posse dos tesouros persas e estender o seu domínio além do mar Egeu. Alexandre Magno tornou-se imperador aos 20 anos de idade. Grande militar – considerado um dos maiores guerreiros da Antiguidade.

22

23 O Império de Alexandre. Alexandre expandiu o seu império em direção da Ásia e da África. Conquistou o império persa, a Fenícia, o Egito e a parte da Índia. Ele pretendia conquistar até a região do rio Ganges, na Índia, porém seus soldados, cansados de tantas guerras seguidas, se recusaram a segui-lo. Uma das principais características de Alexandre Magno foi a maneira como ele tratou os povos vencidos: - Respeitou suas religiões e instituições políticas; - Incentivou o casamento entre vencidos e vencedores; - Permitiu que jovens persas participassem dos exércitos greco-macedônicos; - Tentou fundir os povos, buscando eliminar as diferenças e as desigualdades entre eles.

24 Helenismo Agindo assim, Alexandre Magno criava condições para uma integração cultural no vasto império por ele conquistado. O resultado mais importante do seu trabalho foi a chamado de helenismo, que se originou da fusão da cultura grega (helênica) com a cultura oriental. Após a morte do grande imperador, em 323 a.C., e como conseqüência das lutas internas, o império foi dividido entre seus principais generais.


Carregar ppt "A civilização grega Como a história da Europa começou? Quem era cidadão em Atenas? Avaliação Bimestral: capítulos 11, 12 e 13."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google