A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Portugal de feudo a reino. Guerras de Reconquista Península Ibérica dividida entre muçulmanos e cristãos. Século VIII – Guerras de Reconquista – estes.

Cópias: 1
Unidade 5 O encontro entre dois mundos Os Europeus chegam a América.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Portugal de feudo a reino. Guerras de Reconquista Península Ibérica dividida entre muçulmanos e cristãos. Século VIII – Guerras de Reconquista – estes."— Transcrição da apresentação:

1 Portugal de feudo a reino

2 Guerras de Reconquista Península Ibérica dividida entre muçulmanos e cristãos. Século VIII – Guerras de Reconquista – estes territórios formaram Portugal e Espanha.

3

4

5

6

7

8

9 Portugal de feudo a reino Afonso Henriques traiu seu juramento de fidelidade e nomeou-se rei de suas terras. Expandiu com a ajuda dos Cruzados e chegou até Lisboa. Consolidação do seu domínio: incentivou o povoamento fornecendo privilégios.

10 Economia O comércio passou a ser intenso a partir do século XIII e XIV. O rei beneficiava-se das feiras que vendiam de tudo. Nas feiras eram vendidos produtos agrícolas e produtos importados. Portugal, por ter uma boa localização marítima, era ponto de parada de vários povos.

11 Desigualdade social O comércio mudou a vida da burguesia, que passou a viver luxuosamente. Já, os nobres, sofreram com os preços elevados. E por conta disso exploravam muito seus lavradores. Os lavradores incentivaram seus filhos a mudar de profissão. Falta de mão-de-obra.

12 PESTE NEGRA Transmitida por ratos. Origem: Ásia Matou 1/3 da população. Mão- de – obra escassa. Tornou-se cara. 1349, o rei, tornou obrigatório o trabalho no campo. Importação de produtos agrícolas.

13 Revolução de Avis Ameaça constante. Rei de Portugal falece, sem herdeiro, trono passou a ser disputado por seu genro, rei de Castela e pelo seu meio irmão, João, Mestre de Avis. Nobres apoiaram o rei de Castela. Comerciantes, artesãos, povo em geral e alguns nobres apoiaram o Mestre de Avis. Avis ganhou, se tornou rei, intitulado D. João I. 200 anos da dinastia Avis.

14 Dinastia Avis Aliança entre rei e burguesia. Incentivou o comércio externo, principalmente com Ceuta(norte da África), como também com a Índia, Pérsia. O que tinha em Ceuta? Ouro, prata, cobre, latão, seda, especiarias.

15 Disputa do poder marítimo

16 Unidade 5 O encontro entre dois mundos Os Europeus chegam a América

17 Mapa de Ptolomeu (astrônomo grego, 90 d.C). Sistema Geocêntrico (a Terra como centro do universo)

18 Novi Orbis Indiae Occidentalis, 1621

19 O Mundo após os Descobrimentos Portugueses

20 Máscara asteca Especiarias

21 Marco Polo (1254 – 1324) Caravana na rota da Seda- China

22 Tema 1: Europa: comércio, riqueza e poder Nascimento das monarquias nacionais: expansão das cidades, comércio, crescimento populacional e as Cruzadas. A necessidade de mudanças: centralização do poder real As despesas da Coroa: nobreza de espada (de sangue) e nobreza togada (burgueses) A política Mercantilista: metalismo, manufaturas (tecidos ferramentas), conquista de colônias, protecionismo.

23 Tema 2 O Absolutismo A aliança entre o rei a burguesia e parte da nobreza (barreiras feudais) O domínio absoluto dos reis: beneficiou-se da Reforma Protestante Oposição da Igreja Católica: detentora de terras e poder Teóricos do Absolutismo: Thomas Hobbes (Estado forte/natureza humana má) e Jacques Bossuet (Doutrina do Direito Divino dos Reis)

24 Conceito de Absolutismo : O absolutismo corresponde a uma doutrina ou regime político caracterizado pela concentração de todos os poderes estatais numa só pessoa. O absolutismo surge na Europa no séc. XVI para estabelecer o poder real absoluto em reação ao feudalismo que caracterizou diversas monarquias européias ao longo dos séc. XVI, XVII e XVIII, sobretudo em Portugal, França, Inglaterra e Prússia.

25 Segundo o Absolutismo, o poder soberano do Estado é absoluto (isto é, não depende de qualquer outra autoridade), indivisível (ou seja, é inteiramente delegado na pessoa do monarca) e perpétuo. Sendo legitimado pelo direito divino (Jacques Bossuet), o absolutismo não tinha quaisquer limites exceto perante os costumes e as leis fundamentais do reino.

26 Tema 3 A expansão marítima portuguesa: expulsão dos mouros, séc. XII., centralização do Estado O pioneirismo português: busca de novas rotas marítimas Comércio e pesca em Portugal: especiarias e artigos de luxo do Oriente. O caminho para as Índias: Razões econômicas : concorrência dos comerciantes muçulmanos e italianos Motivação religiosa: expansão da fé cristã.

27 Rota das especiarias

28

29

30

31 Os portugueses foram transmissores de costumes europeus aos outros continentes, de costumes de origem não européia à Europa, e até de costumes entre África, Ásia e América. (Russel-Wood, A world on the move.) Macau foi colonizada e administrada por Portugal durante mais de 400 anos e é considerada o primeiro entreposto bem como a última colônia européia na China. Em 1999, a cidade foi devolvida a China.

32 Tema 4 A expansão marítima espanhola: rainha Isabel de Leão e Castela e o rei Fernando de Aragão (nascimento da Espanha como Estado centralizado, 1476 )

33

34 A viagem de Cristovão Colombo: Santa Maria, Pinta e Nina (Bahamas) Novas expedições: Américo Vespúcio, Pizarro, Cortez... A viagem de Fernão de Magalhães: esfericidade da Terra ( ) Chegar ao Oriente viajando pelo Ocidente: Cristovão Colombo (1492)

35

36 Atividades para casa Exercícios da página 144 (de 1 à 6) Data de entrega: sexta-feira, dia 06 de agosto


Carregar ppt "Portugal de feudo a reino. Guerras de Reconquista Península Ibérica dividida entre muçulmanos e cristãos. Século VIII – Guerras de Reconquista – estes."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google