A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

CARDIOTOCOGRAFIA ANTEPARTO Patricia da Rocha Pennachiotti Pitarello Patricia da Rocha Pennachiotti Pitarello Clínica Obstétrica do Hospital Universitário.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "CARDIOTOCOGRAFIA ANTEPARTO Patricia da Rocha Pennachiotti Pitarello Patricia da Rocha Pennachiotti Pitarello Clínica Obstétrica do Hospital Universitário."— Transcrição da apresentação:

1 CARDIOTOCOGRAFIA ANTEPARTO Patricia da Rocha Pennachiotti Pitarello Patricia da Rocha Pennachiotti Pitarello Clínica Obstétrica do Hospital Universitário da USP Clínica Obstétrica do Hospital Universitário da USP

2 Cardiotocografia Classificação Anteparto - CTG basal ou de repouso - CTG basal ou de repouso - CTG estimulada - CTG estimulada n National Institute of Child Health (NICH) Bethesda e Chicago, EUA em 1997 Intraparto Intraparto

3 Cardiotocografia Anteparto Introdução n Registro simultâneo da FCF e MF n Eventualmente contrações uterinas de Braxton-Hicks n Avaliação da vitalidade do concepto durante a gestação

4 Cardiotocografia Anteparto Indicações ( > 28 sem) n Gestação de Alto Risco n Alteração na ausculta dos BCF n Diminuição dos movimentos fetais n Pós-datismo

5 Cardiotocografia Anteparto Padronização do Exame Cardiotocografia Anteparto Padronização do Exame n Dieta n Posição da paciente n Medida da PA n Transdutores n Marcação de eventos n Tempo de registro

6 Cardiotocografia Anteparto Linha de Base n Normal 120–160 bpm 120–160 bpm n Bradicardia <120 bpm <120 bpm n Taquicardia >160bpm >160bpm

7 Cariotocografia Anteparto Variabilidade da FCF n Normal: amplitude de 10 a 25 bpm n Diminuída (padrão comprimido): < 10bpm n Aumentada: > 25 bpm n Padrão Sinusoidal: 5 a 15 bpm (monótonas)

8 Cardiotocografia Anteparto Variabilidade

9 Cardiotocografia Anteparto Acelerações Transitórias Elevações transitórias da FCF Amplitude >15 bpm Duração > 15

10 Aspectos fisiológicos e fisiopatológicos das acelerações e desacelerações da frequencia cardíaca fetal FCF - contração rítmica do músculo cardíaco - nervos cardíacos autonômicos parassimpáticos - nó sinoatrial, atrioventricular, músculo atrial e ventricular simpáticos – músculo ventricular

11 Acelerações Transitórias n aumento da FCF em resposta aos movimentos fetais n marcador de bem estar fetal n após a metade da gestação (Lee et al,1976) (Freeman R K, 1974) (Rochard et,1976)

12 Acelerações Transitórias NICH, 1997 Ascensão abrupta da FCF, com acme > ou = a 15 bpm e duração de 15 s a 2 minutos

13 Acelerações Transitórias

14 > 2 min – prolongada > 10 min – mudança da linha de base < 32 sem – ascenso de 10 bpm em 10 s (NICHHD, 1997)

15 Acelerações Transitórias n Von Bezold, 1863 – fibras nervosas cárdio – acelerador n tóraco-lombar do SNA n células do corno lateral medula (T)- centro cárdio-acelerador (Lee et al, 1976)

16 Acelerações Transitórias

17 n centro cárdio- acelerador medular – hipotálamo posterior e medula (Lee et al, 1976)(Nochimson et al, 1974) n catecolaminas – não se relacionam com as AT (Donald E G, 1966)

18 Acelerações Transitórias n Movimentos fetais n células nervosas corticais – função motora e cardiovascular n inter-relação entre movimentos e aceleração n período de latência é pequeno

19 Acelerações Transitórias n centro acelerador – estímulos do meio interno fetal n estimulação de nervos periféricos – AT (Murphy Q, 1942) n contração de Braxton-Hicks (Donald E G, 1966)

20 Acelerações Transitórias n contrações uterinas n fase contratural da curva de pressão uterina (Stanley – James, et al,1976) n oclusão parcial da veia umbilical (Lee C Y, et al, 1975 )

21 Acelerações Transitórias OCLUSÃO PARCIAL DA V.UMBILICAL RETORNO VENOSO E PA FETAL REFLEXO BARORRECEPTOR ACELERAÇÃO DA FCF (AT)

22 Acelerações Transitórias n No período expulsivo do parto – AT + desacelerações variáveis (Goodlin et al, 1974 n AT – maior consumo de O2 e energia – adequada reserva de O2 em resposta a hipoxemia e hipotensão n Feto sem reserva – desaceleração variável prolongada e – AT (Lee et al, 1975)

23 Acelerações Transitórias n respostas do feto saudável a um estímulo ou situação de estresse. (Goodlin et al, 1974) (Lee et al, 1975)

24 Cardiotocografia Anteparto Desacelerações não periódicas n Espícas ou DIP 0 n Desaceleração Prolongadas

25 Cardiotocografia Anteparto Desacelerações Periódicas DIP I ou Precoce Precoce

26 Desacelerações Precoces 1- Desaceleração precoce (DIP I) n início - ciclo contratural n queda gradual da FCF e retorno a linha de base n raro < 100 bpm n fisiológico – TP, rotura das membranas n anteparto (contrações de Braxton-Hicks): oligoâmnio

27 Desacelerações Precoces

28

29 compressão do pólo cefálico PIC e fluxo sanguineo cerebral hipoxia local ( PO2 cerebral) reflexo quimiorreceptor cerebral e HA fetal reflexo barorreceptor e excitação do centro vagal desaceleração da FCF ( DIP I) (Paul, et al, 1964)

30 Cardiotocografia Anteparto Desacelerações Periódicas DIP II ou Desaceleração Tardia

31 Desacelerações Tardias n 3- Desaceleração tardia (DIP II) n simétricas, recorrentes, tardias no ciclo contratural n queda gradual da FCF e retorno da linha de base n decalagem longa (NICH, 1997)

32 Desacelerações Tardias

33

34 transferência uteroplacentária ao feto estímulo quimiorreceptor resposta alfa-adrenérgica hipertensão fetal estímulo barorreceptor depressão miocárdica resposta parassimpática desaceleração Com hipoxemia Sem hipoxemia

35 Desacelerações Tardias n hiperestímulo por ocitocina n desacelerações tardias em fetos normais n variabilidade preservada da FCF (Harris, et al, 1982

36 Desacelerações Tardias n fetos com insuficiência placentária ou insultos hipoxêmicos n desaceleração + alteração da variabilidade da FCF n depressão miocárdica por hipoxia (Harris, et al, 1982)

37 Cardiotocografia Anteparto Desacelerações Periódicas DIP Umbilical ou ou Variável Variável

38 Cardiotocografia Anteparto Desacelerações Periódicas n 2 - Desaceleração variável n inconstantes na forma e relação com ciclo contratural n queda abrupta da FCF e retorno a linha de base n > 15 bpm e duração > 15 s e < 2 min

39 Desacelerações Variáveis

40 compressão de cordão umbilical contração uterina movimentação fetal oligoâmnio, RPMO, prolapso, nó, brevidade e circulares de cordão

41 oclusão arterial umbilical hipertensão fetal barorreceptores estímulo do centro vagal (Hon, et al,1961) desaceleração da FCF

42 Desacelerações Variáveis n mau prognóstico: n taquicardia compensadora, recuperação da FCF em níveis inferiores (bradicardia) n retorno lento a linha de base n duração > 60 s, queda da FCF > 70 bpm n morfologia em W

43 Conclusões n Mecanismos: –AT: estímulo centro cárdio-acelerador –DIP I: reflexo vagal –DIP umbilical : compressão de cordão - vagal –DIP II: estímulo vagal- fetos normoxêmicos »efeito direto no miocárdio - hipoxêmicos

44 Cardiotocografia Anteparto Índice cardiotocométrico ParâmetroNormalPontuação Linha de Base 120 a 160 bpm 01 Variabilidade 10 a 25 bpm 01 Aceleração Transitória DesaceleraçãoNenhuma 01

45 Cariotocografia Anteparto Interpretação Ativo (Normal) Índice 4 e 5 Índice 4 e 5ou Intervalo < 10 entre 2 AT Intervalo < 10 entre 2 AT

46 Cardiotocografia Anteparto Interpretação Hipoativo (suspeito) Índice 2 e 3 Índice 2 e 3 Intervalo >10 entre 2 AT Intervalo >10 entre 2 AT AT ausente em 10 AT ausente em 10

47 Cardiotocografia Anteparto Interpretação Inativo (alterado) Índice 0 e 1 Índice 0 e 1 Presença de DIP II Presença de DIP II ou DIP umbilical ou DIP umbilical desfavorável desfavorável

48 Cardiotocografia Anteparto Teste da Estimulação Sônica Indicação: nas anormalidades detectadas na CTR. Fonte Sonora: buzina Kobo Execução do teste Interpretação da resposta cardíaca fetal

49 Cardiotocografia Estimulada (TES) n Feto Reativo: amplitude >20 bpm durante pelo menos 3 durante pelo menos 3

50 Cardiotocografia Estimulada (TES) Feto Hiporreativo: amplitude <20bpm e/ou duração < 3 amplitude <20bpm e/ou duração < 3

51 Cardiotocografia Estimulada (TES) Feto Não Reativo ausência de resposta cardíaca fetal. ausência de resposta cardíaca fetal.

52 Cardiotocografia Estimulada (TES) Feto Hipoativo- Reativo Reativo

53 Cardiotocografia Anteparto Conduta Obstétrica CTG normal: - Ambulatório: semanal ( no pós-datismo: a cada 3 dias) ( no pós-datismo: a cada 3 dias) - Internada: 2 vezes por semana - Instabilidade clínica: diária CTG suspeita: PBF CTG alterada: PBF ou interrupção

54 PERFIL BIOFÍSICO FETAL

55

56 DOPPLERFLUXOMETRIA

57 AVALIAÇÃO DA VITALIDADE FETAL

58 PERFIL BIOFÍSICO FETAL


Carregar ppt "CARDIOTOCOGRAFIA ANTEPARTO Patricia da Rocha Pennachiotti Pitarello Patricia da Rocha Pennachiotti Pitarello Clínica Obstétrica do Hospital Universitário."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google