A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

1 Curso de Pós-Graduação em Treinamento & Desenvolvimento Disciplina: Aprendizagem a distância Lane * * Setembro/2007 3 Planejamento e Avaliação na EAD.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "1 Curso de Pós-Graduação em Treinamento & Desenvolvimento Disciplina: Aprendizagem a distância Lane * * Setembro/2007 3 Planejamento e Avaliação na EAD."— Transcrição da apresentação:

1 1 Curso de Pós-Graduação em Treinamento & Desenvolvimento Disciplina: Aprendizagem a distância Lane * * Setembro/ Planejamento e Avaliação na EAD

2 2 Plano de Trabalho Manhã DVD - Nemo DVD – Planejamento e Avaliação na EAD - Discussão e conclusões Dinâmica - Tangram Exposição dialogada – Planejamento Atividades – plano de curso Tarde DVD – Jacob Two Two Dinâmica – Avaliação Discussão e conclusões Exposição dialogada – Avaliação Atividades – plano de ação docente

3 3 3. Planejamento e Avaliação na EAD Planejamento O que é Planejar? Por que Planejar? Quais os Níveis de Planejamento? Como Montar um Plano de Curso? Como Montar um Plano de Ação Docente? Do Plano Presencial para o Virtual, o que Muda?

4 4 O que é Planejar? ? Você planeja o seu dia? De forma consciente ou inconsciente? Planejar é elaborar um roteiro para atingir um objetivo

5 5 Planejamento previsão das atividades didáticas objetivosrevisão e adequação pesquisa e reflexão avaliação É uma tarefa docente que inclui tanto a previsão das atividades didáticas em termos da sua organização e coordenação em face dos objetivos propostos, quanto a sua revisão e adequação no decorrer do processo de ensino. O planejamento é um meio para se programar as ações docentes, mas é também um momento de pesquisa e reflexão intimamente ligado à avaliação. Libâneo (1994, p. 221)

6 6 Planejamento processo de reflexão desenvolvido as competências É muito mais do que elaborar planos e programas. É um processo de reflexão sobre a prática educativa por aqueles que nela estão envolvidos, principalmente pela equipe docente, que tem o desafio de fazer com que os alunos cheguem ao final do curso tendo desenvolvido as competências previstas no perfil profissional. Ribeiro, Real et al (2003, p. 32) Planejar está atrelado a avaliar

7 7 Por que Planejar? ?

8 8 Planejamento Para... atingir os objetivos educacionais desenvolver o perfil profissional desejado dos colaboradores É relevante e estratégico para a empresa poder contar com uma equipe capacitada

9 9 Quais os Níveis de Planejamento? ? O que você deve planejar ou analisar?

10 10 Instituição Curso Níveis de Planejamento Princípios, políticas, filosofias de atuação. (Projeto político- pedagógico) Documentos norteadores da Educação Corporativa Bases, perfil profissional desejado, organização didática, perfil docente, critérios de avaliação, recursos materiais e tecnológicos. Ação Docente Organização das ações que serão realizadas pelo professor com os alunos em um determinado período de tempo.

11 11 Planejamento Em algumas situações, o profissional de Treinamento e Desenvolvimento poderá: Optar por desenvolver o próprio curso Analisar propostas de instituições abertas Contratar serviço de consultores autônomos Nesses casos, é importante aliar os interesses da empresa ao da capacitação ofertada

12 12 Como desenvolver um Plano de Curso para uma Capacitação na Empresa? ?

13 13 Plano de Curso A capacitação para ser eficaz precisa estar condizente com o mercado, ter relevância social e atender às necessidades da empresa: 1. Levantar as necessidades da empresa e colaboradores 2. Pesquisar fontes de informação 3. Realizar entrevistas 4. Verificar legislação 6. Definir o Perfil Profissional de Conclusão 5. Cruzar e analisar as informações Sondagens, entrevistas, reuniões, grupos focais, entre outras técnicas. Jornais, revistas, sites, buscando tendências de crescimento. Com profissionais de outras empresas Educacional, Profissional (órgãos, associações, sindicatos) Educacional, Profissional (órgãos, associações, sindicatos)

14 14 Que Informações contém um Plano de Curso? ?

15 15 Plano de Curso Tópicos importantes: Identificação do curso Justificativa e Objetivos Requisitos de Acesso Perfil Profissional de Conclusão Organização Curricular Pré-requisitos Pensar na EAD (acesso, disciplina e tempo de estudo) Pré-requisitos Pensar na EAD (acesso, disciplina e tempo de estudo) Descrição Características da ocupação Atividades Formas de atuação Competências gerais e específicas Descrição Características da ocupação Atividades Formas de atuação Competências gerais e específicas Temas Blocos Módulos Disciplinas (bases tecnológicas e objetivos associados) Temas Blocos Módulos Disciplinas (bases tecnológicas e objetivos associados)

16 16 Plano de Curso Tópicos importantes (cont.) : Critérios de Aproveitamento Critérios de Avaliação Instalações e equipamentos Perfil Docente e Técnico Certificados e Diplomas Conhecimentos ou experiências anteriores que podem ser aproveitadas Indicadores que sinalizam o desenvolvimento da competência

17 17 Uma vez elaborado o Plano do Curso, como Organizar as Atividades do Professor? ?

18 18 Curso U1U1 U3U3 Plano de Ação Docente Um curso é constituído de unidades menores distribuídas em intervalos de tempo. U4U4U2U2 Que tal chamar de plano de ação ou trabalho docente? O desenvolvimento de uma competência pode levar vários períodos de tempo.

19 19 Como deve ser o Plano de Ação Docente? ? Considerar o Projeto Político Pedagógico Os princípios da Educação Corporativa

20 20 Plano de Ação Docente Como documento orientador do professor, deve ser: Seguir uma seqüência lógica Funcional Flexível Estar dentro de um contexto Interdisciplinar Simples

21 21 Quais os tópicos de um Plano de Ação Docente? ?

22 22 Plano de Ação Docente Com base no perfil profissional desejado, ele contém: Competência a ser desenvolvida Bases tecnológicas Procedimentos metodológicos Recursos Indicadores de Desempenho Instrumentos de Avaliação Em unidades de tempo (dias ou semanas) Estratégias ou procedimentos didáticos (veja TD-A2) Tópicos ou conteúdos a serem estudados Didáticos Materiais Tecnológicos Didáticos Materiais Tecnológicos Com base em critérios bem definidos Relatórios Observação etc Relatórios Observação etc

23 23 E na EAD? O que Muda nos Planos de Curso e do Trabalho Docente? E na EAD? O que Muda nos Planos de Curso e do Trabalho Docente? ?

24 24 Do Presencial para o Virtual aberto desenvolvernovas idéias pensar criticamente fazer pesquisas O planejamento deve ser mais aberto a fim de que os alunos possam desenvolver novas idéias, exercitem sua capacidade de pensar criticamente e saibam fazer pesquisas. Palloff e Pratt (2002, p.16) A diferença está na liberdade de ação. Um tema a ser discutido pode desencadear uma nova série de discussões

25 25 Do Presencial para o Virtual Incluir estratégias que promovam interação, entre elas: Fóruns Espaços para Tira-Dúvidas Convívio Social Troca de Mensagens...

26 26 Do Presencial para o Virtual Nos requisitos de acesso o aluno deve ter a clareza das condições para o estudo a distância: Disciplina para dedicação ao curso Tempo em horas para um melhor desempenho Necessidade de recursos tecnológicos Dicas e orientações...

27 27 Do Presencial para o Virtual ? Elementos motivacionais No planejamento, pensar em... Recursos Multimídia Estilos de aprendizagem (abordagem)

28 28 Estilos de Aprendizagem ? Como você aprende? Prefere trabalhar com gráficos ou diagramas que representam a informação? Prefere ler a informação? Prefere ouvir o material apresentado?

29 29 Estilos de Aprendizagem ? Como você aprende? Prefere atividades físicas ou práticas? Prefere trabalhar com números, a lógica ou a razão?

30 30 Estilos de Aprendizagem ? Como você aprende? Prefere atividades que envolvam outras pessoas? Prefere refletir sobre o assunto?

31 31 Estilos de Aprendizagem É preciso considerar que: Nem sempre o estilo que ajuda um professor a aprender é o mais adequado para o seu aluno. Vale a pena usar vários estilos e trabalhá-los de maneira diversificada de acordo com as situações. ? Como você aprende? Para saber mais leia o capítulo 3 do livro O Aluno Virtual (p ) ! Pausa para atividades

32 32 Diante de tantas complexidades, como Avaliar? ?

33 33 Avaliação Na EAD, assim como na educação presencial, a avaliação é um ato de reflexão. A interatividade pode facilitar o contato Isso aumenta a qualidade da avaliação Todavia exige do tutor atenção redobrada para os mínimos detalhes.

34 34 Avaliação A avaliação melhora quando acontece nas três amplitudes: Chermann e Bonini (2001, p ) DiagnósticaDiagnósticaFormativaFormativaSomativaSomativa Para verificar o perfil de entrada do aluno no curso (conhecimentos anteriores ou experiências) Ocorre durante o processo para correção dos rumos (estratégias de recuperação) Aferição expressa em notas ou conceitos

35 35 Avaliação Pode também acontecer de forma mais ampla ao longo do curso, envolvendo os desempenhos: Do aluno, incluindo auto-avaliação. Do curso e da qualidade do ensino Da tecnologia utilizada Utilidade do programa no âmbito da instituição Palloff e Pratt (2001, p ) Inclui aspectos funcionais e amigáveis da interação com o aluno

36 36 Como é uma Avaliação Formativa? ?

37 37 Formativa Reguladora Avaliação Formativa ou Reguladora faz com que os alunos e professores ajustem suas estratégias e dispositivos. Avaliação Formativa Trabalham o erro como uma oportunidade de crescimento

38 38 É fácil realizar uma Avaliação Formativa? O que considerar? É fácil realizar uma Avaliação Formativa? O que considerar? ?

39 39 reconhecimento combate Exige reconhecimento das diferenças e o combate às desigualdades. Avaliação Formativa Considerar ritmos e tempos individuais A prática docente deve ser diferenciada

40 40 Que instrumentos utilizar para realizar uma Avaliação Formativa? ? Provas Relatórios Portfólio Diário Projetos... Provas Relatórios Portfólio Diário Projetos...

41 41 Para acompanhar é preciso: Fazer balanços periódicos Montar um portfólio com momentos significativos para montar um quadro do conjunto do aluno Avaliação Formativa Todo registro é importante Perrenoud (2000, 49-51)

42 42 Intenção formativa Observação contínua mediador Aquisições Maneira de aprender Maneira de raciocinar Relação com o saber Angústias e bloqueios O que faz sentido para ele O que o mobiliza para ação Seus interesses Projetos Auto-imagem Ambiente familiar Avaliação Formativa Critérios claros ajudam o aluno a crescer

43 43 O que observar em uma Avaliação Formativa? ?

44 44 São várias as fontes de observação: O desempenho Da participação na discussão on-line, buscando comentários espontâneos que se relacionem aos objetivos; Experiências de aprendizagem. Avaliação Formativa Palloff e Pratt (2002, p )

45 45 Participação Tecnologia Trabalhos Avaliação Formativa Resumindo, observa-se o aluno em quatro dimensões: Diálogo Reflexão Interação União Trocas de experiências Reflexão Interação União Trocas de experiências Comentários dos trabalhos dos colegas Auto-avaliação Relevância Envolvimento Comentários dos trabalhos dos colegas Auto-avaliação Relevância Envolvimento Experiência Nível de dificuldades Experiência Nível de dificuldades Nível de Colaboração Qualidade Freqüência Nível de Colaboração Qualidade Freqüência

46 46 Como repassar os Resultados da Avaliação? ?

47 47 Valorizar os aspectos positivos e desencadear reflexões para os pontos que precisam de melhoria. Os resultados podem ser repassados aos alunos: por ou, por área de acesso exclusiva. Avaliação Formativa Vai muito além da nota ou conceito e do certo e errado. A qualidade do retorno é que conduz o processo formativo Retorno Os ambientes virtuais dispõem de áreas para comentários das tarefas e atribuição de notas.

48 48 E o Curso? O que Avaliar? O que Avaliar? E o Curso? O que Avaliar? O que Avaliar? ?

49 49 Meios de comunicação Estrutura do curso (instalações, material, suporte, biblioteca, etc) Retorno para a empresa Crescimento profissional Vários olhares buscando a melhoria do conjunto: alunos, professores, equipe e sociedade. Avaliação do Curso Chermann e Bonini (2001, p.65-66) Palloff e Pratt (2002, p. 184) Chermann e Bonini (2001, p.65-66) Palloff e Pratt (2002, p. 184) Desempenho da equipe docente e de apoio Curso

50 50 Para terminar planejamento avaliação Enquanto o planejamento é o ato pelo qual decidimos o que construir, a avaliação é o ato crítico que nos subsidia na verificação de como estamos construindo o nosso projeto. Luckesi (1995, p.118, 172)

51 51 Referências CHERMANN, Maurício; BONINI, Luci Mendes (colab.). Educação a distância: novas tecnologias em ambientes de aprendizagem pela internet. Universidade Braz Cubas. São Paulo: 2001[?]. LIBÂNEO, José C. Didática. São Paulo: Cortez, p. (Formação do Professor). Inclui bibliografia. LUCKESI, Cipriano Carlos. Avaliação da aprendizagem escolar. São Paulo: Cortez, PALLOFF, Rena M.; PRATT, Keith. Construindo comunidades de aprendizagem no ciberespaço. Trad. Vinícius Figueira. Porto Alegre: Artmed, PERRENOUD, Phillippe. 10 Novas competências para ensinar; trad. Patrícia Chitoni Barros. Porto Alegre: Artes Médicas, RIBEIRO, Antonia; REAL, Elizabeth et al. SENAC. DN. Planejamento e avaliação: subsídio para a ação docente. Rio de Janeiro: Ed. Senac Nacional, p (Didática para Educação Profissional).

52 52 Mensagem Final Avaliar é um ato amoroso, no sentido de acolher uma situação e não julgá-la. O acolhimento dá suporte à mudança, se necessária. Luckesi

53 53 Obrigada Lane * *


Carregar ppt "1 Curso de Pós-Graduação em Treinamento & Desenvolvimento Disciplina: Aprendizagem a distância Lane * * Setembro/2007 3 Planejamento e Avaliação na EAD."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google