A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Avaliação Econômica Ambiental FSA – Gestão Ambiental - JCB Set/10 -1 Revisão do último encontro Boa dia a todos Revisão do último encontro –Resíduos ao.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Avaliação Econômica Ambiental FSA – Gestão Ambiental - JCB Set/10 -1 Revisão do último encontro Boa dia a todos Revisão do último encontro –Resíduos ao."— Transcrição da apresentação:

1 Avaliação Econômica Ambiental FSA – Gestão Ambiental - JCB Set/10 -1 Revisão do último encontro Boa dia a todos Revisão do último encontro –Resíduos ao longo da história –Definição de lixo e resíduo –Classificação de resíduos de acordo com Programa Nacional de Resíduos Sólidos e NBR –O lixo na Europa –Aterros e outras destinações –Valorização (ganhos e perdas de oportunidades) de resíduos –Evitar, Minimizar, Reciclar, Tratar e Dispor

2 Avaliação Econômica Ambiental FSA – Gestão Ambiental - JCB Set/10 -2 ANVISA e Ministério do Meio Ambiente Editora ANVISA 2006

3 Avaliação Econômica Ambiental FSA – Gestão Ambiental - JCB Gerenc. dos Resíduos dos Serviços de Saúde toneladas de resíduos sólidos residenciais e comerciais diários. 2% (2.980 ton./dia) são Resíduos do Serviço de Saúde (RSS). 10% ~ 25% (298 ~ 745 ton./dia) necessitam de cuidados especiais. (Segregar na geração!) Set/10 -3

4 Avaliação Econômica Ambiental FSA – Gestão Ambiental - JCB Gerenc. dos Resíduos dos Serviços de Saúde Queima a céu aberto (20%), incineração (11%), microondas e autoclave (0,8%). 22% dos municípios não tratam de forma alguma seus RSS. Set/10 -4

5 Avaliação Econômica Ambiental FSA – Gestão Ambiental - JCB Gerenc. dos Resíduos dos Serviços de Saúde Set/10 -5

6 Avaliação Econômica Ambiental FSA – Gestão Ambiental - JCB Gerenc. dos Resíduos dos Serviços de Saúde Nos últimos 10 anos, a população brasileira cresceu 16,8%, enquanto que a geração de resíduos cresceu 48% (Fonte: IBGE, 1989/2000) A lei para gestão de resíduos sólidos é recente. A questão de resíduos sólidos vem sendo exercida por meios de resoluções do Conselho Nacional de Meio Ambiente - CONAMA e da Agência Nacional de Vigilância Sanitária - ANVISA, no caso de resíduos do serviço de saúde (RSS). Set/10 -6

7 Avaliação Econômica Ambiental FSA – Gestão Ambiental - JCB Gerenc. dos Resíduos dos Serviços de Saúde Resolução CONAMA n° 006 de 19/09/1991: desobriga incineração de RSS. Resolução CONAMA n° 005 de 05/08/1993: os estabelecimentos devem elaborar o gerenciamento de seus resíduos. Resolução CONAMA n° 283 de 12/07/2001: tratamento e destinação final dos RSS e Plano de Gerenciamento dos Resíduos de Serviços de Saúde - PGRSS. Resolução de Diretoria Colegiada, RDC ANVISA 33 de 2003 trata do gerenciamento de resíduos de serviços de saúde e considera os riscos aos trabalhadores, à saúde e ao meio ambiente. Set/10 -7

8 Avaliação Econômica Ambiental FSA – Gestão Ambiental - JCB Gerenc. dos Resíduos dos Serviços de Saúde RDC ANVISA n° 306/04 (resumo)RDC ANVISA n° 306/04resumo –Controle dos processos de segregação, acondicionamento, armazenamento, transporte, tratamento e disposição final dos RSS. –Procedimentos operacionais em função dos riscos envolvidos. –Controle na inspeção dos serviços de saúde. Resolução CONAMA n° 358/05CONAMA n° 358/05 –Preservação dos recursos naturais e do meio ambiente. –Critérios para o licenciamento ambiental dos sistemas de tratamento e destinação final dos RSS. Set/10 -8

9 Avaliação Econômica Ambiental FSA – Gestão Ambiental - JCB Gerenc. dos Resíduos dos Serviços de Saúde Classificação de resíduos sólidos e resíduos sólidos urbanos e fontes especiais (doméstico, comercial, etc.) Risco à Saúde: efeitos adversos à saúde relacionados com a exposição humana a agentes físicos, químicos ou biológicos. Risco para o Meio Ambiente: efeitos adversos ao meio ambiente, decorrentes da ação de agentes físicos, químicos ou biológicos. Set/10 -9

10 Avaliação Econômica Ambiental FSA – Gestão Ambiental - JCB Gerenc. dos Resíduos dos Serviços de Saúde Geradores de RSS: serviços relacionados com o atendimento à saúde humana ou animal. (serviços de assistência domiciliar e de trabalhos de campo; laboratórios analíticos de produtos para a saúde; necrotérios, funerárias e serviços onde se realizem atividades de embalsamamento, serviços de medicina legal, drogarias e farmácias inclusive as de manipulação; estabelecimentos de ensino e pesquisa na área da saúde, centro de controle de zoonoses; distribuidores de produtos farmacêuticos, importadores, distribuidores produtores de materiais e controles para diagnóstico in vitro, unidades móveis de atendimento à saúde; serviços de acupuntura, serviços de tatuagem, etc.) Set/10 -10

11 Avaliação Econômica Ambiental FSA – Gestão Ambiental - JCB Gerenc. dos Resíduos dos Serviços de Saúde Grupo A – com agentes biológicos e risco de infecção. (placas e lâminas de laboratório, bolsas de sangue, etc.). Grupo B – inflamabilidade, corrosividade, reatividade e toxicidade (medicamentos apreendidos, reagentes de laboratório, metais pesados, etc.). Grupo C – componentes radioativos (serviços de medicina nuclear e radioterapia, etc.). Grupo D – sem risco biológico, químico ou radiológico à saúde ou ao meio ambiente (sobras de alimentos, resíduos das áreas administrativas, etc.). Grupo E – materiais perfuro-cortantes ou escarificantes, (lâminas de barbear, agulhas, ampolas de vidro, lâminas de bisturi, etc.). Set/10 -11

12 Avaliação Econômica Ambiental FSA – Gestão Ambiental - JCB Gestão dos Resíduos Sólidos Política Nacional de Resíduos Sólidos em fase de implementação. O instrumento atual para proteção do meio ambiente é o licenciamento ambiental (CONAMA n° 001/86 e n° 237/97) A Lei n° 6.938/81 (art. 3º) da política do meio ambiente, e a Lei n° 9.605/98 (art. 54 e 56) dos Crimes Ambientais, responsabilizam administrativa, civil e criminalmente as pessoas físicas e jurídicas, autoras e co-autoras de condutas ou atividades lesivas ao meio ambiente. Set/10 -12

13 Avaliação Econômica Ambiental FSA – Gestão Ambiental - JCB Risco no manejo dos RSS Homem: falhas no acondicionamento e segregação dos materiais perfuro-cortantes. Meio Ambiente: contaminação do solo, águas superficiais e subterrâneas, em lixões ou aterros controlados, ar (incineração não controlada emite poluentes contendo dioxinas e furanos, etc.). Set/10 -13

14 Avaliação Econômica Ambiental FSA – Gestão Ambiental - JCB Gestão dos Resíduos do Serviço de Saúde Plano de Gerenciamento dos Resíduos de Serviços de Saúde (PGRSS). –Segregação, acondicionamento, coleta, armazenamento, transporte, tratamento e disposição final. É da competência dos serviços geradores de RSS: –A elaboração do PGRSS –Prover a capacitação inicial e continuada –Exigir capacitação e treinamento das firmas prestadoras de serviço de limpeza e conservação Set/ (continua)

15 Avaliação Econômica Ambiental FSA – Gestão Ambiental - JCB Gestão dos Resíduos do Serviço de Saúde –Requerer das empresas terceirizadas a licença ambiental para o tratamento ou disposição final dos resíduos –Requerer aos órgãos públicos documentação que identifique a conformidade com as orientações dos órgãos de meio ambiente na coleta, transporte, tratamento ou disposição final dos resíduos –Manter registro de operação de venda ou de doação dos resíduos para reciclagem ou compostagem Set/10 -15

16 Avaliação Econômica Ambiental FSA – Gestão Ambiental - JCB Gestão dos Resíduos do Serviço de Saúde Acondicionamento: –não devem ultrapassar 2/3 do volume dos recipientes, sacos de material resistente, contidos em recipientes de material lavável, etc. Resíduos perfurocortantes ou escarificantes devem ser acondicionados separadamente, no local de sua geração, imediatamente após o uso, etc. Coleta: –roteiro previamente definido e em horários não coincidentes com a distribuição de roupas, alimentos e medicamentos, períodos de visita, etc. Set/10 -16

17 Avaliação Econômica Ambiental FSA – Gestão Ambiental - JCB Gestão dos Resíduos do Serviço de Saúde Armazenamento Temporário –Não poderá ser direto dos sobre o piso, local deve ser identificado como sala de resíduo, pisos e paredes lisas e laváveis, piso resistente ao tráfego dos coletores, etc. Coleta e transporte –EPIs e EPCs adequados, o veículo coletor deve sofrer limpeza e desinfecção ao final de cada turno (não pode ser em postos de abastecimento comuns). Veículo com superfície interna lisa, cantos arredondados, ventilação adequada, possuir pá, rodo, saco plástico de reserva, solução desinfectante, etc. (grupo A) Documentos de inspeção e capacitação, etc. (grupo B) Set/10 -17

18 Avaliação Econômica Ambiental FSA – Gestão Ambiental - JCB Gestão dos Resíduos do Serviço de Saúde Tratamento dos RSS –Grupo A: Autoclave, microondas, incineração. Depois são tratados como resíduos urbanos (aterro). A1, A2, A3, A4 (sem tratamento), A5 (incineração) –Grupo B: reciclagem ou disposição específica. –Grupo C: orientação da CNEN. –Grupo D: compostagem, alimento animal ou rede de esgotos (após tratamento). –Grupo E: semelhante ao grupo A (inativação microbiana) Set/10 -18

19 Avaliação Econômica Ambiental FSA – Gestão Ambiental - JCB Recomendações específicas para Grupo B Diagrama de HOMMEL –A simbologia proposta pela Associação Nacional para Proteção contra Incêndios dos EUA-NFPA é adotada mundialmente. Set/10 -19

20 Avaliação Econômica Ambiental FSA – Gestão Ambiental - JCB Recomendações específicas para Grupo B Set/10 -20

21 Avaliação Econômica Ambiental FSA – Gestão Ambiental - JCB Gestão dos Resíduos do Serviço de Saúde Disposição final: –Aterros sanitário ou industrial (outros não recomendados) Reciclagem: –Compostagem, papel, vidro, etc. Set/10 -21

22 Avaliação Econômica Ambiental FSA – Gestão Ambiental - JCB Manual para elaboração do PGRSS Manual detalhado Set/10 -22

23 Avaliação Econômica Ambiental FSA – Gestão Ambiental - JCB Estratégia Verde Set/10 -23

24 Avaliação Econômica Ambiental FSA – Gestão Ambiental - JCB Estratégia Verde Marketing/ Vendas: –Imagem interna e externa da empresa (ex. Bco. Real) –Serviço para melhorar ou preservar o meio ambiente (ex. selo FSC-Forest Stewardship Council - Blog). –Posicionar a empresa com relação à concorrência (Ex. Detergente biodegradável). Produção: –Diminuição ou eliminação de riscos. –Controle da qualidade. Recursos Humanos: –Treinamento e capacitação. –Organização. Set/10 -24

25 Avaliação Econômica Ambiental FSA – Gestão Ambiental - JCB Estratégia Verde Jurídico/ Financeiro: –Estudos de impacto ambiental (EIA/ RIMA) –Regulamentos, leis (ISO, Conama, RDC Anvisa) –Balanço ambiental. Pesquisa e desenvolvimento: –Busca de alternativas –Vigilância tecnológica Set/10 -25

26 Avaliação Econômica Ambiental FSA – Gestão Ambiental - JCB Análise interna com uso de tabelas Set/10 -26

27 Avaliação Econômica Ambiental FSA – Gestão Ambiental - JCB Ecologia e estratégia empresarial Nível hierárquico de responsabilidade: –Quem é responsável pela área ambiental na empresa? –Nível de importância? Gestão, relações públicas, CQ, segurança... Nível do orçamento ecológico: –Existe uma porcentagem dedicada ao meio ambiente? –Há um orçamento para essa área ou esta junto com outras despesas? Set/10 -27

28 Avaliação Econômica Ambiental FSA – Gestão Ambiental - JCB Ecologia e estratégia empresarial Investimento ecológico nos meios de produção: –É o mínimo exigido pela lei ou há ousadia (antecipação)? Comunicação ecológica interna: –É forte ou fraca? –A educação deve começar internamente, mas nem sempre é o que ocorre. Comunicação ecológica externa: –Comunicação e marketing. –É coerente com os atos ou é de aparência? Set/10 -28

29 Avaliação Econômica Ambiental FSA – Gestão Ambiental - JCB Ecologia e estratégia empresarial Formação dos colaboradores –Existe uma estrutura de treinamento de novos funcionários e treinamento continuado dos existentes? –Aprofundamento da comunicação interna. Estruturação do esforço ecológico: –Pode-se pensar em uma diretoria específica? Consciência das responsabilidades ecológicas internas e externas: –A comunicação interna e formação têm efeito? Peso do fator ecológico em P&D: –P&D é fundamental na integração ecológica. Set/10 -29

30 Avaliação Econômica Ambiental FSA – Gestão Ambiental - JCB Estruturação do esforço ecológico Set/10 -30

31 Avaliação Econômica Ambiental FSA – Gestão Ambiental - JCB Set/10 -31

32 Avaliação Econômica Ambiental FSA – Gestão Ambiental - JCB Estratégia Verde Atividade: –Criar 5 grupos para cada um dos setores da empresa (um grupo, definido em sorteio secreto, será do contra). –Definir em conjunto o segmento de atuação e produto (definição genérica). –Discutir com o grupo e detalhar (linhas gerais): Objetivo, Estratégia e Ferramentas. –Apresentar seus resultados. Explicar as ações. –Cada um votará ao final qual foi o grupo do contra. Os pertencentes ao grupo do contra votarão noutro grupo. Set/10 -32

33 Avaliação Econômica Ambiental FSA – Gestão Ambiental - JCB Estratégia Verde Objetivos: –Apresentar propostas coerentes com os temas abordados, implementáveis, procurar falhas nos outros departamentos, etc. Tem que funcionar! –Tentar descobrir quem é do contra. –O grupo do contra tem por objetivo inviabilizar a estratégia verde. –Caso o grupo seja identificado, a estratégia terá chance de ser implementada. –Caso não seja identificado (não se esqueçam que o voto do grupo do contra pode decidir!) a estratégia estará fadada ao fracasso por não haver um núcleo forte para implementação. Set/10 -33

34 Avaliação Econômica Ambiental FSA – Gestão Ambiental - JCB Contagem final Set/10 -34

35 Avaliação Econômica Ambiental FSA – Gestão Ambiental - JCB Set/ Para o próximo encontro Leitura. Atividade –Ler o artigo O empresário mais verde do mundo e pesquisar um produto da GE considerado ecologicamente correto. Favor enviar a descrição do produto e explicação do porquê de ser ecologicamente correto para o Leitura de interesse geral – Forest Stewardship Council


Carregar ppt "Avaliação Econômica Ambiental FSA – Gestão Ambiental - JCB Set/10 -1 Revisão do último encontro Boa dia a todos Revisão do último encontro –Resíduos ao."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google