A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Resíduos Sólidos Acondicionamento Gersina N. da R. Carmo Junior.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Resíduos Sólidos Acondicionamento Gersina N. da R. Carmo Junior."— Transcrição da apresentação:

1 Resíduos Sólidos Acondicionamento Gersina N. da R. Carmo Junior

2 Acondicionamento Onde começam os problemas para o serviço de limpeza urbana de sua cidade? Em nossas próprias residências.

3 Acondicionamento Acondicionar os resíduos sólidos significa prepará- los para a coleta de forma sanitariamente adequada, como ainda compatível com o tipo e a quantidade de resíduos. Conceituação

4 evitar acidentes; evitar a proliferação de vetores; minimizar o impacto visual e olfativo; reduzir a heterogeneidade dos resíduos (no caso de haver coleta seletiva); facilitar a realização da etapa da coleta. Acondicionamento A importância do acondicionamento adequado está em: A qualidade da operação de coleta e transporte

5 Acondicionamento Responsabilidades Fases do envio do lixo para a disposição e tratamento: Responsabilidade do gerador (residência, estabelecimento comercial, etc.) Fase Interna Fase Externa Abrange os serviços de limpeza. Responsabilidade da administração municipal

6 atender às condições sanitárias; não ser feio, repulsivo ou desagradável; ter capacidade para conter o lixo gerado durante o intervalo entre uma coleta e outra; permitir uma coleta rápida, aumentando com isso a produtividade do serviço; possibilitar uma manipulação segura por parte da equipe de coleta. O recipiente apropriado para lixo deverá:

7 Acondicionamento Embora o acondicionamento seja de responsabilidade do gerador, a administração municipal deve exercer funções de regulamentação, educação e fiscalização, inclusive nos casos dos estabelecimentos de saúde,visando assegurar as condições sanitárias e operacionais adequadas.

8 Acondicionamento De modo geral há dois tipos de recipientes de lixo: Aqueles sem retorno (sacos plásticos, embalagens de papelão, etc.; Aqueles com retorno (tipo Contêineres em plástico rígido e metal) Grande preferência: sacos plásticos, seguidos dos recipientes feitos de pneus, lata, madeira e papelão etc. Recipientes de borrachas tipo pneus de caminhão

9 Acondicionamento Essa prática, além de não atender as condições sanitárias, dificulta o serviço de coleta das seguintes formas: Torna o serviço mais lento. (pela necessidade de juntar o lixo derramado quando o recipiente rasga ou se desfaz); Aumenta o custo de coleta (o aumento do tempo de coleta implica maior gasto de combustível e desgaste dos equipamentos); Causa acidentes na equipe de coleta (vazamento de substâncias ou material cortante ou perfurante).

10 Acondicionamento Os sacos de lixo são classificados e especificados pelas normas IPT-NEA 59 (IPT,1999) e NBR 9191 (ABNT,1999). As normas estabelecem duas classificações: a) Quanto a densidade relativa específica aparente do lixo: Lixo normal: densidade entre 0,2 e 0,3 Lixo pesado: densidade superior a 0,3

11 Acondicionamento b) Quanto ao tipo de lixo: O comum; e De serviços de saúde. Algumas prefeituras estabelecem em 50Kg a massa máxima que o trabalhador pode carregar Organização internacional do trabalho (OIT), limitam a 40kg.(casos excepcionais) Trabalho do coletor normalmente limitado a 20 kg

12 Acondicionamento – aspectos a considerar

13 No caso de recipientes com mais de 100 litros, o funcionário encarregado da coleta deverá dispor de carrinho para o transporte até o veículo coletor. Alguns garis da coleta preferem rolar os latões de 200 litros. Acondicionamento – aspectos a considerar

14 Acondicionamento Acondicionamento nas fontes produtoras Existem várias maneiras de acondicionar os resíduos sólidos, conforme descrição abaixo: a) resíduos domiciliares/comerciais: recipientes rígidos; recipientes herméticos; sacos plásticos descartáveis; contêiner coletor ou intercambiável. Acondicionadores domiciliares Sacos e sacolas

15 b) resíduos de varrição: sacos plásticos descartáveis apropriados; contêiner coletor ou intercambiável; recipientes basculantes – cestos; contêineres estacionários; c) feiras livres e eventos: recipientes basculantes – cestos; contêineres estacionários; tambores de 100/200L; cestos coletores de calçadas. cestos de calçadas Papeleiras para postes Acondicionamento

16 d) Entulhos e podas contêineres estacionários; Acondicionamento Contêineres estacionários f) resíduos dos serviços de saúde: Recomendações gerais Os sacos de acondicionamento devem ser constituídos de material resistente a ruptura e vazamento, impermeável, respeitados os limites de peso de cada saco, sendo proibido o seu esvaziamento ou reaproveitamento.

17 Os sacos devem estar contidos em recipientes de material lavável, resistente a punctura, ruptura e vazamento, com tampa provida de sistema de abertura sem contato manual, com cantos arredondados e ser resistentes ao tombamento. f) resíduos dos serviços de saúde: Acondicionamento

18 Os recipientes de acondicionamento existentes nas salas de cirurgia e nas salas de parto não necessitam de tampa para vedação, devendo os resíduos serem recolhidos imediatamente após o término dos procedimentos. f) resíduos dos serviços de saúde: Acondicionamento

19 Os resíduos perfurocortantes - grupo E devem ser acondicionados separadamente, no local de sua geração, imediatamente após o uso, em recipiente rígido, estanque, resistente a punctura, ruptura e vazamento, impermeável, com tampa, contendo a simbologia. f) resíduos dos serviços de saúde: Acondicionamento

20 padronização e muito difícil Embora seja possível definir o tipo de acondicionamento tecnicamente mais adequado para cada situação, sua padronização e muito difícil porque tal atribuição é do usuário. Os esforços da Municipalidade deverão ser concentrados no sentido de conscientizar a população para que procure acondicionar, da melhor maneira possível o lixo gerado em cada domicílio.


Carregar ppt "Resíduos Sólidos Acondicionamento Gersina N. da R. Carmo Junior."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google