A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Faculdade 7 de Setembro – Sistemas de Informação Engenharia de Software – Prof. Ciro Coelho Engenharia de Software Qualidade de Software.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Faculdade 7 de Setembro – Sistemas de Informação Engenharia de Software – Prof. Ciro Coelho Engenharia de Software Qualidade de Software."— Transcrição da apresentação:

1 Faculdade 7 de Setembro – Sistemas de Informação Engenharia de Software – Prof. Ciro Coelho Engenharia de Software Qualidade de Software

2 Faculdade 7 de Setembro – Sistemas de Informação Engenharia de Software – Prof. Ciro Coelho O que é qualidade? Capacidade de um produto ou serviço: –Realizar as funções esperadas –Atender às expectativas do cliente Depende do cliente e da aplicação Conceito estendido: –envolve outros atributos considerados importantes

3 Faculdade 7 de Setembro – Sistemas de Informação Engenharia de Software – Prof. Ciro Coelho Qualidade, segundo os gurus Quality is free (Philip Crosby) –benefícios superam os custos –custo da não qualidade Ishikawa –Remova a causa principal e não os sintomas –Não confunda os meios com os objetivos –Objetivos devem levar em consideração os clientes

4 Faculdade 7 de Setembro – Sistemas de Informação Engenharia de Software – Prof. Ciro Coelho Joseph Juran Duas visões da qualidade (custo e benefício): –centrada no cliente: mais qualidade representa mais custo –centrada na empresa: redução de custos e defeitos mais qualidade representa menos custo Três eixos: –planejamento, controle e melhoria

5 Faculdade 7 de Setembro – Sistemas de Informação Engenharia de Software – Prof. Ciro Coelho Armand Feigenbaum Total Quality Control Três passos –Liderança: gerenciamento contínuo e ênfase em excelência (não em reduzir falhas) –Tecnologia moderna: todos devem se envolver, depto de qualidade sozinho não resolve –Compromisso organizacional: comprometimento e relacionamento com o planejamento estratégico

6 Faculdade 7 de Setembro – Sistemas de Informação Engenharia de Software – Prof. Ciro Coelho Edwards Deming – os 14 pontos Constância de propósitos Mudança filosófica Não depender de inspeção somente Fornecedores = parceiros Melhorar continuamente Treinar sempre e em todos os níveis Incentivar liderança Enfrentar e superar receios (bloqueios)

7 Faculdade 7 de Setembro – Sistemas de Informação Engenharia de Software – Prof. Ciro Coelho Edwards Deming – os 14 pontos Quebrar barreiras entre áreas Eliminar slogans e exortações Eliminar cotas numéricas de trabalho, gerenciamento por objetivos Tratar e eliminar as razões de insatisfação dos trabalhadores (baixa produtividade) Instituir programa de melhoria pessoal Engajar todos na organização no programa de transformação

8 Faculdade 7 de Setembro – Sistemas de Informação Engenharia de Software – Prof. Ciro Coelho A cadeia de Deming

9 Faculdade 7 de Setembro – Sistemas de Informação Engenharia de Software – Prof. Ciro Coelho PDCA - Ciclo de Deming/Shewhart

10 Faculdade 7 de Setembro – Sistemas de Informação Engenharia de Software – Prof. Ciro Coelho Aspectos humanos da qualidade Qualidade ligada à cultura organizacional Todos os grandes nomes da qualidade abordam questões culturais e pessoais Resistência a mudanças –alta administração –gerentes de nível intermediário –base Processo de mudança –deve se iniciar de cima –pontos importantes de apoio nos vários níveis –implantação piloto

11 Faculdade 7 de Setembro – Sistemas de Informação Engenharia de Software – Prof. Ciro Coelho Crise do software Abordagem tradicional com teste final DoD americano verificou: –grande percentual de sistemas encomendados e não usados; desperdício –motivos: ou com problemas de confiabilidade ou não atendiam mais às necessidades do cliente Falta de foco no cliente: –distância do especificado Foco no processo –não basta esperar o produto final –bons processos -> bons produtos

12 Faculdade 7 de Setembro – Sistemas de Informação Engenharia de Software – Prof. Ciro Coelho Promessas e realidade There is no silver bullet (Fred Brooks) Ferramentas CASE Metodologias de desenvolvimento Ciclos de vida Técnicas A realidade: a melhoria é custosa e gradativa

13 Faculdade 7 de Setembro – Sistemas de Informação Engenharia de Software – Prof. Ciro Coelho Qualidade de Software No início: função estava no hardware –qualidade de software: funcionalidade ao substituir o HW Com a disseminação do software: confiabilidade Foco no produto: outros atributos de qualidade Foco no cliente TQM e processos Capabilidade e maturidade de processos

14 Faculdade 7 de Setembro – Sistemas de Informação Engenharia de Software – Prof. Ciro Coelho Qualidade de Software Histórico semelhante ao de manufatura Grande resistência, dizia-se: –software é diferente –arte e criatividade –atividades não repetitivas

15 Faculdade 7 de Setembro – Sistemas de Informação Engenharia de Software – Prof. Ciro Coelho Criatividade e procesos projeto de desenvolvimento: –entradas -> produto específico –usa uma sequência de processos processo: –uma coleção de entradas -> um tipo de saída –rotinas repetitivas (especificar, inspecionar, projetar, codificar, testar, compilar, etc) –produção baseada em processos

16 Faculdade 7 de Setembro – Sistemas de Informação Engenharia de Software – Prof. Ciro Coelho Criatividade e procesos Como é possível usar as mesmas abordagens da manufatura? Melhorar/otimizar processos repetitivos que compõem a criação Liberar a capacidade criadora

17 Faculdade 7 de Setembro – Sistemas de Informação Engenharia de Software – Prof. Ciro Coelho Características de Qualidade do Produto – ISO 9126 Funcionalidade –Conjunto de atributos que evidenciam a existência de um conjunto de funções e suas propriedades especificadas –Sub-características: adequação acurácia interoperabilidade conformidade segurança de acesso

18 Faculdade 7 de Setembro – Sistemas de Informação Engenharia de Software – Prof. Ciro Coelho Características de Qualidade do Produto – ISO 9126 Confiabilidade –conjunto de atributos que evidenciam a capacidade do software de manter seu nível de desempenho sob condições estabelecidas durante um período de tempo estabelecido –Sub-características: maturidade tolerância a falhas recuperabilidade

19 Faculdade 7 de Setembro – Sistemas de Informação Engenharia de Software – Prof. Ciro Coelho Características de Qualidade do Produto – ISO 9126 Usabilidade –conjunto de atributos que evidenciam o esforço necessário para se poder utilizar o software, bem como o julgamento individual deste uso, por um conjunto explícito ou implícito de usuários –Sub-características: inteligibilidade apreensibilidade operacionalidade

20 Faculdade 7 de Setembro – Sistemas de Informação Engenharia de Software – Prof. Ciro Coelho Características de Qualidade do Produto – ISO 9126 Eficiência –conjunto de atributos que evidenciam o relacionamento entre o nível de desempenho do software e a quantidade de recursos usados, sob condições estabelecidas –Sub-características: comportamento em relação ao tempo comportamento em relação aos recursos

21 Faculdade 7 de Setembro – Sistemas de Informação Engenharia de Software – Prof. Ciro Coelho Características de Qualidade do Produto – ISO 9126 Manutenibilidade –conjunto de atributos que evidenciam o esforço necessário para fazer modificações especificadas no software –Sub-características: analisabilidade modificabilidade estabilidade testabilidade

22 Faculdade 7 de Setembro – Sistemas de Informação Engenharia de Software – Prof. Ciro Coelho Características de Qualidade do Produto – ISO 9126 Portabilidade –conjunto de atributos que evidenciam a capacidade do software ser transferido de um ambiente para outro –Sub-características: adaptabilidade capacidade para ser instalado conformidade capacidade para substituir

23 Faculdade 7 de Setembro – Sistemas de Informação Engenharia de Software – Prof. Ciro Coelho Qualidade é... Função Confiabilidade Durabilidade Desempenho Consumo Tamanho Flexibilidade

24 Faculdade 7 de Setembro – Sistemas de Informação Engenharia de Software – Prof. Ciro Coelho Mas é também... Preço Prazo Serviços pós-venda Aspectos humanos: –exploração do trabalho –respeito ao meio ambiente –posição quanto à comunidade

25 Faculdade 7 de Setembro – Sistemas de Informação Engenharia de Software – Prof. Ciro Coelho Características de Qualidade do Projeto Prazo –O melhor produto do mundo entregue com atraso pode não servir pra nada Custo –Se o custo for maior do que o previsto, alguém vai ter que arcar com os prejuízos, o cliente ou a empresa desenvolvedora Qualidade dos serviços –Atendimento ao cliente, pós-venda etc. Satisfação do cliente –Envolve os aspectos anteriores e a qualidade do produto, além de outros fatores

26 Faculdade 7 de Setembro – Sistemas de Informação Engenharia de Software – Prof. Ciro Coelho Gestão da qualidade Ferramenta de administração para atingir os objetivos do negócio Evolução da qualidade deve ser gerenciada como se fosse um projeto Articulação com os planos corporativos, principalmente o estratégico Planos são traçados a partir das expectativas dos clientes Foco no cliente não basta -> stakeholders

27 Faculdade 7 de Setembro – Sistemas de Informação Engenharia de Software – Prof. Ciro Coelho Gestão da qualidade Stakeholders: partes interessadas Clientes são os mais importantes, mas: –acionistas –empregados: qualidade no ambiente de trabalho e no futuro profissional –fornecedores e parceiros –comunidade e meio ambiente Frequentemente os objetivos dos stakeholders são antagônicos Objetivo: atingir o equilíbrio, satisfazer a todos (win x win)

28 Faculdade 7 de Setembro – Sistemas de Informação Engenharia de Software – Prof. Ciro Coelho Controle da Qualidade Verificar se o artefato produzido tem qualidade Exemplos de atividades –Testes –Revisões Encontro formal onde um ou mais artefatos são apresentados ao cliente, usuário ou outra parte interessada no produto para que seja(m) comentado e aprovado(s) –Inspeções Encontro formal onde um ou mais artefatos são analisados pro uma pessoa ou grupo de pessoas para detectar erros, violações de padrões e outros problemas Foco na qualidade do produto

29 Faculdade 7 de Setembro – Sistemas de Informação Engenharia de Software – Prof. Ciro Coelho Garantia da Qualidade Estabelecer procedimentos e padrões que conduzam a um software de qualidade Padrões (ou normas) são a chave para a garantia da qualidade Padrões podem ser internacionais, nacionais ou organizacionais. –Organizações de padronização: ISO, IEEE, ANSI, SEI etc Foco na qualidade do processo (contempla tanto produto quanto projeto)

30 Faculdade 7 de Setembro – Sistemas de Informação Engenharia de Software – Prof. Ciro Coelho Técnicas para garantir qualidade Inspeção: –exame (visual) de características dos produtos Teste: –execução e comparação com os resultados esperados Auditoria: –avaliação independente de produtos e processos Aplicação em produtos: –inspeção, teste e auditoria Aplicação em processos: –auditoria

31 Faculdade 7 de Setembro – Sistemas de Informação Engenharia de Software – Prof. Ciro Coelho Modelos/Padrões de Qualidade Repositório das melhores práticas Referência para estabelecimento de processos Define métrica para avaliação e roteiro seqüencial para a melhoria, baseado na capacidade de processo Define o quê deve ser feito, não o como Independente da tecnologia a ser utilizada

32 Faculdade 7 de Setembro – Sistemas de Informação Engenharia de Software – Prof. Ciro Coelho Modelos/Padrões de Qualidade CMM/CMMI ISO/IEC (SPICE) CobiT ITIL Six Sigma MPS – Br...

33 Faculdade 7 de Setembro – Sistemas de Informação Engenharia de Software – Prof. Ciro Coelho CMMI

34 Faculdade 7 de Setembro – Sistemas de Informação Engenharia de Software – Prof. Ciro Coelho Maturidade de Processos Processo IMATURO Ad hoc - improvisado Fortemente dependente dos profissionais Pouca produtividade geral Prazos e nível de qualidade difíceis de cumprir Mais riscos na adoção de novas tecnologias Precisa apagar incêndios freqüentemente

35 Faculdade 7 de Setembro – Sistemas de Informação Engenharia de Software – Prof. Ciro Coelho Maturidade de Processos Processo IMATURO A maioria das organizações de software nessa situação são como bombeiros –O fogo está sob controle –Constantemente reativas – sem tempo para as melhorias –Os bombeiros se queimam –Seu único controle é: prevenção do incêndio

36 Faculdade 7 de Setembro – Sistemas de Informação Engenharia de Software – Prof. Ciro Coelho Maturidade de Processos Processo MADURO: É bem conhecido por todos os envolvidos Permite auditoria da fidelidade ao processo Propicia adoção disciplinada de tecnologias Os papéis e responsabilidades são claramente definidos Permite acompanhamento da qualidade do produto Permite acompanhamento da satisfação do cliente O cronograma, custo e qualidade são alcançados Há melhoria contínua do processo

37 Faculdade 7 de Setembro – Sistemas de Informação Engenharia de Software – Prof. Ciro Coelho Maturidade de Processos Processo MADURO: A organização possui uma infra-estrutura que efetiva e consistentemente aplica o processo Gerência deve alimentar a cultura de gestão – se ninguém se importa, todo mundo esquece Um processo institucionalizado resiste mesmo sem as pessoas que o definiram originalmente

38 Faculdade 7 de Setembro – Sistemas de Informação Engenharia de Software – Prof. Ciro Coelho Maturidade de Processos IMATURO Processo improvisado pelas pessoas Processo não é seguido ou cumprido Grande dependência dos atuais desenvolvedores Baixa visibilidade do processo para seu progresso e qualidade Funcionalidade e qualidade do produto comprometidas para atender prazo Custos excessivos de manutenção Tecnologia Processo MADURO Processo é definido, documentado e melhorado continuamente Processo é entendido, utilizado e vivo Processo suportado pela gerência Processo verificado e cumprido Grande visibilidade do processo alinhado ao negócio da organização Papéis e responsabilidades claramente definidas Processo Tecnologia

39 Faculdade 7 de Setembro – Sistemas de Informação Engenharia de Software – Prof. Ciro Coelho CMM - Histórico Desenvolvido pelo SEI – Software Engineering Institute da Carnegie Mellon University no final dos anos 80 a pedido do Departamento de Defesa dos EUA (DoD) Watts Humphey foi o principal mentor do CMM

40 Faculdade 7 de Setembro – Sistemas de Informação Engenharia de Software – Prof. Ciro Coelho CMMI Capability Maturity Model Integrated Desenvolvido pelo Software Engineering Institute (SEI) Evolução do CMM Objetivo: servir de base para a melhoria de processos da organização É um modelo, não é um processo!!!

41 Faculdade 7 de Setembro – Sistemas de Informação Engenharia de Software – Prof. Ciro Coelho CMMI Modelo de gestão da qualidade aplicável ao processo de desenvolvimento de software Descreve elementos chave para um processo eficaz e o caminho evolutivo para um processo maduro e disciplinado Busca da melhoria contínua, aprimorando a habilidade da organização para atender aos objetivos de custo, prazo, funcionalidade e qualidade do produto

42 Faculdade 7 de Setembro – Sistemas de Informação Engenharia de Software – Prof. Ciro Coelho CMMI Capability Maturity Model Integrated = Engenharia de Software (SW) + Engenharia de Sistemas (SE) + Desenvolvimento Integrado de Produtos e Processos (IPPD) + Gerência de Fornecimento (SS)

43 Faculdade 7 de Setembro – Sistemas de Informação Engenharia de Software – Prof. Ciro Coelho CMMI Em relação ao CMM, o CMMI é: –Mais compatível com as práticas atuais de desenvolvimento de software –Mais flexível –Mais compreensível –Mais complexo

44 Faculdade 7 de Setembro – Sistemas de Informação Engenharia de Software – Prof. Ciro Coelho CMMI - Visões Depende do tipo de negócio da empresa. Pode ser: –SW –SW + SE –SW + SE + IPPD –SW + SE + IPPD + SS

45 Faculdade 7 de Setembro – Sistemas de Informação Engenharia de Software – Prof. Ciro Coelho CMMI - Representações Estágios –Melhoria de processos por níveis –Cada nível contempla algumas áreas de processo –Níveis de maturidade (1 a 5) Contínua –Melhoria de processos por grupos de processo –Níveis de capacidade (0 a 5) –Mais flexível e mais confuso

46 Faculdade 7 de Setembro – Sistemas de Informação Engenharia de Software – Prof. Ciro Coelho CMMI - Estrutura

47 Faculdade 7 de Setembro – Sistemas de Informação Engenharia de Software – Prof. Ciro Coelho CMMI Níveis de Maturidade

48 Faculdade 7 de Setembro – Sistemas de Informação Engenharia de Software – Prof. Ciro Coelho CMMI Nível 1 - Inicial - organizações imaturas –Não há metodologia implementada Nível 2 - Repetível - disciplina e estabilidade –Empresa consegue produzir no prazo com custo previsível Nível 3 - Definido - padronização e consistência –Garante o nível de qualidade no produto e no processo Nível 4 - Gerenciado - medição e controle –O processo é definido, quantificado e acompanhado Nível 5 - Otimizado - melhoria contínua –Mudanças no processo não prejudicam o desenvolvimento

49 Faculdade 7 de Setembro – Sistemas de Informação Engenharia de Software – Prof. Ciro Coelho CMMI – Nível 1 Nível 1 - Inicial Processo disforme e de baixa visibilidade Resultados são imprevisíveis Formas de controle muito pobres Enormes dificuldade para previsões de –cronogramas –orçamentos –funcionalidades –qualidade do produto

50 Faculdade 7 de Setembro – Sistemas de Informação Engenharia de Software – Prof. Ciro Coelho CMMI – Nível 2 Nível 2 - Repetível Disciplinado e estável Procedimentos de gerenciamento de projetos Aproveitamento sistemático de históricos Padrões para projetos de software Acompanhamento de custos, cronogramas e funcionalidades

51 Faculdade 7 de Setembro – Sistemas de Informação Engenharia de Software – Prof. Ciro Coelho CMMI – Nível 2 Nível 2 - Repetível Processos disciplinados garantem a reprodução de processo já utilizados em projetos bem sucedidos em aplicações semelhantes... Entretanto... A Gerência ainda é reativa!!!!

52 Faculdade 7 de Setembro – Sistemas de Informação Engenharia de Software – Prof. Ciro Coelho CMMI – Nível 2 Meta Genérica: institucionalizar um processo gerenciado Práticas Genéricas –Estabelecer uma política organizacional –Planejar o processo –Prover recursos –Atribuir responsabilidade –Treinar pessoal –Gerenciar configurações –Identificar e envolver stakeholders relevantes –Monitorar e controlar o processo –Avaliar aderência objetivamente –Revisar status com gerência sênior

53 Faculdade 7 de Setembro – Sistemas de Informação Engenharia de Software – Prof. Ciro Coelho CMMI – Nível 2 Áreas de Processo (PAs) –Gerenciamento de Requisitos –Planejamento do Projeto –Acompanhamento do Projeto –Gerenciamento de Fornecimento e Subcontratação –Medição e Análise –Garantia da Qualidade –Gerenciamento de Configuração

54 Faculdade 7 de Setembro – Sistemas de Informação Engenharia de Software – Prof. Ciro Coelho CMMI – Nível 3 Nível 3 - Definido As saídas de uma atividade fluem naturalmente para as entradas da atividade seguinte Os processos de software são –Integrados no processo padrão da empresa –Documentados –Padronizados

55 Faculdade 7 de Setembro – Sistemas de Informação Engenharia de Software – Prof. Ciro Coelho CMMI – Nível 3 Nível 3 - Definido Todos os projetos usam uma versão aprovada e individualmente adaptada do processo padrão da organização A Gerência é Pro-Ativa!!! Há um grupo para o estabelecimento dos padrões e multiplicação do conhecimento – SEPG (Software Engineering and Process Group)

56 Faculdade 7 de Setembro – Sistemas de Informação Engenharia de Software – Prof. Ciro Coelho CMMI – Nível 3 Meta Genérica: institucionalizar um processo definido Práticas Genéricas –Estabelecer um processo definido –Coletar informações para melhoria

57 Faculdade 7 de Setembro – Sistemas de Informação Engenharia de Software – Prof. Ciro Coelho CMMI – Nível 3 Áreas de Processo (PAs) –Desenvolvimento de Requisitos –Solução técnica –Integração de Produtos –Verificação –Validação –Foco no Processo Organizacional –Definição do Processo Organizacional –Treinamento Organizacional –Gerenciamento Integrado de Projetos –Gerenciamento de Riscos –Alocação Integrada de Pessoas –Gerenciamento Integrado de Fornecimento –Análise de Decisão –Ambiente Organizacional para Intgração

58 Faculdade 7 de Setembro – Sistemas de Informação Engenharia de Software – Prof. Ciro Coelho CMMI – Nível 4 Nível 4 - Gerenciado Faz controle estatístico de processo Aponta causas da variação do processo Capacitação predizível Bases objetivas para tomada de decisão Gerência quantitativa de produto e processo Os processo de software e a qualidade do produto são medidos e controlados quantitativamente

59 Faculdade 7 de Setembro – Sistemas de Informação Engenharia de Software – Prof. Ciro Coelho CMMI – Nível 4 Meta Genérica: institucionalizar um processo quantitativamente gerenciado Práticas Genéricas –Estabelecer objetivos quantitativos para o processo –Estabilizar performance dos subprocessos

60 Faculdade 7 de Setembro – Sistemas de Informação Engenharia de Software – Prof. Ciro Coelho CMMI – Nível 4 Áreas de Processo (PAs) –Performance do Processo Organizacional –Gerenciamento Quantitativo do Projeto

61 Faculdade 7 de Setembro – Sistemas de Informação Engenharia de Software – Prof. Ciro Coelho CMMI – Nível 5 Nível 5 - Otimizado Foco na melhoria contínua do processo Melhoria contínua proporcionada por Realimentação quantitativa do processo Condução de novas idéias e tecnologias A organização tem capacidade gerencial para estimar e acompanhar quantitativamente o impacto e a eficácia das mudanças

62 Faculdade 7 de Setembro – Sistemas de Informação Engenharia de Software – Prof. Ciro Coelho CMMI – Nível 5 Meta Genérica: institucionalizar um processo em otimização Práticas Genéricas –Garantir melhoria contínua do processo –Corrigir causas (root causes) de problemas

63 Faculdade 7 de Setembro – Sistemas de Informação Engenharia de Software – Prof. Ciro Coelho CMMI – Nível 5 Áreas de Processo (PAs) –Inovação Organizacional –Análise Causal

64 Faculdade 7 de Setembro – Sistemas de Informação Engenharia de Software – Prof. Ciro Coelho Exemplo – Gerenciamento de Requisitos Gerenciar requisitos (objetivo específico) –Obter entendimento dos requisitos (prática específica) –Obter comprometimento quanto aos requisitos –Gerenciar mudanças em requisitos Capturar mudanças em requisitos (subprática) Manter histórico de mudanças Avaliar impacto das mudanças Disponibilizar mudanças –Manter rastreabilidade bidirecional de requisitos –Identificar inconsistências entre requisitos e produtos de trabalho


Carregar ppt "Faculdade 7 de Setembro – Sistemas de Informação Engenharia de Software – Prof. Ciro Coelho Engenharia de Software Qualidade de Software."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google