A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

1 Índice 1. Comercio internacional 1.1 Definição 1.2 Breve introdução 1.3 Fluxos 1.4 O registo das relações com o Resto do Mundo 2. Balanças 2.1 O que.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "1 Índice 1. Comercio internacional 1.1 Definição 1.2 Breve introdução 1.3 Fluxos 1.4 O registo das relações com o Resto do Mundo 2. Balanças 2.1 O que."— Transcrição da apresentação:

1 1 Índice 1. Comercio internacional 1.1 Definição 1.2 Breve introdução 1.3 Fluxos 1.4 O registo das relações com o Resto do Mundo 2. Balanças 2.1 O que são 2.2 Para que servem 2.3 Estrutura 2.4 Balança de pagamentos

2 2 Definição 1.1 O comércio internacional é a troca de bens e serviços através de fronteiras internacionais ou territórios. Na maioria dos países, ele representa uma grande parcela do PIB. O comércio internacional esteve presente através de grande parte da história da humanidade, mas a sua importância económica, social e política se tornou crescente nos últimos séculos. O avanço industrial, dos transportes, a globalização, o surgimento das corporações multinacionais, e o outsourcing tiveram grande impacto no incremento deste comércio. O aumento do comércio internacional é normalmente relacionado com o fenómeno da globalização. O comércio internacional é a troca de bens e serviços através de fronteiras internacionais ou territórios. Na maioria dos países, ele representa uma grande parcela do PIB. O comércio internacional esteve presente através de grande parte da história da humanidade, mas a sua importância económica, social e política se tornou crescente nos últimos séculos. O avanço industrial, dos transportes, a globalização, o surgimento das corporações multinacionais, e o outsourcing tiveram grande impacto no incremento deste comércio. O aumento do comércio internacional é normalmente relacionado com o fenómeno da globalização. Outsourcing designa a acção que existe por parte de uma organização em obter mão-de-obra de fora da empresa, ou seja, mão-de-obra tercializada. Está fortemente ligado a ideia de subcontratação de serviços. Outsourcing designa a acção que existe por parte de uma organização em obter mão-de-obra de fora da empresa, ou seja, mão-de-obra tercializada. Está fortemente ligado a ideia de subcontratação de serviços.

3 3 Breve introdução 1.2 O Comércio internacional desde o seu aparecimento sofreu modificações, representando actualmente uma importante parcela do PIB. A globalização bem como o desenvolvimento dos transportes são responsáveis pelo seu aumento e pela facilidade e rapidez com que hoje em dia este tipo de comércio é realizado O Comércio internacional desde o seu aparecimento sofreu modificações, representando actualmente uma importante parcela do PIB. A globalização bem como o desenvolvimento dos transportes são responsáveis pelo seu aumento e pela facilidade e rapidez com que hoje em dia este tipo de comércio é realizado

4 4 Breve introdução

5 5 Breve Introdução

6 6 Fluxos Fluxos 1.3 Fluxos: Os fluxos representam as relações e/ou transacções efectuadas entre fronteiras internacionais ou territórios, ou seja, entre o país e o Resto do Mundo. O comércio externo comporta dois tipos de fluxos: Exportações de mercadorias, de serviços e de capitais. As exportações de mercadorias representam a venda ao Resto do Mundo de mercadorias e consequentemente recebimento de divisas, como pagamento da compra efectuada pelo Resto do Mundo. Temos, por exemplo, no caso de Portugal, a venda de vinho aos EUA de vinho do Porto. Importações de mercadorias, de serviços e de capitais. As importações de mercadorias representam a compra ao Resto do Mundo de mercadorias e consequentemente saída de divisas do país. Temos, por exemplo, a compra por Portugal de petróleo à Arábia Saudita. Como sabemos, as exportações representam a entrada de divisas no país e são registadas a crédito, enquanto as importações dão origem a uma saída de divisas do país e são registadas a débito. Divisas são as unidades monetárias e as reservas de ouro utilizadas no pagamento do comércio internacional.

7 7 O registo das relações com o Resto do Mundo 1.4 O registo das relações com o Resto do Mundo, ou seja, os fluxos de entrada e de saída de meios de pagamento são registados na balança de pagamentos que iremos tratar mais à frente.

8 8 Balanças: O que são? As Balanças são representações do volume das transacções económicas de um país com o Resto do Mundo durante um determinado período de tempo, o que permite avaliar a evolução registada pela compra e venda de mercadorias, de serviços ou capitais, sendo estes que são fundamentais para a tomada de decisão pelas autoridades competentes, governo, empresas e instituições bancárias. As Balanças são representações do volume das transacções económicas de um país com o Resto do Mundo durante um determinado período de tempo, o que permite avaliar a evolução registada pela compra e venda de mercadorias, de serviços ou capitais, sendo estes que são fundamentais para a tomada de decisão pelas autoridades competentes, governo, empresas e instituições bancárias.

9 9 Para que servem ? As Balanças servem para registar as relações entre o resto do Mundo e instituições financeiras comparando a sua evolução ao longo dos anos. Uma balança pode ser deficitária, superavitária ou equilibrada. As Balanças servem para registar as relações entre o resto do Mundo e instituições financeiras comparando a sua evolução ao longo dos anos. Uma balança pode ser deficitária, superavitária ou equilibrada. Quando é superavitária significa que a quantidade de divisas que entraram, durante um determinado período de tempo, é superiores à quantidade que saiu, aumentando as reservas do país. Quando é deficitária ocorre o inverso, e quando é equilibrada a quantidade de divisas que saíram é igual à s que entraram, mantendo o nível de reservas do país estável. Quando é superavitária significa que a quantidade de divisas que entraram, durante um determinado período de tempo, é superiores à quantidade que saiu, aumentando as reservas do país. Quando é deficitária ocorre o inverso, e quando é equilibrada a quantidade de divisas que saíram é igual à s que entraram, mantendo o nível de reservas do país estável.

10 10 Estrutura Estrutura da Balanças: Estrutura da Balanças: Balança de Pagamentos: Balança de Pagamentos: Balança Corrente + Balança de Capital + Balança Financeira Balança Corrente + Balança de Capital + Balança Financeira Balança Corrente: Balança Corrente: Balança de Mercadorias ou Comercial (mercadorias) + Balança de Serviços (prémios de seguro, transportes, direitos de utilização, viagens e turismo) + Balança de Rendimentos (rendimentos do trabalho, rendimentos de investimento) + Balança de Transferências Correntes (transferências correntes, transferências públicas, transferências privadas) Balança de Mercadorias ou Comercial (mercadorias) + Balança de Serviços (prémios de seguro, transportes, direitos de utilização, viagens e turismo) + Balança de Rendimentos (rendimentos do trabalho, rendimentos de investimento) + Balança de Transferências Correntes (transferências correntes, transferências públicas, transferências privadas) Balança de Capital: Balança de Capital: Transferências de capitais + Aquisições/cedências de activos não produzidos, não financeiros Transferências de capitais + Aquisições/cedências de activos não produzidos, não financeiros Balança Financeira: Balança Financeira: Investimento directo (investimento do país no exterior, Investimento do exterior no país) + Investimento em carteira + Derivados financeiros + Outro investimento + Activos de reserva Investimento directo (investimento do país no exterior, Investimento do exterior no país) + Investimento em carteira + Derivados financeiros + Outro investimento + Activos de reserva

11 11 Balança de pagamentos Balança de Pagamentos: Balança de Pagamentos: Os fluxos de entrada e saída de meios de pagamento são registados na balança de pagamentos de cada país. Os fluxos de entrada e saída de meios de pagamento são registados na balança de pagamentos de cada país. Os registos dessas transacções entre o país e o Resto do Mundo são efectuados, no caso de Portugal, pelo Banco de Portugal, uma vez que é este o órgão responsável por gerir as reservas do país. Os registos dessas transacções entre o país e o Resto do Mundo são efectuados, no caso de Portugal, pelo Banco de Portugal, uma vez que é este o órgão responsável por gerir as reservas do país. A actual estrutura da Balança de pagamentos portuguesa passou, a partir de 1998, a ter em conta as orientações do Fundo Monetário Internacional (FMI), e a satisfazer a necessidade de harmonizar e de garantir a consistência entre os Sistemas de Contas Nacionais dos diferentes países, possibilitando a sua comparação, a partir dessa data, a harmonização dos processos de cálculo da Balança de Pagamentos no interior da U.E. A actual estrutura da Balança de pagamentos portuguesa passou, a partir de 1998, a ter em conta as orientações do Fundo Monetário Internacional (FMI), e a satisfazer a necessidade de harmonizar e de garantir a consistência entre os Sistemas de Contas Nacionais dos diferentes países, possibilitando a sua comparação, a partir dessa data, a harmonização dos processos de cálculo da Balança de Pagamentos no interior da U.E.

12 12 Exemplo de uma balança de pagamentos

13 13 Bibliografia alancapagam.htm alancapagam.htm (brasileiro) (brasileiro)

14 14 Trabalho realizado por Rita Castelo nº2 Rita Castelo nº2 Bernardo Aires nº5 Bernardo Aires nº5 Maria Constança nº16 Maria Constança nº16 Tiago Madeira nº23 Tiago Madeira nº23


Carregar ppt "1 Índice 1. Comercio internacional 1.1 Definição 1.2 Breve introdução 1.3 Fluxos 1.4 O registo das relações com o Resto do Mundo 2. Balanças 2.1 O que."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google