A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Cibercidades e Governo Eletrônico no Brasil Universidade Federal da Bahia Faculdade de Comunicação II Colóquio Internacional sobre Cibercidades – Universidade.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Cibercidades e Governo Eletrônico no Brasil Universidade Federal da Bahia Faculdade de Comunicação II Colóquio Internacional sobre Cibercidades – Universidade."— Transcrição da apresentação:

1 Cibercidades e Governo Eletrônico no Brasil Universidade Federal da Bahia Faculdade de Comunicação II Colóquio Internacional sobre Cibercidades – Universidade de Aveiro - Portugal novembro de 2002

2 Coordenação: Prof. Dr. André Lemos Ciberpesquisa Pesquisadores: Flávia Rocha – mestrado Luise Meirelles - graduação Maria Eugênia Rigitano– mestrado Patrícia Moraes – mestrado Thiago Fernandes - graduação Ciberpesquisa Universidade Federal da Bahia Faculdade de Comunicação II Colóquio Internacional sobre Cibercidades – Universidade de Aveiro - Portugal novembro de 2002

3 Participantes Institucionais Centro de Estudos e Pesquisa em Cibercultura Faculdade de Comunicação/UFBa Universidade de Aveiro - Convênio CAPES/ICCTI CNPq University of Ottawa - Chair de Recherche en Intelligence Collective (Prof. Pierre Lévy). Universidade Federal da Bahia Faculdade de Comunicação II Colóquio Internacional sobre Cibercidades – Universidade de Aveiro - Portugal novembro de 2002

4 TODA CIDADE É CIBERCIDADE Universidade Federal da Bahia Faculdade de Comunicação II Colóquio Internacional sobre Cibercidades – Universidade de Aveiro - Portugal novembro de 2002

5 - Visão pragmática da cidade inibe visão estratégica das transformações trazidas pelas TICs; - Novo espaço de fluxo implica nova lógica do espaço - Iniciativas pró-ativas são raras (Graham, Marvin, 1996; Wheller, Aoyama, Warf, 2000); - Reconhecer que modificações do modo informacional do desenvolvimento é altamente relevante para a reestruturação das cidades (produtividade, conhecimento, comunicação) Universidade Federal da Bahia Faculdade de Comunicação II Colóquio Internacional sobre Cibercidades – Universidade de Aveiro - Portugal novembro de 2002 Gestores Públicos e Telecomunicação

6 Universidade Federal da Bahia Faculdade de Comunicação II Colóquio Internacional sobre Cibercidades – Universidade de Aveiro - Portugal novembro de 2002 Áreas urbanas são centros dominantes de demanda por telecomunicções e o centro nevrálgico de erradiações eletrônicas. De fato, existe uma forte e sinérgica conexão entre as cidades e as novas infraestruturas em rede (Graham e Marvin, 1996) Transformações Urbanas

7 Hoje: redes telemáticas permeiam a experiência na cultura contemporânea; Ciberespaço como conexão de grupos e indivíduos Evitar Desespacialização (perda de referência espacial - ruas, praças, monumentos) Evitar Descentramento (perda do cimento social - global engolir o local) Evitar Desurbanização (desagregação das características do corpo social - condomínios, favelas, zonas de exclusão) Universidade Federal da Bahia Faculdade de Comunicação II Colóquio Internacional sobre Cibercidades – Universidade de Aveiro - Portugal novembro de 2002 Lógica Complementar

8 -Cidades Enraizadas - Cidades Híbridas - Virtualização de espaços reais: Aveiro, Amsterdã, Bologna, Edimburgo Universidade Federal da Bahia Faculdade de Comunicação II Colóquio Internacional sobre Cibercidades – Universidade de Aveiro - Portugal novembro de 2002 Experiências em cibercidades

9 - O ciberespaço com megacidades de bits - Informações turísticas e culturais - Cidades virtuais dos Mega-Portais - Morte aos Portais versus Cidades Portais Universidade Federal da Bahia Faculdade de Comunicação II Colóquio Internacional sobre Cibercidades – Universidade de Aveiro - Portugal novembro de 2002 Cidades Desenraizadas

10 - Metáfora de cidades de bits - Analogia com cidades em sua estrutura…ciberespaço como uma cidade…city of bits Exemplos: geocities, sprawl, iconcity… Universidade Federal da Bahia Faculdade de Comunicação II Colóquio Internacional sobre Cibercidades – Universidade de Aveiro - Portugal novembro de 2002 Cidades Metafóricas

11 -Esvaziamento da esfera pública e política é anterior ao ciberespaço - modernidade e urbanização; - Problemas: elite, tecnocracia, transparência burocrática, falta de dados negativos, pouca interação social; - Potencialidades: re- aquecer o espaço público, democratizar a informação, apropriação das NTs, favorecer laços comunitários, transparência institucional. Universidade Federal da Bahia Faculdade de Comunicação II Colóquio Internacional sobre Cibercidades – Universidade de Aveiro - Portugal novembro de 2002 Algumas considerações:

12 Utopia e Topia do Ciberespaço – perspectivas Lutopie est un voyage. Voyager signifie appareiller ver linconnu, découvrir un lieu, un nouveau monde (Franco Borsi) Universidade Federal da Bahia Faculdade de Comunicação II Colóquio Internacional sobre Cibercidades – Universidade de Aveiro - Portugal novembro de 2002 Utopia das Cibercidades

13 Universidade Federal da Bahia Faculdade de Comunicação II Colóquio Internacional sobre Cibercidades – Universidade de Aveiro - Portugal novembro de 2002 Cidade Ideal? Utopia como lugar (sem existência e sem tempo ucronia - ex: ilha Utopia - Morus, Cidade do Sol - Campanela, Nova Atlantida - Bacon… Cidade ideal não é uma cidade - Colagens de diversas cidades (Salvador, Rio, Paris, Amsterdã, Porto Alegre, Praga…) Ciberespaço é uma topia, comunicação bidirecional, fluxo pós- mediático, formas sociais livres (weblogs e webcams). Cibercidades ainda são utopia…

14 Universidade Federal da Bahia Faculdade de Comunicação II Colóquio Internacional sobre Cibercidades – Universidade de Aveiro - Portugal novembro de 2002 Governo Eletrônico Pressupostos e Perspectivas

15 A transformação na gestão pública implica em difundir a utilização dos serviços pela rede na sociedade. Mas não basta que eles estejam disponíveis na Internet. É preciso que cada vez mais cidadãos saibam que eles estão lá e tenham meios de acessá-los. Presidente Fernando Henrique Cardoso em 21 de agosto de 2000 Universidade Federal da Bahia Faculdade de Comunicação II Colóquio Internacional sobre Cibercidades – Universidade de Aveiro - Portugal novembro de 2002

16 - Aproximação das organizações com as pessoas. - Diminuição de custos. - Adaptação dos processos gerenciais as novas tecnologias. - Manter uma estrutura flexível que acompanhe as mudanças rápidas da economia e do mercado. Universidade Federal da Bahia Faculdade de Comunicação II Colóquio Internacional sobre Cibercidades – Universidade de Aveiro - Portugal novembro de 2002 Objetivos das Organizações da Nova Economia

17 Universidade Federal da Bahia Faculdade de Comunicação II Colóquio Internacional sobre Cibercidades – Universidade de Aveiro - Portugal novembro de 2002 O que é E-Gov? Um novo conceito de gerenciamento das organizações governamentais visando menor custo, maior integração com os parceiros e consumidores e melhoria de relacionamento com o usuário.

18 Universidade Federal da Bahia Faculdade de Comunicação II Colóquio Internacional sobre Cibercidades – Universidade de Aveiro - Portugal novembro de 2002 Foco do E-Gov no Brasil Melhoria do serviço - mudar a cultura do gestor público, com uma administração mais focada no cidadão-cliente, passando do atendimento global para individual. Redução de custo, transparência e simplificação de processos. Ter maior controle social para administrar melhor os recursos públicos. Envolve alta hierarquia dos Ministérios e todo poder público.

19 - Para as unidades despreparadas e desorganizadas o E-Gov representa uma ameaça. - Para as eficazes e democráticas uma oportunidade de atuar num ambiente de decisões rápidas e estratégicas. - Para os usuários é necessário estabelecer um novo padrão de comportamento, valendo-se do direito e do dever de cidadania para sindicar ativamente as ações do estado virtual. Universidade Federal da Bahia Faculdade de Comunicação II Colóquio Internacional sobre Cibercidades – Universidade de Aveiro - Portugal novembro de 2002 Problemas e Perspectivas

20 Brasil.gov.br Quer conseguir oferecer pela rede todos os serviços e convergência de todas as unidades de gestão (municipal, estadual e federal), estabelecendo um novo paradigma cultural de inclusão digital focado no cidadão/cliente. Universidade Federal da Bahia Faculdade de Comunicação II Colóquio Internacional sobre Cibercidades – Universidade de Aveiro - Portugal novembro de 2002

21 Ofertas de serviços na Rede Declarações do imposto de renda Certidões de pagamentos de impostos Divulgação das compras do governo Cadastramento de fornecedores do Governo Matrículas escolares no ensino básico Acompanhamento de processos judiciais Indicadores econômicos e sociais e dados dos censos Universidade Federal da Bahia Faculdade de Comunicação II Colóquio Internacional sobre Cibercidades – Universidade de Aveiro - Portugal novembro de 2002

22 Acompanhamento de processos na Previdência Social Programas de ensino a distância Informações sobre programas do Governo Federal Mensagens em quiosques de acesso à Internet dos Correios Universidade Federal da Bahia Faculdade de Comunicação II Colóquio Internacional sobre Cibercidades – Universidade de Aveiro - Portugal novembro de 2002

23 Problemas e Perspectivas Para as unidades despreparadas e desorganizadas o E-Gov representa uma ameaça. Para as eficazes e democráticas uma oportunidade de atuar num ambiente de decisões rápidas e estratégicas. Para os usuários é necessário estabelecer um novo padrão de comportamento, valendo-se do direito e do dever de cidadania para sindicar ativamente as ações do estado virtual. Universidade Federal da Bahia Faculdade de Comunicação II Colóquio Internacional sobre Cibercidades – Universidade de Aveiro - Portugal novembro de 2002

24 A pesquisa Cibercidade no Brasil Universidade Federal da Bahia Faculdade de Comunicação II Colóquio Internacional sobre Cibercidades – Universidade de Aveiro - Portugal novembro de 2002

25 Universidade Federal da Bahia Faculdade de Comunicação II Colóquio Internacional sobre Cibercidades – Universidade de Aveiro - Portugal novembro de 2002 Trata-se de um mapeamento das experiências de Cibercidades e E-gov no Brasil. O objetivo desse trabalho é traçar um panorama dos casos brasileiros, e em seguida criar um modelo referência para os portais das cidades, baseado na interação entre a sociedade civil e o Estado.

26 - construir um sistema de informações que garanta a comparabilidade nos portais pesquisados; - identificar os pontos fortes e fracos dos portais; - retratar o desempenho dos estados e prefeituras através de informações que permitam elaborar indicadores sobre a atividade dos governos (educação, saúde, infraestrutura, segurança, orçamento participativo, interação com os representantes, etc.) Universidade Federal da Bahia Faculdade de Comunicação II Colóquio Internacional sobre Cibercidades – Universidade de Aveiro - Portugal novembro de 2002 Objetivos específicos:

27 - obter uma caracterização mais detalhada dos portais, especialmente no que diz respeito aos canais de comunicação e informação entre a cidade, a sociedade e o governo; - Dimensionar a distribuição nacional dos serviços e informações nos portais; - Criar um modelo referência para os portais de cibercidades no Brasil. Universidade Federal da Bahia Faculdade de Comunicação II Colóquio Internacional sobre Cibercidades – Universidade de Aveiro - Portugal novembro de 2002

28 O estudo teve início em maio de 2002 com o objetivo de mapear as experiências de Cibercidades no Brasil. A pesquisa foi constituída de todos os portais dos Estados e Capitais do Brasil, um total de 47, tendo como base cadastral o portal do Brasil.gov. mantido pelo Governo Federal.Brasil.gov. Universidade Federal da Bahia Faculdade de Comunicação II Colóquio Internacional sobre Cibercidades – Universidade de Aveiro - Portugal novembro de 2002

29 Esta pesquisa está dividida em três etapas: 1ª Etapa Exploratória – Construção de uma Matriz de Análise com base no modelo conceitual de cibercidade. – Prospecção e Catalogação das cidades no Ciberespaço. Universidade Federal da Bahia Faculdade de Comunicação II Colóquio Internacional sobre Cibercidades – Universidade de Aveiro - Portugal novembro de 2002

30 2ª Etapa Descritiva – Análise detalhada dos portais oficiais – Preenchimento e Análise das Matrizes Universidade Federal da Bahia Faculdade de Comunicação II Colóquio Internacional sobre Cibercidades – Universidade de Aveiro - Portugal novembro de 2002

31 3ª Etapa Criação da Cibercidade Referência Elaboração do modelo de referência baseado nos pontos fortes de todos os portais, segundo critérios de análise estabelecidos durante a confecção e a análise das matrizes. Modelo Lévy-Lemos de análise. Universidade Federal da Bahia Faculdade de Comunicação II Colóquio Internacional sobre Cibercidades – Universidade de Aveiro - Portugal novembro de 2002

32 Instrumento de coleta Para proceder ao levantamento das informações requeridas dos portais selecionados foi construída uma matriz de análise detalhada. Universidade Federal da Bahia Faculdade de Comunicação II Colóquio Internacional sobre Cibercidades – Universidade de Aveiro - Portugal novembro de 2002

33 A matriz está dividida em quatro partes, discriminadas conforme as características das informações levantadas, assim definidas: 1. Dados Gerais, 2. Serviços de Atendimento ao Cidadão, 3. Canais de Comunicação e interação, 4. Comentários. Universidade Federal da Bahia Faculdade de Comunicação II Colóquio Internacional sobre Cibercidades – Universidade de Aveiro - Portugal novembro de 2002

34 A matriz é aplicada em todos os portais, e seu conteúdo é transformado numa análise mais profunda e qualitativa do portal. Universidade Federal da Bahia Faculdade de Comunicação II Colóquio Internacional sobre Cibercidades – Universidade de Aveiro - Portugal novembro de 2002

35 – Resultado: Cadastramento de 47 portais oficiais de capitais e estados. Estão ausentes: Maceió – tem link, mas não está disponível Macapá – não tem link Porto Velho – não tem link Roraima - tem link, mas não está disponível Universidade Federal da Bahia Faculdade de Comunicação II Colóquio Internacional sobre Cibercidades – Universidade de Aveiro - Portugal novembro de 2002

36 Universidade Federal da Bahia Faculdade de Comunicação II Colóquio Internacional sobre Cibercidades – Universidade de Aveiro - Portugal novembro de 2002 Comentários Potência das Cibercidades: Apropriação das TICs; Estabelecer espaço de exercício da cidadania; Permitir a manifestação política e cultural; Possibilitar o contato e a comunicação entre a administração pública e os cidadãos; Criar um acervo de informações sobre a cidade; Fortalecer os laços sociais entre os moradores.

37 A maioria dos portais utilizam muito pouco essas possibilidades, apesar de se perceber um aumento crescente nos números: Atualmente 452 municípios do Brasil estão on-line. Universidade Federal da Bahia Faculdade de Comunicação II Colóquio Internacional sobre Cibercidades – Universidade de Aveiro - Portugal novembro de 2002 Por outro lado...

38 Características mais interessantes encontradas nos Portais. Baseado nas variáveis selecionadas. Universidade Federal da Bahia Faculdade de Comunicação II Colóquio Internacional sobre Cibercidades – Universidade de Aveiro - Portugal novembro de 2002

39 Educação - BH – Paraná - RS Infraestrutura – BH – RJp Saúde – MS - Paraná Transporte – BH - Paraná – RJp Segurança – Espírito Santo - RJp Turismo/Cultura e Lazer – BA – Campo Grande - Paraná Judiciário - Goiás Compras, licitação e cadastro- BA - Pernambuco Orçamento Participativo – Porto Alegre - Recife Indicadores Sócio-econômicos - Goiás - Mato Grosso – SPp - RJp Legislação - todosBHParanáRSBHRJpMSParanáBHParanáRJpEspírito SantoRJpBACampo GrandeParanáGoiásBA- PernambucoPorto Alegre RecifeGoiásMato GrossoSPpRJp Universidade Federal da Bahia Faculdade de Comunicação II Colóquio Internacional sobre Cibercidades – Universidade de Aveiro - Portugal novembro de 2002

40 Ouvidoria – Goiás – RJp - SPp Atendimento ao cidadão – BA - Mato Grosso - SPp Vínculo Social – Mato Grosso – Amapá – Porto Alegre - SPp Provedor Público – MG - Paraná – Porto Alegre - SPp Interação com os representantes – Ce - Mato Grosso Notícias e Diário Oficial – Goiás - Porto Alegre Comércio Eletrônico – Mato Grosso Secretarias e Órgãos - todosGoiásRJpSPpBAMato GrossoSPpMato GrossoAmapáPorto Alegre SPpMGParanáPorto Alegre SPpCeMato GrossoGoiásPorto AlegreMato Grosso Universidade Federal da Bahia Faculdade de Comunicação II Colóquio Internacional sobre Cibercidades – Universidade de Aveiro - Portugal novembro de 2002

41 Melhores Portais e Piores Portais Universidade Federal da Bahia Faculdade de Comunicação II Colóquio Internacional sobre Cibercidades – Universidade de Aveiro - Portugal novembro de 2002

42 Região Norte Região Centro-oeste Região Nordeste Região Sudeste Região Sul Amazonas Acre Rondônia Roraima Pará Amapá DF Mato Grosso Mato Grosso do Sul Goiás Tocantins Rio Grande do Sul Santa Catarina Paraná SP MG 23 Estados 24 Capitais Pesquisados RJ ES BA SE AL PE PB RN Ceará Piauí Maranhão

43 Universidade Federal da Bahia Faculdade de Comunicação II Colóquio Internacional sobre Cibercidades – Universidade de Aveiro - Portugal novembro de 2002 O caso de Palmas O que é: Cidade do Conhecimento Cidade do Conhecimento é um ambiente virtual para educação a distância, inclusão digital e gestão do conhecimento, que busca inserir os cidadãos do município de Palmas na Sociedade da Informação, promovendo o desenvolvimento da fluência tecnológica da comunidade. Parceiros Prefeitura de Palmas Governo do Estado Campus Virtual UGF

44 Universidade Federal da Bahia Faculdade de Comunicação II Colóquio Internacional sobre Cibercidades – Universidade de Aveiro - Portugal novembro de 2002 Diferenciais: Pontos de acesso público; Comunidades virtuais; Netmóvel – automóvel com internet Álbum de família; Projetos nas escolas e nas comunidades de inclusão digital: netcidadão.

45 - Portais informativos/ criam um acervo de informações sobre a cidade; - Exploram muito pouco o potencial da internet; - Ainda não promovem um espaço para o exercício da cidadania; - Nem fortalece laços sociais; - Poucos canais de comunicação entre governo e cidadãos. Universidade Federal da Bahia Faculdade de Comunicação II Colóquio Internacional sobre Cibercidades – Universidade de Aveiro - Portugal novembro de 2002 Algumas possíveis conclusões:

46 Modelo Lévy-Lemos Universidade Federal da Bahia Faculdade de Comunicação II Colóquio Internacional sobre Cibercidades – Universidade de Aveiro - Portugal novembro de 2002

47 Universidade Federal da Bahia Faculdade de Comunicação II Colóquio Internacional sobre Cibercidades – Universidade de Aveiro - Portugal novembro de 2002 Modelo IC para Cibercidades Capital Social Capital Intelectual Capital Cultural Capital Técnico Processo de Inteligência

48 Capital Social Serviços on line ao cidadão Ongs publico Enquetes Chats Telecentros Fóruns Induzidos e Fóruns Livres Info e doc Identidade Potência Política

49 Escolas on line Arte Eletrônica Meio Ambiente Chats Bibliotecas Museus e Galerias Info e doc Percepção Memória Potência da Memória Capital Cultural

50 Cidadania Formação Profissional publicações Matrículas On-line Escolas Cursos On-line Universidades Info e doc Percepção e conhecimento Potência Cognitiva Capital Intelectual

51 Internet livre em instituições Capacitação Fundações REMA Comunidades Organizadas Telecentros Apoio Técnico ao usuário Info e doc Ação Comunicação Potência Técnica Capital Técnico Infraestrutura Condicionante

52

53

54

55

56

57

58

59

60

61

62 Universidade Federal da Bahia Faculdade de Comunicação II Colóquio Internacional sobre Cibercidades – Universidade de Aveiro - Portugal novembro de 2002 Trabalhos desenvolvidos atualmente Grupo de pesquisa Cibercidades e Governo Eletrônico Duas disciplinas sobre Cibercidades Site do CibercidadeCibercidade Blogger da disciplina Cibercidades


Carregar ppt "Cibercidades e Governo Eletrônico no Brasil Universidade Federal da Bahia Faculdade de Comunicação II Colóquio Internacional sobre Cibercidades – Universidade."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google