A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Engenharia e Gestão do Conhecimento Fundamentos Cognitivos da Informação Origem: das estrelas até nós Marisa Carvalho | M. Regina Álvares | Richard Faust.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Engenharia e Gestão do Conhecimento Fundamentos Cognitivos da Informação Origem: das estrelas até nós Marisa Carvalho | M. Regina Álvares | Richard Faust."— Transcrição da apresentação:

1 Engenharia e Gestão do Conhecimento Fundamentos Cognitivos da Informação Origem: das estrelas até nós Marisa Carvalho | M. Regina Álvares | Richard Faust

2 Título: Crianças de Amanhã Autora: Riane Eisler Assunto: Educação para o Século XXI Abordagem: Ante-projeto para Parceria Origem Livro

3 Abordagem: Modelo de Aprendizagem de Parceria e de dominação Narrativas: Trama Evolução do Universo, da Vida e Evolução Cultural Visão Sistêmica: Ênfase na diversidade para construção do conhecimento Origem Capítulo 3

4 Drama em desenvolvimento Emergência e Evolução do Universo Emergência e Evolução da Vida Visão equilibrada da Evolução Humanos e outros Primatas Origem Seções

5 Qual o significado de nossa jornada? O que em nós nos conecta com, e nos distingue, do resto da natureza? Existem padrões no movimento das estrelas, do sol, e da lua no céu e em nossos próprios movimentos na vida? Quais são nossas responsabilidades morais e éticas como seres humanos? O que nos impele a pensar nessas coisas? Origem Questionamentos

6 Religião Filosofia Ciência Ciência é geralmente ensinada em pedaços e partes desconectados uns dos outros e também das questões que motivam o intelecto e a imaginação à explorar os mistérios de nosso universo e do significado das nossas vidas Origem Respostas

7 Evolução Cósmica Evolução Planetária Evolução Biológica Evolução Cultural Modelo de Ensino – aplicação desde o jardim de infância ao ensino médio Origem Interconexão

8 Visão panorâmica criativa da evolução Movimento evolucionário geral em direção a cada vez maior variabilidade Complexidade de estrutura, integração de funções e flexibilidade de comportamento Drama ainda em desenvolvimento – não uma seqüência predeterminada, mas um processo no qual a cada momento existiram, e existem, diferentes resultados possíveis Origem Abordagem Integradora

9 Estimular Procurar padrões e conexões maiores Não memorizar grandes quantidades de dados Formular questões pertinentes Explorar assuntos básicos: histórias e as possibilidades de nosso universo, da vida e da nossa espécie Origem Abordagem Integradora

10 Sentido de reverência e admiração em relação ao mistério e grandiosidade de nosso universo Maria Montessori Sentido de significado e propósito Estimula questões: O que eu sou? Qual é a nossa tarefa neste maravilhoso universo? Nós simplesmente vivemos aqui para nós mesmos, ou existe algo maior para nós fazermos? Nós descobriremos nosso papel maior somente pela reinvenção do humano como uma dimensão do universo emergente Brian Swimme Origem Abordagem Integradora

11 Discussão da evolução Proposta abordagem : aberto a questão sobre se há inteligência criativa na evolução A questão que cada um irá finalmente ter que responder por si próprio: se é de origem divina o processo de evolução Drama Desenvolvimento

12 Essência Divina Criatividade e sensibilidade, justiça, beleza e amor Ideais Humanos Valores, normas e crenças Drama Emergência

13 Dimensão Espiritual Desejo de unidade com os outros seres vivos e com o que chamamos de divino – é parte da evolução da consciência Condicionamento Humano Evolução biológica e cultural Busca beleza, justiça e amor Drama Consciência

14 Educação em geral Evolução do sentido moral e do amor Habilidade de aprender e raciocinar Ensinada desta perspectiva maior, a evolução geológica, biológica e cultural nos traz uma perspectiva da evolução do cosmo, de nosso planeta e da vida na Terra – incluindo a emergência da consciência humana e a possibilidade de nos tornarmos co-criadores conscientes de nosso futuro Drama Teorias Sistêmicas

15 Evolução cósmica, planetária e biológica Evolução cultural: a pré-história e história humanas Nova perspectiva – uma que faz visível a tensão subjacente entre os modelos de parceria e de dominação como duas possibilidades humanas, e as conseqüências que seguem de cada uma Material apresentado depende da maturação das capacidades dos estudantes Formas de histórias: entendimento claro de como ciência e tecnologia são guiadas por valores culturais, e como estes valores diferem, dependendo do grau em que uma sociedade se orienta para o modelo de aprendizagem de parceria e de dominação Drama Aprendizagem Vertical

16 História da evolução do Universo Narrativa da evolução do universo Estudantes a criar imagens do nascimento de nosso sistema solar ou imagens da evolução da Terra em seu estagio inicial de lava e pedras, muito antes da primeira aparição da vida Incluindo mulheres e pessoas não-brancas, as quais são raramente referenciadas em livros-texto sobre o assunto Universo Modelo Aprendizagem Parceria

17 Imagem de Estereótipos Imagem de Identificação Técnica do desenho e materiais culturais: maneira de aumentar e aprofundar a percepção que as crianças tem de cientistas e ciência Aprender historias sobre mulheres, hispânicos e negros, e outros cientistas que não se encaixam nos estereótipos convencionais Resultado: desenhos mais variados e inclusivos e próprias histórias ( ou pesquisas) Universo Estratégias

18 Histórias, Desenhos e Imaginação Contador de histórias: professores podem iluminar o estudo da evolução planetária e cósmica, astronomia e física, no contexto da emoção, da exploração, tanto física quanto mental Universo Estratégias

19 Conhecimento desde um simples organismo de uma célula até outras formas de vida mais complexas que podem rastejar, voar, andar e falar. Hoje mão e mentes humanas - e a extensão dessas capacidades através de tecnologias cada vez mais complexas - estão literalmente co-criando o nosso planeta juntamente com os processos da natureza Contextualizados em uma história: grande variedade de formatos, tamanhos e formas que a vida assume esse nosso extraordinário planeta Vida História revolucionária

20 Perspectiva mais equilibrada da evolução biológica: Visão das teorias neo-Darwinistas que focam primariamente no conflito competitivo pela sobrevivência genética Teorias evolucionárias sobre como e porque espécies específicas surgem e/ou mudam Divulgações sociobiológicas que fazem parecer que os seres humanos são inatamente falhos e violentos, e que isto é algo que compartilhamos com todos primatas – uma impressão freqüentemente dada pelos especiais televisivos sobre evolução Vida Diversidade

21 Aprendizagem da parceria oferece o tipo de informação mais crítica E, mais importante, oferece aos estudantes um ponto de vista mais amplo que inclui duas diferentes visões, ou histórias, da evolução biológica – incluindo a humana: aquele contada da perspectiva do modelo de dominador, e outra contada da perspectiva mais ampla que inclui, e muitas vezes destaca, o modelo da parceria Vida Informação

22 Seleção natural de Darwin Visão Dominadora: nossa espécie é orientada pelo egoísmo e pela violência natural para competir sem misericórdia uns com os outros Visão Integradora: Elementos de cooperação como a consciência e a moral Vida Histórias Complementares

23 Desenvolvimento da capacidade humana: comunicar através da linguagem, que é o núcleo de nossas complexas redes sociais Desenvolvimento da linguagem surgiu das relações de cuidado entre mães e filhos, e que a inteligência social evoluiu em grande parte através das brincadeiras Paul MacLean Linguagem tem suas raízes nos comportamentos de cuidado e introduzindo o conceito de biologia do amor Maturana e Gerda Vender-Zöller Vida Histórias Complementares

24 Dimensão psicológica e humanista no estudo da evolução humana permite insights que não estão disponíveis na maioria da literatura dos biólogos, os quais normalmente não têm formação em ciências sociais. Adicionalmente, como veremos, a psicologia social e a sociologia fornecem uma terceira dimensão que deve ser incluída no estudo da evolução humana. É aqui que as duas configurações sociais características dos modelos de dominador e do de parceria tem um papel essencial Riane Eisler Vida Histórias Complementares

25 Visão mais multidisciplinar nos oferece um olhar equilibrado da evolução Ao lidar com nossa própria espécie, é possível ver além do egoísmo como nossa única motivação evolucionária (indo contra a teoria do sócio-biológica dos genes egoístas) Vida Equilíbrio Multidisciplinar

26 Repertório de emoções e comportamentos: a crueldade e o cuidar a violência e não-violência o ódio e o amor Equilíbrio Emoções e comportamentos

27 Ênfase dos traços humanos : a criatividade o cuidado a aprendizagem Significado dos comportamentos: moldada pela evolução cultural e não pela evolução biológica Equilíbrio Evolução cultural

28 Comportamentos de cuidado podem ser observados em outras espécies Temas fascinantes interconectados:evolução do amor e da empatia Aprendizagem pelo comportamento cooperativo: de elefantes, golfinhos e baleias e espécies inteligentes com complexos sistemas de comunicação Equilíbrio Comportamentos

29 Cuidado paternal também é vivamente aparente em algumas espécies: sagüi, macacos-corujas e em muitas espécies de pássaros Contrário ao paradigma freudiano de rivalidade assassina entre pais e filhos, o qual às vezes tem sido usado como representando o estado na natureza, várias espécies demonstram comportamentos contrários Equilíbrio Comportamentos

30 Cuidado e a proteção envolvem todo o grupo: Casos de resgates, salvamentos são relatados por pesquisadores Laços de afeto entre elefantes são tão fortes que eles normalmente voltam para cemitério de elefantes para tocar os ossos de seus mortos Equilíbrio Comportamentos

31 Laços de cuidado entre parceiros, entre família e amigos são comuns também: diversos animais sofrem de dor, tristeza, depressão, principalmente com relação à morte Em alguns casos, o cuidado atravessa a fronteira entre as espécies: animais arriscam suas vidas para salvar e defender pessoas Equilíbrio Comportamentos

32 Mito do domínio e sedução Muitos animais se esforçam para evitar afugentar as fêmeas durante a sedução: por exemplo, o cabrito da montanha ao cortejar a fêmea abaixa suas costas para aparecer menor, mantém seus chifres baixos, e anda com pequenos passos. Ursos marrons andam de forma relaxada, baixam suas orelhas e são brincalhões Equilíbrio Comportamentos

33 Dentre nossos parentes primatas mais próximos, os bonobos (chipanzés pigmeus) têm laços baseados no compartilhamento: compartilhar o prazer sexual é mais importante que hierarquias de dominação os bonobos não foram observados na natureza em conflito violentos com outros grupos Equilíbrio Comportamentos

34 As descobertas atraem o interesse das crianças de todas as idades para a diversidade biológica: as crianças têm interesse especial nas histórias das pessoas que passaram suas vidas estudando os animais e seus habitats naturais oportunidade de incluir exemplos de mulheres cientistas – se destacam na observação do comportamento animal Equílibrio Biografia

35 Evolução Humana: humanos primatas Ao invés de usar espécies específicas para afirmar que nós humanos somos naturalmente inclinados a ser violentos e com macho dominante, a autora propõe destacar a variabilidade dos comportamentos e organizações sociais dos primatas Um modelo multilinear ao invés de unilinear para evolução dos primatas (incluindo aqui a humana), no qual as lentes analíticas dos modelos de dominador e de parceria são ferramentas úteis Humanos e primatas Modelo multilinear

36 Teoria sobre as espécies próximas do homem: Os chimpanzés e os bonobos (o DNA de ambos é basicamente o mesmo, e não é muito diferente do homem) Os bonobos se orientam muito mais para o modelo da parceria do que chimpanzés Isto mostra que os primatas podem se fundamentar mais em laços baseados em prazer e o compartilhamento de benefícios do que em que hierarquias baseadas em medo e força Humanos e primatas Modelo multilinear

37 Teorias sobre evolução humana: Evolução Biológica e História da Emergência uma que coloca nossas origens na África e a outra que argumenta pelas origens multiregionais Existem controvérsias sobre as escalas temporais, seqüência, e sobre a evolução da capacidade de comunicar, e pensar usando complexos sistemas de linguagem. Humanos e primatas Evolução humana

38 Adrienne Zilhman está entre um número crescente de cientistas – a maioria delas mulheres - que têm desenvolvido uma narrativa mais balanceada em relação ao gênero na evolução humana batalha difícil: teorias centradas no macho, coloca os homens e com eles uma ênfase em agressão e competição no centro da aventura humana retratam a dominação do macho como natural: representações visuais em livros, museus, etc Humanos e primatas Evolução humana e gênero

39 Zilhman – assim como outros teóricos tais como Glynn Isaacs, Nancy Tanner, Ralph Holloway, Paul MacLean e Humberto Maturana - enfatiza o papel da comunicação e do cuidado na evolução humana Zilhman e Nancy Tanner desenvolvem a teoria que enfatiza nossa enorme capacidade de criatividade Nós humanos, somos co-criadores de nossa própria evolução biológica – e que as mulheres tiveram um papel chave neste processo Humanos e primatas Evolução humana e gênero

40 Segundo Tanner (em Becoming Human), as mulheres desenvolveram e usaram algumas das primeiras ferramentas: faixas e outras formas de carregar bebês, cestos para coletar plantas, e ferramentas para cavar em procura de raízes e tubérculos. As mães podiam coletar mais comidas para seus filhos, que podiam então ser cuidados por mais tempo antes de se tornarem independentes Humanos e primatas Evolução humana e gênero

41 Foi esta criatividade que fez possível que as crianças tivessem um período mais longo no qual podiam aprender tradições sociais e tecnológicas Este foi um desenvolvimento chave na evolução humana, já que ele também levou a um papel muito maior da cultura na moldagem de nosso comportamento quando comparada com outras espécies Humanos e primatas Evolução humana e gênero

42 Com as ferramentas e métodos de cozimento, os dentes deixam de ser o meio principal para amolecer a comida, os grandes molares se tornaram menos necessários, deixando mais espaço craniano A redução do dente molar deixa lugar para as caixas de voz necessárias para as verbalizações complexas da linguagem humana – que possibilitou desenvolvimentos complexos nas áreas sociais, tecnológica e artística que nós chamamos de cultura humana Humanos e primatas Linguagem humana

43 Paul MacLean, também defende que provavelmente o complexo uso da linguagem tenha se originado da relação dos laços de cuidado e amor entre mãe e filho Humberto Maturana e Gerda Verden-Zoller também enfatizam a biologia do amor Sem esta capacidade humana para o amor nossa espécie não poderia sobreviver Humanos e primatas Linguagem humana

44 Ênfase no Altruísmo: apreciar e respeitar, outras formas de vida e nossa Mãe Terra e a Capacidade Humana para amar Cuidado e Criatividade: temas de nossa evolução Identidade mais primária e significativa: como seres humanos independentemente de sexo, raça, religião ou nacionalidade Importância da evolução cultural e tecnológica Vida Possibilidades Unidade Essencial

45 Histórias Voz Imaginar Desenhar Vida Abordagem Ferramentas

46 Ecológica Histórica Antropológica Sociológica Biológica Espiritual Modelo de Parceria : formação educacional interdisciplinar centrada na Visão Ampla dos Seres vivos Vida Abordagem Dimensões

47 FIM???


Carregar ppt "Engenharia e Gestão do Conhecimento Fundamentos Cognitivos da Informação Origem: das estrelas até nós Marisa Carvalho | M. Regina Álvares | Richard Faust."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google