A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Histofisiologia Tecido epitelial Profª Marília Scopel Andrighetti.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Histofisiologia Tecido epitelial Profª Marília Scopel Andrighetti."— Transcrição da apresentação:

1 Histofisiologia Tecido epitelial Profª Marília Scopel Andrighetti

2 Origem ectoderma: epiderme, epitélios do nariz, boca e glândulas sebácea, mamária e salivar. mesoderma: endotélio (tecido que reveste os vasos sanguíneos internamente), epitélio urogenital e de membranas que envolvem os órgãos - serosas (pleura, pericárdio e peritônio). endoderma: fígado, pâncreas, glândulas tireóide e paratireóide, epitélio de revestimento interno do tubo digestório, dos pulmões e da bexiga urinária.

3 Características Células poliédricas justapostas; Pouca substância extracelular; Adesão umas às outras por meio de junções; Revestem a superfície externa e as cavidades internas do corpo; Não há vasos sanguíneos (trocas por difusão - derme).

4 Principais funções Revestimento de superfícies; Proteção – barreira física; Absorção de moléculas - intestinos; Secreção – glândulas; Percepção de estímulos – neuroepitélio olfatório e gustativo; Contração – células mioepiteliais (contém miosina e actina).

5 Células epiteliais Morfologia: pavimentosas, cúbicas e cilíndricas. Núcleos acompanham as formas da células. Células estão apoiadas sobre tecido conjuntivo – lâmina própria.

6 Células epiteliais Porção basal: porção da célula epitelial voltada para o tecido conjuntivo. Porção apical: extremidade oposta a porção basal, voltada para uma cavidade. Superfície livre: superfície da porção apical. Paredes laterais: superfícies de células epiteliais que confrontam células vizinhas.

7 Lâmina basal Lâmina basal: superfície de contato entre células epiteliais e tecido conjuntivo, permite passagem de moléculas. Formada por: colágeno e glicoproteínas. Prendem-se ao tecido conjuntivo por fibrilas de ancoragem.

8 Membrana basal Membrana basal: lâmina basal + fibras reticulares ou fusão de 2 lâminas basais. Camada basal ou Germinativa = camada mais interna de células da epiderme, que são prismáticas e alongadas e se dividem continuamente.

9 Junções intercelulares Especializações de membranas laterais de células epiteliais. Funções: locais de adesão; vedantes – previnem fluxo de materiais pelo espaço intercelular; canais para comunicação entre células adjacentes. Classificação: junções de adesão – zônulas de adesão, hemidesmossomos e desmossomos; junções impermeáveis – zônulas de oclusão; junções de comunicação – junções gap.

10

11 Junções intercelulares

12 Zônulas de oclusão Junção da camada mais externa da membrana plasmática de células adjacentes (pontos de fusão). Principal função: impedir o movimento de materiais entre células epiteliais (base-ápice e vice- versa). Epitélios com poucos locais de fusão (rim) são mais permeáveis à água e solutos que epitélios com numerosos pontos de fusão (bexiga).

13 Zônulas de adesão Contribuem para aderência entre células vizinhas. Inserem filamentos de actina no citoplasma subjacente da membrana da junção (M.P. não se tocam). Complexo unitivo: zônula de oclusão + zônula de adesão da região apical de células epiteliais (resistência).

14 Junções gap Grupos de proteínas específicas (conexinas) nas membranas plasmáticas de células epiteliais vizinhas. Formam canais hidrófilos entre duas células. Comunicação entre células – permitem intercâmbio de moléculas como hormônios e fazem com que células trabalhem de forma coordenada.

15 Junção gap

16 Desmossomos - Hemidesmossomos Discos de adesão entre as células. Estendem filamentos de queratina até o outro desmossomo. Promovem adesão muito firme entre as células. Hemidesmossomos: aderem a célula epitelial à lâmina basal. Têm estrutura de meio desmossomo.

17

18 Especializações de superfície Microvilos: projeções do citoplasma. Presentes em células de intensa absorção. Filamentos de actina no seu interior.

19 Especializações de superfície Cílios: prolongamentos longos e dotados de motilidade. Envolvidos por membrana plasmática e contêm dois microtúbulos centrais. Inseridos em corpúsculos basais no ápice das células. ATP é a fonte de energia para o movimento ciliar. Flagelos: estruturas semelhantes aos cílios, porém mais longos ( espermatozóides).

20 Cílios e flagelos

21 Tipos de epitélios Divididos em dois grupos : epitélios de revestimento e epitélios glandulares. Epitélios de revestimento: células organizadas em camadas que recobrem superfícies externas e internas do corpo. Classificados de acordo com o número de camadas de células e morfologia das células superficiais.

22 Epitélios de revestimento Quanto ao número de camadas celulares Epitélios simples: uma camada de células. Epitélios estratificados: mais de uma camada de células. Pseudo-estratificados: única camada de células com núcleos em alturas diferentes, dando a impressão de várias camadas.

23 Epitélios de revestimento Quanto a forma das células presentes na camada superficial: Pavimentoso – células achatadas; Cúbico – células cúbicas; Prismático – células altas em forma de prisma; De transição – células globosas.

24 Tipos de Epitélio

25

26 Forma das célulasExemplos de localização Função principal PavimentosoRevestimento de vasos (endotélio), das cavidades pericárdica, pleural, peritoneal (mesotélio). Facilita movimento das vísceras (mesotélio); transporte ativo por pinocitose; secreção (endotélio). CúbicoRevestimento externo do ovário, ductos de glândulas. Revestimento, secreção. PrismáticoRevestimento do intestino, vesícula biliar Proteção, lubrificação, absorção, secreção. Pseudo-estratificadoRevestimento da traquéia, brônquios, cavidade nasal. Proteção, secreção, transporte mediado por cílios. Epitélios simples

27 Epitélio simples pavimentosoEpitélio simples cúbico Epitélio pseudo-estratificadoEpitélio simples prismático

28 Forma das célulasExemplos de localização Função principal Pavimentoso queratinizado (seco) EpidermeProteção, previne perda de água. Pavimentoso não queratinizado (úmido) Boca, esôfago, vagina, canal anal. Proteção, secreção. CúbicoGlândulas sudoríparas, folículos ovarianos em crescimento Proteção, secreção. TransiçãoBexiga, ureteres, cálices renais. Proteção, distensibilidade. PrismáticoMembrana conjuntiva do olho Proteção Epitélios estratificados

29 Pavimentoso Cúbico De Transição Prismático

30

31 Epitélios glandulares Constituídos por células secretoras. Moléculas a serem secretadas são armazenadas em grânulos de secreção. Glândulas: formadas por epitélio de revestimento. Podem sintetizar, armazenar e excretar : Proteínas - enzimas (pâncreas); Lipídios (sebáceas); Carboidratos (mamárias).

32

33 Formação das glândulas

34 Tipos de epitélios glandulares Glândulas exócrinas: Conexão com epitélio do qual se originaram. Ductos tubulares eliminam substâncias que atingem a superfície do corpo ou uma cavidade. Ex: sudoríparas, sebáceas, lacrimais. Glândulas endócrinas: não têm ductos. Suas secreções são lançadas no sangue e transportadas para o seu local de ação. Ex: hipófise, tireóide. Glândulas mistas ou anfícrinas: secreção interna e externa.Ex: testículos, ovários, pâncreas.

35 Tipos de epitélios glandulares Glândulas exócrinas: formadas por uma porção secretora e um ducto. Glândulas simples: um ducto não-ramificado. Dependendo de sua forma secretora podem ser: tubulares; tubulares enoveladas; tubulares ramificadas ou acinosas (cacho de uva);

36 Tipos de epitélios glandulares Glândulas compostas: têm ductos ramificados. Podem ser: tubulares; acinosas; túbulo-acinosas.

37

38 Modo de secreção Merócrinas: secreção liberada por exocitose, sem perda de material celular. Ex: pâncreas, salivares, lacrimais, sudoríparas. Holócrinas: secreção eliminada com toda a célula. Ex: sebáceas. Apócrinas: secreção descarregada junto com porções do citoplasma. Ex: mamárias.

39 Tipos de secreção Serosa: secreção fluida e rica em proteínas. Mucosa: secreção espessa e rica em muco (glicoproteína). Mista: secreção mucosa e serosa.

40 Glândula Unicelular: célula caliciforme Células cilíndricas com aparência de cálices, que sintetizam e secretam muco, presentes nos revestimentos epiteliais simples (vias respiratórias e trato gastrintestinal). O muco é formado por grânulos de mucina que quando liberados, por exocitose, reage com água e forma um fluido pouco viscoso

41 Pele Humana O tegumento humano, mais conhecido como pele, é formado por duas camadas distintas, firmemente unidas entre si: a epiderme e a derme

42 A pele e seus anexos Receptores de superfícieSensação percebida Receptores de KrauseFrio Receptores de RuffiniCalor Receptores de Vater-PaciniPressão Receptores de MeissnerTato Disco de MerkellTato e pressão superficiais Terminações nervosas livresDor

43 A pele e seus anexos

44

45 Coloroção da pele Nas camadas inferiores da epiderme estão os melanócitos, células que produzem melanina, pigmento que determina a coloração da pele.

46

47 Melanócito

48 Glândulas anexas da pele Sudoríparas – Produzem e liberam suor (água, sais e um pouco de uréia). A transpiração ou sudorese tem por função refrescar o corpo quando há elevação da temperatura ambiental ou quando a temperatura interna do corpo sobe (aumento da atividade física).

49 Glândulas anexas da pele Glândulas mamárias – são glândulas exócrinas cuja função é a produção de leite para nutrir o recém- nascido. Estruturas exclusivas dos mamíferos. Ambos os sexos as possuem, embora nos machos, seu desenvolvimento cesse antes da puberdade.

50 Glândulas anexas da pele Sebáceas – Produzem e liberam secreção sebácea (secreção gordurosa que lubrifica a epiderme e os pêlos) sai pelos poros de onde emergem os pêlos.

51 Acne Acne vulgar ou juvenil, é uma das doenças da pele (dermatoses) mais freqüentes. É uma afecção que atinge o conjunto pilossebáceo (pêlo e glândula sebácea).

52 História natural de evolução da acne As lesões da acne são decorrentes da obstrução dos folículos pilossebáceos, em decorrência de: - Aumento da produção e secreção sebácea; - Hiperqueratinização com obstrução do folículo pilossebáceo; - Proliferação e ação das bactérias;reação inflamatória local.

53 Anexos epidérmicos Unhas: Estas formações derivam de espessamentos ectodérmicos que aparecem na extremidade dos dedos. Mais tarde esse espessamento migra dorsalmente e sofre um intenso processo de cornificação chamado de unha.

54 Derme Localizada imediatamente sob a epiderme, é um tecido conjuntivo que contém fibras protéicas, vasos sangüíneos, terminações nervosas, órgãos sensoriais e glândulas. As principais células da derme são os fibroblastos, responsáveis pela produção de fibras e de uma substância gelatinosa, a substância amorfa, na qual os elementos dérmicos estão mergulhados.

55 Derme A epiderme penetra na derme e origina os folículos pilosos, glândulas sebáceas e glândulas sudoríparas. Na derme encontramos ainda: músculo eretor de pêlo, fibras elásticas (elasticidade), fibras colágenas (resistência), vasos sangüíneos e nervos.

56 Tecido subcutâneo Sob a pele, há uma camada de tecido conjuntivo frouxo, o tecido subcutâneo, rico em fibras e em células que armazenam gordura (células adiposas ou adipócitos). A camada subcutânea, enominada hipoderme, atua como reserva energética, proteção contra choques mecânicos e isolante térmico. * OBS : Encontrada apenas em aves e mamíferos (Animais Endotérmicos)

57 Membranas Formadas por tecido epitelial associado ao tecido conjuntivo. Serosas: membranas que revestem cavidades fechadas. Ex.: pleura (envolve os pulmões), pericárdio (envolve o coração), peritônio (envolve o conjunto de órgãos abdominais). Mucosas: membranas que revestem cavidades que se comunicam com o exterior


Carregar ppt "Histofisiologia Tecido epitelial Profª Marília Scopel Andrighetti."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google