A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Um período pode ser composto por coordenação ou por subordinação. Quando é composto por coordenação, as orações possuem uma independência estrutural, podendo.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Um período pode ser composto por coordenação ou por subordinação. Quando é composto por coordenação, as orações possuem uma independência estrutural, podendo."— Transcrição da apresentação:

1 Um período pode ser composto por coordenação ou por subordinação. Quando é composto por coordenação, as orações possuem uma independência estrutural, podendo vir separadamente sem prejuízo. Já no período composto por subordinação, as orações são dependentes entre si por meio de suas estruturas. coordenação Período composto

2 Há três tipos de orações subordinadas: substantivas, adjetivas e adverbiais. Orações Subordinadas Substantivas São orações que exercem a mesma função que um substantivo, na estrutura sintática da frase. A menina quis um sorvete. (período simples) A menina = sujeito quis = verbo transitivo direto um sorvete = objeto diretomeninaobjeto direto

3 Sendo assim, notamos que: A menina quis que eu comprasse sorvete. Período Composto A menina = sujeito; quis = verbo transitivo direto que eu comprasse sorvete = Oração subordinada substantiva objetiva direta (objeto direto do verbo querer)

4 (1) Subjetiva: ocupa a função de sujeito. Exemplos: É necessário que você compareça à reunião. VL + predicat. + or. subord. subst. subjetiva Consta que esses homens já foram preso. VI ( unipessoal) + or. subord. subst. subjetiva Contou-se que o exame deu positivo. VTD + PR. AP. + or. subord. subst. subjetiva

5 (2) Predicativa: ocupa a função do predicativo do sujeito. Exemplos: A dúvida é se você virá. Suj. + VL + or. subord. subst. predicativa A verdade é que você não virá. Suj. + VL + or. subord. subst. predicativa

6 (3) Objetiva Direta: ocupa a função do objeto direto. Completa o sentido de um verbo Transitivo Direto. Exemplos: Nós queremos que você fique. Suj. + VTD + or. subord. subst. objetiva direta Os alunos pediram a ele que a prova fosse adiada. Sujeito + VTDI + or. subord. subst. objetiva diretaalunos

7 (4) Objetiva Indireta: ocupa a função do objeto indireto. Exemplos: As crianças gostam (de) que esteja tudo tranquilo. Sujeito + VTI + or. subord. subst. objetiva indireta A mulher precisa de que alguém a ajude. Sujeito + VTI + or. subord. subst. objetiva indireta

8 (5) Completiva Nominal: ocupa a função de um complemento nominal. Exemplos: Tenho vontade de que haja mais esperança. Suj.desinencial (eu) + VTD + obj. dir. + or. sub. substantiva Completiva Nominal Toda criança tem necessidade de que alguém a ame. Sujeito + VTD + obj. dir. + or. sub. Substantiva Completiva Nominal

9 (6) Apositiva: ocupa a função de um aposto. Exemplos: Toda a família tem o mesmo objetivo: que eu passe no vestibular.família Sujeito + VTD + Objeto Direto + or. subordinada substantiva apositiva

10 Orações Subordinadas Adjetivas Orações adjetivas são aquelas orações que exercem a função de um adjetivo dentro da estrutura da oração principal. Elas são sempre iniciadas por um pronome relativo e servem para caracterizar algum nome que aparece na estrutura da frase. Há dois tipos de orações adjetivas: restritivas e explicativas.

11 Or. subord. adjetiva restritiva: funciona como adjunto adnominal e serve para designar algum elemento da frase. Não pode ser isolada por vírgulas, restringe e identifica o substantivo ou pronome ao qual se refere. Exemplo: Amy Winehouse é uma cantora inglesa que faz muito sucesso. Suj. + VL + predicativo + or.sub. adjetiva restritiva

12 Or. sub. adjetiva explicativa : ao contrário da restritiva, é sempre isolada por vírgulas. Serve para adicionar características ao ser que designa. Sua função é explicar, generalizar, ampliar o sentido. Eu, que não sou perfeito, já cometi alguns erros graves. Suj. + or. sub. adj. explicativa + VTD + OD

13 Orações Subordinadas Adverbiais Existem nove tipos de orações subordinadas adverbiais. Esse tipo de oração age na frase como um advérbio, modificando o sentido de outras orações e ocupando a função de um adj. adverbial. advérbio As orações adverbiais são sempre iniciadas por uma conjunção subordinativa ou locução conjuntiva subordinativa. São elas: 1- Causal: designa a causa, o motivo. Ex.: Ela cantou porque ouviu sua banda favorita. Como ela ouviu sua banda favorita, ela cantou.

14 2- Comparativa: estabelece uma comparação com a oração principal. Ex.: Ela andava leve como uma borboleta. 3- Conformativa: expressa conformidade ou algum tipo de acordo com a oração principal. Ex.: Como eu havia te falado, a show não foi bom. 4- Concessiva: se opõe às ideias expressas pela oração principal. Ex.: Embora o show estivesse bom, não demorou nada para terminar.

15 5- Consecutiva: é a consequência da oração principal. Ex.:Comecei o dia tão mal que não consegui me concentrar no trabalho. 6- Condicional: é a condição da oração principal. Ex.: Caso não viaje, vou ao show da Amy.

16 7- Final: indica finalidade, propósito para que aconteça a oração principal. Ex.: Não vou fechar os portões da biblioteca, para que você possa fazer sua pesquisa. 8- Proporcional: indica proporção. Ex.:Quanto mais você fumar, mais grave ficará sua doença.

17 9- Temporal: localiza a oração principal em um determinado tempo. Exemplos: Quando você voltar, nós conversaremos. Assim que você voltar, nós conversaremos.

18 As orações coordenadas são classificadas em: sindéticas e assindéticas. - Sindéticas: orações coordenadas introduzidas por conjunção. Ex.: Deve ter chovido à noite, pois o chão está molhado. - Assindéticas: orações coordenadas que não são introduzidas por conjunção. Ex.: Tudo passa, tudo corre: é a lei. Orações coordenadas sindéticas As orações coordenadas sindéticas são classificadas de acordo com a conjunção coordenativa que as introduz. Podem ser:

19 (1) Aditivas: estabelecem ideia de adição, soma. Ex.: (1) Não venderemos a casa, / (2) nem (venderemos) o carro. (1) coordenada assindética ( 2) coordenada sindética aditiva São conjunções aditivas: e, nem, mas também. (2) Adversativas: estabelecem oposição, adversidade. Ex.: (1) Gostaria de ter viajado,/ (2) contudo não tive férias. (1) coordenada assindética (2) coordenada sindética adversativa São conjunções adversativas: mas, porém, todavia, contudo, entretanto, no entanto.

20 (3) Alternativas: estabelecem alternância. Ex.: (1) Siga o exemplo de solidariedade / (2) ou fique em casa. (1) coordenada assindética (2) coordenada sindética alternativa São conjunções alternativas: ou...ou, ora...ora, já...já, quer...quer, siga...siga.

21 (4) Conclusivas: estabelecem conclusão. portanto não podem ver Ex.: (1) São todos cegos, / (2) portanto não podem ver. (1) coordenada assindética (2) coordenada sindética conclusiva São conjunções conclusivas: portanto, logo, por isso, pois, assim. (5) Explicativas: estabelecem explicação. Ex.: (1) Senti frio,/ (2) porque estava sem agasalho. (1) coordenada assindética (2) coordenada sindética explicativa São conjunções explicativas: que, porque, pois, porquanto.


Carregar ppt "Um período pode ser composto por coordenação ou por subordinação. Quando é composto por coordenação, as orações possuem uma independência estrutural, podendo."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google