A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

FUNÇÕES SINTÁTICAS Frase, oração e período Frase - todo enunciado de sentido completo, capaz de estabelecer comunicação. Pode ser nominal ou verbal. Ex.:

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "FUNÇÕES SINTÁTICAS Frase, oração e período Frase - todo enunciado de sentido completo, capaz de estabelecer comunicação. Pode ser nominal ou verbal. Ex.:"— Transcrição da apresentação:

1 FUNÇÕES SINTÁTICAS Frase, oração e período Frase - todo enunciado de sentido completo, capaz de estabelecer comunicação. Pode ser nominal ou verbal. Ex.: Silêncio! / Façam silêncio. Oração - enunciado que se estrutura em torno de um verbo ou locução verbal. Ex.: Não vou viajar, porque choveu muito.

2 Período - constitui-se de uma ou mais orações. Pode ser simples ou composto. Ex.: Eu tinha saído cedo, porém cheguei atrasado. Observação: Haverá num período tantas orações quantos forem os verbos, considerando locuções verbais e tempos compostos como um só verbo.

3 Sujeito Tipos de sujeito simples - possui um núcleo. Ex.: Maria esteve aqui. / Alguém me viu. / Duas vieram. composto - possui mais de um núcleo, independente de sua ordem na frase. Ex.: João e eu visitamos a moça. / Jessé ou José casará com ela? / Estão aqui o seu dinheiro e sua bolsa!

4 sujeito desinencial - determinado, mas implícito na desinência verbal (DNP) ou subentendido através de uma frase anterior. Ex.: "Antes de iniciar este livro, imaginei construí-lo pela divisão do trabalho." - G. Ramos / Beba esse leite, menino! indeterminado - quando não se pode (ou não se quer) precisar que elemento é o sujeito. Ocorre de duas maneiras: verbo na 3ª pessoa do plural, sem sujeito explícito; Ex.: Nunca lhe ofereceram emprego. 3ª pessoa do singular (VTI ou VI) + SE ( Índice de Indeterminação do Sujeito). Ex.: Precisa-se de empregados. / Morre-se de frio aqui.

5 Observação: A oração de suj. indeterminado com a partícula SE não pode ser transformada em voz passiva analítica. Havendo essa possibilidade, a palavra SE será interpretada como PRONOME APASSIVADOR. Ex.:Celebrou-se a missa. ( A missa foi celebrada.) VTD (sujeito) (sujeito) Voz Passiva Sintética / Voz Passiva Analítica

6 oração sem sujeito O processo verbal encerra-se em si mesmo, sem atribuição a nenhum ser. Ocorre sempre com verbos impessoais nos seguintes casos: a) verbos que exprimem fenômenos da natureza ; Ex.: Choveu demais. Amanheceu muito quente. b) verbo haver = existir ou em referência a tempo decorrido. Ex.: Há (Existem) cem voluntários no evento. Ex.: Há(Faz) muitos anos que não o vejo.

7 c) verbos fazer, ser, ir e estar indicando tempo cronológico ou clima. Ex.: São três anos de solidão. Ex.: Faz muitos anos que ele partiu. Ex.: Vai para dois meses de espera.

8 não apresentam sujeito Observação: os verbos impessoais não apresentam sujeito e devem permanecer na 3ª pessoa do singular. Quando um verbo auxiliar se junta a um verbo impessoal, a impessoalidade é transmitida a ele. Ex.: Há muitos casos de AIDS entre jovens. Ex.: Deve haver muitos casos de AIDS entre jovens.

9 Para se classificar o predicado, torna- se indispensável o estudo dos tipos de verbos: transitivos, intransitivos (verbos de significação) e de ligação. ligação - expressam estado permanente ou transitório, mudança ou continuidade de estado, aparência de estado ( ser, estar, permanecer, ficar, continuar, parecer, andar = estar, etc.). Deve-se entender que estes verbos não serão mais de ligação se não estabelecerem relação entre sujeito e seu predicativo. Ex.: Ando (VL) preocupado. / Andei ( VS) cem metros. ( núcleo – PS) Ex.: Fiquei (VL) triste. / Fiquei (VS) na sala. ( núcleo – PS) Predicado

10 intransitivo - quando a significação verbal está inteiramente contida no verbo, não necessitando de complementação. Ex.: Não estudarei hoje. transitivo - pedem complementos verbais para completarem a sua significação. Podem ser transitivos diretos, indiretos e diretos e indiretos, dependendo do complemento. Ex.: Quero doce. ( VTD ) / Preciso de silêncio.( VTI ) OD OI Ex.: Perdoei-lhe o erro. ( VTDI ) OI OD VERBO DE SIGNIFICAÇÃO

11 Predicado verbal É formado por um verbo transitivo ou intransitivo, isto é, um verbo que não seja de ligação. Neste caso, o verbo será sempre significativo, constituindo o núcleo do predicado verbal. Ex.: Os passageiros desceram. (VI) Ex.: Comprei flores. (VTD) Ex: Comprei-lhe flores. (VTDI)

12 É formado por um verbo de ligação acrescido de um nome ( substantivo, adjetivo ou pronome), dito predicativo do sujeito. O núcleo deste predicado é o predicativo, uma vez que o verbo somente estabelece ligação. Ex.: O rapaz estava apreensivo. Ex.: Ela caiu de cama. Ex.:A mãe virou bicho naquele dia. Predicado nominal

13 Encerra em si mesmo uma união de predicados. Apresenta um verbo significativo ( núcleo do predicado verbal ) e um predicativo ( núcleo do predicado nominal ), portanto dois núcleos. Ex.: Ela entrou risonha na sala. Ex.:João abaixou os olhos pensativo. Ex.: Considero inadequado o projeto exposto. Predicado verbo-nominal

14 Expressa um estado ou qualidade do sujeito ou do objeto. Ex.: Os filhos são frutos. / Os próximos seremos nós. Todos eram um. / O difícil era que ele viesse. O predicativo pode referir-se ao objeto DIRETO ou INDIRETO. Exprime, às vezes, a consequência do fato indicado pelo predicado verbal. Ex.: Elegeram o macaco Tião governador. / Todos lhe chamavam ladrão. (POD ) (POI) Predicativo

15 1- Grife o sujeito (se possível) e o classifique. a) Em São Paulo, chove há quase cinquenta dias. b) Necessita-se de mais humanização para o funcionamento do Porto Açu. c) Trarão bastante desenvolvimento para o Norte-Fluminense o Porto do Açu e o Complexo Logístico-Industrial Farol/Barra do Furado. d) Há preocupação com o meio ambiente na construção do Porto do Açu. e) Pensei na Campanha da Fraternidade / 2010 – Economia e Vida – para ser tema da minha redação. f) Comentam o desinteresse político em relação aos bens públicos. ATIVIDADES

16 2- Destaque o predicado, circule seu (s) núcleo (s) e o classifique. a) Virou moda o desrespeito aos mais velhos. b) Não consideramos o Porto do Açu inviável para o desenvolvimento econômico-social da região. c) Faz-se necessária a valorização da vida. d) O poder econômico não pode se sobrepor à vida. e) O município de Campos dos Goytacazes anda preocupado com sua economia. f) O município de Campos dos Goytacazes caminha para o progresso. g) Os professores gostam da minha turma atenta. 3- Nas frases acima, destaque os complementos verbais e nomeie-os. A seguir, circule os predicativos e diga a quem (sujeito / objeto) eles se referem.

17 Completa um verbo transitivo direto sem se ligar a ele por preposição necessária. Ex.: Amava a mulher. / Não direi nada. ex.: Ele deixou cinco caídos. / Use aquela blusa. Pode indicar o ser sobre o qual recai a ação verbal, o resultado da ação ou o conteúdo da ação. Ex.: Castigou o filho. / Construiu uma bela casa. / Contestou sua reeleição. Objeto direto

18 Objeto indireto Complemento ligado a um verbo transitivo indireto, ligado a ele por meio de uma preposição necessária (a, de, com, em, para, etc.), regida pelo verbo. Ex.: Ele divergiu do rapaz. Ex.: A moça apresentou-o a elas. Ex.: A mãe gostava de ambos. Ex.: Insistiu em que ele viesse ao jogo.

19 Agente da passiva Nas orações de voz passiva analítica, é o elemento que pratica a ação verbal, daí seu nome de agente, uma vez que o sujeito é paciente. Seu emprego na forma analítica não é obrigatório. O agente da passiva vem precedido de preposição (de, per, por). Ex.: A casa foi construída com esforço. (Por quem?) / (sem agente da passiva) Ex. O rio foi cercado de jacarés. Ex.:Vários exércitos foram vencidos pelos romanos.

20 Complemento nominal Tanto o CN como o OI vêm precedidos de preposição obrigatória, mas a palavra que rege esta preposição é diferente nos dois casos: nome (substantivo, adjetivo ) ou advérbio no CN e verbo no OI. substantivo Ex.: Ele não tem boa compreensão do mundo. Ex.:Isso foi ofensivo ( adjetivo ) à honra. Ex.: Tudo saiu contrariamente ( advérbio) ao detento. Observação: Se os substantivos perderem o caráter abstrato, deixarão de reger CN.

21 Adjunto adnominal Acompanha um substantivo, núcleo de uma função sintática qualquer, procurando caracterizá-lo, determiná-lo ou individualizá-lo. Ex.: Naquele dia não dormi bem. (Aquele é adj. adnominal, mas em não possui função sintática. ) Artigo, pronome adjetivo, numeral adjetivo - sempre adj. adnominais locução adjetiva e adjetivo – adj. adn. quando acompanham substantivo Quando é representado por um loc. adjetiva, é comum confundir o adj. adnominal com o CN, por causa da preposição.

22 CN X Adj. adnominal Adj. adnominal qualifica, especifica, enquanto CN integra a significação antecedente e nunca indica posse. CN pode referir-se a um substantivo abstrato, adjetivo ou advérbio, mas o adjunto adnominal só se refere ao substantivo. CN são exigidos pela transitividade do nome a que se ligam. Um grande número de nomes que pedem complemento são substantivos abstratos derivados de verbos significativos. Ex.: Matou os mosquitos ( matança de mosquitos), "de mosquitos" é CN.

23 CN é paciente ou alvo da noção expressa pelo nome (sentido passivo). Ex.: A cobrança de impostos (alvo / sentido passivo) foi abusiva. Adj. Adnominal indica agente ou o possuidor da noção expressa pelo substantivo (sentido ativo), além de também poder expressar especificação. Ex.: Pegue esse prato de porcelana. Ex.: Esta é a casa de Paulo.

24 adnominal Ex.: A invenção de palavras caracteriza a obra de Guimarães Rosa. (CN - "palavras" é paciente da ação contida no substantivo "invenção.) Ex.: A invenção de Santos Dumont abriu caminho para o futuro. (Adj. adnominal - "Santos Dumont" é o agente da ação expressa pelo substantivo "invenção.) Ex.: A plantação de cana enriqueceu a economia do país. (CN - pois "plantação" tem valor abstrato da ação de plantar cujo objeto/paciente é "cana.) Em qualquer análise sintática, deve-se considerar o contexto frasal. Um mesmo substantivo pode aparecer em uma frase com CN e em outra com adjunto adnominal.

25 Adjunto adverbial Apesar de poder se referir ao verbo, o adj. adverbial não é complemento verbal, mas um termo acessório que acrescenta determinada circunstância ao que se refere. Pode ser representado por um advérbio ou uma locução adverbial, indicando alguma circunstância. Quando expresso por um advérbio, pode modificar um adjetivo, verbo ou outro advérbio. Ex.: Costumava falar em altos brados. (modo), Ex.:Aonde você vai? (lugar) Ex.:Ele é muito bom goleiro. (intensidade), Ex.:Retirou a terra com a pá. (instrumento)

26 Aposto Termo ou expressão de caráter individualizador ou de esclarecimento, que acompanha um elemento da oração, qualquer que seja a função deste. Conforme o sentido que empresta a seu referente, pode ser analisado como: explicativo - Mariovaldo, meu primo, esteve aqui. enumerativo - Eis os três rapazes : José, Ruan e Sérgio. recapitulativo ou resumitivo - Os pais, os netos e as primas, todos estavam radiantes.

27 especificativo - O poeta Olavo Bilac representou a terceira fase do Romantismo Ex.: O estado de Tocantins pertence à região Centro-Oeste. Ex.:A serra de Teresópolis é bastante perigosa. Observação: O aposto especificativo não se confunde com adj. adnominal pois, no caso do aposto, ambos os termos designam o mesmo ser. Ex.: A cidade de Londres é capital da Inglaterra.

28 Vocativo Termo ou expressão de natureza exclamativa que tem função de invocar ou destacar alguém ou ente personificado. Não mantém relação sintática com qualquer outro elemento da oração, por isso não faz parte do sujeito ou do predicado. Virá sempre marcado por pontuação e admite a anteposição de interjeição de chamamento. Ex.: Ei!, amigo, espere por mim. Ex.: "Pai, afasta de mim esse cálice." Ex.: "Gosto muito de você, leãozinho!"


Carregar ppt "FUNÇÕES SINTÁTICAS Frase, oração e período Frase - todo enunciado de sentido completo, capaz de estabelecer comunicação. Pode ser nominal ou verbal. Ex.:"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google