A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

A circulação e os transportes 7º ano Capítulo 13 – pág. 243 a 248 Geografia – Prof. Maria Christina.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "A circulação e os transportes 7º ano Capítulo 13 – pág. 243 a 248 Geografia – Prof. Maria Christina."— Transcrição da apresentação:

1 A circulação e os transportes 7º ano Capítulo 13 – pág. 243 a 248 Geografia – Prof. Maria Christina

2 Os portos e as exportações brasileiras Os produtos que exportamos têm de sair do país por algum meio de transporte. No comércio, podem-se utilizar trens, barcos e caminhões. Entretanto, em se tratando de comércio com o resto do mundo, as ferrovias, hidrovias e caminhões escoam as mercadorias até os portos marítimos e aeroportos onde elas são finalmente embarcadas. O custo do transporte é um fator muito importante do comércio exterior. Na exportação de soja, por exemplo, se as estradas que ligam as áreas produtoras ao porto mais próximo estiverem mal conservadas, a viagem demorará mais e o custo do frete subirá. Se o porto em que a soja for embarcada não dispuser de máquinas e guindastes modernos, o trabalho será mais demorado e, portanto, mais caro. Todos esses custos são adicionados ao preço final de exportação da soja. Se um produtor de outro país dispuser de melhores condições para o escoamento de sua produção, ele terá vantagens em relação ao primeiro. Mesmo se os custos de produção tiverem sido iguais, os custos finais serão diferentes.

3 Quanto mais próximos os portos ou aeroportos estiverem dos centros de produção menores serão os custos do transporte. Santos é o mais importante porto do Brasil. Metade da movimentação anual de contêineres em embarque e desembarque nos portos brasileiros passa por ali, de cada cinco navios cargueiros de longo percurso que circulam pela costa brasileira, um atraca no cais de Santos. O Porto de Santos está diretamente associado ao parque petroquímico e siderúrgico de Cubatão e à região industrializada da metrópole de São Paulo. As atividades portuárias na cidade do Rio de Janeiro ganharam enorme impulso sobretudo com a localização de áreas industriais em suas proximidades. O Porto carioca é a principal área de embarque de cargas em granel líquido (como óleos combustíveis, gasolina e produtos diversos da indústria química). Angra dos Reis e Sepetiba descongestionam o RJ capital. Em Angra há forte movimentação de desembarque de produtos derivados do petróleo e Sepetiba é um porto especializado em granel sólido, como por exemplo, minério de ferro.

4 Importância do Porto de Vitória Em matéria de transportes de carga de granéis sólidos, o grande porto especializado do Brasil é o de Vitória, no Espírito Santo. De simples porto exportador de café e minérios, tornou-se grande importador de maquinários, do coque e do carvão mineral destinados às usinas siderúrgicas do Vale do Rio Doce. Dois grandes complexos industriais situam-se em suas proximidades: a Companhia Siderúrgica do Tubarão e a usina de beneficiamento de minério de ferro da Companhia Vale do Rio Doce. Vitória é o maior porto exportador de minérios do Brasil. A posição que o Porto de Vitória ocupa hoje é resultado de investimentos na melhoria de suas vias de acesso, principalmente na ferrovia e nas rodovias que ampliaram sua ligação com Minas Gerais. Ainda no Sudeste, cabe destacar o papel do Terminal Petrolífero de São Sebastião, receptor de petróleo e distribuidor desse produto para as refinarias de Cubatão e Paulínia.

5 Portos e suas exportações No Rio Grande do Sul, o porto de Rio Grande é mais importante que o de Porto Alegre. O estado do RS é o grande receptor da produção de carne e de soja para exportação. Além disso encontra-se numa posição geográfica privilegiada para beneficiar-se do desenvolvimento regional provocado pela maior integração econômica com a Argentina e o Uruguai. O Porto de Recife ocupa uma posição de destaque no Nordeste. Além de escoar grande parte da produção de açúcar da Zona da Mata, é um grande centro receptor e distribuidor da carga transportada por portos nordestinos de menor porte. Pelo Poro de Salvador, o Brasil exporta cacau, mamona, petróleo, fumo, entre outros produtos nordestinos. O Porto de Belém é considerado uma das principais portas de entrada para a Amazônia. Isso se deve à sua localização, próxima à foz do Rio Amazonas, e ao fato de possuir melhor infra-estrutura. É responsável pelo escoamento de madeira e dos produtos extrativistas da região. O Porto de Itaqui, na Ilha de São Luís, escoa o minério de ferro explorado na Serra dos Carajás, no Pará. No Ceará, o moderno Porto de Pecém vem se tornando referência na exportação de calçados para o mercado europeu.

6 Transporte aéreo em expansão O espaço aéreo brasileiro é dividido em sete regiões de vôo: Manaus, Belém, Recife, Brasília, Curitiba, Campo Grande e Porto Velho. A rede de aeroportos brasileiros vem recebendo vultosos investimentos nas últimas décadas. Dentre os 60 principais aeroportos do país, pelo menos 20 passaram recentemente ou ainda estão passando por obras de ampliação. Também está aumentando o número de aeroportos internacionais. O Galeão, no Rio de Janeiro; o Luís Eduardo Magalhães (antigo Dois de Julho), em Salvador; o de Guararapes, em Recife; e o de Cumbica, em Guarulhos (SP), estão entre os mais importantes aeroportos internacionais do Brasil.

7


Carregar ppt "A circulação e os transportes 7º ano Capítulo 13 – pág. 243 a 248 Geografia – Prof. Maria Christina."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google