A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

GT ePort Salvador, Bahia, Brasil – 19 e 20 de setembro de 2005 ePort: Desenvolvimento da Rede de Fontes de Informação em Ciências da Saúde para os Países.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "GT ePort Salvador, Bahia, Brasil – 19 e 20 de setembro de 2005 ePort: Desenvolvimento da Rede de Fontes de Informação em Ciências da Saúde para os Países."— Transcrição da apresentação:

1 GT ePort Salvador, Bahia, Brasil – 19 e 20 de setembro de 2005 ePort: Desenvolvimento da Rede de Fontes de Informação em Ciências da Saúde para os Países de Língua Portuguesa Cláudia Guzzo BIREME/OPAS/OMS Centro Latino-Americano e do Caribe de Informação em Ciências da Saúde Organização Pan-Americana da Saúde / Organização Mundial da Saúde

2 Resumo Projeto de Cooperação Técnica em Saúde entre: Agência Brasileira de Cooperação (ABC) do Ministério de Relações Exteriores do Brasil Centro Latino Americano e do Caribe de Informação em Ciências da Saúde – BIREME/OPAS/OMS Organização Mundial da Saúde – OMS para desenvolver uma rede de fontes de informação técnico- científica nos países que compõem a Comunidade dos Países de Língua Portuguesa ( CPLP), por meio do modelo da Biblioteca Virtual em Saúde (BVS), no contexto da rede ePort, coordenada pela OMS

3 Estratégia do ePORTuguese Adoptar o modelo da biblioteca virtual em saúde da BIREME/OPAS/OMS Disponibilizar o acesso a rede HINARI em português Fortalecer a produção de conhecimento em português Criar uma forte comunidade em saúde entre os 8 países de língua portuguesa Encorajar a troca de experiências locais entre os países Facilitar a propagação da informação

4 Objetivo Geral Desenvolver uma rede de Fontes de Informação científico-técnica nos países de língua portuguesa, como parte da Rede de Fontes de Informação em Ciências da Saúde da Organização Mundial de Saúde- OMS. Tem o objetivo de disseminar a informação e o conhecimento em saúde disponíveis no âmbito dos países que compõem a Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) por meio da Biblioteca Virtual em Saúde.

5 Objetivos específicos do Projeto Capacitar os países membros da CPLP a adotar, adaptar e desenvolver o modelo da BVS de acordo com suas condições locais, permitindo o amplo acesso à informação relevante e qualificada em saúde, disponível em língua portuguesa. Construir comunidades de práticas em língua portuguesa a fim de compartilhar o uso da informação e do conhecimento em saúde, eliminando barreiras de idioma e facilitando o entendimento.

6 Porque desenvolver uma rede de saúde em português? Para contribuir com multilinguismo da OMS Português é a sexta língua mais falada no mundo (~220 milhões) Existe pelo menos um país de língua oficial portuguesa em um dos continentes Resolução aprovada em 25 de maio de 2005 na 58ª Assembléia Mundial de Saúde

7 Resultados Esperados Transferência do modelo da Biblioteca Virtual em Saúde (BVS) para os países de língua portuguesa Capítulos nacionais da BVS em operação nos países membros da CPLP BVS disseminada na comunidade de saúde dos países de língua portuguesa Profissionais técnicos capacitados na operação e manutenção dos capítulos da BVS

8 Resultados Esperados Intercâmbio de experiências, problemas e soluções entre os profissionais da saúde dos países que compõem a CPLP Lista de questionamentos em saúde operacional nos países da rede Comunidades de práticas operacionalizadas com agentes multiplicadores capacitados a atualizar os produtos e serviços de informação

9 Dados do Órgão de Governo Proponente: •Órgão de Governo Proponente/ País: Agência Brasileira de Cooperação do Ministério das Relações Exteriores - ABC •Telefone: ou Fax: • •Pessoa de Contato: Maria Augusta Montalvão Ferraz Dados da Instituição executora: •Nome da Instituição: Centro Latino-Americano e do Caribe de Informação em Ciências da Saúde - BIREME/ OPAS/ OMS •Natureza da Instituição: Instituição sem fins lucrativos - Organismo internacional •Vinculação Institucional: Organismo Internacional vinculado à Organização Panamericana da Saúde / Organização Mundial da Saúde •Pessoa de Contato: Sr. Abel L. Packer – Diretor da BIREME

10 O Modelo de Biblioteca Virtual em Saúde GT ePort Salvador, Bahia, Brasil – 19 e 20 de setembro de 2005 Cláudia Guzzo BIREME/OPAS/OMS Centro Latino-Americano e do Caribe de Informação em Ciências da Saúde Organização Pan-Americana da Saúde / Organização Mundial da Saúde

11 A BVS é uma coleção descentralizada e dinâmica de fontes de informação que tem como objetivo propiciar o acesso ao conhecimento científico atualizado em saúde. Opera como uma rede de produtos e serviços na Internet, de maneira a atender às necessidades de informação em saúde de autoridades, administradores, investigadores, professores, estudantes, profissionais e público em geral. Se diferencia do conjunto de fontes de informação da Internet por obedecer a critérios de seleção e controle de qualidade. O Modelo da Biblioteca Virual em Saúde (BVS)

12 Fundamentos da BVS o acesso à informação científico técnica é essencial para o desenvolvimento da saúde as decisões/ações em saúde são mais eficientes quando baseadas em informação científica e técnica relevante e atualizada subsidiar/permear os processos de tomada de decisão em saúde, incluindo a formulação de políticas, planejamento, gestão, vigilância, pesquisa, educação e comunicação

13 Biblioteca Virtual em Saúde Modelo de gestão de informação e conhecimento científico técnico em saúde para América Latina, Caribe e Espanha

14 O que é a BIREME 4 Centro Latino-Americano e do Caribe de Informação em Ciências da Saúde – BIREME Centro especializado da OPAS de informação em ciências da saúde 4 Tem como missão contribuir para o desenvolvimento da saúde fortalecendo e ampliando o fluxo de informação em ciências da saúde 4 Foi criada em 1967 através de um convênio entre o Governo do Brasil e da OPAS como Biblioteca Regional de Medicina

15 BVS - Biblioteca Virtual em Saúde 4 A trajetória da BIREME – 4 grandes períodos 1967 – 1976: serviços da biblioteca regional de medicina com vistas a responder de modo prioritário às necessidades de acesso à literatura científica das bibliotecas médicas da Região 1977 – 1986: desenvolvimento da rede de bibliotecas na Região, em busca da racionalização e uso compartilhado de suas coleções e inicia do controle bibliográfico das revistas latino-americanas reunidas na publicação Index Medicus Latino-Americano 1982: Centro Latino-Americano e do Caribe de Informação em Ciências da Saúde – 1997: desenvolvimento do Sistema Latino-Americano e do Caribe de Informação em Ciências da Saúde, com a participação ativa das bibliotecas e centros de documentação.

16 BVS - Biblioteca Virtual em Saúde 4 A criação e desenvolvimento da Biblioteca Virtual em Saúde se projeta como o quarto período na evolução da BIREME e do Sistema Regional significando a expansão de um modelo de cooperação técnica 4 Nos últimos anos, a demanda de cooperação técnica de produtos e serviços baseados na Internet exigiu uma nova mudança na BIREME e no Sistema Regional 4 A construção e o desenvolvimento da BVS é a estratégia adotada pela BIREME como plataforma para a promoção da cooperação técnica em informação em sintonia com o novo paradigma organizacional e de tratamento de informação estabelecido pela Internet

17 BVS - Biblioteca Virtual em Saúde Declaração de San José para a Biblioteca Virtual em Saúde Guia 2001 para o desenvolvimento da BVS 4 VI Reunião do Sistema Latino-Americano e do Caribe de Informação em Ciências da Saúde, na Costa Rica, em março de 1998, a rede se compromete a construir de forma cooperativa a Biblioteca Virtual em Saúde

18 8 portales nacionales certificados: Argentina, Brasil, Colombia, Cuba, Honduras, Perú, México y España 12 portales nacionales en desarrollo: Barbados, Chile, Costa Rica, Ecuador, El Salvador, Jamaica, Nicaragua, Paraguay, República Dominicana, Trinidad y Tobago, Venezuela y Uruguay 3 portales temáticos regionales certificados: Adolescencia, Ambiente, Ciencia y Salud 13 portales temáticos regionales en desarrollo: Bioética, Desastres, Enfermedades no Transmisibles, Envejecimiento, Equidad y Desarrollo Humano, Genero y Salud, Legislación, Oncología, Salud Mental, Salud Perinatal, Salud Pública, Vacunas e Inmunización, Nutrición 23 portales temáticos nacionales en operación: Adolescencia(7), Ambiente(12), Psicología, Salud Pública, Historia, Vigilancia Sanitaria 13 portales temáticos nacionales en desarrollo: Pediatría, Lactancia Materna, Enfermedades Infecto-Parasitarias, Educación en Ciencias de la Salud, Enfermería, Homeopatia, Toxicologia, Adolescencia, Odontología, Transito Educación profesional 74 sitios mas de 400 mil visitas / mes

19 A BVS é um espaçoNão é um lugar!espaço no ciberespaço um meioum metameio de fontes de informação que provem a circulação do conhecimento uma rede ou coleção decentralizada de fontes de informação operada por produtores, intermediários e usuários de fontes de informação científico técnica em saúde espaço de convergência

20 A operacão da BVS é assistida por Comitê Consultivo, Comitê Executivo e Secretaria Executiva, conformados por representantes de instituições produtoras, intermediárias e usuárias de informação na área. A operação do conjunto de Fontes de Informação é feita de maneira descentralizada, obedecendo a critérios de qualidade assim como metodologias e tecnologias públicas e eficientes Como se desenvolve a BVS? Modelo da Biblioteca Virtual em Saúde

21 BVS - Abrangência A construção da BVS e operação descentralizada de fontes de informação e sua integração em rede, é realizada nos âmbitos geográficos e temáticos. Exemplos: - BVS México (geográfico nacional) - BVS Adolec México (temático nacional) - BVS Adolec América Latina e Caribe (temático regional)

22 BVS- Implantação - Passos Articulação e acordos entre instituições produtoras, intermediárias e usuárias da informação: - entendimento e adoção do modelo; - liderança de uma ou mais instituições.

23 Três instâncias básicas para a construção da BVS Comitê Consultivo Comitê Executivo Secretaria Executiva

24 1- Comitê Consultivo O Comitê, formado por instituições fundamentais do eixo temático, tem como principais funções: Tomar decisões políticas Estabelecer e aprovar o plano de trabalho Definir prioridades Coordenar a distribuição de trabalho entre as instituições, promovendo a divisão de responsabilidades e o trabalho cooperativo Definir e orientar os critérios de qualidade e conteúdos a serem integrados na BVS Aprovar projetos específicos Controlar e avaliar o desempenho da BVS etc.

25 BVS- Implantação - Passos Elaboração do plano de construção e desenvolvimento: - orienta o trabalho cooperativo; - define objetivos específicos, resultados esperados, instituições responsáveis, etc. - projetos específicos; - matriz de distribuição de responsabilidades.projetos específicosmatriz de distribuição de responsabilidades

26 BVS - Implantação: Projetos Específicos BVS - 0: Página Nacional da BVS BVS - 1: Literatura científico-técnica BVS - 2: Diretórios BVS - 3: Indicadores Numéricos BVS - 4: Informação para tomadores de decisão BVS - 5: Diseminação Seletiva de Informação BVS - 6: Comunicação: notícias e listas de discussão BVS - 7: Descritores em Ciências da Saúde BVS - 8: Exposições e seminários virtuais BVS - 9: LIS - Localizador de Informações em Saúde BVS - 10: Capacitação de intermediários e usuários BVS - 11: Marketing BVS - 12: Espaços Especializados BVS - 13: Legislação Nacional em Texto Completo BVS - 14: Apoio a Educação voltar

27 Exemplo de Matriz de Responsabilidades

28 evita duplicações facilita o intercâmbio/cooperação com iniciativas internacionais promove a capacidade local na adoção, desenvolvimento e adaptação de tecnologias de informação contribui para a formulação de políticas nacionais de informação científico técnica sincronizadas com o paradigma de informação e comunicação da Internet promove sinergias e ressonâncias a BVS opera integralmente em rede

29 Na rede não há espaço para a autoridade central, dogma universal, ou ética fundamental. No lugar encontramos fragmentação, instabilidade, indeterminação e incerteza. Os princípios da rede renunciam a qualquer rigidez, estrutura fechada, hierárquica, esquema universal, linearidade, autoridade central, ou valores fixos. A rede oferece, em troca, pluralidade, diferenças, ambigüidade, incomplitude, contingência e multiplicidade Anelise Pacheco. Das estrelas móveis do pensamento. 2001

30 Três instâncias básicas para a construção do Modelo Comitê Consultivo Comitê Executivo Secretaria Executiva

31 2- Comitê Executivo O Comitê Executivo, formado pelas bibliotecas, centros de informação (bibliotecários e informáticos) ligados às instituições que formam o Comitê Consultivo, também chamado Comitê operacional tem como principais funções: Operar as fontes de informação descentralizadamente a partir da metodologia BVS Manter atualizados os conteúdos das fontes de informação Atender capacitações técnicas para acompanhar os ajustes e desenvolvimento metodológico e tecnológico da BVS

32 3- Secretaria Executiva Em geral representada por uma instituição com condições (políticas, institucionais, econômicas, de recursos humanos e de tecnologias de informação) para assumir a liderança na operação da BVS. Tem como principais funções: Promover o funcionamento efetivo do Comitê Consultivo, organizando reuniões periódicas Desempenhar funções de coordenação e promoção da BVS Assegurar a atualização e funcionamento da matriz de responsabilidades

33 Processos e agentes \Processo atendido: Apoiar o proceso de elaboração, classificação, validação e disseminação de informação científico técnica em saúde \Usuarios (agentes) envolvidos: \ Produtores de informação (investigadores, organizações, etc.) \ Especialistas em informação (bibliotecarios, documentalistas, etc.) \ Usuarios especialistas: Gestores Investigadores Médicos Estudantes Público em geral Cooperação, em rede

34 Acceso al documento completo - Envío de la copia del documento - Servicio SCAD: correo, , Ariel, fax Integración de los recursos de información un tema a ser buscado o una necesidad de información Referencias bibliográficas con enlace al texto - SciELO - Textos electrónicos Referencias bibliográficas con enlace al currículo del autor Referencias bibliográficas con resumen Bases de datos bibliográficas (medline, lilacs, cochrane, bases de datos temáticas, nacionales, etc)

35 Identificar e/ou definir FIs Realinhar Configurar FIS Organizar o acesso Fortalecer a adoção Arquitetura da BVS

36 São operadas de modo descentralizado formam progressivamente a rede ou coleção de uma BVS … via portais, catálogos LIS, e … links, links, links, ….. A BVS permite a operação de infinitos portais ou visões que operam sobre toda a rede ou sobre sub-conjuntos dela. Com a interconexão/integração masiva entre as fontes de informação as fronteiras entre elas se diluem Fontes de Informação

37 internet Tecnologia Web Comunicar pessoas, ocultando complexidade Repositório de Informação Compartilhado Único

38 Identificar e/ou definir fontes de informação Fonte de informação é qualquer recurso que responde a uma demanda de informação produto ou serviço de informação, uma pessoa ou grupo de pessoas, um robô, etc....

39 BVS Peru – Nacional

40 BVS Aleitamento Materno

41 BVS Doenças Não Transmissíveis

42 BVS Adolec Brasil

43 BVS Saúde Publica Brasil

44

45

46

47 BVS – Os principais momentos/fases Posta em Marcha Incubação Operação Fortalecimento 4

48 Indicadores de evolução de uma BVS •Comitê Consultivo estabelecido e funcionando •Instituições coordenadora(s) •Plano de desenvolvimento •Matriz de divisão de responsabilidades (anexo 1) •Página principal •Fontes de informação operando de modo atualizado •Infraestructura e recursos tecnológicos

49 Muito obrigada! Cláudia Guzzo Gerência de Serviços Cooperativos de Informação – SCI/BVS BIREME/OPAS/OMS


Carregar ppt "GT ePort Salvador, Bahia, Brasil – 19 e 20 de setembro de 2005 ePort: Desenvolvimento da Rede de Fontes de Informação em Ciências da Saúde para os Países."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google