A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

SEGURANÇA VIÁRIA - Avaliação e Previsão Eng.Hugo Pietrantonio, D.Sc., Prof.Dr. LEMT-PTR/EPUSP, ADDENDUM.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "SEGURANÇA VIÁRIA - Avaliação e Previsão Eng.Hugo Pietrantonio, D.Sc., Prof.Dr. LEMT-PTR/EPUSP, ADDENDUM."— Transcrição da apresentação:

1 SEGURANÇA VIÁRIA - Avaliação e Previsão Eng.Hugo Pietrantonio, D.Sc., Prof.Dr. LEMT-PTR/EPUSP, ADDENDUM

2 SEGURANÇA VIÁRIA 3. Avaliação e Previsão 1. AVALIAÇÃO DE ACÕES EM SEGURANÇA: - Problemas da Avaliação, - Métodos Estatísticos, - Estudos Antes/Depois, - Estudos Cruzados (Com/Sem), - Análise e Meta-análise PREVISÃO DA EFICÁCIA DAS AÇÕES: - Evidência de Estudos Anteriores... - Dados do HRSM (2004, 2009)...

3 SEGURANÇA VIÁRIA 3.1. Avaliação: Problemas na Avaliação Mensurar: evolução devida à intervenção Separar: evolução devida à outros fatores, aleatoriedade, vieses,... Efeitos na: frequência de acidentes gravidade dos acidentes... Dados: acidentes, por gravidade... medidas indicadoras – conflitos,... medidas correlatas – velocidade, violações,... absoluto ou relativo acidentes totais ou relacionados com intervenção Então: impossível avaliar potencial de uma intervenção sem considerar medida de deficiência ! examinando separadamente o efeito em cada tipo de acidente afetado pela intervenção! TIPO DE INTERVENÇÃO TIPO DE DEFICIÊNCIA TIPO DE LOCAL EFICÁCIA POR TIPO DE ACIDENTE

4 SEGURANÇA VIÁRIA 3.1. Avaliação: Problemas na Avaliação......

5 SEGURANÇA VIÁRIA 3.1. Avaliação: Problemas na Avaliação Efeitos decorrentes da grande variância dos dados de acidentes: Travessia de pedestres c/ semáforos: Suécia, 12 intersecções: 7 12, s/ significância EUA, 20 intersecções: 19 12, s/ significância Conversão à direita no vermelho (EUA, 1976,..., 1983): 1976, 20 intersecções: , s/ significância 1976, :19 24, s/ significância , : , s/ significância A variância existente nos dados de acidentes compromete a avaliação Meta-análise: evidência cumulativa de diversos estudos...

6 SEGURANÇA VIÁRIA 3.1. Avaliação: Problemas na Avaliação Efeitos decorrentes da variação simultânea de outros fatores: Vias de mão única (EUA, TRB, 1990) estudos antes/depois: melhoria estudos cruzados: irrelevância Conversão PARE / DE PREFERÊNCIA (NCHRP 320/1989) Rapid City: 19 intersecções c/ tratamento: intersecções s/ tratamento: 3 6 efeito: 12 * (6/3) = 24 <>26 Qual a contribuição ao erro do fator de correção? Muitas variáveis não observadas ou não controladas também afetam o resultado... Uso de grupos de controle; Uso de bases de dados com co-variáveis presentes...

7 SEGURANÇA VIÁRIA 3.1. Avaliação: Problemas na Avaliação Efeitos de reaproximação com a média (RTM-Regression to the mean): Semaforização (EUA, 1978 e 1981) aumenta acidentes onde a freqüência é baixa diminui acidentes onde a freqüência é alta são os efeitos de reaproximação com a média Cruzamento de vias férreas (NCHRP 288/1987) 143 cruzamentos c/ acidentes em 1981:148 acs. em1982:16 acs. nada foi feito: simples efeito de reaproximação com a média! A reaproximação com a média é um caso particular de viés de seleção: - com simples aleatoriedade: valores abaixo da média normalmente sobem... - com simples aleatoriedade: valores acima da média normalmente baixam... Selecionando os casos pelo valor, efeito de viés mistura-se com diferença real!

8 SEGURANÇA VIÁRIA 3.1. Avaliação: Problemas na Avaliação......

9 SEGURANÇA VIÁRIA 3.1. Avaliação: Problemas na Avaliação Efeitos de reaproximação com a média: demonstração Rotatórias (TRRL/1981) - média: 4,5 acidentes/ano por aproximação Seções (Israel, 1971 a 1979) - influência do histórico de acidentes Efeito de reaproximação com a média é relevante e persistente... Uso de métodos que podem reduzir o viés de reaproximação com a média: a.m+(1-a).x

10 SEGURANÇA VIÁRIA 3.1. Avaliação: Problemas na Avaliação......

11 SEGURANÇA VIÁRIA 3.1. Avaliação: Problemas na Avaliação Outros efeitos que podem influenciar a avaliação das intervenções Hipótese de Migração de Acidentes: evidência controversa... - eliminação de acidentes em um local pode transferir sua ocorrência para outros - pode decorrer de alterações das condições da via ou tráfego (consistência de projeto) - pode decorrer da manifestação da reaproximação com a média (se seleção por valor) Hipótese de Adaptação Comportamental: relevância controversa... - redução de um risco permite que outros riscos sejam assumidos... mantém acidentes - diversas formulações teóricas: homeostasia do risco, utilidade compensatória,... - pode decorrer também de diferenças pessoais (propensão a assumir risco...) Efeitos mais amplos no espaço... Estudos deveriam considerar área maior... Efeitos mais amplos em geral... Estudos deveriam considerar outras reações ou atividades...

12 SEGURANÇA VIÁRIA 3.1. Avaliação: Métodos Estatísticos Escala: localvieses: reaproximação, contemporaneidade tendências, transferências,... corredor, área,... Tipos de Métodos:- antes/depois simples (ingênuo) c/ grupo de controle c/ correção de viés - análise/classificação cruzada: com/sem... - análise de painéis (quase-painéis): antes/depois&com/sem - meta-análise (cumulativo): combinação de evidências... Objetivos da avaliação estatística: Testes estatísticos (aceitar/rejeitar hipóteses de efeitos) Mensurar (obter intervalos de confiança para) os efeitos : significância : confiabilidade

13 SEGURANÇA VIÁRIA 3.1. Avaliação: Métodos Estatísticos......

14 SEGURANÇA VIÁRIA 3.1. Avaliação: Métodos Estatísticos Recomendações do U.S.HSM/2010:

15 SEGURANÇA VIÁRIA 3.1. Avaliação: Métodos Estatísticos Propriedades Estatísticas:justa ou viesada (tendenciosidade) precisa ou imprecisa (variância) Aproximação de Momentos de Z=f[X,Y]: expansão de Taylor ao redor de x (ou x ) Combinação de Evidências: estimativas independentes X, Y,... de Z 2ª.ordem assintoticamente normal... central... usando até 2... ponderação...

16 SEGURANÇA VIÁRIA 3.1. Avaliação: Métodos Estatísticos MEDIDAS DIRETAS DE SEGURANÇA: Acidentes (Danos)... Custos dos acidentes MEDIDAS INDIRETAS DE SEGURANÇA: Freqüência de conflitos: Críticas (quase-acidentes) Severas (conflito real) Leves (conflito virtual) Situação de risco (potencial): Medidas de exposição ou medidas de oportunidades Comportamento de risco: velocidade, transgressões,... Manobras sem visibilidade, erráticas, descuidadas,... Usuários afetados por álcool, cansaço,... Comportamento aberrante: dirigir embriagado, prática de rachas,... Variáveis operacionais: Velocidade média, % detecções, % transgressões,,... Distância de borda, % frenagens, % obstáculos, % invasões,... Pontos de conflito, obstrução AVALIAÇÃO ECONÔMICA: BENEFÍCIO/CUSTO, CUSTO/EFICÁCIA,...

17 SEGURANÇA VIÁRIA 3.1. Avaliação: Estudos Antes/Depois ASPECTOS CRÍTICOS EM ESTUDOS ANTES/ DEPOIS: Locais estudados devem ter recebido tratamento (ou data do tratamento deve ser conhecida, sem muitas outras mudanças) Exige tempo de observação longo (antes e depois) (delimitação dos períodos eventualmente afeta a conclusão) Deve-se separar efeitos de tendências ou alterações exógenas Difícil de controlar seleção dos locais de estudo (não aleatória) Deve-se separar os efeitos de reaproximação com a média Avalia apenas o tratamento (conjunto de tratamentos) estudado Vantagens É o procedimento mais intuitivo... Integra-se com a monitoração de ação... Observação limitada a poucos locais...

18 SEGURANÇA VIÁRIA 3.1. Avaliação: Estudos Antes/Depois PROBLEMAS EM ESTUDOS ANTES/ DEPOIS (Hauer, 1997): Comparar frequência de acidentes depois com intervenção e frequência de acidentes depois sem intervenção Frequência de acidentes depois é estimativa ruim de ! (aleatoriedade, viés de seleção,...) Frequência de acidentes antes é estimativa ruim de ! (tb outras condições, tendência,...) Medidas de avaliação: = -, = / (CMF-Crash Modification Factor) ou =1- / (CRF-Crash Reduction Factor) Exemplo: programa de ação anti-álcool Ano: =445? =445 =511? = AcM&F: = - = =956, =-66 z ! AcCUA: 213 =144? =173?... ( )/2... tendência... Qual valor adotar para frequência antes? - mais anos? ainda período homogêneo? Qual valor adotar para a frequência depois, sem intervenção? - mais anos? ainda período homogêneo? considerar tendência? Que outros fatores deveriam ser considerados? - exposição (tráfego,...), clima (chuva,...),... Quais acidentes considerar (efeito do tratamento)? - todos os acidentes? acidentes com condutor que usou álcool? - se tendência de menor uso de álcool (sem programa): - AcCUA + AcCNA...

19 SEGURANÇA VIÁRIA 3.1. Avaliação: Estudos Antes/Depois ANTES/DEPOIS SEM GRUPO DE CONTROLE: Um local: observação antes – k´acidentes n´anos (períodos) observação depois- k acidentes nanos (períodos) Hipótese:, K~Poisson (m=m): ou Com n=n=1: Aproximação normal:

20 SEGURANÇA VIÁRIA 3.1. Avaliação: Estudos Antes/Depois......

21 SEGURANÇA VIÁRIA 3.1. Avaliação: Estudos Antes/Depois Exemplos: Instalação de amarelo piscante:antes(1 ano) depois ( 1 ano) (a) intersecções complexas:19 12 (-37%) (b) cruzamentos simples (X):50 35 (-30%) - (a) A. 1: não é significativo A.2: não é significativo A.3: significância de 90% - (b) A.2: é significativo A.2: não é significativo B: significância de 95% Faixa de conversão à esquerda: antes (2anos) depois (1 ano) c/ estágio protegido 27a 16a (-41%) A. 1: não é significativo <5% de m<10 A.2: não é significativo >95% de m< 23 A.3: significância de 90%10<=m<=23 p/ =90% - anos após ano –6 –5 –4 –3 –2 – m=27, n=6 s 2 =31,6, s=5,6 t=-3,9013, m=16, n=6 s 2 =16,0, s=4,0 tc=3,365 p/ 99% (OK)

22 SEGURANÇA VIÁRIA 3.1. Avaliação: Estudos Antes/Depois A/D SEM G.CONTROLEABCDE(N) Diversos locais: antesKa...Kd..... (nanos) depoisKa...(nanos) m(Ka/n)*n...(Kd /n)*n.... Alternativa: cada local, significância pi Ho: p=0,5 em k testes independentes: Aproximação normal: (n>6)

23 SEGURANÇA VIÁRIA 3.1. Avaliação: Estudos Antes/Depois Exemplos: LocalABCD N Antes Depois M^7,56,56,06,7Sem correção ou controles trechoIIIIIIIVVVI Antes714,11920,630,241, Depois7,38,514,217,518,530,196,1 16,02 0,35,61,83,11,711 5,98

24 SEGURANÇA VIÁRIA 3.1. Avaliação: Estudos Antes/Depois ALTERAÇÕES QUALITATIVAS:... Presença da característica:antes X em K, p=X/K depois X em K, p=X/K X~Binomial (p): p=X/K ou (X+ X)/(K+ K) Aproximação normal: z=(p-p)/s... com p= (X+X)/(K+K) n>=30, p>0,10

25 SEGURANÇA VIÁRIA 3.1. Avaliação: Estudos Antes/Depois ALTERAÇÕES QUALITATIVAS:... Presença de correlação:X,Y associados em K ou N ordenação em Xposição RXi observação:i,(Xi,Yi) i=1,,..., Nordenação em Yposição Ryi coeficiente de correlação de posição: (de Spearman) aproximadamente normal: Presença de correlação:X,Y associados em K ou N coeficiente de correlação linear: (de Pearson) estatística T(N-2): enfoque alternativo: ajuste de modelos com dados cruzados ou painéis (regressão,...) i, (Xi, Yi, RXi, Ryi,Di=Rxi-RYi)

26 SEGURANÇA VIÁRIA 3.1. Avaliação: Estudos Antes/Depois ALTERAÇÕES QUALITATIVAS: Distribuição (como um todo, discretizada...) tipo1tipo2...tipo i... AntesK1K2...Ki... nanos DepoisK1K2Ki... nanos mi(Ki/n).n(K1/n).n... D= máx |Fi – Fi| ~ Kolmogorov - Smirnov

27 SEGURANÇA VIÁRIA 3.1. Avaliação: Estudos Antes/Depois Exemplos: -propensão de acidentes pavimento molhado local: 22 em 40 acidentes (p=0,55); outros: 300 em 1000 (p=0,30) -associação entre acidentes e velocidade local K RY V RX Di ~99,7%

28 SEGURANÇA VIÁRIA 3.1. Avaliação: Estudos Antes/Depois alteração na gravidade dos acidentes (distribuição): Portanto: D=máx [Di] = 0,118 < D c (90%) = 0,2175 KiPD0 leve moderado severo grave crítico fatal Antes Depois Fi0,095 0,997 0,732 0,838 0,828 0,922 1,000 Fi0,100 0,300 0,620 0,720 0,780 0,900 1,000 Di-0,005 0,097 0,112 0,118 0,108 0,022 0,000

29 SEGURANÇA VIÁRIA 3.1. Avaliação: Estudos Antes/Depois ANTES/DEPOIS C/ GRUPO DE CONTROLE: aleatoriedade e outros fatores (pelo grupo de controle) c/Ts/T antes depois efeitoT+OO=outros análise agregada... alternativa: por local tratado... deficiências: ignora efeito de outros fatores e de potenciais vieses... C/ tratamento A B C D... G.Controle a b c d... AntesKA.... KD...Ka.... Kd... DepoisKA.... KD...Ka.... Kd... T C Antes Depois St Sc SSSS S p=S/S p.Stp.Sc m t = S t.S c /S c ou m t = S t.S/S

30 SEGURANÇA VIÁRIA 3.1. Avaliação: Estudos Antes/Depois Exemplo: ÁreaControle Antes Depois , , ,2 35,8 14,8 26,2 ~10% para a similaridade Pode-se usar a fórmula geral ou a fórmula simplificada:

31 SEGURANÇA VIÁRIA 3.1. Avaliação: Estudos Antes/Depois ANTES/DEPOIS C/ GRUPO DE CONTROLE: aleatoriedade e outros fatores (pelo grupo de controle) c/Ts/T antes depois efeitoT+OO=outros Alternativa: razão de chance (odds ratio): ou log-odds: aproximação (pressuposto: K~Poisson, var=média, independentes, n grande->O,o~Normal) deficiências: ignora efeito de outros fatores e de potenciais vieses... C/ tratamento A B C D... G.Controle a b c d... AntesKA.... KD...Ka.... Kd... DepoisKA.... KD...Ka.... Kd... m t = S t.S c /S c ou m t = S t.S/S

32 SEGURANÇA VIÁRIA 3.1. Avaliação: Estudos Antes/Depois Exemplo: ÁreaControle Antes Depois , , ,2 35,8 14,8 26,2 ~10% para a similaridade

33 SEGURANÇA VIÁRIA 3.1. Avaliação: Estudos Antes/Depois ANTES/DEPOIS C/ GRUPO DE CONTROLE: aleatoriedade e outros fatores (G.controle e correções) c/Ts/T antescorreção por outros fatores: cada K´(e/ou K) é corrigido depois- duração dos períodos na,nd: K*=nd/na*K´... n=dado efeitoT+OO=outros- nível de tráfego Qa,Qd: K*=F[Qd,...]/f[Qa,...]*K´ Q,f estimados... contribui também para variância outros fatores : K*=f[Qd,Xd,...]/f[Qa,Xa,...]*K´ também aplica-se a K (mais anos, alterações,...) Alternativa: razão de chance (mais geral) aproximação (pressuposto: independentes; variância majorada, n grande->O,o~Normal) C/ tratamento A B C D... G.Controle a b c d... AntesKA.... KD...Ka.... Kd... DepoisKA.... KD...Ka.... Kd...

34 SEGURANÇA VIÁRIA 3.1. Avaliação: Estudos Antes/Depois Exemplo:

35 SEGURANÇA VIÁRIA 3.1. Avaliação: Estudos Antes/Depois MÉTODO BAYESIANO: P[H/E]=(P[E/H]/P[E]).P[H]... Atualiza H=hipótese com E=evidência... Modelo Poisson/Gama -distribuição no local: Poisson(m) k =m, 2 k =m -médias dos locais: Gama(, ) k = /, 2 k = / 2 -distribuição composta: Pascal(,q): (Negativa Binomial) =, q= /(1+ ), k =.(1-q)/q= /, 2 k=.(1-q)/q 2 = / 2.(1+ ) - observação local: novo k, N usado para atualizar Gama( +k, +N) e k, 2 k... Modelo Binomial/Beta -distribuição no local: Binomial (p,n) k =p.n 2 k =n.p.(1-p), n dado -médias dos locais: Beta(, ) p = /( + ), 2 p =. /(( + ) 2.( + +1)) -distribuição composta: BB(,q): (Beta-Binomial) =, q= /( + ), k =n.q, 2 k =n.q.(1-q).(n+ + )/( + +1) - observação local: novo k, N usado para atualizar Beta( +k, +N-k) e k, 2 k...

36 SEGURANÇA VIÁRIA 3.1. Avaliação: Estudos Antes/Depois MB EMPÍRICO PARA CORRIGIR EFEITO DE REAPROXIMAÇÃO COM A MÉDIA: (Hauer, 1997) Usar a distribuição entre locais para ponderação ~ modelo (SPF) como grupo de controle... H:-distribuição no local: Poisson(m) k =m, 2 k =m -médias dos locais: Gama(, ) k = /, 2 k = / 2 -distribuição composta: Pascal(,q) (Negativa Binomial) =, q= /(1+ ), k =.(1-q)/q= /, 2 k=.(1-q)/q 2 = / 2.(1+ ) modelos (regressão negativa binomial): k (média) e k (parâmetro de dispersão) I :- observação entre locais: modelo de previsão (SPF-Safety Performance Function) - valor esperado no local: e combinação do valor previsto p e do valor observado x ponderação que minimiza a variância de e : (segundo Hauer, 1997) T: - teste da razão/diferença... ou da razão de chance com grupo de controle (OR ou o...) Proposta de Hauer foi adotada pelo U.S.HSM/2010, mas versão atual tem muitos pontos discutíveis U.S.HSM/2010 é a principal fonte atual para os modelos de previsão (SPFs)... E o SafetyAnalyst...

37 SEGURANÇA VIÁRIA 3.1. Avaliação: Estudos Antes/Depois Exemplo: MB EMPÍRICO

38 SEGURANÇA VIÁRIA 3.1. Avaliação: Estudos Antes/Depois MB EMPÍRICO ALTERNATIVO PARA CORREÇÃO DO EFEITO DE REAPROXIMAÇÃO COM A MÉDIA: Usar a distribuição entre locais para ponderação ~ outros locais como grupo de controle... H:-distribuição no local: Poisson(m) k =m, 2 k =m -médias dos locais: Gama(, ) k = /, 2 k = / 2 -distribuição composta: Pascal(,G) =, q= /( + ), k =n.q, 2 k =n.q.(1-q).(n+ + )/( + +1) I :-observação entre locais: -observação local~antes:k´, Q´ ~depois:K,Q - inferência:

39 SEGURANÇA VIÁRIA 3.1. Avaliação: Estudos Antes/Depois Exemplo: - tratamento em F apenas: redução p/ 12 acidentes -considerando a média de todas as intersecções: -para F antes: =0,66+5=5,66 =9,24+95=104,24 reaproximação: 19 18,4, insegurança do local: 18,4 14 -para F depois: =0,66+1=1,66 =9,24+12=21,24 reaproximação: 12 12,8, segurança do local: 12,8 14 -P(m

40 SEGURANÇA VIÁRIA 3.1. Avaliação: Estudos Cruzados ASPECTOS CRÍTICOS NA ANÁLISE CRUZADA Existem muitos fatores e interação relevantes Deve-se separar efeitos de variáveis correlacionadas Difícil de controlar variação de fatores (são relacionados) Difícil determinar classificação adequada (grupos de análise) Difícil determinar variáveis e funções/níveis adequados Procedimentos estatísticos mais complexos Resultados estatísticos menos robustos (definições de método eventualmente afetam a conclusão) Exige coleta de dado sobre muitos locais Vantagens: Não exige intervenções e monitoração das intervenções nos locais.. Pode utilizar dados de um período apenas... Pode investigar diversas medidas ao mesmo tempo...

41 SEGURANÇA VIÁRIA 3.1. Avaliação: Estudos Cruzados ANÁLISE/CLASSIFICAÇÃO CRUZADA (COM/ SEM) em cada contexto S, busca uma relação funcional K=f(L,Q,X1,X2,...) ou obtém uma decomposição de taxa/ média em componentes K=K 0 + L efeitos principais ( ) LQ + ( ) L1 + ( ) Q1 + ( ) L ( ) LQ1 +...interações relevantes (se há observações repetidas no tempo: estudos de painéis ou pseudo-painéis) LOCALCARACTERÍSTICASCONTEXTO AL A Q A X AA X 2A...S1 BL B Q B X 1B X 2B... C... D EL E Q E X 1E X 2E...S2...

42 SEGURANÇA VIÁRIA 3.1. Avaliação: Estudos Cruzados Relações funcionais: Exemplo: Variando Xi: Composição: somente efeitos principais (=hipótese de efeitos independentes...) Decomposição: exemplo: X1COMSEM X

43 SEGURANÇA VIÁRIA 3.1. Avaliação: Estudos Cruzados ESPECIFICAÇÃO FUNCIONAL X ESTATÍSTICA Modelos lineares: Intrinsecamente lineares: (transformação logarítmica) Aproximação linear: (expansão de Taylor) Especificação estatística: fonte e forma de ei: erro de medida em Yi: ok erro de aproximação: ? erro de medida em X: ? erro de omissão de Z: ? ei normal: OLS=independente, homocedástico (GLS=distribuição normal multivariada) ei generalizado: GLM (normal, binomial, Poisson, gama, negativa binomial,...)

44 SEGURANÇA VIÁRIA 3.1. Avaliação: Estudos Cruzados Exemplos: Cruzamentos de 4 Aproximações com PARE (FHWA-RD ) Y(3)= acidentes (3 anos), X5=largura média da faixa, X1= VMD na via principal,,X2=VMD na via secundária X3= proibição de CE na via principal (0,1), 1=sim é proibição da CE X4= liberdade de acessos na via principal {0,1}, 1=sim, sem controle <0 ? X6= 3 ou menos faixas na via principal {0,1}, 1=sim X7= 4 ou mais faixas na via principal {0,1}, 1=sim X8= conv.direita sem canalização {0,1}, 1=sem canalização da CD <0 ? X9= iluminação natural apenas {0,1}, 1= apenas natural <0 ? Efeito de proibição de conversão à esquerda: X3=01 Efeito de 4a.faixa na via principal: X6=1 0 e X7=0 1 Efeito do controle de acesso: X4=1 0; de canalização conv.direita: X2=1 0 Efeito de iluminação de via (artificial): X9=1 0 Problema de robustez das estimativas (correlações com variáveis incluidas e omitidas)... REDUÇÃO! AUMENTO!?

45 SEGURANÇA VIÁRIA 3.2. Avaliação: Análise e Meta-análise ANÁLISE DE RESULTADOS ESTATÍSTICOS 1.Força / grau da associação estatística 2.Magnitude do efeito ( dose-resposta) 3.Coerência temporal (efeito vem depois) 4.Consistência dos resultados com estudos 5.Plausibilidade da associação estabelecida 6.Coerência da evidência (algo somando 4 e 5) 7.Especificidade da causa para o efeito (e v.v.) Surgeon General of U.S. (1964) -Smoking and Health (apud Hauer, 1997)

46 SEGURANÇA VIÁRIA 3.2. Avaliação: Análise e Meta-análise META-ANÁLISE Conceito: investigação sobre as conclusões acumuladas em diversos estudos sobre um assunto e análise da combinação das evidências e estimativas produzidas... Importância crescente face ao número significativo de estudos produzido em diversas áreas; permite examinar tópicos em áreas onde as inferências são difíceis (ex.: acidentes...) Aspectos considerados: - viés de publicação: consistência dos resultados e da relação dispersão/amostra... - unimodalidade: efeito médio (senão, deve-se identificar classes unimodais...) - combinação (e ponderação) dos resultados: peso estatístico w=1/s 2... Aspecto crítico: seleção de estudos adequados (dados e métodos confiáveis...) Uma fonte principal de revisão de estudos de diversas ações em segurança de trânsito: - The Handbook of Road Safety Measures (1ed, 2003; 2ed, 2009)

47 SEGURANÇA VIÁRIA 3.2. Avaliação: Análise e Meta-análise META-ANÁLISE: EXEMPLO Elvik, 1995 – Efeito de Barreiras/Defensas/Atenuadores... Revisão de 32 estudos (antes/depois ou caso/controle), com 232 estimativas: - Efeito total: EfTot=PrAcc*SevAcc... - Taxa de acidentes: TxAcc=TotAcc/VKM - Chance de Grave: OFatInj=FatInj/NonFI... - Razão de chance: ORFatInj=OFatInjA/OFatInjB (A=com atenuador; B=sem)... Atenuadores de impacto e Pr[acidentes fatais]

48 SEGURANÇA VIÁRIA 3.2. Avaliação: Análise e Meta-análise Hierarquia de Evidências - Visão Atualizada Opiniões de Autoridades Reconhecidas; Estudos Descritivos; Relato de casos Múltiplos Dados de Séries Históricas, Notícias de Efeitos Dramáticos Estudos Observacionais (Coorte, Caso/Controle), preferencialmente + de Estudos Controlados, preferencialmente um ou + com aleatorização Meta-análise...(US.PSTF apud NEJM) Críticas às Técnicas Atuais de Meta-análise: ignoram a heterogeneidade (suposição de que todos os estudos estimam o mesmo efeito) analisam mas não incorporam o efeito de eventuais vieses existentes nos estudos... (exceto o viés de publicação mas usando procedimentos formais) ignoram diferenças de qualidade metodológicas (não estatísticas) dos estudos (ou teriam de incluir procedimentos cuidadosos de homogenização dos resultados/metodologia) enfoque bayesiano seria superior (exceto em termos operacionais, por ser mais complexo)

49 SEGURANÇA VIÁRIA 3.2. Avaliação: Alguns Resultados......

50 SEGURANÇA VIÁRIA 3.2. Avaliação: Alguns Resultados......

51 SEGURANÇA VIÁRIA 3.2. Avaliação: Alguns Resultados......

52 SEGURANÇA VIÁRIA 3.2. Avaliação: Alguns Resultados......

53 SEGURANÇA VIÁRIA 3.2. Avaliação: Alguns Resultados......

54 SEGURANÇA VIÁRIA 3.2. Avaliação: Alguns Resultados......

55 SEGURANÇA VIÁRIA 3.2. Avaliação: Alguns Resultados......

56 SEGURANÇA VIÁRIA 3.2. Avaliação: Alguns Resultados......

57 SEGURANÇA VIÁRIA 3.2. Avaliação: Alguns Resultados......

58 SEGURANÇA VIÁRIA 3.2. Avaliação: Alguns Resultados......

59 SEGURANÇA VIÁRIA 3.2. Avaliação: Alguns Resultados......

60 SEGURANÇA VIÁRIA 3.2. Avaliação: Revisão do HRSM/ Método do The Handbook of Road Safety Measures (TOI, Noruega): 1. Busca e revisão sistemática da literatura Seleção de estudos: pelo menos freqUência ou severidade dos acidentes 3. Classificação por intervenção estudada (uma ou mais) Síntese dos resultados usando meta-análise para frequência de acidentes: Método Log-Odds (logaritmo da razão de chance): chance relativa O=p/(1-p)=n/(N-n); razão de chance OR=O+/O- (com/sem ação, independentes); log-odds=ln[OR]... Exemplo: local com tratamento com 75acc antes e 23acc depois; local controle com 67acc antes e 25acc depois; O+=23/75=0,307; O-=25/67=0,373; estimativa do efeito do tratamento: OO=0,822 (-17,8%); log-odds o=-0, genericamente: OR=(A/B)/(C/D), variância do log-odds v=1/A+1/B+1/C+1/D... (se ocorre n=0, usa-se n´=n+1/2 para todos; se não há controle, ignora-se C e D) HRSM 2009: considera heterogeneidade (HRSM 1997: não considera...); v´=v ou v+ 2 ; em todos os casos, OR dos estudos são combinados ponderando com w=1/v´ do estudo análise: gráfico de frequência oXw deve ser um funil invertido ao redor da média; deve ter padrão unimodal (ou separar em classes unimodais); assimetria pode indicar viés de publicação (corrigir com método trim&fill, gerando estudos artificiais omitidos); outros avaliação de relações funcionais (CMF ou AMF) e de efeitos na gravidade dos acidentes... Avaliação B/C global (ou CE): segurança, mobilidade, sustentabilidade ambiental e econômica...

61 SEGURANÇA VIÁRIA 3.2. Avaliação: Revisão do HRSM/ Grandes categorias (10) de intervenções para segurança de trânsito: Projeto Viário e Equipamentos Viários Manutenção Viária Controle de Tráfego Projeto de Veículo e Dispositivos de Proteção Inspeção Veicular e de Oficinas Formação de Condutores e Regulação da Profissão Educação e Informação Pública Fiscalização e Sanções Policiais Atendimento de Acidentados Instrumentos Gerais de Política Em cada categoria, diversas intervenções resumidas a seguir... Revisão de 2009 alterou diversas avaliações da edição de 1997 (publicada internacionalmente em 2004) Em alguns casos, evidência é inacessível e discutível... Na maior parte dos casos, evidência é bastante robusta !

62 SEGURANÇA VIÁRIA 3.2. Avaliação: Revisão do HRSM/ Projeto Viário e Equipamentos Viários: 20 intervenções Ciclovias e ciclo-faixas (inclui interseções); 2. Vias Expressas; 3. Vias de Contorno Urbano (by-passes); 4. Vias Arteriais Urbanas; 5. Canalização em Interseções (várias ações); 6. Rotatórias; 7. Reprojeto de Interseções (geometria); 8. Interseções Deslocadas (reconfiguração de cruzamentos em dois T´s); 9. Interseções em Desnível (interconexões); 10. Tratamento de Pontos Negros; 11. Melhorias na Seção Transversal (várias ações); 12. Tratamento da Segurança no Entorno (área livre lindeira à via); 13. Melhoria no Alinhamento e Distância de Visibilidade da Via; 14. Reconstrução e Rehabilitação de Vias; 15. Barreiras Protetoras (guard-rails) e Atenuadores de Impacto (crash cushions); 16. Conteção de animais silvestres (várias ações); 17. Tratamento de Curvas Horizontais; 18. Iluminação Viária; 19. Melhoria na Segurança de Túneis; 20. Áreas de Parada para Descanso e Serviço;... Redução do custo de acidentes demonstrada para 2, 3, 9, também 5 (alguns casos), 6 (gravidade), 12, 15 (gravidade), 16 (alguns casos), 18, e 11 (área rural); certas medidas tem a redução da taxa de acidentes eventualmente anulada pelo maior tráfego atraído (o que indica outros benefícios) como 1 e 4; outras medidas combinam benefícios de redução de acidentes e de mobilidade ou sustentabilidade, gerando uma razão B/C alta em vista do custo compatível, como 1, 5, 16, 18 (grande tráfego), ou uma razão B/C média em vista do custo relevante, como 4, 6, 9, 15, em menor grau 3, 17, 19 (área urbana); outras tem o alto custo como um fator dominante, como 2, 18 (tráfego baixo ou médio), 19 (área rural)... Os resultados para ciclovias e ciclo-faixas foram revisados em 2009 e refletem novos estudos que destacam os benefícios ambientais e à saúde (não os relacionados com tráfego)...

63 SEGURANÇA VIÁRIA 3.2. Avaliação: Revisão do HRSM/ Manutenção Viária: 9 intervenções Repavimentação de vias; 2. Tratamento de irregularidade e trincas/trilhos no pavimento das vias; 3. Melhoria da aderência no pavimento da via (várias ações); 4. Brilho no pavimento da via; 5. Medidas de Proteção de Encostas; 6. Manutenção Geral de Inverno nas Vias; 7. Manutenção de Invervo em Pavimentos, Calçadas, Ciclovias e Outras Áreas Públicas; 8. Correção de Erros em Sinais de Trânsito; 9. Controle de Tráfego em Locais de Obras Viárias;... De forma geral, a avaliação deste grupo de intervenções mostra que a aplicação geral não é efetiva em termos de redução nos custos de acidentes; apenas a aplicação específica onde há uma deficiência relevante mostra potencial de redução no custo de acidentes para a maior parte das medidas; efeito na redução dos custos de acidentes demonstrada para 3 (em curvas fortes, especialmente em pavimento molhado ou de baixa aderência), 5, 6/7, 8, 9 (onde aplicáveis); medidas que aumentam a velocidade podem mostrar um aumento nos custos dos acidentes, pelo menos no início da implantação, ou um efeito final de redução reduzido; ambas as observações aplicam-se a 1 (em menor grau a 2); por outro lado, o aumento da velocidade representa um benefício à mobilidade; os custos relevantes normalmente justificam-se apenas em vias com maior volume de tráfego, proporcionando boa razão B/C...

64 SEGURANÇA VIÁRIA 3.2. Avaliação: Revisão do HRSM/ Controle de Tráfego: 22 intervenções Tranquilização de Tráfego (traffic calming) em Áreas; 2. Vias Ambientais (environmental streets); 3. Vias Pedestrianizadas; 4. Vias Urbanas de Lazer; 5. Gestão/Controle de Acesso; 6. Sinalização/Controle de Preferência; 7. Placa de Preferência (R2) em Interseções; 8. Placa de Pare (R1) em Interseções; 9. Controle por Semáforos em Interseções; 10. Travessias de Pedestres Semaforizadas; 11. Sinalização de Velocidade; 12. Dispositivos para Redução de Velocidade; 13. Marcas Viárias; 14. Controle de Tráfego para Pedestres; 15. Sinalização para Estacionamento e Parada; 16. Vias de Mão-Única; 17. Faixas de Tráfego Reversíveis; 18. Projeto de Faixas para Ônibus e Paradas para Ônibus; 19. Orientação Dinâmica sobre Rotas; 20. Painéis de Mensagens Variáveis; 21. Proteção de Cruzamentos Rodo-Ferroviários em Nível; 22. Zonas Ambientais (environmental zones);... Redução do custo de acidentes demonstrada para 1, 2, 3, 4, 5, 8, 9, 10, 11, 12, 15, 18 (baias), 20 (alguns casos), 21; aumento demonstrado para 9 (substituição por amarelo piscante e conversão à direita no vermelho), 11 (maior limite de velocidade), 13 (faixas de pedestres sem outra medida), 18 (faixas de ônibus); em geral, oposição entre segurança e mobilidade, exceto 5 (preferência para via mais importante), 9 (para via secundária), 15 (restrições ao estacionamento), 16 (vias de mão única), 17 (faixas reversíveis), 18 (faixas de ônibus), 19 (orientação sobre rotas); muitas ações são de baixo custo, especialmente quando usam apenas sinalização (exceto 17 e 20); as ações que requerem obras físicas são de custo maior, especialmente 1, 2, 3 e eventualmente 4 e 12; benefícios urbanísticos de algumas ações, como 1, 2 e 3, também devem ser ponderados;...

65 SEGURANÇA VIÁRIA 3.2. Avaliação: Revisão do HRSM/ Projeto de Veículo e Dispositivos de Proteção: 29 intervenções Profundidade das Ranhuras nos Pneus; 2. Pneus com Correntes (studded tyres); 3. Freios com ABS e à disco; 4. Luzes de Freio Elevadas; 5. Carros com Luzes Acesas no Dia; 6. Ciclomotores e Motocicletas com Luzes Acesas no Dia; 7. Melhorias nos Faróis Veiculares; 8. Materiais Refletivos e Roupas de Proteção; 9. Direção, Suspensão e Estabilidade Veicular; 10. Capacetes para Ciclistas; 11. Capacete para Motociclistas; 12. Cintos de Segurança em Carros; 13. Contenção para Crianças; 14. Bolsas Infláveis (airbags) em Carros; 15. Cintos de Segurança em Ônibus e Caminhões; 16. Deformabilidade em Colisões (crashworthiness) para Veículos; 17. Controles e Instrumentos para Condução; 18. Controle de Marcha (cruise control) Inteligente; 19. Regulamentação de Massa (Peso) dos Veículos; 20. Regulatação de Capacidade (Potência de Tração) dos Motores Automotivos e da Velocidade Máxima; 21. Regulatação da Capacidade (Potência de Tração) de Ciclomotores e Motocicletas; 22. Anteparos em Parachoques de Veículos Pesados; 23. Equipamentos de Segurança em Veículos Pesados; 24. Equipamentos em Ciclomotores e Motocicletas; 25. Equipamentos de Segurança em Bicicletas; 26. Requisitos de Segurança para Reboques (trailers) e Peruas (caravans); 27. Requisitos de Segurança para Incêndio; 28. Regulamentação para Carga Perigosa; 29. Controle Electrônico de Estabilidade;... Inspeção Veicular e de Oficinas: 4 intervenções Requisitos de Segurança para Veículos; 2. Inspeção Periódica de Veículos Motorizados; 3. Inspeção de Veículos em Fiscalização na Via; 4. Regulamentação e Inspeção de Oficinas;...

66 SEGURANÇA VIÁRIA 3.2. Avaliação: Revisão do HRSM/ Formação de Condutores e Regulação da Profissão: 12 intervenções Limite de Idade para Habilitação; 2. Requisitos de Saúde para Condutores; 3. Requisitos de Desempenho para Condutores; 4. Formação Básica de Condutores; 5. Teste de Habilitação; 6. Formação e Teste para Condutores de Ciclomotores e Motocicletas; 7. Formação e Teste para Condutores Profissionais; 8. Habilitação Progressiva; 9. Esquemas de Motivação e Incentivo nos Locais de Trabalho; 10. Regulamentação de Horas de Condução e Descanso; 11. Requisitos de Segurança para Condução de Emergência; 12. Requisitos de Segurança para Transporte Escolar;... Educação e Informação Pública: 3 intervenções Educação em Idade Pré-Escolar (0–6 anos); 2. Educação em Escolas (6–18 anos); 3. Informação ao Usuários e Campanhas;... Fiscalização e Sanções Policiais: 13 intervenções Fiscalização de Velocidade Estacionada/Móvel; 2. Fiscalização Eletrônica de Velocidade; 3. Fiscalização de Cintos de Segurança; 4. Patrulhamento; 5. Fiscalização Eletrônica de Transgressão de Semáforos; 6. Esquemas de Pontuação por Penalidades e Suspensão de Habilitação; 7. Penalidades; 8. Legislação sobre Condução com Álcool/Drogas; 9. Fiscalização sobre Condução com Álcool/Drogas; 10. Restrições para Condutores Condenados por Condução com Álcool/Drogas; 11. Tratamento para Condutores Condenados por Condução com Álcool/Drogas; 12. Multas e Prisão; 13. Seguro de Veículos Motorizados;... Atendimento de Acidentados: 3 intervenções Serviços Médicos de Emergência; 2. Helicópteros de Resgate; 3. Notificação Automática;...

67 SEGURANÇA VIÁRIA 3.2. Avaliação: Revisão do HRSM/ Instrumentos Gerais de Política: 13 intervenções Medidas Organizacionais; 2. Informação para Decisores; 3. Metas Quantitativas de Segurança na Via (quantified road safety targets) e Programas de Segurança na Via; 4. Programas de Segurança na Comunidade; 5. Controle de Exposição; 6. Planejamento do Uso do Solo (planejamento urbano e regional); 7. Planos Viários e Construção de Vias; 8. Auditorias e Inspeções de Segurança Viária; 9. Tributação de Veículos Motorizados; 10. Cobrança pelo Uso da Via; 11. Mudanças na Divisão Modal das Viagens; 12. Legislação sobre Tráfego Viário; 13. Regulamentação do Transporte Comercial;... medidas complexas, com muitos objetivos e efeitos, com mediações indiretas e fatores condicionantes importantes; tem de ser avaliadas com enfoque mais geral e seu efeito depende normalmente de um conjunto mais amplo de ações e contexto mais amplo de política


Carregar ppt "SEGURANÇA VIÁRIA - Avaliação e Previsão Eng.Hugo Pietrantonio, D.Sc., Prof.Dr. LEMT-PTR/EPUSP, ADDENDUM."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google