A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Miguel Edgar Morales Udaeta V Oficina: "Como Considerar Variáveis Sociais, Ambientais e Políticas no Planejamento Energético" Arquitetura dos recursos.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Miguel Edgar Morales Udaeta V Oficina: "Como Considerar Variáveis Sociais, Ambientais e Políticas no Planejamento Energético" Arquitetura dos recursos."— Transcrição da apresentação:

1 Miguel Edgar Morales Udaeta V Oficina: "Como Considerar Variáveis Sociais, Ambientais e Políticas no Planejamento Energético" Arquitetura dos recursos energéticos de demanda 23 1 V Oficina de PIR na USP Planejamento Integrado de Recursos Projeto Araçatuba FAPESP Coordenador: Miguel Edgar Morales Udaeta "Como Considerar Variáveis Sociais, Ambientais e Políticas no Planejamento Energético" Miguel Udaeta Estudos empírico-científicos do GEPEA em PIR na região de Araçatuba Foto e/ ou Imagem 03 de Maio de 2006

2 Miguel Edgar Morales Udaeta V Oficina: "Como Considerar Variáveis Sociais, Ambientais e Políticas no Planejamento Energético" Arquitetura dos recursos energéticos de demanda 23 2 Justificativa e Relevância A energia responde sistemicamente à atividade sócio-econômica. A sociedade interage e usufrui da energia. A problemática energética se concretiza, também nas relações multinacionais e no Meio Ambiente. A atividade sócio-econômica necessita de segurança energética agora e no longo prazo: –Globalmente (globalização, efeito estufa e camada de O 3 ) e –Localmente (ação pública, chuva ácida, contaminação e Lixo). Isto determina a introdução das dimensões econômica, social, política e ambiental dentro do planejamento energético.

3 Miguel Edgar Morales Udaeta V Oficina: "Como Considerar Variáveis Sociais, Ambientais e Políticas no Planejamento Energético" Arquitetura dos recursos energéticos de demanda 23 3 Conhecimento – O Planejamento Integrado de Recursos O Planejamento Integrado de Recursos Energéticos – PIR – integra iniciativas da Oferta Energética com requerimentos da Demanda por Energia, buscando o menor custo global; Incorpora quanti e qualitativamente quesitos ambientais, sociais, econômicos e políticos; Introduz as decisões consensuais entre os diversos atores envolvidos e interessados, direta ou indiretamente, na questão energética; Busca o Desenvolvimento Sustentável sem desprezar limitações ambientais, econômicas, sociais e políticas.

4 Miguel Edgar Morales Udaeta V Oficina: "Como Considerar Variáveis Sociais, Ambientais e Políticas no Planejamento Energético" Arquitetura dos recursos energéticos de demanda 23 4 Visão Esquemática do Sistema Energético

5 Miguel Edgar Morales Udaeta V Oficina: "Como Considerar Variáveis Sociais, Ambientais e Políticas no Planejamento Energético" Arquitetura dos recursos energéticos de demanda 23 5 Visando auxiliar na elaboração de respostas às complexas demandas à área de energia pelos diferentes segmentos da sociedade, foi criado, em 92, o GEPEA – Grupo de Energia do Departamento de Engenharia de Energia e Automação Elétricas da Escola Politécnica da Universidade de São Paulo. O IEE (Instituto de Eletrotécnica e Energia) é um instituto especializado da Universidade de São Paulo e tem suas atividades baseadas na extensão universitária, pesquisa e ensino. Apresenta amplo know-how em estratégias energéticas. Estrutura – PIR conduzido pelo GEPEA e IEE na USP

6 Miguel Edgar Morales Udaeta V Oficina: "Como Considerar Variáveis Sociais, Ambientais e Políticas no Planejamento Energético" Arquitetura dos recursos energéticos de demanda 23 6 Expertise – Experiências Realizadas Trabalhos conduzidos com parceiros locais, de modo a agilizar ações, inserir agentes no processo e legitimar os resultados. Prefeituras, ONGs, Comitês de Bacias Hidrográficas, etc Oficinas de PIR realizadas na USP e em Araçatuba para a apresentação e discussão do planejamento integrado de recursos energéticos (2004)

7 Miguel Edgar Morales Udaeta V Oficina: "Como Considerar Variáveis Sociais, Ambientais e Políticas no Planejamento Energético" Arquitetura dos recursos energéticos de demanda 23 7 Reserva de Desenvolvimento Sustentável Mamirauá - AM: –Análise prévia do PIR numa reserva Municípios abrangidos: 3 População: 1,6 mil (2003) Área: km 2 Projetos anteriores Vale do Médio Paranapanema – SP: –Avaliações preliminares para implantação do PIR Municípios abrangidos: 17 População: 218 mil (2001) Área: km 2 Oeste Paulista – Araçatuba – SP: –Estudos para implantação do PIR em nível regional Municípios abrangidos: 43 População: 697 mil (2004) Área: km 2

8 Miguel Edgar Morales Udaeta V Oficina: "Como Considerar Variáveis Sociais, Ambientais e Políticas no Planejamento Energético" Arquitetura dos recursos energéticos de demanda 23 8 Projetos Anteriores Primeira fase do Projeto Novos Instrumentos de Planejamento Energético Regional Visando o Desenvolvimento Sustentável Oficinas de PIR: Realizadas pelo GEPEA e IEE, fomentam a discussão teórica, envolvendo a Universidade e atores envolvidos (Penúltima edição em 2004). Diversos trabalhos técnicos e acadêmicos (Projetos de Formatura, Dissertações e Teses) realizados por Professores, Pesquisadores Doutores e Mestres, Mestrandos, Engenheiros, Técnicos e Estagiários do GEPEA e IEE.

9 Miguel Edgar Morales Udaeta V Oficina: "Como Considerar Variáveis Sociais, Ambientais e Políticas no Planejamento Energético" Arquitetura dos recursos energéticos de demanda 23 9 Caracterizar e inventariar o potencial de recursos energéticos da Região Administrativa de Araçatuba; Aplicar a Metodologia de PIR para o potencial energético identificado; Avaliar Incertezas e Riscos da Exeqüibilidade do Uso do Potencial Energético e identificar a participação dos interessados e envolvidos em projetos relacionados; Quantificar e classificar aproveitamentos energéticos e tecnologias a eles vinculadas; Objetivos do PIR

10 Miguel Edgar Morales Udaeta V Oficina: "Como Considerar Variáveis Sociais, Ambientais e Políticas no Planejamento Energético" Arquitetura dos recursos energéticos de demanda Promover a capacitação de equipes parceiras na elaboração de planos de negócios e projetos estratégicos em recursos energéticos; Identificar necessidades e expectativas estratégicas do Estado visando o Desenvolvimento Sustentável; Determinar o escopo de aproveitamento quanto a Mecanismos de Desenvolvimento Limpo (MDL); Elaborar metodologia e plano de ação para difundir informações sobre a possibilidade do uso dos recursos energéticos de oferta e demanda na região; Objetivos

11 Miguel Edgar Morales Udaeta V Oficina: "Como Considerar Variáveis Sociais, Ambientais e Políticas no Planejamento Energético" Arquitetura dos recursos energéticos de demanda Quantificar impactos ambientais locais, regionais e globais do uso do potencial energético regional; Avaliar o mercado reprimido e estabelecer a previsão de demanda a ser atendida; Realizar uma análise geo-energética sistêmica do Estado; Consolidar dados e resultados através de equipes preparadas para coletar e analisar informações sob a ótica do PIR; Buscar, Obter e Qualificar informações organizadas e confiáveis para o suporte à decisão. Objetivos

12 Miguel Edgar Morales Udaeta V Oficina: "Como Considerar Variáveis Sociais, Ambientais e Políticas no Planejamento Energético" Arquitetura dos recursos energéticos de demanda Metodologia Realização de Projeto Piloto em Araçatuba Caracterização de recursos e tecnologias; Pesquisa e levantamento de Campo; Determinação do Potencial de Recursos Energéticos; Implantação do processo de PIR; Apresentação conscientização Pública dos Resultados.

13 Miguel Edgar Morales Udaeta V Oficina: "Como Considerar Variáveis Sociais, Ambientais e Políticas no Planejamento Energético" Arquitetura dos recursos energéticos de demanda RecursoPotencial Teórico (MWh/ano) Potencial Realizável (MWh/ano) Custo da Energia Gerada (US$/MWh) Bagaço de Cana1200 mil73 mil45 – 105 Álcool3600 mil1800 mil150 Cascas de Arroz Biodiesel154 mil15 mil200 Fotovoltaica37000 mil657 mil500 – 1160 Coletores Solares72 mil7 mil30 – 60 Eólica de Pequeno Porte9000 mil2000 mil100 – 200 Eólica de Grande Porte50 – 95 Pico Centrais Hidrelétricas1300 mil130 mil60 – 250 Micro centrais hidrelétricas45 – 200 Pequenas centrais hidrelétricas35 – 145 Resíduos Rurais Animais60 mil6 mil60 – 120 Aterros Sanitários37 mil7,4 mil160 – 400 Esgoto18 mil4,8 mil250 Gás Natural (termelétricas)---17 mil100 – 180 Gás Natural (veicular)---13 mil200 – 300 Gas Natural (industrial) mil80 – 150 Potencial de Recursos Energéticos de Oferta – Araçatuba

14 Miguel Edgar Morales Udaeta V Oficina: "Como Considerar Variáveis Sociais, Ambientais e Políticas no Planejamento Energético" Arquitetura dos recursos energéticos de demanda Metodologia A realização do PIR está resumidamente dividida nas seguintes etapas: Caracterização de Recursos Selecionados e Avaliação de Custos Completos (ACC) Formação de carteiras diferenciadas Construção de Plano Preferencial Avaliação de Incertezas e Riscos do Planejamento

15 Miguel Edgar Morales Udaeta V Oficina: "Como Considerar Variáveis Sociais, Ambientais e Políticas no Planejamento Energético" Arquitetura dos recursos energéticos de demanda 23 15

16 Miguel Edgar Morales Udaeta V Oficina: "Como Considerar Variáveis Sociais, Ambientais e Políticas no Planejamento Energético" Arquitetura dos recursos energéticos de demanda Plano de Trabalho Caracterização e quantificação de recursos energéticos de Oferta e Demanda (em execução). Coleta de Dados, Pesquisa e Medições de Campo (em execução). Treinamentos Técnicos de Capacitação (em execução). Oficinas de PIR e Apresentação aos Envolvidos-Interessados dos estudos realizados. Seleção conjunta de recursos por ACC e Refinamento de Potencial. Integração de Recursos. Formação de Carteiras diferenciadas. Construção do Plano Preferencial. Avaliação de Incertezas e Riscos. Construção de Cenários.

17 Miguel Edgar Morales Udaeta V Oficina: "Como Considerar Variáveis Sociais, Ambientais e Políticas no Planejamento Energético" Arquitetura dos recursos energéticos de demanda Demanda (LEAP) Cenário Sustentável - São Paulo

18 Miguel Edgar Morales Udaeta V Oficina: "Como Considerar Variáveis Sociais, Ambientais e Políticas no Planejamento Energético" Arquitetura dos recursos energéticos de demanda SAGe – Sistema de Análise Geo-energética Ferramenta que apresenta, analisa e projeta cenários energéticos, prestando suporte a tomadores de decisões e sugerindo carteiras energéticas para uma região. Considera aspectos técnicos-econômicos, ambientais, sociais e políticos. Arquitetura definida. Construção em andamento.

19 Miguel Edgar Morales Udaeta V Oficina: "Como Considerar Variáveis Sociais, Ambientais e Políticas no Planejamento Energético" Arquitetura dos recursos energéticos de demanda SAGe – Aplicação Piloto: RA Araçatuba

20 Miguel Edgar Morales Udaeta V Oficina: "Como Considerar Variáveis Sociais, Ambientais e Políticas no Planejamento Energético" Arquitetura dos recursos energéticos de demanda SAGe – Aplicação Piloto: RA Araçatuba Classificação das opções (ACC)

21 Miguel Edgar Morales Udaeta V Oficina: "Como Considerar Variáveis Sociais, Ambientais e Políticas no Planejamento Energético" Arquitetura dos recursos energéticos de demanda SAGe – Consecução Usina de Dados –Analista em programação –Aquisição de dados confiáveis Outras fontes Levantamento próprio (GPS) ArcGIS –Analista em geoprocessamento para os mapas geo-energéticos Interfaces –Padronização dos dados (Usina de Dados) –Analista em programação

22 Miguel Edgar Morales Udaeta V Oficina: "Como Considerar Variáveis Sociais, Ambientais e Políticas no Planejamento Energético" Arquitetura dos recursos energéticos de demanda TEMPO Usina de Dados

23 Miguel Edgar Morales Udaeta V Oficina: "Como Considerar Variáveis Sociais, Ambientais e Políticas no Planejamento Energético" Arquitetura dos recursos energéticos de demanda 23 Produtos Esperados Plano de Ação para Implementação Carteiras de Recursos Energéticos Especificação técnica de Implantação e Aceitabilidade dos Recursos Energéticos SAGe do Inventário Energético da R.A. de Araçatuba Mapeamento das Opções Reais Energéticas da R.A. de Araçatuba Cenários Sustentáveis para a R.A. de Araçatuba PIR Araçatuba


Carregar ppt "Miguel Edgar Morales Udaeta V Oficina: "Como Considerar Variáveis Sociais, Ambientais e Políticas no Planejamento Energético" Arquitetura dos recursos."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google