A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Infecções Agudas do Trato Respiratório Caio Nunes.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Infecções Agudas do Trato Respiratório Caio Nunes."— Transcrição da apresentação:

1

2 Infecções Agudas do Trato Respiratório Caio Nunes

3 Introdução IATR IATR –Grande motivo de consulta na urgência –Grande causa de absenteísmo do trabalho

4 Tipos de IATR Trato Respiratório Superior Trato Respiratório Superior Trato Respiratório Inferior Trato Respiratório Inferior Infecções Agudas Pleurais Infecções Agudas Pleurais

5 Fatores que alteram os mecanismos de defesa do trato respiratório Tabagismo Tabagismo Alterações da Consciência Alterações da Consciência Alcoolismo Alcoolismo Desnutrição Desnutrição Deformidades do Tórax Deformidades do Tórax Corpo Estranho Corpo Estranho Idade avançada Idade avançada Diabetes Diabetes

6 Flora normal das vias aéreas Boca e Faringe Boca e Faringe –Streptococcus sp. (Grupo A) – Lactobacillus –Neisseria catarrhalis – Staphylococcus epidermidis – bacteroídes –Fusobacterium sp. –Pepstreptococcus (anaeróbios) –Candida sp. –Actinomicetos –Herpesvírus –Vírus de Epstein-Barr Ouvido médio e Seios Paranasais –Geralmente estéreis Ouvido Externo –Flora da Pele –S. pneumoniae –P. aeruginosa Nariz –Staphylococcus epidermidis –Staphylococcus aureus –Neisseria catarrhalis –S. pneumoniae –Flora da pele

7 Infecções do Trato Respiratório Superior Nariz Nariz Seios Paranasais Seios Paranasais Ouvido Médio Ouvido Médio Região amigdalofaríngea Região amigdalofaríngea Tipos: Tipos: –Viral (95%) –Bacteriana ou outros (2%) –Estreptocócica (3%)

8 Síndromes Clínicas Resfriado Comum Resfriado Comum –Causas: Vírus, Chlamydia ou Micoplasma –Transmissão (aerossol primário ou contato direto) –Incubação: 1 a 5 dias –Sintomas Típicos: »Coriza, faringite, cefaléia, febre, mal-estar, espirros e tosse. –Tratamento: »Considerar sintomas e descongestionante nasal

9 Síndromes Clínicas Otite Média Otite Média –Incidência cai após 6 anos de idade –Usualmente purulenta –Agentes mais comuns: »S. pneumoniae »H. influenzae –Sintomas »Gerais: febre, cefaléia, vômitos »Específicos: otalgia, otorréia déficit de audição ou do equilíbrio –Tratamento »Amoxicilina ou Amoxicilina + Ac. clavulânico

10

11 Epiglotite Aguda Maior incidência em pré-escolares Maior incidência em pré-escolares Sintomas: Sintomas: –Dor na orofaringe –Obstrução da via aérea –Febre –Disfagia –Estridor e Rouquidão Diagnóstico Diagnóstico –Exame direto e Radiológico Tratamento Tratamento –IOT –ATB (H. influenzae) + Dexametasona

12

13 Sinusites Agudas Oclusão do óstio Oclusão do óstio Evoluir para sinusite crônica Evoluir para sinusite crônica Agentes causais: Agentes causais: –H. influenzae –S. pneumoniae Sintomas: Sintomas: –Dor, febre, rinorréia purulenta, epistaxe Diagnóstico Diagnóstico –Exame físico –Rx de face Tratamento Tratamento –Sintomático: Dor –Descongestionante –Antibiótico

14

15 Gengivoestomatite Aguda Inflamação da língua, gengiva e mucosa oral Inflamação da língua, gengiva e mucosa oral Principalmente em crianças Principalmente em crianças Principal Sintoma: Odinofagia Principal Sintoma: Odinofagia Tratamento: Tratamento: –Xilocaína (gel, spray)

16 Faringoamidalite Viral ou Bacteriano Viral ou Bacteriano Sinais e sintomas: (sugestivos de S. hemolítico A) Sinais e sintomas: (sugestivos de S. hemolítico A) –Febre >38ºC –Dor de garganta –Linfoadenomegalia cervical –Dor abdominal –Hiperemia c/ ou sem exudato na orofaringe –Erupção escarlatiniforme Tratamento: Tratamento: –Penicilina V por 10 dias

17

18 Pneumonias As doenças do aparelho respiratório, principalmente as pneumonias, compreendem um grupo de enfermidades que são a terceira causa de mortalidade; essas doenças são causadoras de 4% a 15% das mortes registradas no mundo. As doenças do aparelho respiratório, principalmente as pneumonias, compreendem um grupo de enfermidades que são a terceira causa de mortalidade; essas doenças são causadoras de 4% a 15% das mortes registradas no mundo. Streptococcus pneumoniae é o microorganismo responsável pelo maior número de PAC. Streptococcus pneumoniae é o microorganismo responsável pelo maior número de PAC.

19 Pneumonias Inflamação do parênquima pulmonar Inflamação do parênquima pulmonar

20 Epidemiologia

21 Tabela:Diagnóstico Diferencial Pneumonia Bacteriana x Viral BacterianaViral SintomasRelacionados ao pulmãoCefaléia Astenia Mialgia Tosse/ExpectoraçãoProdutiva ou não. PurulentaSeca/Mucosa DorPrecoce em pontadaDesconforto retroesternal Pulso/TemperaturaCorrelação normalBradsfigmia + febre Lesões MucosasAusentesPresentes Ausculta/RxCorrelacionadasPobre em relação as imagens Derrame PleuralFreqüente e purulentoRaro e Seroso Radiografia do TóraxLobar ou segmentar Necrose,cisto,empiema Intersticial LeucogramaLeucocitose/NeutrofiliaNormal ou leucopenia/Linfocitose HemossedimentaçãoMais lentaMais rápida HistologiaInfiltrado de PMN/Septos finos Septos espessados/Infiltrado intersticial TratamentoAntibióticoSintomático

22 Pneumonias Patogênese: Patogênese: –Vias de acesso dos microrganismos: »Inalação, aspiração, hematogênica, contigüidade. Manifestações Clínicas Manifestações Clínicas –Tosse –Febre –Dispnéia –Dor Torácica –Expectoração (hemoptóico, mucoíde, purulento) Sintomas sistêmicos Sintomas sistêmicos –Confusão mental –Sinais de sepse

23 Pneumonias Anamnese: Anamnese: –Início dos sintomas –Presença de dor pleurítica –Presença de doença entre as pessoas próximas –Contato com animais –Viagens recentes Exame Físico: Exame Físico: –Febre, taquicardia, taquipnéia –Diminuição da expansibilidade –Macicez à percussão –Creptações ao final da inspiração

24 Diagnóstico Diferencial –ICC –Atelectasias –TEP –Hemorragia pulmonar –SARA Exames Exames –Rx de toráx –Hemograma completo –Bilirrubinas –Uréia, creatinina –Bilirrubinas

25 Princípios da conduta 1) se o paciente necessita ser tratado dentro ou fora do hospital 2) se o paciente apresenta alguma comorbidade ou se tem idade acima de 60 anos 3) se a pneumonia é leve, moderada ou grave. 4) Para a PAC grave, aquela que necessita de internação em CTI, recomendou-se escolha diferente de antibióticos.

26 CRITÉRIOS PARA INTERNAÇÃO Presença de doença de base Presença de doença de base suspeita de aspiração do conteúdo gástrico suspeita de aspiração do conteúdo gástrico Alcoolismo Alcoolismo Desnutrição Desnutrição alteração do estado mental alteração do estado mental freqüência respiratória > 30rpm freqüência respiratória > 30rpm pressão sistólica < 90mmHg pressão sistólica < 90mmHg disseminação da infecção (outro local além do pulmão) disseminação da infecção (outro local além do pulmão) hemoglobina de /mm3; hemoglobina de /mm3; PaO2 50mmHg PaO2 50mmHg creatinina > 1,3mg/dl creatinina > 1,3mg/dl comprometimento radiológico de mais de um lobo, cavitação, derrame pleural. Piora radiológica, dentro de contexto clínico desfavorável. comprometimento radiológico de mais de um lobo, cavitação, derrame pleural. Piora radiológica, dentro de contexto clínico desfavorável. A presença de dois ou mais critérios indica maior risco e se impõe a internação. A falência de órgãos indica a necessidade de UTI. A presença de dois ou mais critérios indica maior risco e se impõe a internação. A falência de órgãos indica a necessidade de UTI.

27 Arvore de Decisões

28 Morbi-Mortalidade

29 Pneumonias Achados Radiológicos: Achados Radiológicos: –Pneumonia Alveolar »Bilateral difusa c/ broncograma aéreo –Broncopneumonia »Inflamação de todo conduto aéreo sem disseminação alveolar. Sem broncograma aéreo –Pneumonia Intersticial »Septos alveolares comprometidos, aspecto reticular difuso com desaparecimento os contornos vasculares

30 Rx normal

31 Infiltrado Bilateral

32 Broncograma aéreo

33

34 Infiltrado em LID

35 Pneumonia Lingular

36 Controle Radiológico da Cura Sempre > que 3 semanas Sempre > que 3 semanas Não necessária em pacientes com melhora clínica Não necessária em pacientes com melhora clínica

37 Tipos Pneumonias comunitárias Pneumonias comunitárias –Pacientes ambulatóriais < de 60 anos e sem comorbidade »Eritromicina (exceto se houver suspeita de Legionella) –Pacientes ambulatoriais > de 60 anos ou com comorbidade »TMP/SMT –Pacientes Hospitalizados »Cefalosporina de 3ª geração (Ceftriaxone) –Pacientes graves »Cefalosporina de 3ª geração com ação anti-pseudomonas (ceftazidina)

38 Tratamento Princípios 1) O diagnóstico etiológico só ocorre em 50% dos casos nas melhores séries 2) Na maioria dos casos esta definição é estabelecida por métodos cujo resultado não é disponível nas primeiras 24, 48 horas após o diagnóstico clínico 3) Diagnósticos sorológicos definitivos são estabelecidos 3 a 4 semanas após o diagnóstico clínico; 4) A administração de antibióticos deve ser feita o mais rapidamente possível, já que existe relação entre o retardo do início do tratamento e mortalidade; 5) As PACs sem complicação têm evolução favorável com antibioticoterapia tanto nas séries com ampicilina como com macrolídeo, como terapêutica inicial; 6) O diagnóstico etiológico na maioria das vezes não teria maior impacto no curso da pneumonia quando esta é tratada adequadamente.

39 Pneumonias Nosocomiais –Definição: Pneumonia que ocorre num período maior que 48 horas após o internamento –2ª causa mais comum de infecção hospitalar –Patogênese: colonização da orofaringe e do trato gastrointestinal –Fatores de Risco: »Procedimentos invasivos »Déficits imunes (adquiridos ou não) »Uso prévio de antibiótico

40 Pneumonias no paciente imunocomprometido –Imunidade celular: »Vírus, fungos e micobactérias –Imunidade humoral »Bactérias –Neutropenia (> 1000 PMN) »S. aureus e bacilos gram (-), Candida sp. e Aspergillus sp. –Diagnóstico »Hemocultura, toracocentese, cultura, gram do escarro, lavado bronco-alveolar –Tratamento: »Tmp/Smz

41 Pacientes HIV + –Agentes mais comuns: »P. carinii, M. tuberculosis, aspergillus, histoplasma –CD4+ < 200/mm

42 Infecções Pleurais Agudas –Sintomas: »Dor pleurítica, febre baixa e mialgia –Primária: »viral –Secundária: »Bacteriana

43 Obrigado !!


Carregar ppt "Infecções Agudas do Trato Respiratório Caio Nunes."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google