A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

DIRETORIA DE ATENÇÃO BÁSICA. Programa Nacional de Melhoria do Acesso e da Qualidade da Atenção Básica O principal objetivo do Programa é induzir a ampliação.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "DIRETORIA DE ATENÇÃO BÁSICA. Programa Nacional de Melhoria do Acesso e da Qualidade da Atenção Básica O principal objetivo do Programa é induzir a ampliação."— Transcrição da apresentação:

1 DIRETORIA DE ATENÇÃO BÁSICA

2 Programa Nacional de Melhoria do Acesso e da Qualidade da Atenção Básica O principal objetivo do Programa é induzir a ampliação do acesso e a melhoria da qualidade da atenção básica, com garantia de um padrão de qualidade comparável nacional, regional e localmente de maneira a permitir maior transparência e efetividade das ações governamentais direcionadas à Atenção Básica em Saúde. 2

3 Base legal PT de 19 de julho de 2011 – institui o Programa Nacional de Melhoria do Acesso e da Qualidade na Atenção Básica (PMAQ) e o Incentivo Financeiro do PMAQ-AB denominado Piso de Qualidade do PAB variável.

4 Diretrizes do PMAQ Construir parâmetros de comparação entre equipes de AB; Estimular melhoria de indicadores de acesso e qualidade envolvendo a gestão, processo de trabalho e resultados alcançados; Transparência em qq fase do PMAQ (resultados ofertados à sociedade); Envolver, mobilizar e responsabilizar todos os sujeitos em um processo de mudança nas gestões e qualificação da AB (entes municipais, estaduais e federais, equipes de saúde, usuários); Desenvolver cultura de negociação e contratualização implicando na gestão de recursos em função de compromissos e resultados pactuados e alcançados (não é por produtividade, mas sim por diálogo e pacto de compromissos); Estimular mudanças no cuidado e gestão com foco no usuário e suas necessidades; Caráter voluntário de adesão – gera co-responsabilização e compromisso dos atores.

5 Adesão ao Programa Iniciou em 1º de setembro e, para o primeiro momento, se encerrará em 31 de outubro de Cada município poderá incluir todas ou apenas uma parte de suas equipes no Programa, respeitando os limites para a adesão e contratualização (50%) de suas equipes. Após adesão, o município recebe: R$ 1.300,00 por EAB (equivalente a 20% do recurso) R$ 1.700,00 quando houver ESB vinculada a EAB. (equivalente a 20% do recurso) Após o processo de avaliação externa do Programa, previsto para a fase 4, o valor a ser transferido por EAB será vinculado ao seu desempenho. 5 Após a certificação (avaliação externa) o município poderá receber até o valor integral previsto: R$ 6.500,00/equipe de AB; R$ 8.500,00 quando houver equipe de SB

6 Fases de Implantação do PMAQ O Programa Nacional de Melhoria do Acesso e da Qualidade da Atenção Básica está organizado em quatro fases que se complementam e que conformam um ciclo continuo de melhoria do acesso e da qualidade da AB, a saber: 1 – Adesão e Contratualização 2 – Desenvolvimento 3 – Avaliação Externa 4 – Recontratualização

7 Fase 01: Adesão e Contratualização Preenchimento de formulário eletrônico específico – formalização da adesão (municípios) Formalização da contratualização de acordo com as diretrizes e compromissos mínimos do PMAQ – AB (equipes e municípios – observar que são os 2) Informar o CMS, após passar nos CGMR e por último na CIB (homologação) Equipe declara adesão e Contratualiza c/ Município Município Adere e Contratualiza Ministério da Saúde Cadastramento no Programa Contratualização Informa e Pactua Cooperação no CGR e na CIB com Definição de Competências Estaduais

8 Fase 2: Desenvolvimento Auto-avaliação – realizado pela equipe de AB (com instrumento do PMAQ ou definido pelo município, Estado ou a região); Monitoramento – realizado pelas equipes de saúde, pelas gestões municipais, pelo Estado e regiões e saúde, assim como MS (a partir dos indicadores de saúde contratualizados na fase 1; Educação Permanente – ações dos 3 entes pactuadas nos CGMR e CIB; Apoio Institucional – às equipes dos municípios (através das gestões municipais); aos municípios (através do Estado – AI DAB e DIRES e através de Apoio COSEMS). Equipes e SMS aplicam instrumento de Auto-avaliação Pactuação nos CGR e na CIB da Estruturação e Lógica de Apoio Institucional e Educação Permanente (Apoio do CGR, COSEMS, Estado e MS) Monitoramento Indicadores Compostos (SMS, CGR, SES e MS) Desenvolvimento

9 Fase 03: Avaliação Externa Avaliação para o processo de certificação de equipes de saúde e das gestões municipais (por instituições de ensino e/ou pesquisa e sendo tripartite) baseada em indicadores e evidências determinados com padrões previamente pactuados. Avaliação que não indique o processo de certificação – apoio às gestões municipais (avaliação da rede local de saúde; satisfação de usuários e acesso e qualidade da AB) Aplicação de Instrumentos de Avaliação (Gestão, UBS, Equipe Usuários) Incluindo Visita da Equipe de Avaliação Externa Certificação de cada Equipe Avaliação Externa Ofertas de Informação para Ação

10 Fase 04: Recontratualização Estímulo a um processo cíclico de incremento de novos indicadores a partir da verificação dos resultados das fases 2 e 3. Re-Contratualização FASE 4 Sequencia no Monitoramento dos Indicadores Re-Contratualização Singular com Incremento de Qualidade Nova Auto-avaliação considerando o pactuado no incremento da qualidade Nova visita de Certificação

11 Equipe declara adesão e Contratualiza c/ Município Município Adere e Contratualiza Ministério da Saúde Comunidade e Controle Social acompanham o processo Equipes e SMS aplicam instrumento de Auto-avaliação Pactuação nos CGR e na CIB da Estruturação e Lógica de Apoio Institucional e Educação Permanente (Apoio do CGR, COSEMS, Estado e MS) Aplicação de Instrumentos de Avaliação (Gestão, UBS, Equipe Usuários) Incluindo Visita da Equipe de Avaliação Externa Certificação de cada Equipe Re-ContratualizaçãoContratualização Desenvolvimento Avaliação Externa - Ao Aderir receberá 20% do Componente de Qualidade do PAB Variável - Período mínimo de 2 e máximo de 6 meses para solicitar Avaliação Externa Período de 1 ano para nova certificação Certificação FASE 2 FASE 3 FASE 4 Informa e Pactua Cooperação no CGR e na CIB com Definição de Competências Estaduais TEMPOS FASE 1 Sequencia no Monitoramento dos Indicadores Re-Contratualização Singular com Incremento de Qualidade Nova Auto-avaliação considerando o pactuado no incremento da qualidade Monitoramento Indicadores Compostos (SMS, CGR, SES e MS) Nova visita de Certificação Cadastramento no Programa Ofertas de Informação para Ação Fases do Programa

12 Acompanhamento das Adesões Os Municípios e Estados podem acompanhar as adesões de cada cidade no Painel das Adesões do PMAQ, pelo endereço abaixo: AdesaoPmaq (osmário coloque o link pelo site da DAB!)

13 Próximos passos na BAHIA Formação da Comissão Estadual para implantação e acompanhamento do PMAQ/BA: 2 (dois) representantes do COSEMS; 2 (dois) representantes da SESAB; 2 (dois) representantes do MS.

14 Próximos passos na BAHIA Seminário Estadual sobre o PMAQ Local: Hotel Sol Barra Datas: 30/09 – participação dos municípios das macrorregiões OESTE, SUDOESTE e EXTREMO-SUL; 04/10 - participação dos municípios das macrorregiões SUL, NORTE e CENTRO-NORTE; 05/10 - participação dos municípios das macrorregiões LESTE, CENTRO-LESTE e NORDESTE


Carregar ppt "DIRETORIA DE ATENÇÃO BÁSICA. Programa Nacional de Melhoria do Acesso e da Qualidade da Atenção Básica O principal objetivo do Programa é induzir a ampliação."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google