A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

José Carlos Martins - Vice-Presidente da CBIC Cidade do México INICIATIVAS EMPRESARIAIS PARA IMPULSIONAR O MERCADO IMOBILIÁRIO.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "José Carlos Martins - Vice-Presidente da CBIC Cidade do México INICIATIVAS EMPRESARIAIS PARA IMPULSIONAR O MERCADO IMOBILIÁRIO."— Transcrição da apresentação:

1 José Carlos Martins - Vice-Presidente da CBIC Cidade do México INICIATIVAS EMPRESARIAIS PARA IMPULSIONAR O MERCADO IMOBILIÁRIO

2 REPRESENTANTE NACIONAL E INTERNACIONAL DAS ENTIDADES EMPRESARIAIS DA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO E DO MERCADO IMOBILIÁRIO

3 62 26 entidades estados e DF Mercado imobiliário Saneamento Obras rodoviárias Segmentos da construção SINDICATOS, ASSOCIAÇÕES E CÂMARAS

4 CONSTRUÇÃO Cenário Atual Contratações SBPE (2011) Obs.: Taxa de câmbio de US$ = R$ 0,50 Estoque de Trabalhadores (julho 2012) US$ 40 bilhões 3,1 milhões Contratações FGTS (2011) US$ 17,5 bilhões Numero de Empresas (2010) 172 mil Participação no PIB Nacional (2011) 5,8% Valor Adicionado PIB Nacional (2011) US$ 102 bilhões Fontes: Banco Central, CEF, IBGE e MTE.

5 CONSTRUÇÃO Cenário Anterior Contratações SBPE (2003) Obs.: Taxa de câmbio de US$ = R$ 0,50 Estoque de Trabalhadores (dezembro 2003) US$ 1,1 bilhão 1,05 milhão Contratações FGTS (2003) US$ 1,9 bilhão Numero de Empresas (2003) 97 mil Participação no PIB Nacional (2003) 4,7% Valor Adicionado PIB Nacional (2003) US$ 34,5 bilhões Fontes: Banco Central, CEF, IBGE e MTE. 87% das HIS por autoconstrução

6 PRINCÍPIOS BÁSICOS Produção imobiliária pela iniciativa privada e estimulada pelo poder público; Formalidade dos processos: imóveis regularizados; construtoras formais; empregados com direitos garantidos; Foco na demanda.

7 Habitação Mercado Recursos da Caderneta de Poupança Interesse Social Recursos do F.G.T.S e O.G.U. MERCADO IMOBILIÁRIO

8 HABITAÇÃO DE MERCADO

9 HABITAÇÃO DE MERCADO (1986 – 2002) Burocracia Instabilidade Econômica Renda decrescente Crédito Imobiliário escasso Arcabouço jurídico inseguro Baixa Produtividade

10 A PARTIR DA ESTABILIDADE ECONÔMICA Estabilidade de preços e salários; Previsibilidade em prazos mais longos; Aumento da renda; Políticas de Transferência de Renda (Bolsa Família); Elevação do nível de renda e emprego;

11 ELEVAÇÃO DA RENDA E DO EMPREGO Fonte: Ministério do Trabalho e Emprego - MTE

12 ... A partir do diálogo entre o Governo e os agentes econômicos (construtores, incorporadores, agentes financeiros etc.) foi possível construir um marco regulatório para o mercado imobiliário

13 Simplifica a tributação; Inibe questionamentos judiciais; Consolida a alienação fiduciária / Agiliza a retomada. DIMINUI A INSEGURANÇA JURÍDICA MARCO REGULATÓRIO (LEI /2004)

14 Fonte: Banco Central e ABECIP SBPE - Contratos com mais de 3 prestações em atraso assinados após 1998 Garantia Hipotecária + Alienação SEGURANÇA JURÍDICA – MENOR RISCO

15 AMPLIAÇÃO DO CRÉDITO IMOBILIÁRIO Retomada do crédito imobiliário e da intermediação bancária; Mercado competitivo (redução do juro e alongamento de prazos); Análise do risco privilegiando o bom pagador; Ampliação das fontes de financiamento imobiliário.

16 ELEVAÇÃO DO CRÉDITO HABITACIONAL Fonte: BACEN, ABECIP e Caixa Econômica Federal - Canal do FGTS. Elaboração Banco de Dados da CBIC.

17 CONFIGURAÇÃO RECENTE PARA A HABITAÇÃO DE MERCADO Estabilidade Econômica Renda em Crescimento Burocracia Ampliação do Crédito Imobiliário Arcabouço Favorável Baixa Produtividade

18 Licenciamentos; Simplificação na aprovação de projetos; Modernização do registro público (registro único): Segurança e transparência nas transações Centralização de informações. DESBUROCRATIZAR APROVAÇÃO DE EMPREENDIMENTOS

19 HABITAÇÃO DE INTERESSE SOCIAL

20 HABITAÇÃO DE INTERESSE SOCIAL ( ) Burocracia Informalidade Insalubridade e ocupação desordenada do solo Concentração Geográfica e baixa aderência ao déficit habitacional Subsídio escasso e focado no Programa Carga tributária elevada sobre a habitação popular

21 ... CBIC articula com outros atores do processo e há aproximação com movimentos sociais e trabalhadores (clientes).

22 A PARTIR DA CRISE DE 2008 MEDIDA ANTICÍCLICA Crise Internacional Construção Habitacional

23 Foco na baixa renda com complementação de renda; Política de Estado envolvendo os três níveis de governo; PRINCÍPIOS DA POLÍTICA HABITACIONAL Foco na produção de novas unidades ; Produção em escala, sem perda de qualidade; Subsídio Desoneração

24 PROGRAMA MINHA CASA MINHA VIDA

25 META : Implementar o Plano Nacional de Habitação e construir 3 milhões de moradias entre 2009 e 2014, para famílias com renda até R$4.650 (±US$ 2.325), sendo: 1 milhão de moradias até 2010 – Fase 1 (contratado); 2 milhões de moradias 2011 a 2014 – Fase 2 (40% contratado). Fonte : Programa Minha Casa, Minha Vida PROGRAMA MINHA CASA, MINHA VIDA (PMCMV)

26 Recursos distribuídos conforme o déficit e geograficamente distribuídos; Recursos expressivos para subsídio; Desoneração do produto final; Subsídio direto para famílias PROGRAMA MINHA CASA, MINHA VIDA (PMCMV)

27 Elevação do nível de investimento e Produção; Geração de emprego e renda (na construção e ao longo da cadeia produtiva); Aumento do PIB; Atua como política anticíclica em momentos de desaceleração da Economia. O volume de unidade habitacionais promove ganhos de escala. Eleva a arrecadação tributária (alivio fiscal) IMPACTOS ECONÔMICOS - PMCMV Fonte : Fundação Getúlio Vargas

28 Melhor ocupação do solo urbano (ocupação ordenada do solo urbano); Salubridade com melhores condições de higiêne e segurança (redução de gastos públicos em saúde, segurança e educação); Cumprimento de compromissos legais e constitucionais no atendimento das necessidades básicas da população. IMPACTOS POLÍTICOS E SOCIAIS - PMCMV

29 PROGRAMA MINHA CASA, MINHA VIDA (PMCMV) Desembolsos do PMCMV (valores em R$ bilhões) Fonte: Caixa Econômica Federal. Elaboração: Ministério da Fazenda * Projeção do Ministério da Fazenda

30 O FUTURO

31 EXPECTATIVA – MAIOR MOBILIDADE SOCIAL Observação: Renda per capita mensal do domicílio por classes a preços de 2009: Classe A/B: mais que R$ 4.800; Classe C: entre R$ e R$ 4.800; Classe D: entre R$ 804 e R$ 1.115; Classe E: até R$ 804 Fonte: FGV/PNAD. Elaboração e estimativas do Ministério da Fazenda

32 elevação da população economicamente ativa Fonte: IBGE. BÔNUS DEMOGRÁFICO

33 ENTRAVES Custo da terra urbanizada; Capacidade operacional de licenciamento / aprovação / agentes; Infraestrutura urbana.

34 PROPOSTAS ATUAIS Revitalização dos centros urbanos; PPP – Saneamento / Infraestrutura; Revitalização dos centros urbanos; PPP – Saneamento / Infraestrutura; Comunidades planejadas; Centro de pesquisa e tecnologia; Melhorar o processo de financiamento.

35 Phone: +55 (61) Fax: +55 (61)


Carregar ppt "José Carlos Martins - Vice-Presidente da CBIC Cidade do México INICIATIVAS EMPRESARIAIS PARA IMPULSIONAR O MERCADO IMOBILIÁRIO."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google