A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

REUNIÃO DA RMS MONITORAMENTO DA REDE CEGONHA. Processo de Monitoramento da RC nos Territórios com base no PAR A Portaria GM 650/2011 afirma: Matriz do.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "REUNIÃO DA RMS MONITORAMENTO DA REDE CEGONHA. Processo de Monitoramento da RC nos Territórios com base no PAR A Portaria GM 650/2011 afirma: Matriz do."— Transcrição da apresentação:

1 REUNIÃO DA RMS MONITORAMENTO DA REDE CEGONHA

2 Processo de Monitoramento da RC nos Territórios com base no PAR A Portaria GM 650/2011 afirma: Matriz do modelo de Plano de Ação Regional; 31 indicadores estratégicos (ajuste para 26 indicadores) ; Parâmetros para exames, consultas e suficiência de leitos. É preciso reafirmar o sistema de informação onde será possível este monitoramento – O SISPART já está ajustado para uso das regiões e do Grupo Condutor.

3 PLANO DE AÇÃO – AÇÕES, ATIVIDADES, INDICADORES, METAS E PRAZO; PORTARIA 650/2011 – ANÁLISE DOS INDICADORES; ENCAMINHAMENTOS DOS EXAMES E PARTO. SISTEMA DE PLANO DE AÇÃO DAS REDES TEMÁTICAS – SISPART – pontos a serem tratados

4 Situação US obstétrico: Saubara (sem PPI/produção), Candeias e São Francisco do Conde (sem produção); Procedimentos para os exames da gestante de risco habitual: Saubara (sem PPI/produção) e São Francisco (sem produção); Procedimento dosagem de proteína (urina de 24 h) e TIA – vários municípios sem produção; Consulta especializada (sem PPI), sem análise da produção: Gineco/obstetra – São Sebastião, Saubara e Vera Cruz Cardio - Saubara Endocrino – Conde, Dias DÁvila, Itaparica, Mata de São João, Santo Amaro, São Sebastião, Saubara, Simões Filho e Vera Cruz Encaminhamentos

5 Encaminhamentos - Procedimentos GAR (30% das gestantes) USG com doppler - recurso por abrangência na PPI em Salvador; Tococardiografia sem produção: Conde, Dias DÁvila, Santo Amaro, São Francisco (e sem PPI), Saubara e Simões Filho; ECG sem produção: Conde; Procedimentos laboratoriais (sem produção): Saubara e São Francisco do Conde; Dosagem de proteína (urina 24 hora) – mesma situação do risco habitual.

6 Encaminhamentos Procedimentos da saúde da criança: Teste do Pezinho (leitura) – Produção apenas para o município de Salvador; Procedimento - acompanhamento especifico no ambulatório de seguimento para RN de risco – apenas pode ser alocado nos municípios com UCI (Co e Ca); Leitos obstétricos: Risco habitual aparecem registro no próprio território e em outros; GAR, atualmente, apenas em Salvador; Complementares (UTIN, UCIN co e ca e UTIad) : existentes em Camaçari e Salvador.

7 UNIDADES HOSPITALARES

8 MUNICÍPIO GESTANTES SUS (NV 2010+10%)* POP SUS DEPENDENT E PARTO PPOP - HOSPITAL LOCAL PARTO PPOP - EM OUTRO MUNICÍPI OS TOTAL PARTOS MUNÍCIPES PARTOS DE OUTROS MUNICÍPI OS TOTAL PARTO HOSPITAL ABORTO TOTAL PARTO + ABORTO (PPOP) % GESTANTE S - PARTO Camaçari 3.315 2.484 388 2.872 330 2.814 543 3.415103% Candeias 1.104 451 223 674 27 478 127 80173% Conde 405 60 155 215 - 60 15 23057% Dias Dávila 837 613 152 765 - 613 148 913109% Itaparica 298 148 22 170 350 498 28 19866% Lauro de Freitas 2.454 616 1.154 1.770 384 1.000 281 2.05184% Madre Deus 190 217 21 238 52 269 44 282149% Mata de São João 649 545 109 654 64 609 82 736113% Pojuca 505 191 59 250 274 465 36 28657% Salvador 29.620 24.798 351 25.149 3.779 28.577 5.281 30.430103% Santo Amaro 765 264 144 408 86 350 49 45760% São Francisco do Conde 562 - 68 - - 7 7513% São Sebastião do Passé 562 87 167 254 6 93 38 29252% Saubara 158 - 60 - - 5 6541% Simões Filho 1.783 836 562 1.398 15 851 271 1.66994% Vera Cruz 604 - 348 - - 64 41268% TOTAL 43.809 31.310 3.983 35.293 5.367 36.677 7.019 42.312 - Fonte: CNES/TABWIN/MS - junho 2012 a maio 2013

9 MUNICÍPIOCNESUNIDADE LEITO S OBS. CLÍNI CO LEITO S OBS. CIRUR GICO TOTAL PRODU ÇÃO 06/201 2 A 05/201 3 PROD PRÓPRIO TERRITÓ RIO % PART OS PPOP GESTA NTES SUS NECES SIDAD E DE LEITOS PPOP (*) - RISCO HAB. NECES SIDAD E DE LEITOS PPOP (*) - GAR TOTAL NECES SIDAD E CAMAÇARI2388057 HOSPITAL GERAL DE CAMACARI 20 40 2.814 2.484 88% 3.315 27 8 35 CANDEIAS2387581 HOSPITAL MUNICIPAL DE CANDEIAS 6 11 17 478 45194% 1.104 9 3 12 CONDE2512149 HOSPITAL DR GIVALDO FONTES COSTA - 3 3 60 100% 405 3 1 4 DIAS D'ÁVILA2532549 HOSPITAL MUNICIPAL DILTON BISPO DE SANTANA 14 - 613 100% 837 7 2 9 ITAPARICA2602083 HOSPITAL GERAL DE ITAPARICA 8 8 16 498 148 30% 298 2 1 3 LAURO DE FREITAS 2802023 HOSPITAL GERAL MENANDRO DE FARIA 20 5 25 1.000 616 62% 2.454 20 6 26 MADRE DE DEUS 3289826 HOSPITAL MUNICIPAL DR EDUARDO RIBEIRO BAHIANA 4 - 4 269 217 81% 190 2 0 2 MATA DE SÃO JOÃO 2627418 HOSPITAL MUNICIPAL DR EURICO GOULART DE FREITAS 12 4 16 609 54589% 649 5 2 7 POJUCA 7187556 HOSPITAL MUNICIPAL DR CARLITO SILVA - 2 2 - 0%---- 2653494 MATERNIDADE MARIA LUIZA DIAS LAUDANO 14 5 19 465 19141% 505 4 1 5 (*) Nota Técnica ATSM/MS – Fonte: CNES/TABWIN/MS - junho 2012 a maio 2013

10 MUNICÍPIOCNESUNIDADE LEITOS OBS. CLÍNICO LEITOS OBS. CIRURG ICO TOTA L PRODUÇÃ O 06/2012 A 05/2013 PROD PRÓPRIO TERRITÓR IO % PART OS PPOP GESTA NTES SUS NECE SSIDA DE DE LEITO S PPOP (*) - RISCO HAB. NECE SSIDA DE DE LEITO S PPOP (*) - GAR TOTA L NECE SSIDA DE SALVADOR 2470667 HOSPITAL DA SAGRADA FAMILIA 40 - 2.421 227594%---- 7119232 HOSPITAL DA SAGRADA FAMILIA UNIDADE FEDERACAO 22 10 32 -00%---- 4081 HOSPITAL GERAL JOAO BATISTA CARIBE 31 4 35 745 73599%---- 3859 HOSPITAL GERAL ROBERTO SANTOS 32 30 62 2.778 233984%---- 3794 INSTITUTO DE PERINATOLOGIA DA BAHIA 24 46 70 4.044 351887%---- 3840 MATERNIDADE ALBERT SABIN 11 40 51 3.390 297488%---- 4731 MATERNIDADE CLIMERIO DE OLIVEIRA 18 26 44 3.282 302692%---- 3956369 MATERNIDADE PROFESSOR JOSE MARIA DE MAGALHAES NETO 116 30 146 8.136 662081%---- 4170 MATERNIDADE TSYLLA BALBINO 26 45 71 3.300 284586%---- 6564 UNIDADE MISTA DR JOSE CARNEIRO DE CAMPOS - 5 5 481 46697%---- TOTAL SALVADOR 320 236 556 28.577 24.798 87% 29.620 243 72 315 (*) Nota Técnica ATSM/MS – Fonte: CNES/TABWIN/MS - junho 2012 a maio 2013

11 MUNICÍPIOCNESUNIDADE LEITOS OBS. CLÍNIC O LEITOS OBS. CIRUR GICO TOTAL PRODUÇ ÃO 06/2012 A 05/2013 PROD PRÓPRI O TERRITÓ RIO % PART OS PPOP GESTA NTES SUS NECE SSIDA DE DE LEITO S PPOP (*) - RISCO HAB. NECE SSIDA DE DE LEITO S PPOP (*) - GAR TOTAL NECE SSIDA DE SANTO AMARO 2603292 HOSPITAL MATERNIDADE DE SANTO AMARO 20 16 36 302 227 75%---- 2514451 HOSPITAL NOSSA SENHORA DA VITORIA 2 - 2 3 267%---- 2514621 HOSPITAL OCTAVIO PEDREIRA 6 2 8 45 3578%---- TOTAL SANTO AMARO 28 18 46 350 264 75% 765 6 2 8 SÃO FRANCISCO DO CONDE 2520168 HOSPITAL DOCENTE ASSISTENCIAL CELIA ALMEIDA LIMA 3 3 6 - 00% 562 5 1 6 SÃO SEBASTIÃO DO PASSÉ 2493330 HOSPITAL DR ALBINO LEITAO 6 - 6 93 8794% 562 5 1 6 SAUBARA2523779 HOSPITAL DR FRANCINO BORGES DOS REIS 2 - 2 - 00% 158 1 0 2 SIMÕES FILHO2532387 HOSPITAL MUNICIPAL DE SIMOES FILHO 8 10 18 851 83698% 1.783 15 4 19 VERA CRUZ2532883 HOSPITAL MARIA AMELIA SANTOS 3 5 8 - 00% 604 5 1 6 (*) Nota Técnica ATSM/MS – Fonte: CNES/TABWIN/MS - junho 2012 a maio 2013

12 AMBIÊNCIA Fazer uma proposta de programação para 2014; Para 2013 foram solicitadas: São Sebastião do Passé, e Simões Filho. Para 2012 foram solicitadas: Salvador, e Lauro de Freitas.

13 MATRIZ DE MONITORAMENTO

14 Construção do Plano de Ação 2013 para implantação das Diretrizes da RC nas maternidades – atualização do PAR 2011 PLANO DE AÇÃO REGIONAL COMPONENTE: AÇÃO:PROGRAMAÇÃO FÍSICA E FINANCEIRA: ATIVIDADE S: MUNICÍPIO OU REGIÃO: INDICADOR / META: PRAZO DE EXECUÇÃO : MEIO DE VERIFICAÇÃO: DIMENSIONAMENTO DA OFERTA/ANO: (calcular o quantitativo físico e financeiro, seguindo os parâmetros) RECURSOS FINANCEIROS: CRONOGRAMA DE DESEMBOLSO: ATIVIDADES COMPONENTE PRÉ-NATAL AÇÃO: a) realização de pré-natal na Unidade Básica de Saúde (UBS) com captação precoce da gestante e qualificação da atenção/ IMPLANTAÇÃO DAS AÇÕES DE QUALIFICAÇÃO DO PRE-NATAL – MÁXIMO 2 MESES/ IMPLANTAÇÃO DO TESTE RÁPIDO DE GRAVIDEZ – MÁXIMO 2 MESES. Situação atual (Marcadores Intermediários): ATIVIDADES: MUNICÍPIO OU REGIÃO:INDICADOR/ META: PRAZO DE EXECUÇÃO: MEIO DE VERIFICAÇÃO:

15 Construção do Plano de Ação 2013 para implantação das Diretrizes da RC nas maternidades – atualização do PAR 2011 COMPONENETE PRE-NATAL – CONT. AÇÃO: e) vinculação da gestante desde o pré-natal ao local em que será realizado o parto (se for o caso, incluir nome do(s) Município(s) de referência);/ IMPLANTAÇÃO DO MAPA DE VINCULAÇÃO - MÁXIMO 6 MESES Situação atual (Marcadores Intermediários): ATIVIDADES: MUNICÍPIO OU REGIÃO:INDICADOR/ META: PRAZO DE EXECUÇÃO: MEIO DE VERIFICAÇÃO: AÇÃO: f) qualificação do sistema e da gestão da informação/ IMPLANTAÇÃO DO SISPRENATAL WEB - MÁXIMO 2 MESES Situação atual (Marcadores Intermediários): ATIVIDADES: MUNICÍPIO OU REGIÃO:INDICADOR/ META: PRAZO DE EXECUÇÃO: MEIO DE VERIFICAÇÃO: AÇÃO: h) prevenção e tratamento das DST/HIV/Aids - IMPLANTAÇÃO DOS TESTES RÁPIDOS DE HIV E SÍFILIS. MÁXIMO 2 MESES. IMPLANTAÇÃO DO PLANO EMERGENCIAL DE ELIMINAÇÃO DA SÍFILIS CONGÊNITA - MÁXIMO 2 MESES. Situação atual (Marcadores Intermediários): ATIVIDADES: MUNICÍPIO OU REGIÃO:INDICADOR/ META: PRAZO DE EXECUÇÃO: MEIO DE VERIFICAÇÃO:

16 Construção do Plano de Ação 2013 para implantação das Diretrizes da RC nas maternidades – atualização do PAR 2011 COMPONENTE PARTO E NASCIMENTO AÇÃO: a) suficiência de leitos obstétricos e neonatais (UTI, UCI e Canguru) de acordo com as necessidades regionais/ HABILITAÇÕES DE NOVOS LEITOS UTIN/UCI/UCAN. QUALIFICAÇÃO DE MATERNIDADES EM GAR. PRAZO MÁXIMO: 3 MESES. Situação atual (Marcadores Intermediários): ATIVIDADES: SERVIÇO/MUNICÍPIO OU REGIÃO: INDICADOR/ META: PRAZO DE EXECUÇÃO: MEIO DE VERIFICAÇÃO: AÇÃO: d) garantia de acompanhante durante o acolhimento e o trabalho de parto, parto e pós-parto imediato (Lei nº 11.108/2005 e Portaria nº 2.418/2005). PRAZO MÁXIMO: 2 MESES. Situação atual (Marcadores Intermediários): ATIVIDADES: SERVIÇO/MUNICÍPIO OU REGIÃO: INDICADOR/ META: PRAZO DE EXECUÇÃO: MEIO DE VERIFICAÇÃO: AÇÃO: e) realização de acolhimento e classificação de risco nos serviços de atenção obstétrica e neonatal/ PRAZO MÁXIMO: 6 MESES. Situação atual (Marcadores Intermediários): ATIVIDADES: SERVIÇO/MUNICÍPIO OU REGIÃO: INDICADOR/ META: PRAZO DE EXECUÇÃO: MEIO DE VERIFICAÇÃO: AÇÃO: c) implantação e/ou implementação da regulação de leitos obstétricos e neonatais, assim como a regulação de urgências e a regulação ambulatorial (consultas e exames)/ PRAZO MÁXIMO: 6 MESES. Situação atual (Marcadores Intermediários): ATIVIDADES: SERVIÇO/MUNICÍPIO OU REGIÃO: INDICADOR/ META:PRAZO DE EXECUÇÃO: MEIO DE VERIFICAÇÃO:

17 Construção do Plano de Ação 2013 para implantação das Diretrizes da RC nas maternidades – atualização do PAR 2011 COMPONENTE PARTO E NASCIMENTO (CONT.) AÇÃO: AMBIÊNCIA/ Situação atual (Marcadores Intermediários): ATIVIDADES: SERVIÇO/MUNICÍPIO OU REGIÃO: INDICADOR/ META: PRAZO DE EXECUÇÃO: MEIO DE VERIFICAÇÃO: AÇÃO: CPN/ Situação atual (Marcadores Intermediários): ATIVIDADES: SERVIÇO/MUNICÍPIO OU REGIÃO: INDICADOR/ META: PRAZO DE EXECUÇÃO: MEIO DE VERIFICAÇÃO: AÇÃO: CGBP/ Situação atual (Marcadores Intermediários): ATIVIDADES: SERVIÇO/MUNICÍPIO OU REGIÃO: INDICADOR/ META:PRAZO DE EXECUÇÃO: MEIO DE VERIFICAÇÃO:

18 CRONOGRAMA Momentos: Qualificação do Mapa de Vinculação – GRUPO DE TRABALHO; Discussão dos contratos e acompanhamento da sua utilização; Ajuste do Plano de Ação da RMS; Implantação do ACCR; Avaliação das unidades (ambiência, número de leitos, TOH, TMP, registro do acompanhante, entre outros); Acompanhamento da utilização e registro dos testes rápidos; Qualificação do SISPART.

19 OBRIGADA!!! GASEC/SESAB (71) 3115-4349 CCVG/DGC/SAIS/SESAB (71) 3371-1272


Carregar ppt "REUNIÃO DA RMS MONITORAMENTO DA REDE CEGONHA. Processo de Monitoramento da RC nos Territórios com base no PAR A Portaria GM 650/2011 afirma: Matriz do."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google