A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

PESQUISA CULTURA DA SEXUALIDADE RECIFE PESQ. Nº 038/2009.

Cópias: 1
PESQUISA CULTURA DA SEXUALIDADE SALVADOR PESQ. Nº 039/2009.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "PESQUISA CULTURA DA SEXUALIDADE RECIFE PESQ. Nº 038/2009."— Transcrição da apresentação:

1 PESQUISA CULTURA DA SEXUALIDADE RECIFE PESQ. Nº 038/2009

2 ESPECIFICAÇÕES DA PESQUISA ÁREA DE ABRANGÊNCIA : Cidade de Recife. DATA DA COLETA: 26 e 27 de agosto de UNIVERSO: População residente na cidade do Recife. AMOSTRA: A amostra foi selecionada a partir de um plano de amostragem estratificada de conglomerados em dois estágios. No primeiro estágio foram sorteados os setores censitários. No segundo estágio é realizado um número fixo de 12 entrevistas em cada setor selecionado. CONFIABILIDADE: O número de entrevistas foi estabelecido com base em uma amostragem aleatória simples com um nível estimado de 95% de confiança e uma margem de erro de 3,5 pontos percentuais. NÚMERO DE ENTREVISTAS: O tamanho da amostra foi de 823 entrevistas. FONTE: A amostra foi definida com base nos dados do IBGE.

3 Perfil dos entrevistados: Sexo

4 Perfil dos entrevistados: Faixa etária

5 Perfil dos entrevistados: Grau de instrução

6 Perfil dos entrevistados: Situação empregatícia

7 Perfil dos entrevistados: Renda familiar

8 Perfil dos entrevistados: Grau de instrução do chefe de família

9 Perfil dos entrevistados: Classe socioeconômica

10 Perfil dos entrevistados: O local de sua residência é considerado uma favela?

11 [P. 01a] Você conhece alguma mulher que já foi vítima de agressão por parte do(a) companheiro(a)?

12 [P. 01a] Você conhece alguma mulher que já foi vítima de agressão por parte do(a) companheiro(a)? [versus Faixa etária]

13 [P. 01b] O que ele(a) era dela?

14 [P. 02a] Você conhece algum homem que já foi vítima de agressão por parte da(o) companheira(o)?

15 [P. 02a] Você conhece algum homem que já foi vítima de agressão por parte da(o) companheira(o)? [versus Faixa etária]

16 [P. 02a] Você conhece algum homem que já foi vítima de agressão por parte da(o) companheira(o)? [versus Classe]

17 [P. 02b] O que ela(e) era dele?

18 [P.03] A fidelidade deve ser um valor primordial na relação do casal?

19 [P.03] A fidelidade deve ser um valor primordial na relação do casal? [versus Faixa etária]

20 [P. 04] Você tem namorado(a) ou é casado(a)?

21 [P. 05] Você já traiu?

22 [P. 05] Você já traiu? [versus Sexo]

23 [P. 05] Você já traiu? [versus Classe]

24 [P. 05] Você já traiu? [versus Faixa etária]

25 [P. 06] Você já foi traído(a)?

26 [P. 06] Você já foi traído(a)? [versus Sexo]

27 [P. 06] Você já foi traído(a)? [versus Classe]

28 [P. 07] Em sua concepção, quem trai mais o homem ou a mulher?

29 [P. 07] Em sua concepção, quem trai mais o homem ou a mulher? [versus Sexo]

30 [P. 08] Quando um dos parceiros trai, o que ele ou ela merece?

31 [P. 09] Você acha correto uma mulher sair, sem o marido ou o namorado, para um bar ou restaurante à noite?

32 [P. 09] Você acha correto uma mulher sair, sem o marido ou o namorado, para um bar ou restaurante à noite? [versus Sexo]

33 [P. 09] Você acha correto uma mulher sair, sem o marido ou o namorado, para um bar ou restaurante à noite? [versus Faixa etária]

34 [P. 09] Você acha correto uma mulher sair, sem o marido ou o namorado, para um bar ou restaurante à noite? [versus Grau de Instrução]

35 [P. 09] Você acha correto uma mulher sair, sem o marido ou o namorado, para um bar ou restaurante à noite? [versus Classe]

36 [P. 10] Você acha correto um homem sair, sem a esposa ou a namorada, para um bar ou restaurante à noite?

37 [P. 10] Você acha correto um homem sair, sem a esposa ou a namorada, para um bar ou restaurante à noite? [versus Sexo]

38 [P. 10] Você acha correto um homem sair, sem a esposa ou a namorada, para um bar ou restaurante à noite? [versus Classe]

39 [P. 11] Você é favorável à união homossexual?

40 [P. 11] Você é favorável à união homossexual? [versus Sexo]

41 [P. 11] Você é favorável à união homossexual? [versus Faixa etária]

42 [P. 11] Você é favorável à união homossexual? [versus Grau de instrução]

43 [P. 12] Você é favorável que casais homossexuais adotem crianças?

44 [P. 12] Você é favorável que casais homossexuais adotem crianças? [versus Sexo]

45 [P. 12] Você é favorável que casais homossexuais adotem crianças? [versus faixa etária]

46 [P. 13] Você se incomoda quando está diante/próximo de casais homossexuais?

47 [P. 14] Hipoteticamente, caso você tenha filhos e descobrisse que ele(a) é homossexual, você:

48 [P. 15] Se um homossexual lhe cantar, o que você faz?

49 [P.16] O que lhe causa mais revolta?

50 [P. 17] Você é favorável a passeatas gays?

51 [P. 17] Você é favorável a passeatas gays? [versus Sexo]

52 [P. 17] Você é favorável a passeatas gays? [Versus Faixa etária]

53 CONCLUSÕES A pesquisa Cultura da Sexualidade tem o objetivo de verificar a presença de tolerância dos moradores de Recife quanto aos comportamentos individuais associados à sexualidade. Deste modo, procuramos observar se existe tolerância – esta vislumbrada, em alguns instantes, no âmbito da aprovação ou desaprovação – sobre determinados comportamentos. Em outros instantes, avaliamos a tolerância observando supostos comportamentos que os indivíduos podem ter diante de determinados fatos. Neste sentido, esta pesquisa observa que: 1.Existe percentual considerável de mulheres agredidas por seus companheiros – 61,3% afirmaram que conhecem alguma mulher que já fora vítima de agressão por parte do companheiro. O marido é o principal agressor. Considerando a faixa etária, constatamos que 70% dos jovens têm ciência de mulheres agredidas. Encontramos percentual semelhante na faixa etária de anos. Com o aumento da idade, constamos uma diminuição no nível de conhecimento. 2.Existe menor percentual de homens agredidos por mulheres – 31,7%. Neste universo, a esposa é a principal agressora - 85,2% afirmaram que foi a esposa que cometeu a agressão. Mesmo o percentual sendo menor, a frequência de agressão a homens por parte de mulheres, reforça, junto com a variável agressão do homem à mulher, que a violência doméstica pode ser considerada eventos sociais comuns.

54 CONCLUSÕES 3. A fidelidade é um valor primordial para os indivíduos pesquisados – 93,7%, independente da classe social. Porém, 23% das mulheres e 58% dos homens afirmaram ter traído os seus parceiros. Não existe diferença considerável, quando consideramos as variáveis faixa etária e classe social, na frequência de indivíduos que já traíram – com exceção da faixa etária 60 anos ou mais. Destacamos que 29% dos homens afirmaram ter sido traídos. E 61% das mulheres frisaram ter sofrido traição. A fidelidade é considerada um bem maior, contudo, principalmente no universo masculino, ela é relegada. Portanto, é um bem maior relativo. Ela está a depender do interesse de cada um. 4. Quando um dos parceiros trai, o que ele merece? 37,2% propuseram a separação como custo ao indivíduo que traiu. Porém, 8,8% citaram a agressão física e 1,2%, morte. Estes dados nos revelam que a traição pode desaguar em homicídio. Ou que, para 1,2%, a morte é uma pena adequada para o indivíduo que trai. 5. O temor à traição, a falta de confiança entre os indivíduos e o machismo, o qual advém de ambos os sexos, são revelados por esta pesquisa. Frequência expressiva de homens e mulheres, independente dos segmentos aqui já frisados, censura o ato do indivíduo ir sem a esposa, marido, namorado ou namorada, a um restaurante ou a um bar à noite. Deve-se entender por machismo a reprovação de um dado comportamento feminino e a aprovação deste quando parte do sexo masculino. Os dados revelam que o machismo existe em ambos os sexos.

55 CONCLUSÕES 6. A união homossexual é aprovada por 50,2% dos entrevistados. Maior percentual de mulheres aprova este tipo de união – 62% contra 41% dos homens. Quanto mais jovem, maior a frequência de aprovação. Isto evidencia mudança de mentalidade dos indivíduos quando consideramos as diferenças por gerações. A aprovação à união homossexual é mais alta nos segmentos com maior escolaridade – ensino médio e superior; 7. Constatamos, contudo, que 56% reprovam a adoção de crianças por parte de casais homossexuais. Mais uma vez, verificamos que as mulheres possuem maior tolerância quanto a este possível ato por parte de um casal homossexual, pois 46% são favoráveis, enquanto 65% dos homens discordam. Quanto mais jovem, maior a concordância com a adoção. Mais uma vez, constatamos a mudança de mentalidade. 8. Apesar de 45,7% não serem favoráveis à união homossexual e 56% contrários que casais homossexuais adotem crianças, constatamos que existe tolerância com os casais homossexuais, já que 66,6% afirmam não se incomodar quando estão próximos a eles. Estes resultados, sobretudo o fato de que 45,7% não são favoráveis à união homossexual, talvez explicitem o fato de que a população entende que a união homossexual é possivelmente chancelada pelo Estado ou por alguma religião. Observamos que a tolerância aos homossexuais é também demonstrada quando 61,7% compreendem e apóiam a decisão do filho caso eles descubram que este é homossexual.

56 CONCLUSÕES 9. Existe maior tolerância entre duas mulheres se beijando, do que diante de dois homens realizando o mesmo ato. O que causa mais revolta? 40,1% afirmaram que um homem ou mulher traindo o seu companheiro. 29,7% frisaram dois homens se beijando. E 11,7%, duas mulheres se beijando. Dois homens se beijando, ou o homossexualismo masculino, causa menor repugnância do que a traição por parte do homem ou da mulher. Isto comprova a nossa afirmação anterior de que a fidelidade é um valor primordial.

57 INSTITUTO MAURÍCIO DE NASSAU JANGUIÊ DINIZ PRESIDENTE JANYO DINIZ VICE-PRESIDENTE INÁCIO FEITOSA DIRETOR DE EDUCAÇÃO SÉRGIO MURILO JÚNIOR COORDENADOR EXECUTIVO/ADVOGADO PROF. DSc. ADRIANO OLIVEIRA PESQUISADOR/CIENTISTA POLÍTICO PROF. MSc. CARLOS GADELHA JÚNIOR ESTATÍSTICO ROBERTO SANTOS SUPERVISOR DE PESQUISA/CIENTISTA SOCIAL ISABEL FRANÇA ASSESSORA DE IMPRENSA MARIA AMANDA SECRETÁRIA ADMINISTRATIVA SIMARA COSTA ESTATÍSTICA Rua Manuel Caetano, 132 – fone (81)


Carregar ppt "PESQUISA CULTURA DA SEXUALIDADE RECIFE PESQ. Nº 038/2009."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google