A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

DINÂMICA DAS POPULAÇÕES E DAS COMUNIDADES BIOLÓGICAS O que você deve saber sobre O estabelecimento de comunidades biológicas em um ambiente depende da.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "DINÂMICA DAS POPULAÇÕES E DAS COMUNIDADES BIOLÓGICAS O que você deve saber sobre O estabelecimento de comunidades biológicas em um ambiente depende da."— Transcrição da apresentação:

1 DINÂMICA DAS POPULAÇÕES E DAS COMUNIDADES BIOLÓGICAS O que você deve saber sobre O estabelecimento de comunidades biológicas em um ambiente depende da interação das populações entre si e com os fatores abióticos do ecossistema.

2 DINÂMICA DAS POPULAÇÕES E DAS COMUNIDADES BIOLÓGICAS I. Populações

3 Nicho ecológico: conjunto de relações e de atividades características da espécie no local onde ela vive, incluindo tipos de alimento, hábitos, inimigos naturais, tipos de moradia etc. Modificações nos fatores constituintes do nicho ecológico de uma população podem provocar alterações nas taxas de natalidade, mortalidade, emigração (saída de indivíduos do hábitat) e imigração (entrada de indivíduos no hábitat) dessa população biológica. Potencial biótico: capacidade máxima de crescimento populacional de uma espécie em certo período, que pode ser determinado por: tempo de eclosão de ovos, número de filhotes por gestação etc. I. Populações DINÂMICA DAS POPULAÇÕES E DAS COMUNIDADES BIOLÓGICAS

4 I. Populações CURVA DE CRESCIMENTO REAL DE UMA POPULAÇÃO Representação sem escala Tamanho populacional máximo suportado pelo ambiente Curva de crescimento real Curva de potencial biótico Tempo N o de indivíduos Resistência do meio DINÂMICA DAS POPULAÇÕES E DAS COMUNIDADES BIOLÓGICAS

5 II. Relações ecológicas Intraespecíficas Interespecíficas Interação entre indivíduos da mesma espécie Interação entre indivíduos de espécies diferentes Harmônicas Desarmônicas Não há prejuízo para nenhum organismo. Há prejuízo para ao menos uma espécie da relação. Colônia Sociedade Competição Canibalismo Harmônicas Desarmônicas Não há prejuízo para nenhum organismo. Há prejuízo para ao menos uma espécie da relação. Competição Parasitismo Mutualismo Protocooperação Comensalismo Inquilinismo Epifitismo Predação Antibiose DINÂMICA DAS POPULAÇÕES E DAS COMUNIDADES BIOLÓGICAS

6 II. Relações ecológicas Espécies invasoras: introduzidas em ecossistemas pela ação humana de modo voluntário (para fins comerciais, por ex.) ou involuntário (presentes no lastro de navios, por ex.). No novo ambiente, as invasoras estabelecem relações ecológicas desarmônicas com as espécies nativas, podendo levá-las à extinção. DINÂMICA DAS POPULAÇÕES E DAS COMUNIDADES BIOLÓGICAS

7 Processo de formação ou restauração de um ecossistema ao longo do tempo. É iniciado pelas espécies pioneiras, cujas características permitem seu desenvolvimento em ambientes menos favoráveis (com elevadas variações de temperatura e umidade): são autotróficas, têm ciclo de vida curto, elevado número de filhotes e sistema de absorção de água eficiente, entre outras. A presença das espécies pioneiras modifica os fatores abióticos do ecossistema, favorecendo a sobrevivência no ambiente de espécies menos tolerantes. Modificações sucessivas na comunidade biológica e nos fatores abióticos de um ecossistema resultam em uma comunidade estável, chamada comunidade clímax. Uma comunidade clímax apresenta maior biodiversidade, a máxima biomassa suportada pelo ecossistema e homeostase, i.e., a capacidade de se manter estável apesar das variações ambientais. III. Sucessão ecológica DINÂMICA DAS POPULAÇÕES E DAS COMUNIDADES BIOLÓGICAS

8 III. Sucessão ecológica Representação sem escala Tempo em anos SUCESSÃO SECUNDÁRIA DINÂMICA DAS POPULAÇÕES E DAS COMUNIDADES BIOLÓGICAS

9 (Fuvest-SP) A partir da contagem de indivíduos de uma população experimental de protozoários, durante determinado tempo, obtiveram-se os pontos e a curva média registrados no gráfico abaixo. Tal gráfico permite avaliar a capacidade limite do ambiente, ou seja, sua carga biótica máxima. De acordo com o gráfico: a) a capacidade limite do ambiente cresceu até o dia 6. b) a capacidade limite do ambiente foi alcançada somente após o dia 20. c) a taxa de mortalidade superou a de natalidade até o ponto em que a capacidade limite do ambiente foi alcançada. d) a capacidade limite do ambiente aumentou com o aumento da população. e) o tamanho da população ficou próximo da capacidade limite do ambiente entre os dias 8 e 20. EXERC Í CIOS ESSENCIAIS RESPOSTA: E 1 DINÂMICA DAS POPULAÇÕES E DAS COMUNIDADES BIOLÓGICAS – NO VESTIBULAR

10 (Unirio-RJ) EXERC Í CIOS ESSENCIAIS 4 O lemingue, cujo nome científico é Lemmus memmus, é um pequeno roedor que pesa por volta de 30 gramas e tem cerca de 15 cm de comprimento, com uma cauda de apenas 2 cm, quando presente. São herbívoros e sua dieta consiste exclusivamente de ervas, raízes e plantas pequenas que são encontradas nas tundras da Escandinávia e da Rússia setentrional. Seu número varia de maneira notável. Periodicamente as populações sofrem uma grande flutuação numérica, oscilando bruscamente, por motivos ainda mal conhecidos. Normalmente, os indivíduos afastam-se pouco dos abrigos; mas, em condições de superpopulação, invadem vales e encostas em busca de alimento e abrigo. Em verões longos e favoráveis à população vegetal, os lemingues multiplicam-se desmesuradamente. Essa marcha pode terminar, para muitos animais, às bordas dos fiordes, de onde despencam para a morte certa, no mar. Todas as populações animais sofrem oscilações, cíclicas ou não, devido às causas variáveis, mas nenhuma despenca com as características espetaculares dos lemingues. Muito se escreveu, sem qualquer fundamento biológico, a respeito das colunas em marcha e do suicídio coletivo. Disponível em: Os ecólogos consideram que duas forças antagônicas regulam o tamanho da população: o potencial biótico (PB), representado no gráfico pela curva CPB, e a resistência ambiental (R), que resultam no crescimento real (CR) de uma população, representado no gráfico pela curva CCR. DINÂMICA DAS POPULAÇÕES E DAS COMUNIDADES BIOLÓGICAS – NO VESTIBULAR

11 EXERC Í CIOS ESSENCIAIS RESPOSTA: PB: força que tende a fazer uma população crescer; capacidade potencial de uma população aumentar numericamente em condições ambientais favoráveis. Exemplos: taxa de reprodução; habilidade para migração ou dispersão; mecanismos de defesa; habilidade para suportar condições adversas. R: força que tende a impedir o crescimento da população; combinação de fatores bióticos ou abióticos que impedem o crescimento da população. Exemplos: falta de água ou de alimentos; falta de espaço ou hábitat conveniente; presença de predadores, parasitas; doenças; competição. 4 Com base nas informações fornecidas e no gráfico apresentado, explique, sucintamente, o que as forças representam para uma população, ilustrando cada explicação com um exemplo. DINÂMICA DAS POPULAÇÕES E DAS COMUNIDADES BIOLÓGICAS – NO VESTIBULAR

12 (Unicamp-SP) Pesquisadores vinham estudando a variação do número de indivíduos das espécies de peixes A e B em uma lagoa estável. Em um determinado momento (indicado pela seta), foi introduzida acidentalmente a espécie C. Os pesquisadores continuaram acompanhando o número de indivíduos das três espécies e apresentaram os dados na figura: a) Que relações ecológicas poderiam explicar a variação do número de indivíduos das espécies A e B a partir da introdução da espécie C? Justifique sua resposta. EXERC Í CIOS ESSENCIAIS RESPOSTA: A introdução da espécie C provocou a diminuição da espécie B. Essa diminuição poderia ser explicada pela competição entre as espécies C e B ou pela predação da espécie B pela C. Se a espécie B estivesse competindo com A, a introdução da espécie C poderia resultar em benefício (protocooperação) para a espécie A, cuja população, dessa forma, aumentaria. 11 RESPOSTA: Provavelmente, a ave se alimentava da espécie B, e a introdução da espécie C provocou o desaparecimento desta. Essa ave pode ocupar dois níveis tróficos: o 3 º ou um nível superior. b) Os pesquisadores também observaram que uma espécie de ave que visitava a lagoa diariamente para se alimentar não foi mais vista algum tempo depois da introdução da espécie C. Explique o que pode ter provocado esse fato. Que nível(is) trófico(s) essa ave ocupa? DINÂMICA DAS POPULAÇÕES E DAS COMUNIDADES BIOLÓGICAS – NO VESTIBULAR

13 (Unifesp) Analise a figura. A figura mostra o processo de ocupação do solo em uma área dos pampas gaúchos. Considerando a sucessão ecológica, é correto afirmar que: a) na fase 2, temos a sucessão secundária, uma vez que, na 1, teve início a sucessão primária. b) ocorre maior competição na fase 3 que na 4, uma vez que capins e liquens habitam a mesma área. c) após as fases representadas, ocorrerá um estágio seguinte, com arbustos de pequeno porte e, depois, o clímax, com árvores. d) depois do estabelecimento da fase 4 surgirão os primeiros animais, dando início à sucessão zoológica. e) a comunidade atinge o clímax na fase 4, situação em que a diversidade de organismos e a biomassa tendem a se manter constantes. EXERC Í CIOS ESSENCIAIS RESPOSTA: E 17 DINÂMICA DAS POPULAÇÕES E DAS COMUNIDADES BIOLÓGICAS – NO VESTIBULAR


Carregar ppt "DINÂMICA DAS POPULAÇÕES E DAS COMUNIDADES BIOLÓGICAS O que você deve saber sobre O estabelecimento de comunidades biológicas em um ambiente depende da."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google