A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

A Cadeia Alimentar e a Inocuidade dos Alimentos Dr. Claudio R. Almeida III SIMPÓSIO INTERNACIONAL DE VIGILÂNCIA DAS DOENÇAS DE TRANSMISSÃO HÍDRICA E ALIMENTAR.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "A Cadeia Alimentar e a Inocuidade dos Alimentos Dr. Claudio R. Almeida III SIMPÓSIO INTERNACIONAL DE VIGILÂNCIA DAS DOENÇAS DE TRANSMISSÃO HÍDRICA E ALIMENTAR."— Transcrição da apresentação:

1 A Cadeia Alimentar e a Inocuidade dos Alimentos Dr. Claudio R. Almeida III SIMPÓSIO INTERNACIONAL DE VIGILÂNCIA DAS DOENÇAS DE TRANSMISSÃO HÍDRICA E ALIMENTAR 21 de Novembro de 2005 Centro de Convenções Rebouças, São Paulo, SP, Brasil.

2 Por quê a Inocuidade dos Alimentos é Importante? Novos riscos e perigos Aumento global das ETA Aumento das barreiras ao comércio Preocupação dos consumidores Ao melhorar a inocuidade dos alimentos: – Melhora-se a saúde pública e a segurança alimentar – Acesso a novos mercados Novos riscos e perigos Aumento global das ETA Aumento das barreiras ao comércio Preocupação dos consumidores Ao melhorar a inocuidade dos alimentos: – Melhora-se a saúde pública e a segurança alimentar – Acesso a novos mercados

3 Importância da Inocuidade dos Alimentos para a Saúde Pública

4 70% dos casos de diarréia são atribuidos a alimentos contaminados : surtos de ETA. 63% Caribe (58,71% de Cuba) 17 % Região Sul 10% Região Norte 6% Região Andina 4% Região Centro Americana 37 % dos surtos ocorreram em domicílios 70% dos casos de diarréia são atribuidos a alimentos contaminados : surtos de ETA. 63% Caribe (58,71% de Cuba) 17 % Região Sul 10% Região Norte 6% Região Andina 4% Região Centro Americana 37 % dos surtos ocorreram em domicílios Enfermidades Transmitidas pelos Alimentos (ETA)..

5 Lições aprendidas N ã o se motiva a informação nem a advertência aos consumidores Sistemas de acompanhamento/treinamento poderiam haver prevenido (evitado) os surtos A investigação do surto permite determinar as causas e formas de controle Educação do consumidor é crítica É necessário identificar os perigos microbiológicos, químicos e físicos ao longo da cadeia alimentar N ã o se motiva a informação nem a advertência aos consumidores Sistemas de acompanhamento/treinamento poderiam haver prevenido (evitado) os surtos A investigação do surto permite determinar as causas e formas de controle Educação do consumidor é crítica É necessário identificar os perigos microbiológicos, químicos e físicos ao longo da cadeia alimentar

6 Impacto no Comércio de Alimentos

7 A Inocuidade dos Alimentos e o Comércio Agrícola 61 % dos produtos agrícolas da América Latina e Caribe são destinados a América do Norte e à União Européia 61 % dos produtos agrícolas da América Latina e Caribe são destinados a América do Norte e à União Européia

8 Impacto para o Turismo

9 Aspectos Econômicos relacionados ao Turismo nas Américas Representa mais de 25% do PIB em alguns países – Principal fator de ocupação e emprego Caribe –2,4 milhões de postos de trabalho –US$ 35,8 bilhões em 2000 (3,8 bilhões nos anos 80) –Representa 31% do PIB da Região –Para 2010 se estima que produzirá US$ 77,5 bilhões Representa mais de 25% do PIB em alguns países – Principal fator de ocupação e emprego Caribe –2,4 milhões de postos de trabalho –US$ 35,8 bilhões em 2000 (3,8 bilhões nos anos 80) –Representa 31% do PIB da Região –Para 2010 se estima que produzirá US$ 77,5 bilhões

10 Impacto Ecônomico das ETA nas Américas

11 Custo das Enfermidades Transmitidas pelos Alimentos Fonte: CDC US$ 462 por caso

12 Custos por alguns agentes etiológicos Custos por enfermidade Listeria – A guda: US$ 2,247 bilhões –Crônica: US$ 85.6 milhões Salmonella –US$ 2.3 milhões Listeria – A guda: US$ 2,247 bilhões –Crônica: US$ 85.6 milhões Salmonella –US$ 2.3 milhões

13 Responsabilidades ao longo da cadeia agroalimentar

14 Responsabilidades do Provedor de Insumos Ingredientes ativos que excedem os limites de tolerância Produtos não declarados Informação incorreta nos rótulos Ingredientes ativos que excedem os limites de tolerância Produtos não declarados Informação incorreta nos rótulos 30% DOS PESTICIDAS (herbicidas, fungicidas) VENDIDOS EM PAÍSES EM DESENVOLVIMENTO NÃO ATENDEM AOS ESTANDARES INTERNACIONAIS Fonte: WHO/FAO: Press release 01/05

15 Dioxina (Bélgica) Fundição e branqueamento da polpa de papel, manufatura de pesticidas e herbicidas Contaminados Carne Bovina, 500 granjas suínos 400 granjas avícolas Russia, Polonia, Portugal, Suiça, França, UE suspendem importações da Bélgica Industria alimentar perde $1.5 milhões Fontes Intoxicação: 38 % Carne 24.1 % Queijos 17.6 % Leite 12.9 % Aves 12.2 % Suínos 7.8 % Pescado 4.1 % Ovos 2.2 % Inalação 0.8 % Outros Tanques armazenamento alimentos Fontes de Contaminação Erupções vulcânicas incêndios florestais Responsabilidade do Produtor Fonte: OMS, Rachel´S Hazarous Wasted News 269, Promed. TransportadorIndustriaProcessadorAtacadistaSupermercadoConsumidorProvedor Productor Produtor

16 Responsabilidade do Produtor Mangas do Brasil para exportação Agua quente contaminada é usada no tratamento para combater a Mosca do Mediterrâneo Mangas contaminadas com Salmonella Newport exportadas para USA Resultado: 78 casos humanos 14 hospitalizados 2 mortes Fuente: CDC and FSNET. Surtos de S. Newport em vários Estados, EUA

17 Produtor Processador Contaminação da agua Classificação e Embalagem Ciclosporidiose < 2800 casos < Exportações Suspensas < Outras repercusões –Chile quick frozen –California (US$ 20 mi.) Responsabilidade do Produtor/Processador

18 Aflatoxinas: - São consideradas como a maior causa de carcinoma hepatocelular em humanos - As crianças absorvem indiretamente pelo leite materno (Mortes infantis: 0,76% Ghana, 0,97% Benin, 0,77% Togo). Estudos no oeste da Africa demonstram consumo superior a 100ppb. Mais de $100 milhões em perdas anuais por contaminação de colheitas. Estudos no oeste da Africa demonstram consumo superior a 100ppb. Mais de $100 milhões em perdas anuais por contaminação de colheitas Niveis máximos permitidos pela OMS: 0 ppb em crianças, 20ppb em adultos e 50ppb em animais Fonte: Promed, 2000 Práticas Inadequadas de Manipulação causam enfermidade e perdas econômicas

19 2.397 surtos anos surtos anos surtos 28% surtos 63% 988 surtos 36% surtos 59% Temperatura inadequada de conservação dos alimentos Higiene inadequada das pessoas que manipulam o alimento Outros Fonte: CDC PRÁTICAS INADEQUADAS DE MANIPULAÇÃO DOS ALIMENTOS CAUSAM ENFERMIDADE ProdutorTransportadorIndustriaProcessadorAtacadistaSupermercadoConsumidorProvedor

20 Um sistema moderno para garantir a inocuidade do alimento ao consumidor Políticas nacionais em inocuidade dos alimentos (i.e. planos nacionais de desenvolvimento) Modernizar os serviços para que executem programas modernos de inocuidade de alimentos – Vigilância de ETA, capacidade de análise e gestão de riscos, marco regulatório, programas de capacitação, educação do consumidor Os organismos internacionais devem facilitar a cooperação bilateral e multilateral Políticas nacionais em inocuidade dos alimentos (i.e. planos nacionais de desenvolvimento) Modernizar os serviços para que executem programas modernos de inocuidade de alimentos – Vigilância de ETA, capacidade de análise e gestão de riscos, marco regulatório, programas de capacitação, educação do consumidor Os organismos internacionais devem facilitar a cooperação bilateral e multilateral

21 CONCLUSÃO Garantir a inocuidade dos alimentos para proteger o consumidor e melhorar o acesso aos mercados. A responsabilidade de desenvolver esta capacidade tem que ser comparlhada ao longo de toda a cadeia agroalimentar.


Carregar ppt "A Cadeia Alimentar e a Inocuidade dos Alimentos Dr. Claudio R. Almeida III SIMPÓSIO INTERNACIONAL DE VIGILÂNCIA DAS DOENÇAS DE TRANSMISSÃO HÍDRICA E ALIMENTAR."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google