A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Kazuko Uchikawa Graziano - EEUSP Importância da limpeza e do controle da esterilização dos artigos na prevenção de infecção cirúrgica.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Kazuko Uchikawa Graziano - EEUSP Importância da limpeza e do controle da esterilização dos artigos na prevenção de infecção cirúrgica."— Transcrição da apresentação:

1 Kazuko Uchikawa Graziano - EEUSP Importância da limpeza e do controle da esterilização dos artigos na prevenção de infecção cirúrgica

2

3 Variável 1: Está limpo? Todo material odonto-médico-hospitalar contaminado deve ser inicialmente limpo com o máximo rigor É o procedimento utilizado para remoção de sujidade presente em qualquer superfície de artigo, utilizando-se de ação manual ou mecânica. Definição: É o procedimento utilizado para remoção de sujidade presente em qualquer superfície de artigo, utilizando-se de ação manual ou mecânica. Detergente Enzimático?Tº? Alcalino? Com peróxido? + Artefatos EPI

4 Matéria orgânica x esterilização Escherichia coli Enterococcus faecalis Pseudomonas aeruginosa Mycobacterium chelonei Bacillus subtilis(esporos) Bacillus circulans (esporos) 10% gordura 0,65% sal ALPHA,M.J.; DEGAGNE,P.; OLSON,N.; PUCHALSKI,T. Comparison of ion plasma, vaporized hydrogen peroxide and 10% ethilene oxide sterilizers to the 12/88 ethilene oxide gas sterilizer. Infect Control Hosp Epidemiol, v.17, n.2, p ,1996 Presença de soro e sal fornece grau de proteção aos microrganismos

5 Atenção! Antes.... desmontar Depois.... inspecionar a limpeza

6

7

8 Microrganismos G+ e G- Exopolisacarídeos H 2 O Proteínas Carbohidratos DNA Cristais minerais Componentes do sangue Etc.... (DONLAN, 2002) Redução dramática na susceptibilidade aos antimicrobianos (DONLAN, 2002) BIOFILMES

9 ENDOTOXINAS? O que são? Qual o significado clínico? Controle prioritário para materiais utilizados em cirurgias cardio-vasculares? Preocupação dispensável para materiais semi-críticos e não-críticos? Como minimizar o risco da presença de endotoxinas nos materiais reprocessados? Qual o limite de tolerância?

10 REFLEXÃO Sempre aprendendo.... A utilização da melhor tecnologia não garante por si só o resultado eficaz na limpeza. Há a necessidade da validação do processo de limpeza frente aos diferentes desafios. Não temos até o momento a cultura da validação da limpeza nos Estabelecimentos de Saúde. Temos que avançar para qualificar as nossas práticas!

11 EMBALAGENS: temos dado a devida atenção?

12 Permitir o transporte e o armazenamento do artigo odonto-médico-hospitalar e mantê-lo estéril até o seu uso. Fala-se hoje em embalagens 1ºárias, 2ºárias e 3ºárias. Produto Saída do Ar Entrada doAgente esterilizante Microrganismos EMBALAGEM: Embalagem

13 Papel manilha Papel toalha Papel Kraft Tecido de algodão

14

15 Imbatível para artigos termorresistentes! MÉTODOS DE ESTERILIZAÇÃO FÍSICOS RADIAÇÃO IONIZANTE RADIAÇÃO IONIZANTE CALOR ÚMIDO (AUTOCLAVE) Com Pré-vácuo ÚMIDO (AUTOCLAVE) Com Pré-vácuo SECO (ESTUFA) SECO (ESTUFA) ( + Industrial)(hospitalar)

16 PONTO FRIO T ºC °C – 1hora 160°C - 2horas 121 ° C – 6horas RECOMENDAÇÕES : RESTRINGIR PARA PÓS E ÓLEOS. NÃO UTILIZAR O CENTRO GEOMÉTRICO. CARGA UNIFORME E DE PEQUENA QUANTIDADE VALIDAR O PROCESSO COM A CARGA MAIS PESADA. NÃO ABRIR A ESTUFA DURANTE O CICLO. USAR RECIPIENTES DE ALUMÍNIO. CARREGAR A ESTUFA ANTES DE LIGAR O EQUIPAMENTO. ESTUFA

17 VALIDAÇÃO DAS AUTOCLAVES (NBR 11134) I Qualificação do Projeto (predial, hidráulica, elétrica, vapor) I Qualificação do Projeto (predial, hidráulica, elétrica, vapor) II Qualificação da instalação do equipamento II Qualificação da instalação do equipamento III Qualificação da operação do equipamento III Qualificação da operação do equipamento IV Qualificação do desempenho do equipamento/ carga ou lote IV Qualificação do desempenho do equipamento/ carga ou lote AUTOCLAVE PRÉ - VÁCUO: teste de BOWIE & DICK + teste biológico e químico REPETIR 3 vezes com equipamento nas mesmas condições, após pré-aquecimento. AUTOCLAVE PRÉ - VÁCUO: teste de BOWIE & DICK + teste biológico e químico REPETIR 3 vezes com equipamento nas mesmas condições, após pré-aquecimento.

18 Slides cedidos pela Empresa Orion

19

20

21

22

23

24 INDICADORES QUÍMICOS Classe 1: intervalo de confiança maior que classe 5. Classe 6: Tiras impregnadas com tinta termo-química que muda de coloração quando exposto a temperatura. Classe 2: teste de BOWIE & DICK - testa a eficácia do sistema de vácuo da autoclave pré-vácuo. Uso diário no 1º ciclo, sem carga, a 134°C por 3,5 a 4 min sem secagem. Classe 3:controla um único parâmetro: a temperatura pré-estabelecida. Classe 4: indicador multiparamétrico: controla a temperatura e o tempo necessários para o processo. Classe 5:integrador: controla temperatura, tempo e qualidade do vapor.

25 INDICADORES BIOLÓGICOS São preparações padronizadas de microrganismos, numa concentração do inóculo em torno de 10 6, comprovadamente resistentes e específicos para um particular processo de esterilização para demonstrar a efetividade do processo. 1ª geração: tiras de papel com esporos microbianos, incubados em laboratório de microbiologia com leitura em 2-7 dias 2ª geração: auto-contidos com leitura em 24 a 48 horas 3ª geração: auto-contidos com leitura em 1 a 3 horas

26 ácido peracético 0,2%1h glutaraldeído 2% 8-10h formaldeído: aquoso 10% alcoólico 8% 18 h ácido peracético 0,2%1h glutaraldeído 2% 8-10h formaldeído: aquoso 10% alcoólico 8% 18 h GASOSO Óxido de etileno - ETO Plasma de peróxido de hidrogênio-Sterrad Autoclave de vapor a baixa T° e Formaldeído Óxido de etileno - ETO Plasma de peróxido de hidrogênio-Sterrad Autoclave de vapor a baixa T° e Formaldeído Pastilhas de paraformaldeído Pastilhas de paraformaldeído MÉTODOS DE ESTERILIZAÇÃO SOLUÇÃO: QUÍMICOS USO DE EMBALAGENS MÉTODO AUTOMATIZADO MÉTODO MANUAL TÓXICO/CORROSIVO RECONTAMINAÇÃO MÉTODO MANUAL TÓXICO RECONTAMINAÇÃO

27 Quando recorrer a métodos químicos, evitar o método manual de submersão escolhendo equipamentos automatizados. Método químico manual Urgências! Não como rotina! TÓXICOS CORROSIVOS

28

29 ...Utilizar como E.P.I.: luvas de borracha butílica ou nitrílica, avental impermeável, protetor facial, máscara contra fumose vapores orgânicos. Lavar as mãos enluvadas antes da sua retirada. Manter o recipiente sempre tampado...

30 ENXAGUAR ABUNDANTEMENTE !!! ÁGUA POTÁVEL (materiais não críticos e semi-críticos) Validade indefinida ÁGUA ESTERILIZADA (artigos críticos) Uso imediato 123

31

32 DILUIÇÃO NEUTRALIZAÇÃO QUÍMICA : sulfito de sódio 0,1% Fonte: JAOAC In: Manual técnico do INCQS/MS EUA: EPA muito preocupada com a questão ecológica. Comercialização de neutralizadores do Glutaraldeído e OPA: Glutex, Glute out, Glut-safe, BIO-OE Glutaraldehyde neutralizer.

33 ÁCIDO PERACÉTICO CH 3 C + H 2 O 2 O OH CH 3 C O O - OH + H 2 O Ácido Acético Peróxido Hidrogênio Ácido Peracético Água

34 Esterilização por Ácido Peracético (0,2% - 0,35%) Fonte: ácido acético + peróxido de hidrogênio Fonte: ácido acético + peróxido de hidrogênio VANTAGENSDESVANTAGENS rápido: 1 hora monitoração da [ ] enxágüe fácil baixa toxicidade remove sujidade residual rápido: 1 hora monitoração da [ ] enxágüe fácil baixa toxicidade remove sujidade residual processo manual incompatível com aço bronze, latão e ferro galvanizado custo odor avinagrado processo manual incompatível com aço bronze, latão e ferro galvanizado custo odor avinagrado

35 ÁCIDO PERACÉTICO

36 Esterilização por Ácido Peracético (0,15%- 0,09%) Fonte: acetilcoprolactama + peróxido de hidrogênio VANTAGENSDESVANTAGENS muito rápido: 30 minutos ph 5,5 - 7 (neutro) monitoração da [ ] seguro para endoscópios domínio da corrosão dos metais ferrosos e não ferrosos enxágüe fácil baixa toxicidade remove sujidade residual muito rápido: 30 minutos ph 5,5 - 7 (neutro) monitoração da [ ] seguro para endoscópios domínio da corrosão dos metais ferrosos e não ferrosos enxágüe fácil baixa toxicidade remove sujidade residual processo manual custo odor avinagrado processo manual custo odor avinagrado

37 Garantir a ausência de sujidades sobre o material que sofrerá processos químicos (Microrganismos ficam protegidos por materiais que impedem o contato do agentes químicos - como óleos, proteínas, resíduos de sabão, sangue, outros fluídos corporais e tecidos) Garantir a imersão completa do material nas soluções químicas (preencher lúmens) Expor o material pelo tempo indicado pelos fabricantes Controlar a concentração e o pH quando a solução for reutilizada (glutaraldeído, ácido peracético).

38 NÃO HÁ COMO VALIDAR POR MEIO DE INDICADORES BIOLÓGICOS E QUÍMICOS O PROCESSO E OS RESULTADOS PARA OS AGENTES QUÍMICOS SOMENTE RECURSOS DE COMPLEXA EXECUÇÃO QUE DEMANDAM TEMPO E ALTO CUSTO !!! INDICADORES DE RESULTADOS

39 Métodos gasosos: difusibilidade, compatibilidade e toxicidade ETO

40 ESTERILIZAÇÃO POR ÓXIDO DE ETILENO ESTERILIZAÇÃO POR ÓXIDO DE ETILENO VANTAGENSDESVANTAGENS potente biocida difusão padrão ouro compatibilidade 45 o a 55 o C acondicionameno prévio monitorização biológica potente biocida difusão padrão ouro compatibilidade 45 o a 55 o C acondicionameno prévio monitorização biológica TOXICIDADE: carcinogênico, teratogênico inflamável e explosivo aeração difícil processo muito demorado ( h) funcionamento em Central legislação nacional desatualizada

41 Plasma de peróxido de hidrogênio (STERRAD ®)

42 ESTERILIZAÇÃO POR PLASMA DE ESTERILIZAÇÃO POR PLASMA DE PERÓXIDO DE HIDROGÊNIO (Sterrad®) VANTAGENSDESVANTAGENS rapidez (50-75) 45 o a 55 o C baixa toxicidade uso imediato acondicionameno prévio monitorização biológica simples instalação validação pelo fabricante a cada novo artigo a ser processado rapidez (50-75) 45 o a 55 o C baixa toxicidade uso imediato acondicionameno prévio monitorização biológica simples instalação validação pelo fabricante a cada novo artigo a ser processado incompatível com celulose e líquidos restrição em lúmens estreitos e longos alto custo do equipa- mento, insumos e controles câmara pequena ambiente climatizado (longe das autoclaves) incompatível com celulose e líquidos restrição em lúmens estreitos e longos alto custo do equipa- mento, insumos e controles câmara pequena ambiente climatizado (longe das autoclaves)

43 AUTOCLAVE A VBTF

44 ESTERILIZAÇÃO A VAPOR DE BAIXA ESTERILIZAÇÃO A VAPOR DE BAIXA TEMPERATURA E FORMALDEÍDO (VBTF) TEMPERATURA E FORMALDEÍDO (VBTF) VANTAGENSDESVANTAGENS baixas temperaturas aeração mecânica uso imediato; custo monitorização bioló- gica e química não inflamável e não explosivo no ar amb. sem restrições qto a embalagens baixas temperaturas aeração mecânica uso imediato; custo monitorização bioló- gica e química não inflamável e não explosivo no ar amb. sem restrições qto a embalagens tempo requerido: 3h30min ( 60 o C) 5h (50 o C) restrições a artigos com papelão, látex e têxteis

45 FATORES A SEREM CONSIDERADOS NA SELEÇÃO DE NOVOS SISTEMAS DE ESTERILIZAÇÃO DE NOVOS SISTEMAS DE ESTERILIZAÇÃO Avaliação da eficácia e segurança Vantagens custo x benefício Assistência e assessoria por parte do fabricante Complementação

46 Seleção de Produtos e Equipamentos Ideal: comitê multiprofissionalIdeal: comitê multiprofissional Participação obrigatória da Comissão de Controle de Infecção HospitalarParticipação obrigatória da Comissão de Controle de Infecção Hospitalar Basear-se em informações fidedignas:Basear-se em informações fidedignas: 1 º - literatura 2 º - documentação 3 º - outros usuários 4 º - fabricante

47 Validação das embalagens-Vida de prateleira depende dos eventos relacionados Houve algum evento que agrediu a embalagem? Caiu no chão? Foi apalpado? Foi aberto e fechado novamente? Foi carregado debaixo dos braços? Foi colocado elásticos, barbante? Foi amassado colocando pesos ou guardados em gavetas apertadas? Indefinido tempo de esterilização …….. Amém JEVITT,D-1943 (data do jornal) 1977 estéril

48 ... Quando um produto é embalado, selado e armazenado adequadamente, a arcaica prática de estabelecer prazo de validade não é necessária (JEVITT, 84) Contaminação do produto qualidade da embalagem e da selagem umidade (35-50%) temperatura (18-22 o C) localização manipulação tráfego contaminação do ar controle do inventário

49 Profa. Dra. Kazuko Uchikawa Graziano


Carregar ppt "Kazuko Uchikawa Graziano - EEUSP Importância da limpeza e do controle da esterilização dos artigos na prevenção de infecção cirúrgica."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google