A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Efeito da miricitrina na hiperlocomoção induzida por metilfenidato. Isadora Pozzetti Siba – Financiador : PIBIC/ CNPq Orientador: Roberto Andreatini/ Colaboradores:

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Efeito da miricitrina na hiperlocomoção induzida por metilfenidato. Isadora Pozzetti Siba – Financiador : PIBIC/ CNPq Orientador: Roberto Andreatini/ Colaboradores:"— Transcrição da apresentação:

1 Efeito da miricitrina na hiperlocomoção induzida por metilfenidato. Isadora Pozzetti Siba – Financiador : PIBIC/ CNPq Orientador: Roberto Andreatini/ Colaboradores: Moacir Geraldo Pizzolatti; Adair Roberto Santos. Introdução/Objetivos: Material e Métodos Resultados e Discussão Conclusões Referências O comportamento tipo maníaco, fator determinante para o diagnóstico do transtorno de humor bipolar, apresenta correlação com o aumento da atividade da proteína quinase C (PKC). Estudos anteriores demonstraram que a miricitrina, um flavonoide do gênero Eugênia possui um potencial efeito antimaníaco (PEREIRA, et al. 2011), este relacionado com sua ação inibitória sobre a PKC, mais especificamente sobre os subtipos α e ε. O presente estudo tem por objetivo avaliar o potencial efeito antimaníaco da miricitrina em modelos experimentais validados, como a hiperlocomoção induzida por psicoestimulantes (mensurada pela caixa de locomoção), com posteriores análises moleculares sobre a PKC (Western Blot e GAP-43). Camundongos Swiss machos (30-40g), fornecidos pelo biotério do setor de Ciências biológicas da UFPR, foram submetidos ao teste de hiperlocomoção induzida por metilfenidato (MET - aplicada 20 minutos antes do teste), sendo estes divididos em quatro grupos de tratamentos: controle (salina), MET, tamoxifeno (TM - controle positivo, pois diminui o MN inibindo a PKC, aplicada 15 minutos antes do MET) e TM/MET; como este teste não surtiu efeito, foi utilizado o modelo de indução do MN por privação de sono (os animais foram submetidos à esta por 24 horas), com a inclusão do lítio (um segundo controle positivo) e da miricitrina (aplicada 30 minutos antes do teste), uma vez que foi possível estabelecer os parâmetros basais de locomoção na caixa de movimentação. Análise do comportamento dos animais no teste da caixa de locomoção, após o tratamento agudo com salina, tamoxifeno (1 mg/kg) e metilfenidato (5 mg/kg). Dados representam média SEM (n=6-7). P>0.05 comparado com o grupo controle. Efeito do lítio (100mg/kg); tamoxifeno (1mg/kg) e miricitrina (10mg/kg) na (A) hiperlocomoção induzida por privação de sono e (B) latência de sono após privação de sono. Dados representam média SEM (n=7-9). ***P<0.001 comparado ao primeiro dia de habituação (A) ou com o grupo salina (B); ### P<0.001 comparado ao grupo salina+privação de sono. Devido à incapacidade de indução do comportamento tipo maníaco pelo metilfenidato, foi adotado o modelo de indução de hiperlocomoção por privação de sono. Este foi efetivo na indução do comportamento tipo maníaco, devido ao aumento da atividade locomotora nos animais, sendo este revertido pelos controles positivos e pela miricitrina. A latência de sono foi revertida apenas pelo lítio, mostrando a importância da utilização de mais de um controle ativo. Devido às complicações no início do estudo em relação ao modelo experimental adotado, não foi possível realizar as análises moleculares sobre a PKC. Pereira, et al. Myricitrin, a nitric oxide and protein kinase C inhibitor, exerts antipsychotic-like effects in animal models Progress in Neuro-Psychopharmacology & Biological Psychiatry. v. 7, n. 35, p


Carregar ppt "Efeito da miricitrina na hiperlocomoção induzida por metilfenidato. Isadora Pozzetti Siba – Financiador : PIBIC/ CNPq Orientador: Roberto Andreatini/ Colaboradores:"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google