A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

João Carlos Dias Avaliação e Diagnóstico. João Carlos Dias 20% problemas por uso de AOD (Bradley,1994) 20% problemas por uso de AOD (Bradley,1994) Pacientes.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "João Carlos Dias Avaliação e Diagnóstico. João Carlos Dias 20% problemas por uso de AOD (Bradley,1994) 20% problemas por uso de AOD (Bradley,1994) Pacientes."— Transcrição da apresentação:

1 João Carlos Dias Avaliação e Diagnóstico

2 João Carlos Dias 20% problemas por uso de AOD (Bradley,1994) 20% problemas por uso de AOD (Bradley,1994) Pacientes com problemas por abuso de AODPacientes com problemas por abuso de AOD(Rush,1989) 2 x mais chances de procura Cuidados primários

3 João Carlos Dias A avaliação é o primeiro estágio do tratamento. Exame completo do paciente Adesão ao tratamento

4 João Carlos Dias Adesão ao tratamento está relacionada com: aspectos individuais conduta terapêutica èmotivação para modificar o comportamento de uso de spa èintensidade do apoio da família e amigos èpressão: sistema criminal; serviço de proteção à criança; emprego e da família èCapacidade do profissional de estabelecer um bom vínculo terapêutico èPlano de tratamento seja adequado às necessidades e características do paciente, sendo fundamental a avaliação èO paciente tenha conhecimento dos objetivos do tratamento èInterface com outros serviços

5 João Carlos Dias Procedimentos

6 João Carlos Dias Natureza dos problemas em 3 dimensões - características gerais - padrão de uso - problemas associados Objetivos apropriados e possíveis Fatores de auxílio e dificuldade Aspectos a serem avaliados

7 João Carlos Dias Características gerais (ex.gênero, idade) Especificidades na intervenção

8 João Carlos Dias USOUSO NOCIVO SÍNDROME DE DEPENDÊNCIA LEVE MODERADOGRAVE Problemas com substâncias psicoativas: continuum de gravidade

9 João Carlos Dias 1. Idade de início de cada spa 2. Quantidade 3. Freqüência Uso alternado/ Uso concomitante Consumo mais contínuo ou intermitente Organização do consumo dependente 4. Substância de escolha 5. Último uso 6. Fatores reforçadores do uso 7. Períodos de abstinência 8. Manifestação de sintomas de abstinência 9. Tolerância 10. Coerência do quadro Uso da substância psicoativa

10 João Carlos Dias II I III IV Problemas Dependência (+) (-) (+)(-)

11 João Carlos Dias Classificação

12 João Carlos Dias Diretrizes diagnósticas - CID10 Uso Nocivo Definição: Padrão de uso que causa dano à saúde que pode ser físico e/ou psíquico Cuidado importante: Percepção de outras pessoas

13 João Carlos Dias Síndrome de dependência Presença de três ou mais requisitos abaixo durante o ano anterior: A - Forte desejo ou compulsão para consumir a substância; B - Dificuldade de controlar o consumo no início, término ou quantidades consumidas; C - Sintomas da abstinência, quando o consumo é reduzido ou interrompido; D - Aumento progressivo da tolerância, requerendo doses cada vez maiores da droga para alcançar seus efeitos originais; E - Abandono progressivo dos interesses e atividades de lazer, aumentando a quantidade de tempo necessário para obter, tomar e/ou recuperar-se dos efeitos da droga; F - Persistência no uso da substância, apesar das evidências nocivas. Diretrizes diagnósticas - CID10

14 João Carlos Dias Sinais e sintomas importantes de serem investigados: èEstreitamento do repertório. èProeminência da substância èAlívio ou evitação dos sintomas de abstinência com o uso da substância èReinstalação da síndrome de dependência após um período de abstinência. Outros critérios de avaliação

15 João Carlos Dias Problemas associados

16 João Carlos Dias laborativos clínicos psiquiátricos familiares sociais financeiros legais resistência ao tratamento Problemas associados resistência à continuidade do tratamento

17 João Carlos Dias Avaliação com o familiar èSegmento da avaliação muito importante èProcedimento: diferentes membros da equipe entrevistem o paciente e o(s) familiar(es) èAspectos que compõem na entrevista

18 João Carlos Dias Comorbidade psiquiátrica

19 João Carlos Dias Termo: comorbidade psiquiátrica Presença conjunta de transtorno por uso de spa e outras patologias psiquiátricas que coexistem num determinado momento ou fazem parte da história clínica da pessoa

20 João Carlos Dias CONSUMO PESADO DE ÁLCOOL OU OUTRAS DROGAS PODE CAUSAR SINTOMAS PSIQUIÁTRICOS E SIMULAR SÍNDROMES PSIQUIÁTRICAS

21 João Carlos Dias Hipóteses de comorbidade èTranstorno mental abuso de substância èAbuso de substância Transtorno mental èDuplo diagnóstico primário (sem relação causal) èMesmo fator causal (transtorno e abuso)

22 João Carlos Dias Diagnóstico èO transtorno psiquiátrico identificado num usuário de drogas pode ser apenas de origem tóxica e não representar um transtorno adicional èAs síndromes induzidas não tem o mesmo significado clínico que os transtornos independentes

23 João Carlos Dias Repercussões da comorbidade èexclusão de certos serviços è precocidade na manifestação è sintomas mais graves è resposta terapêutica menor è recaídas mais rápidas ou mais freqüentes è maior grau de incapacitação è interferência com a farmacoterapia è maiores dificuldades de adesão ao tratamento

24 João Carlos Dias INSTRUMENTOS DE AVALIAÇÃO

25 João Carlos Dias C.A.G.E. Ewing and Rouse / A.P.A C ut down Annoyed Guilty Eye-opener èquestionário breve, para detecção de alcoolismo èdirigido a adultos e adolescentes acima de 16 anos èmais significativo em aplicação clínica do que em pesquisa

26 João Carlos Dias 1. Você já pensou que deveria beber menos? 2. Já se aborreceu por alguém criticar seu modo de beber? 3. Já se sentiu mal ou culpado sobre seu modo de beber? 4. Já tomou uma dose pela manhã, logo ao acordar? Escore: 0 para resposta negativa e 1 para positiva Resultado: 2 ou mais - clinicamente significativo, indicativo de problema com álcool 1 - necessidade de avaliação mais detalhada C.A.G.E.

27 João Carlos Dias èDesenvolvido pela OMS èIdentificar indivíduos nos quais o consumo de álcool tornou-se perigoso ou prejudicial à saúde èPopulação - alvo: Adultos èAplicação: clínica e pesquisa Clínica: - intervenção breve - referência para tratamento especializado Pesquisa: estudos epidemiológicos AUDIT Alcohol Use Disorders Identification Test

28 João Carlos Dias èComposto por 10 itens: 3 - quantidade e freqüência do consumo 3 - dependência 4 - problemas causados èTempo de administração: 2 minutos èRequer treinamento èAplicado por profissional da área de saúde AUDIT Alcohol Use Disorders Identification Test

29 João Carlos Dias SADQ Severity of Alcohol Dependence Questionnaire èEdward e Gross (1976) èauto-aplicável èpopulação alvo: adulta èutilização clínica: previsão da possibilidade de controle do uso do álcool e gravidade da síndrome de abstinência è20 itens divididos em 5 sub-escalas: abstinência física, abstinência psicológica, alívio da abstinência ao beber, consumo alcóolico (quantidade) e rapidez de reinstalação

30 João Carlos Dias Escala de resposta do paciente: 0 - quase nunca 1 - às vezes 2 - muitas vezes 3 - quase sempre Escore: Máximo: 60 > 30: indicativo da presença de dependência grave SADQ Severity of Alcohol Dependence Questionnaire

31 João Carlos Dias Dose Padrão = 13,6g de álcool absoluto 1 lata de cerveja (350 ml) = 5% álcool 1 copo vinho (90 ml) = % álcool 1 cálice de destilado (25 ml) = % álcool SADQ Severity of Alcohol Dependence Questionnaire

32 João Carlos Dias èEscala de avaliação e classificação da gravidade de sintomas da abstinência èClinicamente utilizável para diagnóstico, planejamento e monitorização da resposta ao tratamento instituído èDeve ser aplicada por pessoal treinado Clinical Institute Withdrawal Assessment for Alcohol, Revised Addiction Research Foundation - Sullivan et al.1989 CIWA-Ar

33 João Carlos Dias CIWA Ar 1. Náuseas e vômitos (0-7) 2. Tremores (0-7) 3. Sudorese (0-7) 4. Cefaléia (0-7) 5. Distúrbios táteis (0-7) 6. Distúrbios auditivos (0-7) 7. Distúrbios visuais (0-7) 8. Turvação da consciência (0-4) 9. Ansiedade (0-7) 10. Agitação (0-7) CIWA-Ar

34 João Carlos Dias CIWA-Ar Pontuação de cada item: de 0 a 7 Turvação de consciência: de 0 a 4 pontuação máxima = 67 escore: até = LEVE entre = MODERADA acima de 15 = GRAVE CIWA-Ar

35 João Carlos Dias ASI - Addiction Severity Index Dr. A. Thomas McLellan (1980) University of Pennsylvania - NIDA èEntrevista clínica semi-estruturada èPrincípio: Indivíduos com problemas por uso de substâncias psicoativas, em geral, apresentam múltiplos problemas em diferentes áreas èUtilização clínica: - planejamento do tratamento - avaliação dos resultados - avaliação da efetividade do sistema de tratamento èAplicação: Requer treinamento específico.

36 João Carlos Dias ASI - Addiction Severity Index Áreas Abordadas 1.Condições clínicas 2.Condições de emprego e sustento 3.Uso de álcool/drogas 4.Situação legal 5.História familiar 6.Relações familiares e sociais 7.Situação psiquiátrica

37 João Carlos Dias Contrato Terapêutico Objetivos terapêuticos compartilhados Abstinência nos dias de consulta Screening toxicológico

38 João Carlos Dias Obrigado! Tel./Fax:


Carregar ppt "João Carlos Dias Avaliação e Diagnóstico. João Carlos Dias 20% problemas por uso de AOD (Bradley,1994) 20% problemas por uso de AOD (Bradley,1994) Pacientes."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google