A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Controle de Estruturas Controle de Estruturas Mariana Tavares de Araujo Secretária de Direito Econômico (SDE/MJ) Brasília, 25 de agosto de 2009 MPF.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Controle de Estruturas Controle de Estruturas Mariana Tavares de Araujo Secretária de Direito Econômico (SDE/MJ) Brasília, 25 de agosto de 2009 MPF."— Transcrição da apresentação:

1 Controle de Estruturas Controle de Estruturas Mariana Tavares de Araujo Secretária de Direito Econômico (SDE/MJ) Brasília, 25 de agosto de 2009 MPF

2 1.Consumidor & Concorrência Defesa do consumidor e defesa da concorrência são intimamente relacionadas Já na CF, art. 170, ambos são considerados princípios da ordem econômica Pluralidade de interesses é repetida na legislação infra-constitucional. Por que? O mercado só existe para atender os interesses do consumidor consumidor é o destinatário econômico final das normas concorrenciais

3 2.Como concorrência beneficia o consumidor? Maior Diversidade, Qualidade e Menor Preço, mesma tecnologia: Tel Fixo x Tel Fixo x x = Mais Inovação: Celular substituindo Tel Fixo... =

4 3.Formas de Atuação A análise antitruste deve estar sempre norteada pela busca do bem-estar do consumidor (Parecer SDE) Preventiva: Controle de fusões e aquisições; visa a preservar estrutura de mercado que favoreça concorrência Repressiva: Controle de condutas anticompetitivas Educativa: Promoção da cultura da concorrência (cartilhas, notas técnicas)

5 4.Fusões e aquisições afetam diretamente o consumidor

6 5. Atos de Concentração Econômica - ACs Art. 54. Os atos, sob qualquer forma manifestados, que possam limitar ou de qualquer forma prejudicar a livre concorrência, ou resultar na dominação de mercados relevantes de bens ou serviços, deverão ser submetidos à apreciação do CADE. Atos de concentração: fusões, aquisições, incorporações, constituição de sociedade para exercer o controle de empresas ou qualquer forma de agrupamento societário (art. 54, § 3°, da Lei 8.884/94) Requisitos: participação de empresa ou grupo de empresas resultante em 20% de um mercado relevante; ou Qualquer dos participantes da operação tenha registrado faturamento bruto anual no último balanço equivalente a R$ ,00 (quatrocentos milhões de reais) no Brasil.

7 6. Prazo de Apresentação e Eficácia dos ACs Os atos devem ser apresentados previamente ou no prazo máximo de quinze dias úteis de sua realização. Multa: R$ 60 mil a R$ 6 milhões (art. 54, § 4°) 3 vias: SDE – SEAE – CADE (art. 54, § 4°) 4 vias: SDE – SEAE – CADE – Agência Reguladora (art. 38, § 2°, da Portaria MJ 4/2006) Os negócios apresentados a posteriori são fechados sob condição resolutiva. O CADE pode, se entender pela desautorização no mérito, mandar desconstituir os atos que não forem fechados sob condição suspensiva (art. 54, § 9°)

8 7. Resultado final das análises de ACs Aprovação Reprovação Aprovação com restrições

9 8. Condições para autorização de ACs Requisitos do § 1° do art. 54: Eficiência econômica: aumentar quantidade e qualidade Maior desenvolvimento tecnológico ou econômico Benefícios distribuídos eqüitativamente entre partes do AC e consumidores ou usuários finais Não impliquem eliminação da concorrência de parte substancial de mercado Observados os limites estritamente necessários para atingir objetivos § 2º do art. 54: Também poderão ser considerados legítimos os ACs se atendidas pelo menos 3 dos requisitos, se por motivos preponderantes da economia nacional / bem comum, e desde que não impliquem prejuízo ao consumidor ou usuário

10 9. Guia de Análise de AC (1/2)

11 10. Guia de Análise de AC (2/2)

12 11. Definição de Mercado Relevante Produtos e / ou serviços que o compõem (dimensão produto) Área geográfica para a qual a venda é viável (dimensão geográfica) Teste do Monopolista Hipotético Menor grupo de produtos / menor área para que suposto monopolista imponha pequeno porém significativo e não transitório aumento de preço

13 12. Determinação de Parcela de Mercado Controle de parcela substancial do mercado é condição necessária, mas não suficiente, para que AC tenha impactos negativos sobre bem-estar do consumidor e da concorrência Exercício unilateral de poder de mercado: Participação igual ou superior a 20% Exercício coordenado de poder de mercado: C4 igual ou superior a 75%; e Participação de mercado da nova empresa igual ou superior a 10%

14 13. Probabilidade de Exercício de Poder de Mercado (1/2) Importações e possibilidade de importar inibem exercício de poder de mercado? Período de 1 ano; Quantidade equivalente a 30% do valor de consumo aparente Entrada é provável, tempestiva e suficiente? Provável se escalas mínimas viáveis são inferiores a às oportunidades de venda; Tempestiva se possível no prazo de 2 anos; e Suficiente se todas as oportunidades de venda possam ser exploradas pelo entrante potencial Rivalidade?

15 13. Probabilidade de Exercício de Poder de Mercado (2/2) Escalas Mínimas Viáveis (EMV) são o menor nível de vendas anuais necessário para remunerar capital adequadamente Barreiras à entrada são fatores que colocam potencial competidor eficiente em desvantagem aos agentes estabelecidos Quanto mais elevadas, maiores são as EMV e menor a probabilidade de entrada Exemplos: custos irrecuperáveis; barreiras legais ou regulatórias; fidelidade dos consumidores à marca; ameaça de reação dos agentes instalados

16 14. Análise das Eficiências Efeito líquido do AC: comparar os custos econômicos com possíveis eficiências Eficiências econômicas do AC: incrementos de bem-estar econômico gerados pelo ato e que não podem ser gerados de outra forma Exemplos: economias de escala / escopo; introdução de tecnologia mais produtiva Não são consideradas as que podem ser alcançadas por outros meios, em menos de 2 anos; Difíceis de se verificar e quantificar, em parte porque baseadas em eventos futuros;

17 15.Necessidade de Reforma (1/2) Controle a Posteriori tem severas limitações: Limitações do APRO Incentivo das Partes em não fornecer informações completas, o que pode levar a APROs que não respondam a todas as preocupações das autoridades Partes podem já ter transferido ativos e unificado administração quando da notificação O problema dos ovos mexidos e Incerteza das Partes Restrições Estruturais e Comportamentais ao final da análise tornam-se difíceis e custosas de se implementar A alternativa do Judiciário Nestlé-Garoto Operações da Vale (Ferteco / Casa de Pedra)

18 16.Necessidade de Reforma (2/2) Filtro de submissão é amplo e falho: Interpretado como preenchimento do critério do faturamento por qualquer das partes e seus grupos econômicos Critério de participação de mercado deve ser critério de análise e não de submissão Falta de critério claro para cooperações econômicas Elevado número de operações apresentadas sem potencial lesivo Cerca de 500 ACs submetidos por ano

19 Obrigada!


Carregar ppt "Controle de Estruturas Controle de Estruturas Mariana Tavares de Araujo Secretária de Direito Econômico (SDE/MJ) Brasília, 25 de agosto de 2009 MPF."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google