A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO IF – SUL – RIO - GRANDENSE CAMPUS PELOTAS - VISCONDE DA GRAÇA Curso: Técnico em Fruticultura Prof. Dr. Corlett, F.M.F Solos Formação.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO IF – SUL – RIO - GRANDENSE CAMPUS PELOTAS - VISCONDE DA GRAÇA Curso: Técnico em Fruticultura Prof. Dr. Corlett, F.M.F Solos Formação."— Transcrição da apresentação:

1 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO IF – SUL – RIO - GRANDENSE CAMPUS PELOTAS - VISCONDE DA GRAÇA Curso: Técnico em Fruticultura Prof. Dr. Corlett, F.M.F Solos Formação dos solos: fatores e classes

2 Formação do solo O solo se formou a milhões de anos, por diversas causas: – Clima; – Microorganismos; – Vegetação; – Topografia; – Tempo. Quando as rochas sofrem a ação dos agentes erosivos, vão sendo desgastadas, o que provoca a sua fragmentação e alteração química.

3 Formação do Solo

4 Temperaturas extremas provocam fraturas e fissuras na rocha; Aparecem liquens e plantas pequenas.

5 No início, os restos de seres vivos como os líquenes, que colonizavam a rocha, misturados com as partículas resultantes da fragmentação, originam um solo pouco espesso solo primitivo.

6

7

8 No outono, uma grande quantidade de folhas cai no solo, transforman do-se lentamente em húmus

9

10 Perfil do solo

11 Perfil do solo é o arranjo vertical dos horizontes; Através de estudos do perfil do solo, determina-se qual cultura melhor se adapta ao tipo de solo; Os horizontes são representados pelas letras: O, A, B, C e R (rocha); Eles são originados da ação de fenômenos físicos, químicos e biológicos, dando uma sequência vertical; Perfil do solo – Horizontes

12 O 1 – mais superficial. Representa o material orgânico ainda não decomposto (folhas, frutos, restos de animais, etc.). O 2 – restos orgânicos em decomposição ou já decompostos. Perfil do solo – Horizontes

13 A – parte superficial escura do solo, por conter grande quantidade de húmus; Quando o solo e cultivado no sistema convencional, este horizonte e revolvido pelo arado; Apresenta a máxima atividade biológica e onde ocorre mais lixiviação de nutrientes e argilas; Pode subdividir-se em A 1 – mais escura (rica em MO); A 2 – cor mais clara (maior lixiviação) e A 3 – horizonte de transição para o B, mas com mais características do A. Perfil do solo – Horizontes O Latossolo, característico do planalto do RS, não tem A 2 e o A 3 e mais espesso.

14 Perfil do solo – Horizontes B – é o subsolo, com espessura de cm; E o horizonte de enriquecimento, que apresenta acúmulo de argila, ferro, alumínio, cálcio, magnésio, com ou sem MO; Subdivide-se em B 1 – transição; B 2 – máxima expressão do horizonte, onde ocorre a sedimentação dos materiais lixiviados do horizonte A; e B 3 – transição.

15 C – camada não consolidada do material sobre a qual se desenvolvem os horizontes A e B, que se apresenta relativamente pouco afetada pela atividade biológica, logo com pouca matéria orgânica e estrutura; R – rocha inalterada que pode ser ou não a rocha matriz que deu origem ao solo acima desenvolvido. Perfil do solo – Horizontes


Carregar ppt "MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO IF – SUL – RIO - GRANDENSE CAMPUS PELOTAS - VISCONDE DA GRAÇA Curso: Técnico em Fruticultura Prof. Dr. Corlett, F.M.F Solos Formação."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google