A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

1 Fórum Permanente sobre Espaço Público A USP e a especificidade de seus campi Facilitadores, Relatores e Interlocutores dos GTs.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "1 Fórum Permanente sobre Espaço Público A USP e a especificidade de seus campi Facilitadores, Relatores e Interlocutores dos GTs."— Transcrição da apresentação:

1 1 Fórum Permanente sobre Espaço Público A USP e a especificidade de seus campi Facilitadores, Relatores e Interlocutores dos GTs

2 2 PautaProposta Pauta Proposta Retomar algumas orientações passadas na primeira reunião com os facilitadores, como: Atribuições Atribuições Atribuições Atribuições do GT Uso do STOA e da lista de discussão Metodologia e o que se espera de cada GT ao final do processo Agenda de encontros intergrupos, a partir de junho

3 3 Relembrando... Objetivos Reunir diferentes grupos de usuários e interessados (estudantes, professores, funcionários,pesquisadores, comunidade externa etc.) no uso e conservação do Campus da Capital Aprofundar a reflexão e as discussões de cada bloco temático: pontos críticos, pontos fortes, macro-problemas, oportunidades, prioridades Buscar consenso nas discussões e quando este não for possível, possibilitar que as divergências sejam apontadas e registradas Elaborar sugestões e propostas para subsidiar o Conselho do Campus na construção de um Plano de Uso Sustentável do Campus da Capital

4 4 Organização Escolher pelo menos um facilitador por GT quando da instalação do Fórum (interlocutor entre GT e Comissão Executiva do Fórum) Criar dinâmica própria para o funcionamento do GT, considerando o mínimo recomendado pelos organizadores do Fórum, como o uso do ambiente virtual – Construir agenda de encontros presenciais (quinzenais nos dois primeiros meses) Definir prioridades temáticas, avaliando a necessidade ou não de desdobramento do GT: formação de subGTs Escolher relator(es) Elaboração de Documento Final com recomendações O que se espera de cada GT

5 5 Facilitadores dos GTs Organizar com o GT agenda e dinâmica de trabalho Utilizar o kit do facilitador para moderação das reuniões presenciais com o GT: partir das perguntas norteadoras e usar o diagrama como referência para a construção do processo; Utilizar o ambiente virtual - STOA - como ponto de encontro constante do GT: chamar para as discussões, informar e postar novos conteúdos, como calendário de reuniões, estimular que todos do GT usem o ambiente para troca de informações (contar com o interlocutor e com o relator) Estar sempre em contato com os interlocutores/organizadores do Fórum Participar das reuniões mensais com interlocutores/organizadores Possibilitar a troca entre facilitadores para a identificação de temas transversais Colaborar na concepção dos Encontros com os GTs Elaboração, em conjunto com o(s) relator(es), do Documento do GT

6 6 Relatores dos GTs Registrar e disponibilizar a memória das reuniões dos GTs no ambiente virtual do Fórum – Disponibilizar calendário de reuniões do GT no ambiente virtual do Fórum Elaboração, em conjunto com o facilitador, do Documento Final do GT

7 7 Interlocutores do Fórum Acompanhar o processo de discussão dos GTs, sem interferir – apenas garantir que o foco seja mantido Apoiar os GTs/Facilitadores (logística, informações, uso do STOA - animação, dossiê, encontros com os GTs etc.) Fazer a ponte com a Comissão Executiva do Fórum

8 8 Para todo o GT Postar comentários/mensagens no ambiente virtual para que a discussão aconteça virtualmente e se torne o mais pública possível. Ex: respostas às perguntas norteadoras Inserir no calendário do ambiente virtual eventos relacionados ao tema do Grupo. Ex: semana do meio ambiente; exposição sobre equipamentos de segurança; seminário sobre segurança em museus etc. Acompanhar as discussões dos GTs na comunidade virtual do Fórum, para construção de cenário sobre o tema objeto de reflexão do Grupo e de visão sistêmica Utilizar e alimentar o dossiê (em CD-Rom e disponível no STOA)

9 9 Construindo a dinâmica com os GTs Mapear experiências, projetos, ações junto aos participantes do GT para subsidiar os trabalhos: troca de experiências, construção de propostas, banco de dados Mapear necessidades/carências relacionadas ao tema do GT para que os organizadores do Fórum possam organizar conteúdo para supri-las Relacionar pontos críticos, pontos fortes, macro-problemas, oportunidades, prioridades do bloco temático do GT Avaliar com o Grupo e com os interlocutores a necessidade de subdivisão do GT

10 10 Contribuições para o método Paulo Diaz - GT-3 Resíduos a) Observação da Realidade – observar a realidade em si de modo a obter uma imagem ingênua/geral da realidade; b) Pontos Chave – selecionar o que é verdadeiramente importante do que superficial ou contingente e identificar pontos-chave do problema ou assunto em questão; c) Teorização – tentar explicar os fenômenos observados através da interação entre realidade e instrumentos/conteúdos teórico-científicos pré- existentes; d) Hipóteses de Solução – usar a realidade para aprender com ela, ao mesmo tempo preparar para transformá-la, propondo ações resolutivas e possíveis; e) Aplicação à Realidade – as soluções viáveis são selecionadas e sua aplicação aprendida e praticada. Embora esta última não seja o caso.

11 11 Perguntas norteadoras 1. Que tipos de uso são adequados a um campus universitário público? 2. Por quem deveria ser usado? 3. Há usos que deveriam ser restringidos? Quais? Como? Por quê? 4. O que deveria/poderia ser feito para o campus ser sustentável? 5. Como cada grupo de usuários poderia/deveria colaborar com isso?Dica: A partir das respostas por escrito de cada membro do GT, construir mapa que contenha as possibilidades, de forma a contribuir com a discussão do bloco temático do GT A partir das respostas por escrito de cada membro do GT, construir mapa que contenha as possibilidades, de forma a contribuir com a discussão do bloco temático do GT

12 12 1.Identificação 1. Identificação 2. Vertentes 3. Prioridades a) experiências, problemas, conflitos e desejos (PN1) b) Identificação do grupo com a questão – gerar subdivisões por tema - subgrupos Mapas de tudo que se tem a) institucional b) comunitária 1ª versão do que necessita ser feito – exercício para o consenso – com base no que se tem hoje c) recomendações Documento/GT Bases para a construção de um Plano de Uso Sustentável do Campus da Capital

13 13 Documento do GT Formato Resumo do processo de discussão Temas priorizados pelo GT e subGTs Consensos criados Divergências Recomendações - sugestões e propostas do GT e subGTs, sustentadas por argumentação/justificativas/dados/imagens etc.

14 14 Interlocutores – quem são GT 1 – Segurança – Hamílcar (PCO) GT 1 – Segurança – Hamílcar GT2 – Infra-Estrutura – Eduardo/Samir – (PCO) GT2 – Infra-Estrutura – Eduardo/Samir – GT3 – Resíduos – Agenor (FM) Beth (Ag. Inovação) – GT3 – Resíduos – Agenor (FM) e Beth (Ag. Inovação) – GT4 – Sistema Viário – Samir/Eduardo (PCO) GT4 – Sistema Viário – Samir/Eduardo GT5 – Patrimônio – Eunice e Décio – (PCO) GT5 – Patrimônio – Eunice e Décio – GT6 – Entorno – Beatriz – (PRCEU) GT6 – Entorno – Beatriz – STOA – Celina – (PCO) STOA – Celina –

15 15 Agenda mensal de reuniões com interlocutores 29/04 – funcionamento dos GTs 29/05 – papel dos facilitadores, relatores e interlocutores; uso do ambiente virtual; encontros inter-grupos (primeira reunião intergrupos no dia 01 de julho na FM) 01/07 – encontro de temas transversais de agosto e inter grupos 31/07 - encontro de temas transversais:últimas para o encontro de agosto; definir o de setembro e o encontro intergrupos 28/08 - encontro de temas transversais: últimas para o encontro de setembro e definir os últimos encontros intergrupos 30/09 – preparar o encontro de encerramento dos GTs - Apresentação e troca com todos os GTs (véspera da reunião do Conselho do Campus – 17/10/08)

16 16 Encontros - GTs Entre GTs – a partir de junho e até meados de setembro 1/4; 2/3; 5/6 2/4; 1/6; 3/5 4/5; 3/6; 1/2 3/4; 1/5; 2/6 1/3; 2/5; 4/6 Temas transversais – todos os GTs – agosto/setembro Governança Campanhas Educativas Outros (a serem definidos em conjunto com facilitadores e interlocutores)

17 Encontro intergrupos Base perguntas norteadoras Consolidar antes o tema geral de abordagem – consensos e noção de divergências para não termos só opiniões pessoais Reuniões intermediárias do GT2 Abstração do tema (patrimônio) Primeiro encontro no dia 01 de julho na FM Consulta nos GTs para definir quem namora com quem e quando Apresentação de cada GT para todos e depois separam dois a dois Os facilitadores e relatores das reuniões intergrupos serão os interlocutores dos GTs 17


Carregar ppt "1 Fórum Permanente sobre Espaço Público A USP e a especificidade de seus campi Facilitadores, Relatores e Interlocutores dos GTs."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google