A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

MONARQUIA Forma de governo em que o poder supremo está nas mãos de um monarca ou rei. O cargo é vitalício e passado aos descendentes, existente entre 1822.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "MONARQUIA Forma de governo em que o poder supremo está nas mãos de um monarca ou rei. O cargo é vitalício e passado aos descendentes, existente entre 1822."— Transcrição da apresentação:

1 MONARQUIA Forma de governo em que o poder supremo está nas mãos de um monarca ou rei. O cargo é vitalício e passado aos descendentes, existente entre 1822 e REPÚBLICA A Proclamação da República Brasileira foi um levante político-militar ocorrido em 15 de novembro de 1889 que instaurou a forma republicana federativa presidencialista de governo no Brasil, derrubando o governo monárquico de D.Pedro II.

2 Abolição lenta e gradual Lei Eusébio de Queirós 1850 – proibição do tráfico negreiro. Lei do Ventre Livre libertos filhos de escravas nascidos a partir desta data. Lei dos Sexagenários 1885 – libertos escravos com mais de 65 anos. Lei Áurea 13 de maio de 1888 – libertou os escravos – sem perspectivas e indenização pelos anos de trabalho.

3 Os Primeiros Tempos da República Brasileira REPÚBLICA DA ESPADA – governos militares Marechal Deodoro da Fonseca e Floriano Peixoto. Fatos de destaque: assinatura do Tratado de Petrópolis definindo as fronteiras de Brasil e Bolívia – Acre. Promulgação da 1ª Constituição Republicana em 1891.

4 Constituição Republicana 1891 Brasil passou a ser presidencialista, organizado em Três Poderes: Executivo, Legislativo e Judiciário. Presidente eleito por um mandato de 4 anos. Voto direto, aberto e universal para os cidadãos maiores de 21 anos alfabetizados. Foram excluídos: mendigos, praças, mulheres e índios.

5 Constituição Republicana 1891 Estado separou-se da igreja, religião católica deixou de ser oficial. Caráter leigo do ensino. Extinguiu-se a pena de morte. Antigas províncias transformaram-se em Estados, numa República Federativa. Os Estados adquiriam uma relativa autonomia.

6 República das Oligarquias Poder nas mãos das grandes famílias latifundiárias, filiadas ao Partido Republicano de cada Estado, sob a direção a maior parte do tempo, dos cafeicultores. Voto de cabresto. A fórmula para o controle seguro do poder, por parte das oligarquias foi o arranjo político conhecido como Política dos Governadores também conhecida por café com leite.

7 Política do café com leite Hegemonia de paulistas e mineiros na presidência da República. A aliança entre paulistas e mineiros não marcou todo o período da 1ª República em alguns momentos houve divergências quebrando o esquema: gaúcho Hermes da Fonseca e paraibano Epitácio Pessoa.

8 Guerra de Canudos Povoado comunitário no sertão da Bahia sob o comando de Antônio Vicente Mendes Maciel (Antônio Conselheiro). A economia era comunitária em que todos deveria trabalhar para o sustento do grupo. Comunidade independente das regras da Igreja Católica e do poder dos coronéis. Tinha polícia e presídios próprios e a palavra do beato era a lei.

9 Guerra de Canudos Canudos tornou-se uma ameaça ao poder dos coronéis e da Igreja católica que perdiam mão-de-obra e fiéis nas missas. Após tentativas de destruição do povoado e 4 meses de combate, em 5 de outubro de 1897 o general Arthur Oscar com 10 mil soldados. Obra Os Sertões de Euclides da Cunha é uma fonte para o estudo daquele conflito.

10 Industrialização e o crescimento das cidades Investimentos na construção civil, no setor portuário, na indústria de bens de consumo doméstico e nos transportes urbanos. Crescimento da população. Imigração. Os cortiços e as vilas operárias. Vida difícil nas fábricas: acidentes e longa jornada de trabalho.

11 Industrialização e o crescimento das cidades Os cortiços e as vilas operárias. Vida difícil nas fábricas: acidentes e longa jornada de trabalho, baixos salários, ambiente sem higiene e segurança, não existiam políticas sociais de assistência ao trabalhador. Organização operária: sindicatos reformistas (mudanças e participação política)e sindicatos revolucionários (greves). Partido Comunista do Brasil 1922.

12 Revolta da Vacina A luta mais difícil de Osvaldo Cruz foi combater a varíola. Programa de saneamento aprovado em outubro de Sofreu críticas. 10 dias de violentos choques entre a população e as autoridades para o combate da doença. A revolta só foi sufocada com apoio dos miliares de SP e MG.

13 Cangaço Inicialmente grupos armados sustentados por chefes políticos locais. Bandos independentes está relacionada às grandes secas que devastaram a economia. Saques a fazendas e localidades rivais. Virgulino Ferreira conhecido como Lampião foi um dos mais violentos.

14 Antecedentes da 1ª Guerra Mundial Período de prosperidade chamado Bela Época (Belle Époque). Inovações científicas e tecnológicas. Desenvolvimento nas artes.

15 Fatores da 1ª Guerra Mundial Conflitos imperialistas. Política de alianças. Tríplice Aliança Tríplice Entente Alemanha França Aústria–Hungria Grã-Bretanha Itália Rússia Corrida armamentista. Paz Armada.

16 Estopim 1ª Guerra Mundial Assassinato de Francisco Ferdinando herdeiro do Império Austro-Húngaro provocando a declaração de guerra da Áustria contra a Sérvia. Devido a política de Alianças outros países envolveram-se no conflito numa verdadeira reação em cadeia (efeito dominó). Sérvia e Rússia contra Império Austro-húngaro e Alemanha. Alemanha contra a Rússia e França. Para atingir a França invadiu a Bélgica.

17 Fases da 1ª Guerra Mundial 1ª intensa movimentação dos exércitos beligerantes, equilíbrio de forças, Batalha de Marne detendo o avanço germânico sobre Paris. 2ª guerra de trincheiras

18 Fases da 1ª Guerra Mundial 3ª marinha alemã afundou navios de países tido como neutros. Entrada dos EUA – 6 de abril de 1917 Saída da Rússia – 3 de março de O Brasil teve o navio Paraná afundado por submarinos alemães.

19 A Itália Embora integrasse a Tríplice Aliança, entrou em guerra, em 1915, ao lado da Tríplice Entente, em troca de ganhos territoriais.

20 A paz dos vencedores Tratado de Versalhes estabeleceu severas condições para a Alemanha, como perdas territoriais, econômicas e restrições militares. Devolução das ricas regiões Alsácia e Lorena para a França, pagar uma enorme indenização aos países vencedores e ceder seus territórios coloniais. A humilhação dos alemães alimentou o sentimento de revanche e o nacionalismo de seu povo que levaria a um novo conflito mundial.

21 As mulheres na guerra de 1914 A longa duração da guerra e a necessidade de abastecer os exércitos exigiam que as indústrias trabalhassem no máximo de sua capacidade. Na França e na Alemanha mais de 40% dos trabalhadores das metalúrgicas eram mulheres.

22 O mundo após a guerra Terríveis perdas humanas. Danos ambientais. Europa endividada deixou de ser o centro das decisões mundiais. EUA tornaram-se a 1ª potência. Rússia socialista influencia movimentos operários no mundo. Ondas de greves. Formação de governos autoritários nacionalistas na Europa.

23 O mundo após a guerra Fim dos impérios Alemão, Austro-húngaro e Turco Otomano, surgiram novos países: Áustria, Hungria, Tchecoslováquia e Iugoslávia. Com o fim do Império Russo, formaram-se, além da Rússia Soviética, Finlândia, Estônia, Letônia, Lituânia e Polônia.

24 O mundo após a guerra


Carregar ppt "MONARQUIA Forma de governo em que o poder supremo está nas mãos de um monarca ou rei. O cargo é vitalício e passado aos descendentes, existente entre 1822."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google